Análise do discurso político foi tema de conferência

Sexismo e pós-verdade foram alguns dos assuntos abordados
Por Gustavo Candido - estudante de jornalismo
29/07/2018 12h00 - Atualizado em 30/07/2018 às 12h58
context/imageCaption

Debate sobre Sexismo e pós-verdade

A conferência O discurso da política no Brasil hoje, como parte da programação da 70ª Reunião Anual da SBPC foi realizada na Biblioteca Central da Ufal. Englobados pelo tema principal, foram explicados pela professora Monica Zoppi Fontana, da Unicamp, os conceitos de três subtemas onde se encaixam no cenário atual político brasileiro: Pós-verdade, fake news e sexismo.

Logo na introdução, Zoppi explicou que a análise do discurso político é mais amplo que o discurso dos políticos em si, algo em que se acaba acreditando. Em tempos de fake news, o objetivo também foi desmistificar através dos conceitos, ideias errôneas que acabam sendo difundidas.

Pós-verdade ganhou destaque por ser escolhida como a “palavra do ano”, em 2016, pelo Oxford Dicctionary. É sinônimo de pronunciamentos políticos falsos. Mesmo possuindo essa definição, é comumente confundida com fake news, que é a profusão de boatos anônimos. Também foi discutida a divisão desigual do direito à fala pública e a existência prática de termos como manterrupting, que ganhou grande destaque nos últimos dias na mídia e representa a interrupção da fala de uma mulher, por um homem.

A palestrante ratifica que com a popularização dessas palavras nos últimos anos e a avaliação por parte dos analistas de que provocam impacto no processo eleitoral, a proximidade de uma eleição no Brasil torna bastante atual o que foi discutido na conferência. “A proposta da mesa é muito atual, dado o contexto próximo de eleições no Brasil. Porque toda a questão da verdade, das fake news e do lugar de fala tem a ver com o modo como se produz o discurso político e o modo como ele circula na sociedade naturalizando determinadas interpretações,” afirmou a professora Monica Zoppi.

Ela ainda falou sobre o papel da mídia na discussão que existe hoje em relação aos termos. “O fato de ter sido colocada na agenda da discussão social, tanto a questão da pós-verdade quanto das fake news têm a ver com o funcionamento da mídia. É uma questão que foi colocada por analistas políticos, mas que alcançou uma circulação muito maior porque foi uma discussão retomada no debate posto pela mídia”, concluiu.