Portal do Governo Brasileiro

Workshop aborda tratamento de esgoto em empreendimentos habitacionais

Evento contou com a participação de 13 universidades brasileiras
07/03/2018 às 11h16 - Atualizado em 08/03/2018 às 14h09
context/imageCaption

Professores participaram do workshop sobre tratamento de esgoto sediado na Ufal

Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo

A Universidade Federal de Alagoas recebeu a 4ª edição do workshop Tratamento de esgotos descentralizados em empreendimentos habitacionais, por meio do Centro de Tecnologia (Ctec). O evento, que aconteceu na última segunda-feira (5), é uma realização da Rede Nacional de Tratamentos de Esgotos Descentralizados (Rented), com a participação da Ufal e mais 12 universidades brasileiras.

Na ocasião, foram apresentados os resultados mais impactantes das pesquisas voltadas para o tratamento de esgoto realizadas pela Rented. E contou ainda com a visão de diversos profissionais acerca de suas experiências, tendo como foco a consistência e viabilidade de novas concepções, estratégias e instrumentos que vêm sendo utilizados e propagados no tratamento de esgoto descentralizado.

O professor Márcio Barboza, do CTEC, ressaltou a importância de um evento como esse ser realizado em Alagoas. “Para o Estado em si é uma importância enorme, porque aqui [no workshop] estão os maiores especialistas em tratamento de esgoto descentralizado, em pequenas estações de empreendimentos habitacionais. Então é um momento ímpar para Alagoas”, enfatizou.

Devido à grande relevância do assunto, estudantes das engenharias Ambiental e Sanitária, Civil e Química, lotaram o auditório do Laboratório de Comunicação Científica e Visualização (LCCV).

“O objetivo é trazer discussões não só acerca do tratamento de esgotos e tecnologias de tratamento, mas também dos diferentes produtos sub gerados, como lodo, gordura, gases odorantes, reaproveitamento energético e biogás”, explicou o coordenador da Rented, André Bezerra. E complementou: “A ideia é de ser um fórum de discussão, de trocas de experiências, aproveitando a experiência de muitos professores que são consultores em empresas públicas e privadas. Além de compreender um pouco a realidade local e como esse grupo pode ajudar na solução dos problemas de saneamento aqui em Alagoas”.