Centro de Educação busca consolidar a revista Debates em Educação

A revista científica é vinculada ao Programa de Pós-graduação em Educação
Por: Lenilda Luna - jornalista - 26/07/2019 às 07h00 - Atualizado em 26/07/2019 às 16h23
context/imageCaption

Professora Inalda Maria dos Santos, atual editora da revista

A revista eletrônica Debates em Educação é publicada, desde 2009, pelo Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE), do Centro de Educação (Cedu), e tem periodicidade semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral. A última publicação, volume 11, nº 23, foi dedicada aos dossiês “Ensino em Antropologia” e “Abordagens pedagógicas interdisciplinares para a educação das relações étnico-raciais". A próxima edição será lançada em agosto, com os temas “Práticas, pesquisas e reflexões sobre a educação profissional, científica e tecnológica no Brasil: apreensão de um projeto em curso” e “Tecnologias e Educação: usos, efeitos e reflexões sobre a formação no cotidiano das instituições educacionais”.

A atual editora da revista, professora Inalda Maria dos Santos, está buscando divulgar a revista na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e para o público externo. “A revista científica é um critério importante para a avaliação positiva do programa de pós-graduação. É fundamental que a revista seja acessada pela comunidade universitária da Ufal e também que consiga publicar artigos de pesquisadores de outras universidades do Brasil e do exterior”, destaca a editora. Além da professora Inalda, a revista tem outra editora, que atua desde 2015, a professora Deise Juliana Francisco. A equipe conta ainda com o secretário Adilson Rocha Ferreira, que pesquisa a implementação das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Educação.

Os periódicos dos programas de pós-graduação das Universidades são avaliados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de dados coletados e inseridos na Plataforma Sucupira. A classificação segue uma escala entre A1 e C, onde A1 é o índice mais elevado. “A revista Debates em Educação tem classificação B5. Passamos recentemente por uma reavaliação e o resultado preliminar foi muito bom, elevamos a nossa classificação, no resultado parcial, para A2”, informa Inalda.

Os artigos para publicação são selecionados por meio de edital de chamada pública e avaliados por uma comissão de pareceristas. “A publicação de artigos em periódicos é importante para atestar a produtividade científica dos pesquisadores. As revistas de classificação nos estratos mais altos são as mais consultadas e mais citadas em outros artigos e produções científicas. Tudo isso compõe uma métrica que é levada em consideração nas avaliações tanto dos currículos de pesquisadores quanto dos programas de pós-graduação”, explica a editora.

Os periódicos científicos devem estar identificados para que sejam facilmente localizados na internet em qualquer parte do mundo. O ISSN (International Standart Serial Number) “é um código de oito dígitos que tem como finalidade identificar e individualizar o título de uma publicação seriada em âmbito internacional”. A revista Debates em Educação tem o ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

Os artigos também são identificados por códigos que garantem a autenticidade e facilitam a localização da produção científica, inclusive quando ela é citada por outro pesquisador. Segundo o portal da Capes, essas identificações individuais são o número ORCID, que é um código tem 16 dígitos único para cada pessoa, e o Digital Object Identifier (DOI), código para objetos como artigos científicos, teses e dissertações. “Nosso periódico segue todas essas regras internacionais de identificação”, ressalta a professora Inalda.

Uma outra forma de considerar a relevância de um periódico e a indexação em plataformas que são consultadas por pesquisadores do mundo inteiro para consultar o que já existe de produção científica na área de pesquisa. A revista Debates em Educação está indexada em 19 bases científicas, tais como: Open Journal Systems (OJS); Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex); Directory of Open Access Journals (DOAJ); Google Scholar; entre outras.

Para manter um periódico de qualidade, é preciso contar com parcerias. A editora Inalda Santos destaca o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), por meio dos editais de Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos. “Além disso, contamos com contribuições de toda a equipe editorial, de modo particular a professora Deise Juliana Francisco e o doutorando Adilson Rocha que não medem esforços na melhoria e qualidade da nossa revista”, agradece a editora.