Consuni aprova criação da Unidade Acadêmica Escola de Enfermagem

Professores, estudantes e técnicos de Enfermagem comemoraram
Por: Lenilda Luna - jornalista - 10/04/2019 às 13h28 - Atualizado em 11/04/2019 às 09h55
context/imageCaption

Reunião do Consuni foi realizada no dia 9 de abril. Fotos: Renner Boldrino

A sessão ordinária do Conselho Universitário (Consuni) desta terça-feira (9) foi acompanhada por uma delegação de estudantes, professores e técnicos do curso de Enfermagem que lotou a Sala dos Conselhos. Para a apresentação da pauta sobre a criação da Unidade Acadêmica Escola de Enfermagem, a reitora Valéria Correia convidou à mesa a coordenadora do curso de Enfermagem, Thais Honório, e a professora Laís Miranda. O secretário dos Conselhos, Romullo Santos, informou que essa alteração administrativa exige quórum qualificado de no mínimo 39 conselheiros, estavam presentes 48. 

Com o crescimento dos cursos, tanto em quantidade de estudantes e profissionais como em produção científica e acadêmica, algumas novas unidades acadêmicas estão sendo criadas na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Os cursos da área de Saúde eram reunidos em um único Centro de Saúde, mas, após a reforma da estrutura organizacional, em 2006, o Csau foi desmembrado em três unidades acadêmicas: Faculdade de Medicina (Famed), Faculdade de Odontologia (Foufal) e Escola de Enfermagem e Farmácia (Esenfar). 

Desde março do ano passado, a comunidade acadêmica do Curso de Enfermagem, vem solicitando a separação do curso de Farmácia e a criação da Unidade Acadêmica Escola de Enfermagem. O debate no Consuni foi precedido de debates aprofundados no colegiado, que constituiu uma comissão para a elaboração do projeto aprovado nas câmaras Acadêmica e Administrativa. A professora Thaís Honório iniciou a apresentação resumindo o histórico do curso de Enfermagem da Ufal, na década de 1970, que teve como primeira coordenadora a professora Vera Rocha. 

A atual coordenadora apresentou os requisitos exigidos pelo Ministério da Educação para a constituição de uma Unidade Acadêmica como ter um corpo docente formado por pelo menos um terço de mestres e doutores; ter metade do quadro de docentes em regime de tempo integral; oferecer graduação e pós-graduação, ter grupos de pesquisa, projetos de extensão e condições de infraestrutura adequadas. “Cumprimos todos esses critérios e temos uma interiorização das nossas atividades. Somos um curso que tem uma continuidade de contribuição com a formação de profissionais qualificados desde a década de 70”, defendeu a coordenadora. 

Foram mais de duas horas de debate, com intervenções de vários conselheiros, que pediram esclarecimentos sobre os pareceres das duas câmaras, levantaram questões e destacaram a qualidade do curso e a dedicação da comunidade acadêmica. Uma das preocupações foi com o decreto 9725/19 publicado em março, que extingue funções gratificadas nas universidades, mas a reitora Valéria Correia informou que a Associação dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) está questionando a determinação. “Essa questão está sendo avaliada pelos reitores, porque não podemos ter prejuízos no funcionamento das universidades”, destacou a Valéria. 

A aprovação por 44 votos e 4 abstenções da Unidade Acadêmica Escola de Enfermagem foi bastante aplaudida pela comunidade universitária presente na Sala dos Conselhos e também comemorada por quem estava acompanhando a transmissão ao vivo da sessão no canal da Ufal no Youtube. Os estudantes destacaram a participação do conselheiro discente, Danilo Miranda e ressaltaram o momento histórico para o curso. 

A eleição da nova direção da Unidade deve acontecer nos próximos 45 dias, com garantia de assento no Consuni aos novos diretores. Os conselheiros aprovaram também que, com o desvinculamento, a Unidade Acadêmica que abriga o curso de Farmácia deixa de ser denominada Esenfar e passa a utilizar a nomenclatura Instituto de Ciências Farmacêuticas (ICF). “Quero parabenizar a todas as pessoas que integram o curso de Enfermagem por essa conquista”, saudou a reitora Valéria Correia.

Relatório de Gestão 2018

Na reunião anterior do Consuni, ocorrida em 28 de março, foi aprovado o Relatório de Gestão do Exercício Financeiro de 2018, num novo formato, mais simplificado que os mostrados nos encontros anteriores, contendo todos os números da instituição. 

O relatório contemplou oito pontos com dados numéricos de cada setor, dentre os quais estão as gestões de ensino, pesquisa, extensão e da assistência estudantil. Além disso, também foram mostrados os indicadores do Tribunal de Contas da União (TCU) e os dados das gestões orçamentária, de pessoas, patrimonial e de Tecnologia da Informação (TI).