Minuta do Plano de Desenvolvimento Institucional é apresentada ao Consuni

Conselheiro pediu vistas ao documento e a votação foi adiada para a próxima sessão
Por Lenilda Luna - jornalista
18/06/2019 13h08 - Atualizado em 18/06/2019 às 13h10
context/imageCaption

Documento provisório é apresentado aos conselheiros da Ufal. Foto: Thiago Prado

Em um longo e detalhado debate sobre a elaboração do documento do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), os conselheiros universitários, em sessão extraordinária, avaliaram a metodologia de planejamento democrático-participativo, que foi estabelecida para incentivar a sociedade e a comunidade universitária a contribuir com as propostas. 

A exposição inicial foi feita pelo técnico Jouber Lessa, da Pró-reitoria de Gestão Institucional, que integra a Comissão Central responsável pela elaboração do PDI e também a subcomissão de sistematização do documento final. “Todo o processo foi amplamente divulgado para que a comunidade tivesse conhecimento de todas as etapas e pudesse colaborar com a construção das metas da Ufal para os próximos cinco anos”, destacou o técnico. 

Jouber Lessa relatou que foram feitas consultas públicas online, fóruns temáticos, audiências descentralizadas em Maceió e nos campi do interior. A reitora Valéria Correia ressaltou que esse dedicado trabalho da equipe foi muito importante para que o PDI realmente represente os interesses coletivos. “Nas edições anteriores, o PDI foi elaborado por uma comissão e aprovado pela reitoria ad referendum do Consuni. Mas acreditamos que é importante que esse Conselho Universitário possa analisar e deliberar sobre essa minuta que foi construída coletivamente”, defendeu Valéria. 

A minuta temporária do PDI foi disponibilizada no portal da Ufal para consulta, não só dos conselheiros, mas também de todas as pessoas interessadas, há cerca de um mês. O debate em todas as etapas realizadas sobre a construção do documento levou mais de um ano. Durante a sessão extraordinária do Consuni, foram registradas várias intervenções dos conselheiros, avaliando detalhes do documento. 

Por conta de todo esse longo processo de debates, o pedido de vistas feito pelo conselheiro Bruno Moraes, provocou uma discussão sobre a urgência de aprovar o documento. Após várias argumentações sobre a pertinência do pedido de vistas e a necessidade de finalizar a tramitação, o pedido de vistas foi concedido pela presidenta do Consuni. O conselheiro Bruno Moraes deve apresentar o relatório 96 horas antes da próxima sessão extraordinária que será convocada para a apreciação do documento.