Grupo de Pesquisa promove atividades comemorativas ao Dia do Idoso

Objetivo do encontro foi discutir a promoção à saúde da pessoa idosa
Por: Blenda Machado - estagiária de Jornalismo - 02/10/2019 às 11h34 - Atualizado em 04/10/2019 às 13h32
context/imageCaption

Evento foi realizado no hall da Reitoria. Foto: Blenda Machado

O Grupo de Pesquisa Multiprofissional sobre Idosos (GPMI), com apoio da Universidade Aberta para a Terceira Idade (Unati), promoveu o 2º Encontro do Dia Internacional do Idoso, na terça-feira (1ª), no hall da Reitoria, Campus A.C Simões. Segundo a organização, o objetivo é discutir a importância da intergeracionalidade e interprofissionalidade no envelhecimento. 

O evento em alusão ao Dia Internacional do Idoso, comorado em 1º de outubro, iniciou com uma roda de conversa sobre a qualidade de vida e as dificuldades que o idoso encontra ao se incluir na sociedade. O debate também levantou as pautas sobre saúde, transporte e segurança, além de contemplar atividade recreativa e musical. 

A coordenadora do GPMI, Elizabeth Moura, conta os desafios de trabalhar com esse tema.  “Existe uma cultura que envelhecer é ruim. E a Universidade tem uma missão de fazer com que esses alunos pensem no envelhecimento para que essas profissões trabalhem em prol disso”, comentou. 

A estudante de Psicologia e integrante do GPM,I Karolina Moura, falou sobre a convivência com a Unati:. “A minha experiência é de construção. De poder olhar para os meus avós e perceber coisas que antes eu não percebia e poder admirá-los muito mais porque hoje estou convivendo com idosos”. 

Sobre o GPMI  

Em outubro de 2014, foi criado o Grupo de Pesquisa Multiprofissional sobre Idosos, vinculado ao curso de Farmácia, coordenado pela professora Elizabeth Moura, que tem por objetivo a promoção à saúde da pessoa idosa. Atualmente conta com participação dos profissionais e estudantes dos cursos de Fisioterapia, Psicologia, Enfermagem, Educação Física, Direito, Odontologia, Serviço Social e Nutrição.  

‘‘Trabalhamos a qualidade de vida, a sexualidade, exercício físico e sobre o Estatuto do Idoso, para que possa lutar pelos seus direitos, com isso, ter uma vida saudável’’, comentou a coordenadora Elizabeth. 

O projeto já desenvolveu diversas atividades e pesquisas voltadas ao idoso. Os encontros do Programa Universidade Aberta à Terceira Idade (Unati) são realizados duas vezes por mês, na Ufal. De acordo com a coordenadora e vice-diretora do Instituto de Educação Física e Esporte (Iefe), Socorro Dantas, o grupo trabalha com ginástica, pesquisa, coral, oficina de inclusão digital e outras atividades.