Audiência pública em Viçosa debate ampliação de vagas oferecidas pela Ufal

A sessão especial na Câmara de Vereadores contou com ampla participação da comunidade
Por Lenilda Luna - jornalista
17/12/2019 08h57 - Atualizado em 17/12/2019 às 14h22
context/imageCaption

Fotos: Jaminho Palla (Ascom Viçosa)

Foi realizada na manhã desta segunda-feira (16), na Câmara de Vereadores de Viçosa, uma audiência pública para debater o novo formato do curso de Medicina Veterinária, que passa a ter duas entradas por ano no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), com 30 vagas cada, aumentando de 40 para 60 a oferta anual. A Unidade de Viçosa, agora ligada ao Campus de Engenharia e Ciências Agrárias (Ceca), da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), também ganha um novo curso de graduação, o Tecnológico em Agroecologia, que oferta 60 vagas. 

A sessão especial foi presidida pelo vereador José Reinaldo Chagas, presidente da Câmara de Vereadores de Viçosa, com a participação na mesa da reitora da Ufal, Valéria Correia, do prefeito de Viçosa, Davi Brandão, e da pró-reitora de Graduação, Sandra Paz. Também foram convidados os professores que coordenam os cursos, Silvio Gomes de Sá, de Medicina Veterinária, e João Luciano de Andrade, do novo curso superior de Tecnologia em Agroecologia; além do diretor do Campus de Engenharias e Ciências Agrárias, Gaus Silvestre, e o integrante do Grupo de Trabalho viçosa, professor Amauri Barros. 

Silvio Gomes fez uma apresentação das alterações no curso de Medicina Veterinária. “Estamos organizando o curso de forma a reduzir a evasão e o tempo que os estudantes passam para integralizar as disciplinas. Precisamos levar em consideração que, para muitos estudantes, iniciar o curso na Fazenda São Luiz representa um grande impacto, uma mudança grande para jovens que têm 18 anos ou um pouco mais. Agora, eles vão iniciar o curso no Ceca, em Rio Largo, e apenas a partir do 5º período vão cursar as disciplinas em Viçosa. A essa altura, já estão mais preparados para as atividades relacionadas à formação profissional”, esclareceu o professor. 

Os professores da Unidade Viçosa, destacaram que a fazenda São Luiz vai ficar mais movimentada, porque além de receber duas entradas de estudantes de Medicina Veterinária, terá também 60 estudantes do novo curso de Tecnologia em Agroecologia. “Esse curso atende à vocação agroecológica desta região do Estado. É um curso do futuro, porque todos buscamos sustentabilidade nas ações do homem sobre o meio ambiente. Precisamos agora divulgar para os estudantes que fizeram o Enem esse ano, que no próximo acesso ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu), já podem escolher a formação em tecnólogo em Agroecologia. Lembrando que os estudantes da região ganham 10% de bônus na nota pelo critério regional”, destacou o professor Reinaldo Paz, que contribuiu para o Projeto Pedagógico do novo curso. 

O coordenador do curso de Tecnologia em Agroecologia, professor João Luciano de Andrade, relatou a satisfação com o novo desafio. “Fui conhecer a Fazenda São Luiz e temos muitos projetos para esse espaço. Vai ser um desafio promissor, temos excelentes projetos para desenvolver como fruticultura, horticultura, criações de animais entre outros. Sabemos o quanto um curso superior é importante numa cidade do interior, principalmente para as famílias que não podem bancar um filho estudando na capital”, ressaltou o professor. 

A audiência pública foi uma solicitação da vereadora Samia Bida, que estava preocupada com os rumores de remoção dos cursos da Ufal da cidade. “Eu agradeço a condução que foi dada pelo Grupo de Trabalho Viçosa pela pró-reitora de Graduação, Sandra Paz, com muita transparência e paciência para responder aos nossos questionamentos. Fui convencida da necessidade de flexibilizar o curso de Medicina Veterinária, que nos é muito caro, dividindo as disciplinas entre Rio Largo e Viçosa. Mas continuarei cobrando as melhorias necessárias para a Fazenda São Luiz, incluindo a pavimentação do acesso”, declarou a parlamentar. 

O prefeito de Viçosa, Davi Brandão, reforçou o empenho para buscar parcerias que melhorem as condições de infraestrutura da Ufal em Viçosa. “Queremos que nossa cidade se torne um polo de educação na região serrana dos Quilombos, que tem tanta importância na história de Alagoas. A Ufal é fundamental para o desenvolvimento desta região. Movimenta direta e indiretamente a vida cultural e a economia local. Continuarei contribuindo com o que estiver ao alcance da Prefeitura. Quanto às dificuldades de acesso no período das chuvas, já estamos resolvendo isso junto ao Governo do Estado. A pavimentação da estrada para Pindoba vai incluir o acesso à Fazenda”, informou o prefeito. 

A pró-reitora de Graduação, Sandra Paz, apresentou ao público o termo de adesão da 1ª edição do Sistema de Seleção Unificado (SiSU) 2020, onde consta a quantidade de vagas ofertadas nos dois cursos em discussão da audiência pública. “Como vocês podem observar, na documentação apresentada ao Ministério da Educação, tanto o curso de Medicina Veterinária quando o de Tecnologia em Agroecologia constam como localizados em Viçosa. Esses cursos são da cidade e continuarão a ser ofertados aqui”, garantiu Sandra. 

A reitora Valéria Correia reforçou a presença dos cursos em Viçosa. “Queremos enfatizar que vincular o curso de Medicina Veterinária ao Ceca foi uma forma de consolidar formação, com o apoio do corpo docente muito qualificado que compõe o novo campus. Mas o curso continua em Viçosa e ainda mais fortalecido. Queremos ressaltar que este curso, apesar de recente, já conquistou um ótimo conceito nas avaliações do MEC. Parabenizamos a comunidade por demonstrar esse compromisso com a Universidade e por defender as aulas oferecidas na Fazenda São Luiz. Esse patrimônio será consolidado conjuntamente pela Universidade e pela sociedade desta região”, declarou a reitora.

Ouça as entrevistas no Podcast da Rádio Ufal