Ufal é a única instituição do NO/NE na Sociedade Brasileira de Matemática Computacional

Por meio do Instituto de Matemática (IM), a instituição passa a fazer parte de um seleto grupo de universidades no país na SBMAC
Por Diana Monteiro - jornalista
31/12/2019 08h05 - Atualizado em 31/12/2019 às 12h56
context/imageCaption

Foto: Renner Boldrino

Estar associada na Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC) já é um grande motivo de comemoração para o Instituto de Matemática (IM) da Universidade Federal de Alagoas. E quando essa positividade destaca a instituição alagoana como a única na região Norte-Nordeste a fazer parte da referenciada Sociedade, é a constatação de que o salto qualitativo alcançado nas ações empreendidas pela unidade acadêmica tem concretamente contribuído cientificamente com avançados estudos da área. 

Com essa mais nova conquista, a Ufal passa a assumir um papel importante no processo de construir um ambiente propício para o desenvolvimento e a expansão da Matemática Aplicada e Computacional em todo o Brasil e começa a integrar um grupo seleto de instituições associadas à SBMAC. A exemplo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade de Campinas (Unicamp), Universidade de São Paulo (USP) e Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa). 

Ao êxito científico, está a projeção de docentes, assim como a participação do IM em eventos da área, somada aos projetos desenvolvidos e em desenvolvimento, também em parceria no âmbito da Ufal, fortalecendo ensino, pesquisa e extensão em consonância com a missão da SBMAC. 

“O Instituto de Matemática da Ufal tem no corpo docente professores de destaque nacional, como o professor Hilário Alencar que dentre várias outras coisas foi presidente da Sociedade Brasileira de Matemática por dois períodos, de 2009  a 2013 e 2015 a 2017, e coordenador do CPMAT-Ufal. No ano de 2014 o IM sediou a 7ª Bienal da Sociedade Brasileira de Matemática. Em 2018, durante a realização da 70ª Reunião Anual da SBPC, realizada na Ufal, o Instituto de Matemática sediou o 5º Encontro Regional de Matemática Aplicada e Computacional”, cita o diretor do IM Isnaldo Isaac Barbosa. 

Ao reforçar a capacidade de trabalho e projeção da unidade acadêmica Isnaldo complementa: “Em 2019 o professor Rinaldo e eu participamos da realização do 1º Encontro de Matemática Aplicada e Computacional do Nordeste realizado pela Univasf, universidade que tem abrangência no semiárido nordestino e no Vale do Rio São Francisco. Um ponto que vale destaque é a indicação do professor Gregório Manoel da Silva Neto, como membro afiliado da Academia Brasileira de Ciências”, enfatiza. 

Isnaldo aproveita para também destacar o desenvolvimento das ações da unidade em parceria fortalecendo os estudos na área e da positividade para a instituição pela nova conquista: “Com o IM associado na SBMAC toda a Ufal ganha. A exemplo do Campus Arapiraca, que abriga do NCEx, que é o Núcleo de Ciências Exatas coordenado pelo professor Rinaldo Vieira, o qual passa a ter os benefícios de associados da SBMAC. Além disso, existem vários outros grupos de pesquisa do Instituto de Computação e do Centro de Tecnologia, ambos do Campus A. C. Simões, que também serão beneficiados”, afirma.  

Ativo pesquisador e participante de ações promovidas pela SBMAC, Rinaldo também ressalta a projeção da Ufal no mundo da ciência matemática. E diz: “O IM, assim como toda Universidade, vislumbra mais um canal de comunicação, oportunidades e divulgação da pesquisa em matemática aplicada, com incentivos a docentes e estudantes, possibilidade de novas colaborações, desde acesso a periódicos de circulação internacional a desconto na participação de eventos apoiados pela sociedade. Espero ser muito proveitoso para toda Ufal, tanto para Maceió quanto para o interior essa associação na SBMAC, incentivando a publicação de trabalhos com os nossos estudantes”. 

