Movimentos Agrários iniciam atividades do Abril Vermelho na Ufal

Centenas de trabalhadores rurais concentraram-se no hall da Reitoria
Por: Lenilda Luna - jornalista - 15/04/2019 às 12h55 - Atualizado em 15/04/2019 às 12h56
context/imageCaption

Reitora da Ufal recepcionou movimentos agrário em apoio ao Abril Vermelho

Os integrantes dos movimentos de luta pela terra (MST, MTL, MLT, MLST, CPT e Via do Trabalho) iniciaram as atividades do chamado Abril Vermelho na manhã desta segunda-feira (15), na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A ação nacional é realizada na semana do dia 17 de abril, em memória dos trabalhadores assassinados no massacre de Eldorado dos Carajás (PA), em 1996. 

Centenas de trabalhadores rurais estiveram concentrados no hall da Reitoria, com faixas e bandeiras do Brasil e dos movimentos. Foram entoados cantos e feitos discursos em defesa da Reforma Agrária e contra a criminalização dos movimentos. “Estamos aqui para pedir o apoio da sociedade para as políticas públicas que fortaleçam a justiça no campo e a produção familiar, livre de agrotóxicos, o que garante a alimentação saudável para toda a população”, disse Val, dirigente estadual do MLST. 

Val destacou também a importância de iniciar essa atividade na Universidade. “Encontramos na reitora da Ufal, Valéria Correia, uma grande apoiadora das lutas sociais. Precisamos que essa Universidade cada vez mais se pinte de povo, tanto pelo acesso dos trabalhadores e trabalhadoras à universidade como pela produção científica voltada para a agroecologia”, destacou o líder do movimento. 

A reitora Valéria Correia saudou os participantes do Movimento. “É uma grande alegria para nós recebermos vocês aqui no campus. Apoiamos as reivindicações de vocês pelo fortalecimento da agricultura familiar. Também contamos com vocês para defender a universidade pública, gratuita e de qualidade, aberta a toda a sociedade”, declarou. 

Em seguida, os trabalhadores organizaram uma marcha até o Centro de Maceió, onde prosseguem as atividades do Abril Vermelho.