Inauguração do InHaMMI reúne gestores e comunidade acadêmica da Famed

O laboratório é o primeiro do nordeste voltado para as pesquisas da flora intestinal
Por: Lenilda Luna - jornalista - 02/12/2019 às 16h32
context/imageCaption

InHaMMI vai possibilitar pesquisas multidisciplinares relacionadas à microbiota intestinal permitindo avançar no tratamento de várias doenças (Fotos: Lenilda Luna)

A semana começou com mais uma inauguração na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Foi entregue à comunidade da Faculdade de Medicina (Famed), nesta segunda-feria (2), o Instituto de Habilidades Multidisciplinar em Microbiota Intestinal (InHaMMI), que vai possibilitar pesquisas multidisciplinares relacionadas aos microrganismos, permitindo avançar no tratamento de várias doenças. A reitora Valéria Correia, representantes da gestão, a deputada estadual Fátima Canuto e representantes da comunidade acadêmica da Famed compareceram à inauguração.

O InHaMMi contou com investimento de R$ 1,9 milhão em recursos Ministério da Saúde, para equipar o laboratório com tecnologia de última geração,para pesquisadores de diferentes áreas como médicos, químicos, nutricionistas e estudantes de graduação. “Nós vamos sair do muros da Famed para fazer a produção científica transnacional. Esse laboratório vai permitir pesquisa de ponta e o transplante de miocrobiota intestinal para a cura de várias doenças, incluindo câncer, asma, doenças autoimunes, entre outros males”, destacou o professor Manoel Álvaro, coordenador do InHaMMI.

Durante a inauguração, o diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa em Alagoas (Fapeal), Fábio Guedes, parabenizou por mais um equipamento importante para as pesquisas e serviços na área de saúde e anunciou mais investimentos. “Entramos em contato com o Ministério da Saúde e obtivemos a confirmação de que o Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) terá o dobro de verbas aqui em Alagoas, saindo de R$ 2 milhões para R$ 4 milhões, em função das importantes atividades realizadas no estado”, comunicou o presidente da Fapeal.

A professora Sandra Vasconcelos, superintendente em exercício do Hospital Universitário, parabenizou o professor Manoel Álvaro pelo trabalho e destacou a simbologia da sigla do laboratório. “Soa como inhami, que é uma raiz de forte simbologia para o nordestino. Significa alimento e também fertilidade. Não tenho dúvidas de que esse laboratório terá uma produção de alta qualidade, que será fundamental para oferecer novos tratamentos para promover a saúde da população”, destacou a médica.

Falando pela Faculdade de Medicina, a professora Yasmin Cavalcante, diretora da Famed. “Acompanhamos todo o trabalho do professor Manoel Álvaro e da professora Eliana Silva de Almeida (coordenadora de Inovação e Empreendedorismo da Propep) e do Diogo Henrique (Sinfra) para colocar esse laboratório em funcionamento. Com o apoio da reitora Valéria Correia, houve um grande empenho para conseguir recursos, equipamentos, espaço físico. Por isso estamos felizes por estar aqui, neste dia, coroando esse esforço com a inauguração do InHaMMI”, celebrou a diretora.

Em seu pronunciamento, a reitora Valéria Correia, destacou a importância de mais um equipamento entregue na área de Saúde. “Este ano tivemos a inauguração da Unidade Docente Assistencial (Uda), laboratório para a pesquisa da ELA, Centro de Endoscopia e Centro de estudo para a Famed. A importância deste laboratório para o Sistema Único de Saúde é muito grande. Porque vai possibilitar o tratamento com baixo custo para doenças que atingem a nossa população. Agradeço e parabenizo a toda equipe do dr. Manoel Álvaro. Também destaco o apoio da Fapeal. Recebemos com alegria a notícia de mais recursos para as pesquisas do SUS. A Ufal está dando a retorno à sociedade por esses investimentos”, finalizou a reitora.