Portal do Governo Brasileiro

Copeve e Fundepes esclarecem sobre suspensão do concurso para cartórios de Alagoas

Decisão do CNJ é provisória para resolver pendências na comissão examinadora; Nota esclarece que não houve vazamento de provas
05/04/2018 às 10h33 - Atualizado em 06/04/2018 às 14h10

Lenilda Luna - jornalista 

A Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes) e o Núcleo Executivo de Processos Seletivos (Copeve) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) emitiram nota para esclarecer sobre a decisão do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) de suspender o concurso para cartórios no Estado em função da liminar do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

As instituições responsáveis pelo certame esclarecem na nota que a suspensão nada tem a ver com vazamento de provas ou suspeita de fraude.  “As provas para o Concurso para Outorga de Delegações de Notas e Registros do Tribunal de Justiça de Alagoas sequer tiveram sua confecção iniciada, portanto, não há que se falar em risco de vazamento das provas ou conhecimento prévio do seu teor, visto que elas sequer existem ainda”, informa a nota.

Pela informação publicada no próprio site do CNJ, a suspensão temporária da aplicação das provas, que estavas marcadas para 6 de maio, decidida pelo Conselheiro Valdetário Monteiro, foi tomada para resolver um impasse com a comissão organizadora. “A comissão examinadora do certame está sem presidente desde que todos os desembargadores do tribunal se declararam impedidos ou suspeitos para assumir o cargo – muitos afirmaram terem parentes próximos ou subordinados entre os candidatos do concurso”, informa a matéria publicada no site do CNJ.

A organização do concurso diz, ainda, que as providências estão sendo tomadas para que as provas sejam remarcadas. “Todas as ações para continuidade e realização do concurso estão sendo executadas com responsabilidade e transparência”, destaca Marinês Coral Fagundes, diretora da Copeve.