Seminário aborda desenvolvimento da cidade de Maceió

Cidade 4.0, empreendedorismo, economia criativa e solidária foram alguns dos temas debatidos durante o evento
Por: Thâmara Gonzaga - jornalista - 07/11/2019 às 17h16 - Atualizado em 07/11/2019 às 17h16
context/imageCaption

Evento foi realizado pela Prefeitura de Maceió e Sebrae (Fotos: Thiago Prado)

Gestores públicos, empresários, analistas de negócios e pesquisadores se reuniram durante o 3° Seminário de Desenvolvimento econômico da cidade: visões compartilhadas para debater projetos, ideias e soluções para Maceió. A atividade, realizada no auditório do Museu da Imagem e do Som de Alagoas (Misa), fez parte da programação da 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas.

O evento, realizado pela Prefeitura de Maceió e Sebrae, começou na quarta (6) e terminou nesta quinta-feira (7), com painéis sobre economias criativa, solidária e compartilhada, além de abordar temas de negócio de impacto social, ambiental, inclusão, moeda e mercado social.

Ao falar sobre economia criativa e sua importância para o desenvolvimento de negócios, Débora Lima, analista do Sebrae, explicou que “todos nós temos um talento, uma atividade que só nós sabemos fazer. Quando conseguimos fazer desse talento algo rentável, já estamos inseridos na economia criativa. E é um tipo de negócio que depende da inteligência humana e essa nunca vai se esgotar”.

Os painéis foram mediados pelo professor da Universidade Federal de Alagoas e coordenador nacional do Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (Profnit), Josealdo Tonholo. Na ocasião, o docente falou sobre a importância de Maceió ter uma Lei de Inovação, aprovada em junho deste ano, cujo projeto contou com a participação da Ufal, e que “o desafio agora é colocá-la a favor de cada um que vive nesta cidade”.

“Maceió teve uma posição de vanguarda quando decidiu ter uma lei de inovação e foi atrás de preceitos contemporâneos em relação a cidades inteligentes, humanas, sustentáveis e criativas. Hoje, a cidade tem uma lei que busca promover um local em que as pessoas se sintam acolhidas”, destacou Tonholo. “Durante esses dias, discutimos o desenvolvimento da cidade, e foi em um momento propício, coincidindo com esse turbilhão de coisas boas que está acontecendo em Jaraguá por causa da Bienal”, afirmou.

Bienal 2019

Com o tema Livro aberto: leitura, liberdade e autonomia, a 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas ocorre até o dia 10 de novembro, nas tradicionais ruas e prédios históricos do bairro de Jaraguá, com uma vasta programação literária, cultural e acadêmica.

O evento é uma realização da Ufal, por meio de sua editora, Prefeitura de Maceió e Governo de Alagoas. Com o patrocínio dos parceiros Sesc, Sebrae, Doity Plataforma de Eventos, Sesi e Senai.