2017

1

Universidade lança edital para seleção de estagiários

Vagas são exclusivas para estudantes da Ufal; alunos receberão bolsa de R$ 520, mais auxílio-transporte de R$ 132
02/01/2017 às 09h52 - Atualizado em 17/01/2017 às 09h07
context/imageCaption

Estudantes devem se inscrever para estágio entre 16 e 18 de janeiro

Thâmara Gonzaga - jornalista

A Universidade Federal de Alagoas (Ufal) lançou edital para seleção de estagiários. As vagas são exclusivas para estudantes da instituição e os interessados devem se inscrever de 16 a 18 de janeiro.  O estágio é não obrigatório, com carga horária de 30 horas semanais, e os selecionados receberão uma bolsa no valor de R$ 520, mais auxílio-transporte de R$132.

Há vagas para os graduandos dos cursos de Administração, Biblioteconomia, Ciências Contábeis, Design, Economia, Engenharia Civil, História, Jornalismo, Pedagogia e Relações Públicas. Entre os requisitos, o aluno deve estar regularmente matriculado a partir do 5º período e não ser beneficiário de nenhum tipo de bolsa paga por programas oficiais (conforme especificado no Decreto de nº 7.416 de 30 de dezembro de 2010).

Para participar do processo seletivo, o candidato deve entregar os documentos exigidos no edital na secretaria da Prograd, situada na Reitoria, no horário de 8h às 12h e de 13h às 17h. Formulário de inscrição preenchido e assinado, documento oficial de identidade, com foto, histórico escolar analítico atualizado e declaração ou certificado de participação em programas como Pibid, Pibic, PET ou Monitoria compõem a lista da documentação a ser entregue.

A seleção será realizada por meio de avaliação curricular. Apenas os candidatos dos cursos de Design, Jornalismo e Relações Públicas participarão de uma segunda etapa, a qual compreende uma avaliação teórico-prática em que o candidato deverá responder a uma situação problema sobre a área de atuação e estudo, utilizando-se dos conhecimentos do respectivo curso.

A lista dos convocados para a prova prática será publicada no portal www.ufal.br e em quadro de aviso, na Secretaria da Prograd, no dia 27 de janeiro, a partir das 14h. Para os demais candidatos, o resultado final será divulgado no dia 7 de fevereiro.

Estágio na Ufal

A pró-reitora de Graduação, Sandra Regina Paz, comemorou o lançamento do edital que vem sendo construído desde o início de 2016. “A oferta de estágio para os estudantes representa um momento importante para a Universidade, pois é a Ufal se constituindo como um espaço de experiência e de aprendizagem produtiva para o mundo do trabalho”, defende. “Representa também um compromisso social com a formação profissional e intelectual dos estudantes, reconhecendo-os como profissionais que podem contribuir para a sociedade”, ressalta.

De acordo com o edital, os estudantes irão atuar em setores da Reitoria, Biblioteca e Arquivo Central, todos localizados no Campus A.C. Simões. Havendo mais disponibilidade de vagas durante a vigência do processo, os aprovados poderão ser aproveitados em outras unidades da Ufal.

Para acompanhar as informações, acesse a página Seleção de Estagiários.

Além da Prograd, outros setores contribuíram para a elaboração do edital de seleção, assim como as pró-reitorias de Pesquisa e Pós-graduação (Propep), Estudantil (Proest) e de Extensão (Proex), esta última que conduziu o GT e intermediou o quantitativo de vagas. A Pró-reitoria de Gestão Institucional (Proginst) conseguiu encaixar no orçamento da universidade as demandas do quantitativo de vagas; e a da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (Progep) contribuiu no dimensionamento e conduziu algumas reuniões.

