Trabalho que avalia potencial do gás metano recebe menção honrosa na SBPC

Projeto aponta resultados com resíduos de granja de avicultura de postura
Por: Janyelle Vieira - estagiária de Jornalismo - 07/08/2019 às 08h15 - Atualizado em 07/08/2019 às 11h05
context/imageCaption

Lorena Jucá

A produção no setor aviário tem aumentado nos últimos anos gerando grande quantidade de resíduos sólidos orgânicos pelas suas atividades. Estudos têm concluído que esses resíduos têm em sua composição nutrientes causadores de impactos ambientais, tais como a contaminação de lençóis subterrâneos por nitrato e a eutrofização de águas superficiais, quando dispostos de forma inadequada no solo. Além disso, a tendência de automação das granjas incorre em maiores gastos com energia elétrica. O Brasil é dependente principalmente das usinas hidrelétricas cuja implantação costuma gerar impactos sociais e ambientais negativos para a geração de energia e, consequentemente, de todo o regime de chuvas. Assim, é reforçada a urgência em criar alternativas a esses métodos.

Um trabalho da Universidade Federal de Alagoas intitulado Análise do Potencial de Produção de Gás Metano a partir de Resíduos de Granja de Avicultura de Postura orientado pelo professor Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim e desenvolvido pela aluna Lorena Braga Quintella Jucá avaliou a viabilidade de tal alternativa. A pesquisa recomendada para o Prêmio da Sessão de Pôsteres da 71ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) recebeu menção honrosa.

De acordo com Lorena Jucá, para a pesquisa, consultou-se estudos na literatura que utilizassem resíduos de criação de aves para a produção de biogás e, em seguida, investigou-se o potencial de produção de metano, mais especificamente, de alguns resíduos de uma granja de avicultura de postura: dejetos das galinhas; ovos que foram descartados no processo de produção, por motivos como trincamento, sangue no interior ou tamanho reduzido; e a combinação destes. O gás metano é um composto de alto poder calorífico, podendo, assim, ser utilizado no aquecimento ou na geração de energia elétrica. A partir da implantação de biodigestores, é possível que a granja supra a própria demanda energética e, caso haja um excedente, a eletricidade pode ser vendida a distribuidoras.

O trabalho, orientado pelo professor Eduardo Lucena, que tem ampla experiência em pesquisa com produção de biocombustíveis, se propôs a avaliar o potencial que tais resíduos têm de produzirem gás metano quando estimulados por uma biomassa adicional - o consórcio de microrganismos presentes no lodo de uma Estação de Tratamento de Efluentes - e o parâmetro usado para essa avaliação foi a Atividade Metanogênica Específica (AME).

O experimento foi desenvolvido em laboratório e como resultados, a maior AME foi obtida pelos dejetos e a menor foi obtida para ovos triturados. Além disso, foi constatado um provável efeito tampão no meio, promovido pela casca dos ovos. A pesquisadora explica que o efeito tampão possibilita que o pH do meio não sofra grandes variações. Todos os reatores utilizados sofreram acidificação ao longo do experimento, ficando um pouco mais ácidos, e a casca provavelmente, reduziu essa acidificação.

A pesquisadora Lorena Jucá explica que para a comunidade acadêmica, a pesquisa é um primeiro passo para a realização de outras pesquisas do segmento. Ela destaca que para a sociedade, a importância da pesquisa é de que, após atestada viabilidade técnica e econômica, os produtores possam utilizar esses resíduos para suprirem sua própria demanda sem precisarem de uma fonte externa de eletricidade, caracterizando uma autonomia energética. Isso contribuiria ainda para uma destinação adequada para tais resíduos sólidos, evitando a contaminação de mananciais subterrâneos por nutrientes em excesso e, consequentemente, danos à qualidade de água de abastecimento.

“O que me motivou foi o interesse pela questão energética e disposição de resíduos sólidos além, principalmente, de toda a experiência do orientador. A minha avaliação é de que o prêmio foi uma consequência de toda uma rotina de análises de laboratório que exigiam cuidados e muitas tentativas, treinamentos para usos de equipamentos, reuniões e auxílio de alunos de graduação e mestrado. O sentimento é de querer continuar a pesquisa no setor de saneamento para contribuir com o desenvolvimento de mais soluções” conta Lorena.

A pesquisa motivou também outros alunos e já está sendo utilizada para a estudante de Engenharia Ambiental e Sanitária da Ufal, Isabella Tenório, como produto de Trabalho de Conclusão de Curso, dessa vez, como o próximo passo, que é o de avaliar a viabilidade técnica da utilização do biogás gerado para fins energéticos com o objetivo final de suprir a demanda energética da cadeia produtiva de uma granja.