Pesquisa sobre hanseníase é publicada em periódico internacional

Estudo científico foi liderado pelo Núcleo de Epidemiologia em Saúde Pública do curso de Enfermagem
Por: Diana Monteiro - jornalista - 29/08/2019 às 09h33
context/imageCaption

Professor Victor Santos com as bolsistas Hidyanara Paula e Sara Silva

O curso de Enfermagem do Campus Arapiraca ganha destaque internacional pela publicação de um artigo que tem como foco os fatores de risco para incapacidade física em pacientes com hanseníase. O artigo é de autoria do professor Victor Santana Santos e foi publicado neste mês de agosto no periódico Jama Dermatology, do Grupo Jama (Journal of the American Medical Association), considerada a mais importante revista de dermatologia do mundo.  

Victor Santos é coordenador do Núcleo de Epidemiologia em Saúde Pública (Nesp) do curso de Enfermagem do Campus Arapiraca e sobre a publicação do artigo, denominado de Risk Factors for Physical Disability in Patients With Leprosy; A Systematic Review and Meta-analysis,  destaca: “Nós conduzimos uma meta-análise para identificar sistematicamente os fatores de risco para incapacidade física em pacientes com hanseníase. Para tanto, nós realizamos uma revisão sistemática com meta-análise de estudos publicados entre janeiro de 1988 e maio de 2018 nas bases de dados Scopus, PubMed e Web of Science”, enfatiza. 

Ele acrescenta que a revisão sistemática com meta-análise constitui o mais elevado grau de evidência científica, pois utiliza-se de uma estratégia que limita o viés na reunião sistemática, com avaliação crítica e síntese de todos os estudos relevantes sobre um tópico específico, a partir de uma questão de pesquisa de relevância clínica previamente formulada. E reforça: 

 “A meta-análise é análise que combina e integra os resultados de estudos independentes. Por sumarizar e sintetizar os resultados de estudos primários, revisão sistemática com meta-análise coloca à disposição de profissionais de saúde e gestores a melhor evidência científica disponível sobre determinado assunto, e ajuda-os a prestar o melhor cuidado em saúde centrado no paciente”, destaca o pesquisador,  doutor em Ciências da Saúde. 

Victor informa que o trabalho científico com a participação de pesquisadores da Universidade Federal de Sergipe (UFS) e da Universidade Federal do Pará (UFPA). A Universidade de Liverpool School of Tropical Medicine (Reino Unido), com a qual mantém parceria e colaboração desde 2014, também integra a pesquisa. Pelo Nesp da Ufal, participaram do estudo as discentes Hidyanara L. de Paula e Sara R. Silva, do curso de Enfermagem do Campus Arapiraca, bolsistas do Programa de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic). 

Sobre o desenvolvimento da pesquisa o professor Victor Santos explica: “Como todo estudo científico, o nosso transcorreu em etapas. Nas revisões sistemáticas com meta-análises são realizadas a busca sistemática em base de dados; seleção dos artigos com base em critérios de elegibilidade; análise do risco de viés dos artigos que atendem aos critérios de elegibilidade; extração dos dados; análise crítica dos artigos; meta-análise [que é a análise estatística dos dados]; interpretação dos achados e, por fim, a escrita científica”. 

Ele argumenta sobre a relevância do estudo realizado para a formação dos alunos: “Alunos de graduação que têm a oportunidade de participar de projetos de pesquisa e/ou iniciação científica apresentam importantes ganhos na formação acadêmica e na vida profissional futura, pois eles transformam-se em sujeitos sociais com competências éticas e técnicas dotadas de conhecimento, raciocínio, crítica, responsabilidade e sensibilidade frente aos principais problemas da sociedade e questões de vida”, enfatiza o pesquisador. 

Sobre o que  representa para a Ufal  o destaque mundial  pela publicação internacional resultada de um estudo científico desenvolvido no curso de Enfermagem do Campus Arapiraca, Victor enfatiza que a publicação de um artigo científico em um periódico já é um importante feito, pois é uma das maneiras de divulgar descobertas científicas e contribuir com a ciência e o conhecimento humano. “No entanto, quando se publica os resultados de uma pesquisa científica em um dos mais respeitados periódicos internacionais causa um entusiasmo e fortalece a continuidade de mais estudos científicos, apesar das dificuldades que nós, cientistas, temos enfrentado”, ressalta.

Ele aproveita para destacar que o estudo realizado está alinhado com a Estratégia Global de Hanseníase da OMS 2010-2020 que visa acelerar a ação em direção a um mundo livre da hanseníase, com foco na detecção precoce de casos, antes que ocorram deficiências, e na prevenção e detecção precoce de deficiências entre grupos de maior risco, conduzindo busca ativa dos casos em comunidades altamente endêmicas. “Nesse sentido, nossos achados fornecem informações às partes interessadas sobre a caracterização de pacientes de alto risco que devem ser priorizados e direcionados para receber intervenções preventivas para a detecção precoce e redução da incapacidade grau 2 em áreas endêmicas, tais como o Brasil”, frisou Victor Santos. 

O professor informou que outras pesquisas de natureza similar, que envolvem não apenas os problemas relacionados à hanseníase, mas também  outros problemas de saúde pública, estão sendo conduzidas pelo Núcleo de Epidemiologia em Saúde Pública do Campus Arapiraca. 

Confira aqui o artigo completo. 

Conceito máximo

Em 2017 o curso de Enfermagem do Campus Arapiraca alcançou o Conceito Máximo (5), conforme avaliação realizada pelo Ministério da Educação (MEC), destacando-se então como o único em Alagoas nesse patamar. O que vem demonstrar a crescente formação acadêmica e profissional com qualidade em consonância com as demandas atuais na área e também sociais.

O Índice Geral de Cursos (IGC), vai de 1 a 5 e leva em conta: desempenho dos alunos no Exame Nacional de Desempenho de  Estudante (Enade),  específico para essa finalidade; avaliação da infraestrutura das faculdades e o grau de formação do corpo docente.