Ufal abre as portas para visitantes de escolas públicas e privadas

O evento Ufal de Portas Abertas é uma forma dos alunos do Ensino Médio conhecerem melhor o ambiente universitário e seu funcionamento
Por: Pedro Ivon - estagiário de Jornalismo - 16/10/2019 às 16h10 - Atualizado em 17/10/2019 às 11h19
context/imageCaption

Ufal de Portas Abertas é uma forma dos alunos do Ensino Médio conhecerem melhor o ambiente universitário (Fotos: Pedro Ivon)

Foi realizada, nesta quarta-feira (16), a segunda edição do Ufal de Portas Abertas, na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). O evento reuniu escolas públicas e privadas de Alagoas, apresentando aos alunos do Ensino Médio a estrutura e o funcionamento da Ufal, de modo que possa ser estabelecido um diálogo entre os cursos de graduação da universidade e as escolas.

“O Ufal de Portas Abertas se baseia no que a gente chama de Ufal socialmente referenciada, mas o que é uma Ufal socialmente referenciada? É uma universidade aberta à sociedade. Então nesse sentido, no ano passado, criamos o primeiro Ufal de Portas Abertas”, explicou a professora Sandra Regina, pró-reitoria da Pró-reitoria de Graduação (Prograd).

O começo da programação do Campus A.C. Simões aconteceu no auditório da Reitoria, que foi lotado pelos alunos visitantes. Todos foram recebidos pela já mencionada professora Sandra. Foi passado um vídeo institucional de boas-vindas, apresentando a universidade. Em seguida a professora Maria Betânia, coordenadora de Extensão, falou um pouco e exaltou a figura do professor. “O professor, ele é eterno”, disse Betânia.

“Nós fomos citados, pela primeira vez na história da Ufal, por uma instituição internacional, dizendo que a universidade se desponta no conjunto das universidades melhores do mundo”, informou a professora Sandra durante seu tempo de fala.

Após as falas iniciais, a programação seguiu com o café da manhã para os professores e alunos de outras escolas, que preencheram o hall da Reitoria.

“Eu vim conhecer, pra ver como é aqui, pra ver as opções que vão ter”, disse Laine André, aluna da Escola Cônego Amando de Gusmão. Já Luiz Henrique, da Escola Oliveira e Silva, disse que sua primeira impressão do Campus foi maravilhosa e que pretende fazer um curso na Ufal futuramente.

A professora Patrícia, do Colégio Batista Moriah, afirmou, sobre seus alunos, que “eles sonham, na realidade, em entrar na Ufal. Esse é o sonho de cada um, de cada jovem. Quando eles chegam nesse período de terceiro ano do médio, eles idealizam estar aqui”. Cristina Querino, do Colégio Agnes, falou que o impacto do Ufal de Portas Abertas vai além da vida dos alunos, mas também tem relação com a vida dos professores. “É importante que esse elo com os professores, com as universidades, ele não se quebre, porque nós somos formadores de opinião, então nós temos que dar um exemplo, nós temos que estar junto deles”, disse.

Além da Reitoria

Após as atividades iniciais na Reitoria, as escolas se espalharam e circularam pelo Campus de Maceió, conhecendo os cursos e em muitos sendo recebidas com programações especiais. Além das visitas, também estavam acontecendo os aulões pré-Enem, com as disciplinas de Literatura e Português, Matemática e Atualidades, Química e Biologia e História e Filosofia. Os aulões foram distribuídos em quatro locais diferentes, os auditórios da Escola de Enfermagem e Farmácia (Esenfar), da Biblioteca Central, do Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente (Igdema) e do Laboratório de Computação Científica e Visualização (LCCV).

Os aulões da manhã aconteceram entre as 10h e as 11h30, mas a programação se repete no período da tarde, entre 16h e 17h30.

Fora de sede

O Ufal de Portas Abertas aconteceu não apenas no Campus A.C. Simões, mas teve sua programação também nos outros Campi e Unidades de Ensino, tanto no período matutino como no vespertino.