Semana de Letras inicia 12ª edição discutindo arte e ciência

Evento segue até amanhã (18)
Por: Blenda Machado - estudante de Jornalismo - 17/10/2019 às 15h12
context/imageCaption

Semana de Letras continua até esta sexta (18)

A cerimônia de abertura da 12ª edição da Semana de Letras aconteceu nesta terça-feira (15), no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Alagoas Campus A. C Simões. Discutindo por tema central: Arte e Ciência: A interdisciplinaridade da Linguagem. De acordo com a organização, o evento tem como o objetivo de promover e proporcionar um espaço de divulgação das pesquisas dos estudantes. Além disso, discutir temáticas a respeito de várias áreas do curso de Letras.

A mesa foi composta pela coordenadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (Neab), Lígia Ferreira, a pró-reitora de graduação, Sandra Silva, o pró-reitor de pesquisa e pós-graduação, Leonardo Viana, a professora do Programa de Educação Tutorial (PET) Letras da Ufal, Fabiana de Oliveira e a diretora da Faculdade de Letras (Fale), Rita Souto.

A professora Fabiana Oliveira conta importância desse evento, que é ‘‘de incentivar e socializar as pesquisas de graduando, as exposições de trabalhos artísticos. É um espaço de momento de diálogo, de reflexão sobre pesquisa, ensino e arte’’.

Na sequência o professor da Faculdade de Campina Grande (UFCG), Helder Pinheiro, tem dois livros publicados: Poesia na sala de aula e o outro Poesia Brasileira: das origens ao Pré-modernismo. Apresentou a conferência intitulada: Poesia e Utopia: do popular ao erudito abordando a criação literária e a descoberta científica no poder da palavra e na linguagem. Em sua apresentação, ele revela que é sua primeira vez que fala sobre esse tema na Universidade e com intuito de trabalhar com as imagens e sons, deixando uma reflexão ‘‘mas de chamar atenção na arte e de um sonho de uma sociedade melhor que se constrói através da poesia’’.

A professora Lígia Ferreira, conta da parceria do Neab no evento. ‘‘Faz com que reflita o quanto as discussões étnico raciais estão sendo solicitadas pelos cursos e essa proposta ela foi inclusive apresentada pelos estudantes do PET Letras. E a tutora Fabiana aceitou e essa aceitação fez com que o Neab fosse convidado’’, afirma.

O estudante de Letras-Libras da Ufal, Bruno Pedra, conta emocionado que ‘‘sou surdo e me emocionei com os textos de Helder. É importante aprender outras linguagens de variações linguísticas e ter um intérprete de Libras em um evento como este é fundamental’’.

Débora Moreira, estudante de Letras, conta a importância de ‘‘trabalhar na organização da semana de letras tem sido bastante significativo para mim, pois é um evento muito importante dentro da Faculdade de letra. Minha primeira participação foi como aluna e eu pude através desse evento ter certeza que eu estava no curso certo’’.

Às 19h, deu início, a uma intervenção artística: Coletivo Rap & Movimento. Onde os jovens apresentaram um Rap, com mensagens reflexivas; mostrando a realidade de ser negro e pobre. Dando continuidade no evento teve uma segunda conferência, com a professora da Faculdade da Bahia, Ana Lúcia, abordou sobre Letramentos de reexistência: culturas e identidades raciais. Por último, teve o 7º concurso de contos do Arriete Vilela.

As atividades continuam até sexta (18). Confira toda a programação neste link.