Outra positividade destacada pelo diretor Isnaldo Isaac, como maior ganho, no que se refere ao dinamismo das ações acadêmicas e científicas do IM, é proporcionada ao segmento docente: “O IM associado na SBMAC tem também como ponto importante o grande número de alunos de graduação e pós-graduação da Ufal, os quais podem ter os benefícios de associados.  Atualmente o IM desenvolve alguns projetos de Matemática Aplicada. Espera-se que os discentes da instituição da área de exatas tenham acesso a evento e projeto de Matemática Aplicada de forma a contribuir significativamente na formação acadêmica e profissional desses alunos”, frisou. 

Presidente Carlile Lavor enaltece importância da Ufal para a SBMAC 

“A Universidade Federal de Alagoas é nossa parceira estratégica para solidificar a presença da SBMAC em todo o Nordeste”, afirmou o presidente da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional, Carlile Lavor, da Universidade de Campinas (Unicamp), ao reconhecer o mérito e o potencial do IM. O pesquisador reforça que a Sociedade a qual dirige é fruto do trabalho voluntário de muitos colegas, espalhados por todo o Brasil, e a associação institucional é fundamental para conectar todas essas pessoas. “O principal critério para que se alcance o degrau onde a Ufal chegou é o compromisso com a promoção da matemática aplicada no Brasil”, afirma. 

Carlile acrescenta que além de a Ufal poder participar de maneira mais efetiva das decisões da SBMAC, com direito a voto nas assembleias e com algumas inscrições garantidas para o Congresso Nacional de Matemática Aplicada e Computacional (CNMAC), a instituição encabeçará a lista das parceiras das regiões Norte e Nordeste. 

Na liderança da SBMAC desde 2018, Carlile, cujo mandato se encerra em janeiro 2020, discorre um pouco sobre sua plataforma de trabalho que definiu como slogan A SBMAC na Sociedade do Conhecimento Interdependente. “Criamos acordos de cooperação com outras sociedades científicas, além de fortalecer relações já existentes, e dedicamos esforços extras para consolidar nosso principal evento, o CNMAC, como o maior evento de matemática aplicada da América Latina”, destacou. A próxima edição do renomado evento está definida para setembro do próximo ano, em Campo Grande (MS), que contemplará a primeira edição do Prêmio Kepler, com inscrições até o dia 1º de março. http://www.cnmac.org.br/novo/ 

Carlile aproveitou para deixar um recado para a comunidade acadêmica e científica do Instituto de Matemática e para a Ufal: “É uma honra para nós termos vocês conosco. Gostaria também de agradecer a todos que contribuíram para tornar realidade essa parceria e, em especial, aos professores Rinaldo Vieira, Isnaldo Barbosa e Alejandro Frery”, disse, como reconhecimento à contribuição científica dada pelos referenciados pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas. 

Parceria e crescimento 

Na liderança do NCEx, o professor Rinaldo também faz um destaque para parcerias e apoio recebidos que refletiram para a consolidação de atividades no processo de crescimento da área: “Em Arapiraca, temos o grupo de pesquisa no CNPq Análise matemática e aplicações, com participação de docentes e estudantes de Maceió e Arapiraca. Trabalhamos em Modelagem matemática e equações diferenciais orientando estudantes de graduação no Projeto Pibic, Discretização de Equações Diferenciais e Aplicações. Temos pesquisas em andamento em parceria com pesquisadores da UFPE, UFS, UFAM e Unicamp”, afirmou o professor, mestre em Matemática e doutor em Matemática Aplicada pela Unicamp e professor de cálculos, geometria analítica, análise real e álgebra linear. O conhecido Laboratório de Computação e Visualização Científica (LCCV) também foi citado por Rinaldo como outro grande parceiro de atividades. 

No dinamismo das ações voltadas à área, acrescentou que nos dez anos do curso de Matemática do Campus Arapiraca, em 2016, por meio do Núcleo, foi realizado o primeiro workshop tendo como palestrante o professor João Frederico Azevedo, da Unicamp, pesquisador da área de Ecologia Matemática, que colabora regularmente com programas de outras instituições do país. Aproveitou para destacar, como reconhecimento, o grande apoio recebido da gestão atual, por meio das Pró-reitorias de Pesquisa e Pós-Graduação(Propep) e de Gestão Institucional (Proginst), para a associação do IM na SBMAC.  

