Novo prédio da Escola Técnica de Artes é inaugurado

Após reforma, ETA passa a funcionar na antiga Residência Universitária Alagoana
Por: Izadora Garcia - relações públicas - 10/07/2019 às 15h22 - Atualizado em 10/07/2019 às 15h27
context/imageCaption

Inauguração aconteceu ontem (9). Fotos: Thiago Prado

Na tarde de ontem (9), foi realizada a inauguração do novo prédio da Escola Técnica de Artes (ETA) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Na ocasião, estiveram presentes a reitora, Valéria Correia; a diretora do Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes, Sandra Nunes Leite; o diretor e a vice-diretora da Escola Técnica de Artes, Davi Farias e Pollyana Isabelo; o presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural, Vinicius Palmeira; a egressa do curso de Arte Dramática, Bárbara Lustosa; e o discente do curso de Arte Dramática, Willian Calixto, representando os estudantes.

O diretor da Escola Técnica de Artes se emocionou em diversos momentos de sua fala. “Quando eu assumi a ETA, eu disse que, assim como a reitora Valéria, eu não tinha medo dos desafios da Gestão. Mas a gente precisa se fortalecer para lidar com os esses desafios, incertezas e frustrações de um cargo como esse. Mas o que sempre me alentou foi a certeza de que estamos aqui para dar o nosso melhor. Esse prédio é um fruto disso. Outro fruto disso e uma notícia excelente é que estamos trazendo um Minter (Mestrado Interinstitucional) e um Dinter (Doutorado Interinstitucional), com conceitos 6 da Capes”, comemorou.

Vinicius Palmeira falou sobre o significado da Escola Técnica de Artes (ETA) para a cultura em Maceió e em Alagoas. “A ETA tem uma importância inestimável, primeiro porque ela está em contato direto com a cidade, no centro, em um prédio histórico e também porque ela tem essa relação com a municipalidade, com o fazer cultural. É uma escola única, formadora e essencial, sobretudo em um período em que a cultura leva a maior pancada na história recente desse país”.

Ele também elogiou a nova estrutura que será proporcionada aos estudantes e reafirmou a parceria da Fmac com a Ufal. “É minha meta estreitarmos esses laços com a ETA. Tenham certeza que a força disso aqui é avassaladora e que continuaremos juntos”.

A reitora, Valéria Correia, encerrou as falas da solenidade ressaltando o esforço coletivo realizado pela Gestão na entrega de obras, mesmo em um contexto adverso que as universidades vem passando desde 2016.

“Parabenizo aqui a todos que estão envolvidos na Escola Técnica de Artes. A ETA não engrandece apenas a Ufal, mas também toda a sociedade alagoana. Em um momento tão difícil para a Ufal, que vem desde o final de 2016, estamos fazendo esforços hercúleos para entregar obras, buscando emendas, fazendo o possível para honrar compromissos assumidos com a comunidade universitária. E esse aqui é mais um compromisso cumprido”.

Após a solenidade, foram realizados o descerramento da placa e uma visitada guiada pelas dependências da nova ETA, que abrigou uma exposição de peças de figurino popular alagoano, frutos de um trabalho de conclusão de curso de Moda. O encerramento das atividades ficou por conta das apresentações da Camerata Universitária e de uma Exposição de Dança.

Estudante e egressa se emocionam relembrando trajetória na ETA

A egressa do curso de Arte Dramática Bárbara Lustosa fez uma reflexão sobre como a Escola Técnica de Artes abriu portas para sua carreira de atriz e produtora. “É muito emocionante estar nesse espaço porque me remete a memórias de uma menina que veio do interior com o intuito de realizar o sonho de ser atriz. E, ao chegar aqui, eu fui acolhida por todos os professores da ETA. Essa Escola me levou a lugares que eu nunca imaginaria. Quero parabenizar a todos que fizeram parte desse momento, ele representa muito para todos os estudantes que, assim como eu, se realizaram aqui”.

Já William Calixto, aluno da ETA, falou sobre as dificuldades que estudantes enfrentam durante o período da graduação e sobre como uma rede de apoio e políticas de permanência são importantes para que não haja distanciamento das salas de aula. “Precisei me afastar para trabalhar algumas vezes. Mesmo assim, tive a grata oportunidade de frequentar diversos cursos que foram ofertados nesse período. Voltei, estou aqui, não vou sair: essa é a minha casa”.

Homenagem à projetista do prédio

Durante a cerimônia, a professora Zélia Maia Nobre, que projetou o espaço para a Residência Universitária Alagoana (RUA) na década de 70. A arquiteta, conhecida como “dama do traço elegante”, foi a fundadora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da Ufal.