Confira o arquivo do edital completo abaixo:

Ufal terá horário reduzido durante recesso acadêmico

Medida considera princípio da economicidade e atendimento ao público não será prejudicado
02/01/2017 às 09h53 - Atualizado em 02/01/2017 às 09h53
context/imageCaption

Setores administrativos vão funcionar das 8h às 17h

Manuella Soares - jornalista

A Gestão da Universidade Federal de Alagoas divulgou memorando que define um horário diferenciado para as atividades da Ufal durante o recesso acadêmico. Entre os dias 2 e 13 de janeiro os setores administrativos da Universidade vão funcionar das 8h às 17h.

De acordo com o memorando, a medida considera “o princípio da economicidade e eficiência da Administração Pública e a necessidade de reduzir despesas com manutenção e de racionalizar os serviços em período de menor demanda e menor disponibilidade orçamentária e financeira”.

O horário diferenciado já é implantado em diversas instituições públicas do país, sem prejuízo à prestação de serviço e atendimento à comunidade.

Os setores administrativos das unidades acadêmicas da Ufal também poderão aderir ao funcionamento das 8h às 17h ajustando os horários dos servidores para que cumpram a carga horária de acordo com a determinação das chefias imediatas.

 

Copeve divulga resultado final de concurso para técnicos da Ufal

Aprovados devem ficar atentos às nomeações
02/01/2017 às 11h56 - Atualizado em 13/01/2017 às 12h06
context/imageCaption

Nomeações dos aprovados serão divulgadas no site da Copeve

Ascom Ufal

O Núcleo Executivo de Processos Seletivos da Copeve  divulgou o resultado final das provas objetivas e práticas do concurso de técnico-administrativo do quadro permanente da Universidade Federal de Alagoas.  

A seleção aberta em maio de 2016 foi para cargos com lotação nas sedes dos campi A.C. Simões, Arapiraca e do Sertão, com suas unidades de ensino em Palmeira dos Índios, Penedo, Viçosa e Santana do Ipanema; além  do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA).

O resultado final inclui as provas de ampla concorrência; negros ou pardos; e portadores de necessidades especiais.

Confira as informações atualizadas aqui para acompanhar as nomeações. 

Biblioteca Central da Ufal não funciona nesta sexta (6)

Motivo é a manutenção do sistema hidráulico da unidade
03/01/2017 às 16h08 - Atualizado em 06/01/2017 às 18h20

Redação Ascom

A Biblioteca Central da Universidade Federal de Alagoas (BC/Ufal) estará fechada nesta sexta-feira, 6 de janeiro, devido a uma manutenção da rede hidráulica e limpeza das caixas de água do prédio. O funcionamento da BC retorna ao normal na segunda, 9. 

"A manutenção se faz necessária, pois em caso de vazamento da tubulação poderíamos ter risco de curto-circuito e incêndio, uma vez que se trata de um cano que passa por cima do elevador", explica a diretora da Biblioteca, Cristiane Estevão. 

Durante o recesso, a biblioteca é aberta ao público das 8h às 17h, de segunda a sexta, acompanhando o horário dos setores administrativos da Ufal. O horário de funcionamento em dias letivos é das 7h às 21h40, de segunda a sexta-feira; já aos sábados, a Biblioteca abre às 8h e encerra as atividades às 14h.

Alunos de Filosofia serão recepcionados com minicurso

Novos graduandos também poderão participar de mesas-redondas
13/01/2017 às 08h00 - Atualizado em 12/01/2017 às 11h58
context/imageCaption

Programação no Ichca será de 18 a 20 de janeiro

Manuella Soares - jornalista

A Semana de Acolhida aos novos alunos da Universidade Federal de Alagoas terá uma programação oficial nos dias 16 e 17 de janeiro. A partir do dia 18 os calouros serão recepcionados nas suas respectivas unidades acadêmicas. O curso de Filosofia, do Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes (Ichca) organizou uma programação com atividades até o final da semana.

Será oferecido um minicurso, de três dias, intitulado Questões fundamentais da Filosofia Contemporânea: o sujeito como problema ministrado pelos professores Marcos Silva e Cristina Viana.  A programação também conta com duas mesas redondas compostas pelos professores Marcos Silva, Luciana Santana e Flávia Benevenuto. Alguns alunos também farão parte desses debates.

