Expedição científica ao Rio São Francisco recebeu mais de mil visitantes em uma semana

Estudantes de escolas municipais são alguns dos principais visitantes, a comunidade ribeirinha e autoridades municipais também visitam a embarcação
Por: Manoel Oliveira Jr. - enviado especial da Ascom Ufal - 26/11/2019 às 17h10 - Atualizado em 26/11/2019 às 17h13
context/imageCaption

Expedição já recebeu mais de mil visitantes (Foto: Tereza Simões)

Na última segunda (25), na cidade de Penedo, a embarcação da 2ª Expedição Científica do Rio São Francisco registrou seu milésimo visitante. Realizada através da parceria entre a Ufal e o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, com o apoio de outras dez instituições, a expedição navega durante dez dias pelo Baixo São Francisco, realizando coleta de dados para pesquisas e promovendo a educação socioambiental nas comunidades ribeirinhas.

Ainda em Penedo, a embarcação recebeu a visita de estudantes do curso de Engenharia de Pesca, da Ufal Penedo. A estudante Sofia Beatriz falou acerca da importância dos trabalhos da expedição para as pesquisas de seu curso. "É muito edificante para a nossa vida acadêmica estar observando de perto essas pesquisas, principalmente diante da escassez de recursos das universidades federais, e é muito interessante que a expedição aconteça já que no polo Penedo não temos acesso a todas essas tecnologias que aqui podemos ver. Só tenho a agradecer à Ufal por nos proporcionar essa visão extraordinária de nossos professores trabalhando na prática aquilo que eles nos ensinam em sala de aula", disse estudante.

À tarde, a expedição chegou à cidade de Piaçabuçu, sendo recebida pelos secretários municipais de Agricultura, de Educação, de Administração e pelo presidente da colônia de pescadores do município.

Educação Socioambiental

Durante a expedição, a maior parte dos visitantes são alunos de escolas municipais de educação básica dos municípios visitados. Além das atividades e pesquisas realizadas na embarcação, os estudantes também podem conferir a expedição fotográfica "Olhares Ambientais: Conhecer para preservar e defender!".

O aluno Nícolas, do quinto ano de uma escola municipal de Piaçabuçu, ficou impressionado com o que viu. "É muito bom ver na realidade aquilo que a gente só tinha visto nos livros. Eu estudo Química na escola e estou vendo aqui muita coisa que estudei na sala de aula", contou Nícolas. E completou "Eu sempre quis ter um óculos de realidade virtual, então eu gostei muito de ter visto aqui".

No Povoado Chinaré, na cidade de Igreja Nova, a Escola Municipal General Artur da Costa e Silva fez bonito e, em pleno sábado, levou cerca de 50 alunos à escola para conferir a aula de educação socioambiental ministrada por membros da expedição. Os alunos também plantaram mudas de árvores nativas ao lado da escola e visitaram a embarcação.

A embarcação

A maior expedição científica já realizada nas águas do Rio São Francisco ocorre a bordo da embarcação Magnífica, registrada na Agência Fluvial de Penedo. A embarcação tem três pavimentos e, para viagens comuns, tem lotação máxima de 280 pessoas. Entre os equipamentos de segurança, a embarcação conta com 311 coletes salva-vidas, 20 boias rígidas e 6 boias circulares.

O comandante Anselmo Castro contou que "a embarcação tem 25m de comprimento por 5,65m de largura, além de aproximadamente 6,5m de altura. Esse tipo de expedição científica de dez dias não é tão comum aqui no barco, nós fazemos mais excursões de turismo pelo Baixo São Francisco, algumas já duraram até sete dias. A embarcação é feita para navegar em rio, pois uma embarcação para navegação no mar tem outras características", explicou o comandante.

Reta final

Como já cantava Luiz Gonzaga, "o Rio São Francisco vai bater no meio do mar". Já seguindo para seus últimos dias, a expedição sairá, nessa terça (26), de Piaçabuçu em direção à Foz do Rio São Francisco, onde o rio deságua no Oceano Atlântico.

À noite voltará para Penedo para, na quarta (27), finalizar os trabalhos a bordo, completando 10 dias.