Formação qualificada, dedicação, incentivo, competência profissional, segundo Rinaldo, sempre pautaram as ações do Instituto de Matemática da Ufal, destacando-o na graduação e pós-graduação, coroado com a associação na SBMAC. “Desde a graduação tivemos o privilégio de estudar com excelentes profissionais, como os professores Adroaldo Dorville, José Adonal, Eduardo Perdigão, docentes dedicados ao trabalho numa época em que ainda anão existia a pós-graduação no IM, o que não foi empecilho para termos uma formação em matemática qualificada. A nossa instituição sempre se destacou e no transcorrer de todo esse processo, a unidade acadêmica só cresceu, resultado de todo e contínuo esforço empreendido, vencendo obstáculos”, lembrou.

Rinaldo anunciou que um dos resultados do 5º Encontro Regional de Matemática Aplicada e Computacional (Ermac), realizado em 2018 em Maceió, será a publicação de um e-book contendo os trabalhos apresentados, cujo evento se configurou, também, como colaborador na divulgação dos diversos eixos de pesquisa contemplados na programação. Abrindo, inclusive, oportunidades para alunos participantes estarem em programas tanto na Ufal como em outras instituições, ampliando horizontes. 

Gestão participativa 

À frente do Instituto de Matemática desde abril de 2018, o professor Isnaldo diz que tem se dedicado a estruturação física e organizacional da unidade acadêmica por meio de uma gestão participativa. Segundo ele, em particular, o corpo discente tem contribuído ativamente nesse processo, uma vez que há o livre acesso à direção do IM, inclusive com participação do segmento em comissões criadas para a melhoria do Instituto: “Como a consolidação do PAAC do IM, por exemplo. Aproveito para destacar que a minha intenção como diretor é dotar também o Instituto de Matemática do curso de Bacharelado em Estatística na Ufal”, adianta. 

Atualmente o IM oferece o bacharelado em Matemática, com 45 alunos matriculados, e a licenciatura em Matemática, que funciona nos horários diurno e noturno,  com 334 alunos. O corpo docente é formado por 38 professores efetivos, sendo 35 doutores e duas docentes cursando doutorado. Além disso, o IM conta com três professores voluntários (Francisco Vieira Barros [Chico Potiguar], Sinvaldo Gama e Eduardo Perdigão. Seis técnicos-administrativos dão o suporte nessa área, além de mais dois na biblioteca setorial da unidade. Estão na pós-graduação cerca de 40 alunos, entre os mestrados acadêmicos e profissional e o doutorado em associação com a Universidade Federal da Bahia (Ufba). 

Isnaldo acrescenta que o corpo docente da unidade acadêmica passou por uma fase de renovação e outros grupos de pesquisa devem ser criados nos próximos anos. Ele informa que foi firmado um convênio entre a Ufal e o Tribunal de Justiça de Alagoas, que tem como responsável para as ações o professor Krerley Oliveira. 

Graduado no bacharelado pela Ufal, mestre em matemática também pela instituição alagoana com doutorado na área de Análise pela Ufal/Ufba, Isnaldo Isaac ministra as disciplinas de Cálculo e de Análise tanto no IM, como nas unidades atendidas pelo instituto. Junto com o professor Rinaldo, coordena o Grupo de Pesquisa Análise Matemática e Aplicações. Mais informações sobre as ações do grupo clique aqui . 

Conheça a SBMAC 

“A Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional foi criada em 1978 e tem como objetivo promover o desenvolvimento e a disseminação das respectivas áreas no país, por meio de atividades que organiza e apoia. Cabe à citada Sociedade criar um ambiente propício para o intercâmbio de ideias e experiências entre corpo docente e de pesquisa, estudantes e profissionais das mais diversas áreas da Matemática Aplicada e Computacional. 

Dentre as atividades diversificadas atividades da SBMAC estão a produção e publicação de livros e periódicos reunindo temais atuais da pesquisa nas duas áreas; organização anual do Congresso Nacional de Matemática Aplicada e computacional (CNMAC); realização e apoio de eventos acadêmicos e científicos em todas as regiões do Brasil; prêmios aos melhores trabalhos de doutorado, mestrado e iniciação científica com conteúdo significativo em Matemática Aplicada e Computacional e que tenham sido desenvolvidos em maior parte no Brasil, dentre outras. Saiba mais.