Iefe realiza avaliação física dos agentes de segurança pública

Projeto deve avaliar a saúde física dos militares participantes
Por: Blenda Machado - estudante de Jornalismo - 10/10/2019 às 08h15 - Atualizado em 30/09/2019 às 12h16
context/imageCaption

Programa da Ufal prevê três avaliações de saúde aos participantes (Fotos: Blenda Machado)

O Instituto de Educação Física e Esportes (Iefe), da Universidade Federal de Alagoas, realizou uma avaliação física dos agentes de segurança pública do Estado, no último mês de setembro. A atividade fez parte do programa intitulado Educação, Saúde, Ciência e Tecnologia, coordenado pelo professor Pedro Balikian, que tem o objetivo de promover o desenvolvimento do esporte no estado de Alagoas.

De acordo com os participantes, o projeto tem o intuito de desenvolver ciência e tecnologia aplicada à segurança pública, realizado por estudantes do Iefe e do mestrado em Modelagem Computacional. O coordenador, Pedro Balikian, explica que o agente de polícia passa por três avaliações realizadas pelo programa. No primeiro procedimento é feita uma composição corporal; passando depois por uma anamnese. Em seguida se faz uma avaliação postural, onde são colocados marcadores em pontos anatômicos específicos pelo corpo para entender como está a postura. A próxima avaliação analisa o salto, verificando a potência muscular do indivíduo; seguida da dinamometria dorsal, onde avalia a força e a flexibilidade; e por último, o policial passa pelo Wingate,  um teste de ciclo de potência da perna anaeróbia, realizado ao longo de 30 segundos.

Pedro fala sobre a importância das atividades para a comunidade. ‘‘Atividade física hoje, comprovadamente, aumenta a segurança do sistema neurocognitivo. Então, as doenças modernas como depressão e ansiedade são minimizadas em função da prática regular sistematizada da atividade física’’, destacou.

Ele também ressalta a importância da plataforma Emg systems. ‘‘A nossa proposta é estudar de maneira bastante detalhada e usando uma parte de recurso de ciência tecnologia para identificar desde aqueles policiais que têm maior propensão a desenvolver determinadas patologias e por outro lado de que maneira o treinamento pode evitar que essas doenças aconteçam’’, disse.

Após a análise, os dados são coletados pela Emg systems, uma plataforma que consegue registrar a força de impulsão, altura e o equilíbrio. O policial militar e participante da avaliação, Alexandre Correia, conta o que esse programa proporciona. ‘‘É gratificante participar de um projeto desse, porque a gente fica sabendo do nível de preparação física do nosso policial militar e até mesmo para quem participa começar a se cuidar melhor’’, declara.