Espetáculo da ETA vai às escolas e tem apresentação aberta em Sergipe

'À direita de Deus Pai' foi montado para formatura do curso de Arte Dramática
Por Ascom Ufal
06/06/2018 10h18 - Atualizado em 06/06/2018 às 16h56
context/imageCaption

Divulgação: @jphotoart

Esta semana a Escola Técnica de Artes da Ufal (ETA) percorre duas escolas da rede publica de ensino em Maceió e leva para Aracaju (SE) o espetáculo de formatura 4° Módulo do curso técnico em Arte Dramática: À direita de Deus Pai. Nesta quarta (6) será na Escola Pompeu Sarmento, no Barro Duro, e no dia 7, na Escola Teonilo Gama, no bairro do Jacintinho. Já na sexta-feira (8) o grupo faz uma apresentação aberta na Praça Fausto Cardoso, em Aracaju, às 16h30. 

O espetáculo é escrito por  autor colombiano, Enrique Buenaventura, com adaptação de David Farias e Toni Edson. Para divertir e refletir, tem canções originais, máscaras e perna de pau! “É a história de um camponês bom e caridoso, que Jesus Cristo resolve recompensar e ajudar para que ele continue a praticar caridade”, conta o autor. Na versão da ETA, é uma camponesa! E junto a Jesus e ela, estão muitos personagens cômicas: sua irmã e sua fiel serviçal ,os esmoleiros, a Morte, o Diabo, porta bandeiras, um coro de anjos, e as pessoas que clamam pela morte do outros.  

O curso de Arte Dramática surge com a intenção de capacitar atores para o mercado de trabalho. A cada dois anos, uma turma do 4° módulo realiza sua formatura através da montagem de uma obra literária. A Turma 2016.1 é formada por Allef Willames, Ane Pradines, Anne Carolayne, Cadú Moura, Clara Simões, Daniel Oliveira, Elis Maria, Ermerson Ruan, Fayonnir Cabral, Giulli Cordolino, Gyl Alcantara, Karlla Sart, Lidiane Memória, Matheus Duran, Matheus, Marin, Natasha Cardoso e Saulo Porfírio, totalizando 17 atores. 

A preparação corporal é de Reginaldo Oliveira e a vocal por Geová Amorim. A concepção de figurino é assinada por Andréa Almeida e núcleo de figurino, a de máscaras por Alex Cerqueira, Ivanildo Piccoli e núcleo de máscaras, a de cenário por Jeamerson Santos e núcleo de cenário, que também assina a de adereços. O quadro técnico também conta com Claudiana Melo, responsável pelas aulas de canto. Emerson de Lira e Piccoli ministraram oficinas de bufão e máscaras. Ivanildo também assina a direção de elenco. Henrique Nagope e Manu Preta são responsáveis pela sonoplastia do espetáculo. Alexandre Falcão, Waneska Pimentel e David Farias estão na colaboração cênica da montagem. 

A realização do espetáculo é assinada pela Escola Técnica de Artes da Ufal. Ccordenação de Produção Cultural Comunicação Keka Rabelo, assistentes de produção Alonso Netto e Camila Moranelo, estagiários colaboradores Ednan Jordan, Saulo Porfírio e Henrique Nagope; registro fotográfico de Josian Paulino; audiovisual Victor Farias e iluminação de Claudemir Santos. Incentivadores culturais em Maceió: Quintal Cultural, Instituto do Negro de Alagoas, Cepa Quilombo, Cia Hip Hop, Henrique Manete Designer, Ponto de Cultura Novo Jardim, Projeto Maracatu na Comunidade, Ponto de Cultura Joana Gajuru com o projeto Conta Conto, Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural e Diteal. Agradecimentos especiais em Sergipe:  Aline Serzedello Vilaça, Lindolfo Amaral (Grupo Imbuaça), Patrícia Brunet, e Alberto, do Palácio Museu.

Classificação etária: Livre.