Aberto processo de autoavaliação da Universidade Federal de Alagoas em 2019

A avaliação interna segue até o dia 31 deste mês, tem a coordenação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) e objetiva melhoria das ações institucionais
Por: Diana Monteiro - jornalista - 07/10/2019 às 16h53 - Atualizado em 08/10/2019 às 13h44

Conforme o período previsto no calendário acadêmico, já estão disponíveis nos sistemas acadêmico e administrativo da Universidade Federal de Alagoas os questionários da autoavaliação institucional do ano 2019, direcionados a cada segmento universitário (docente, discente e técnico-administrativo) para participarem, de forma voluntária, no citado processo, que tem encerramento definido no dia 31 deste mês. A iniciativa tem a coordenação da Comissão Própria de Avaliação (CPA) e é considerada importante na medida em que permite à comunidade apresentar sua percepção sobre as condições de trabalho (para técnicos e professores) e as condições de infraestrutura e pedagógicas dos cursos para os estudantes.

Segundo a procuradora institucional e membro da CPA Jusciney Carvalho, encerrado o período de avaliação, o Núcleo de Tecnologia da informação (NTI) faz a geração dos dados gerais e microdados, para que a Comissão Própria e Comissões de Autoavaliação (CAAs) das unidades acadêmicas possam analisar esses dados e gerar planos de ação com as especificidades dos cursos e demandas que os segmentos apontam na autoavaliação. Em seguida é emitido um relatório anual das ações da CPA, que é apresentado e aprovado no Conselho Universitário (Consuni). Jusciney destaca:

“A Comissão divulgará no Portal da Ufal os resultados para que toda a comunidade saiba como a universidade está sendo avaliada pelos três segmentos.  Esse retorno sobre como se avalia a instituição é fundamental para que administração central e demais gestores das unidades acadêmicas e campi fora de sede possam intervir, buscando a melhoria dos processos e aspectos avaliados. A Comissão Própria de Avaliação (CPA) é referenciada na Lei n.º 10.861/2004, que instituiu o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes). Neste mesmo ano, a CPA da Ufal foi criada, a partir de um regimento próprio, aprovado pelo Conselho Universitário”, informa.

Para disseminar a relevância desse processo avaliativo institucional, Jusciney recomenda “que mais e mais professores, estudantes e técnicos administrativos ampliem as formas de participação nos espaços democráticos institucionalizados. Com as avaliações internas, a CPA estimula a garantia dos princípios democráticos, seja por colaborar na elaboração e na execução do PDI seja por apresentar seus resultados para comunidade de forma transparente, no Portal da Ufal”, diz.

E aproveita para enfatizar o papel da Procuradoria Educacional Institucional em todo o processo: “A PEI também vem contribuindo, não somente por fazer parte da composição da CPA no biênio de 2017- 2019, mas sobretudo estimulando o envolvimento dos demais representantes desta Comissão, nas duas últimas avaliações institucionais (recredenciamentos presencial e a distância) e nas avaliações dos cursos de graduação.

Para permitir a participação, os questionários do processo de autoavaliação da Ufal estão disponíveis para a comunidade universitária no endereço.

CPA e atribuições

 A Comissão Própria de Avaliação é constituída por 16 integrantes com seus respectivos suplentes representantes das categorias docente, técnico-administrativo e discente da Universidade, além de representantes da sociedade civil organizada, que atuam na área de educação. Como o Fórum Permanente de Educação de Alagoas (Fapeal) e o Sindicato do Trabalhadores de Educação de Alagoas (Sinteal).

A CPA tem como atribuição a coordenação dos processos internos de avaliação da instituição, de sistematização e de prestação de informações solicitadas pelo Inep, instituto responsável no MEC pelo Censo da Educação Superior, por exames nacionais como Enade e processos de avaliação institucionais e dos cursos de graduação.

São objetivos da CPA da Ufal: promover uma cultura avaliativa no âmbito da Universidade; articular os procedimentos de construção, implantação e implementação da autoavaliação, em conjunto com as Comissões de Autoavaliação – CAA’s, que se constituem nas Unidades Acadêmicas, Unidades Educacionais ou Campi fora de sede; estimular a melhoria da qualidade educativa pela otimização das atividades de ensino, pesquisa e extensão; proceder à avaliação institucional interna no âmbito da instituição; e elaborar relatórios de autoavaliação institucional.

A procuradora educacional Jusciney Carvalho ao reforçar o importante trabalho desenvolvido pela Comissão reforça: “A CPA assume um papel preponderante no conjunto dos demais procedimentos avaliativos que compõem o Sinaes e tem como um dos principais referenciais o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). No caso do PDI da Ufal, aprovado em junho de 2019, a CPA participou ativamente da construção, sendo responsável pelo desenho das ações previstas para colaborar no desenvolvimento institucional, a partir da coordenação dos processos anuais de autoavaliação”, enfatiza.

Para mais informações sobre a Comissão Própria de Avaliação da Ufal contatos podem ser mantidos pelo e-mail: cpa@reitoria.ufal.br