Portal do Governo Brasileiro

Sebrae oferece palestra sobre gestão de finanças pessoais durante a reunião da SBPC

Ricardo Coimbra, analista da Regional Arapiraca, enfatizou a importância de quitar dívidas e evitar uso do crédito desnecessário
Por: Rose Ferreira, jornalista colaboradora - 30/07/2018 às 15h15 - Atualizado em 30/07/2018 às 15h11
context/imageCaption

Ricardo Coimbra, analista do Sebrae

Durante a 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o Sebrae ofereceu várias palestras em seu estande sobre os mais diversos temas, atraindo público de variadas faixas etárias.

No último dia do evento, Ricardo Coimbra ministrou a palestra “Gestão de finanças pessoais”, uma parceria do Banco Central do Brasil (BCB) com o Sebrae. Com o objetivo de sensibilizar para a importância de uma educação financeira desde cedo e discutida em família, o analista da Regional Arapiraca abordou as vantagens e desvantagens do crédito, dos juros de empréstimos e financiamentos, os tipos de investimento e mostrou na prática a diferença a longo prazo que um valor mensal em uma poupança, por exemplo, pode fazer.

“O tema de finanças pessoais é novo para o Sebrae, porque inicialmente só trabalhávamos com pessoa jurídica, mas percebemos a importância de trabalhar esse tema desde cedo, para que todos da família entendam o que é uma dívida, um superendividamento, como construir um orçamento familiar de maneira equilibrada”, enfatizou Ricardo Coimbra.

Segundo Ricardo, é necessário trabalhar a pessoa física antes da jurídica, porque se alguém tem um descontrole na vida financeira pessoal certamente vai refletir em futuro empreendimento. “O brasileiro normalmente não lida bem com gestão de finanças, porque já vem da escola com o conceito que matemática e qualquer tipo de conta são monstros. Então, estamos aqui para desmistificar isso”, explicou.

Jamilton Santos assimilou bem os conceitos passados. Atraído inicialmente por ser um evento científico dentro da sua universidade, Jamilton, graduando em Serviço Social, saiu mais consciente. “Muitos conceitos apresentados foram importantes para mim, porque muitas vezes a gente não sabe o que fazer bem com nossos rendimentos. Então, aprender a diferenciar necessidades básicas de coisas supérfluas ou até desperdício, por exemplo, vai nos ajudar a ter um futuro mais tranquilo possível”, garantiu.

Se você tem interesse pelo tema e quer aprender mais, seguem algumas dicas:

  • Primeiramente, conheça sua realidade: mapeie suas dívidas, conheça seu orçamento;
  • Quite suas dívidas;
  • Após quitá-las, invista. Conheça as opções de investimento e invista com regularidade, mesmo que seja com um valor pequeno;
  • Para fazer projeções e se organizar melhor, você pode baixar o app “calculadora do cidadão” do Banco Central do Brasil. É simples, rápido e seguro!
  • Assista à série “Eu e meu dinheiro”, também do BCB, para entender alguns pontos importantes na tarefa de gerir de forma bem-sucedida seus recursos.