Na noite do último dia, 20 de janeiro, terá uma atividade do projeto de extensão Ágora com interação entre os professores dos cursos de Sociologia, Artes e Educação Física. Já às 20h30 começa uma festa de confraternização para os calouros, veteranos e professores.

Confira aqui a programação completa.

Ceca terá programação especial para calouros

Estudantes vão conhecer melhor o Centro e participar de vivência num assentamento, em Murici
12/01/2017 às 11h22 - Atualizado em 16/01/2017 às 12h25
context/imageCaption

Calourada do Ceca terá programação variada

Manuella Soares - jornalista

O Centro Acadêmico de Agronomia, do Centro de Ciências Agrárias (Ceca/Ufal), vai promover a 3ª Calouragro para recepcionar os novos alunos do semestre letivo 2016.2. O evento será realizado de 16 a 20 de janeiro com uma programação que contempla todos os cursos da unidade.

O primeiro dia de atividades começa às 8h, no auditório principal do Ceca, com a presença de gestores e docentes. A organização do evento planejou para os dias seguintes uma roda de apresentação dos novos alunos; a apresentação de instâncias estudantis e um bate-papo com um profissional da área.

Haverá também uma manhã de vivência do assentamento Dom Helder Câmara, em Murici; visita aos setores do Centro de Ciências Agrárias; o AgroCafé; e uma programação surpresa.

O evento é gratuito e não precisa fazer inscrição.

Confira em anexo.

Projeto Resgatar da Famed seleciona novos integrantes

Iniciativa de extensão desenvolve atividades nos setores de Pediatria e do Centro de Tratamento de Queimados do HGE
04/01/2017 às 14h16 - Atualizado em 05/01/2017 às 15h45
context/imageCaption

Projeto atende crianças internadas no HGE

Thâmara Gonzaga - jornalista

No período de 6 a 26 de janeiro, estudantes de diversos cursos de graduação podem se inscrever no processo seletivo de novos integrantes para o Projeto de extensão Resgatar. As inscrições devem ser realizadas, exclusivamente, pelo endereço eletrônico projetoresgatarhge@outlook.com. O candidato deve anexar currículo e comprovante de matrícula atualizado.

Realizado pelo Núcleo de Saúde Pública (Nusp) da Faculdade de Medicina (Famed) da Ufal, o projeto desenvolve atividades de promoção à saúde, diálogos sobre direitos humanos e dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) nos setores de Pediatria e do Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) do Hospital Geral do Estado (HGE). Segundo a coordenadora, professora Edna Bezerra, o objetivo é promover aos acadêmicos dos cursos da saúde uma formação interdisciplinar, multiprofissional e humanista. 

Há a oferta de 15 vagas para os cursos de Educação Física, Teatro, Psicologia, Pedagogia, Dança, Serviço Social, Biologia, Enfermagem, Odontologia, Nutrição, Farmácia, Fisioterapia, Medicina, Terapia Ocupacional, Biomedicina, Fonoaudiologia, Biblioteconomia, Relações Públicas e Jornalismo. As vagas serão distribuídas, aleatoriamente, entre os cursos.

Os inscritos serão avaliados em três etapas: prova escrita, de habilidades e entrevista. A prova será realizada em 28 de janeiro, às 8h30, na sala 203, Bloco C de Enfermagem, no Campus A. C. Simões da Ufal, em Maceió.

Confira o edital do processo em anexo.

Saiba mais sobre o projeto Resgatar aqui.

Hospital Universitário reserva vagas para agendamento interno de consultas

O procedimento visa reduzir a espera de marcação de consultas pelo Cora
13/01/2017 às 09h21
context/imageCaption

Parte das consultas no Hospital Universitário estão sendo agendadas internamente

Lenilda Luna - jornalista

A equipe do Hospital Universitário/ Ebserh está buscando formas de agilizar o atendimento aos usuários, para que aguardem menos tempo em filas e consigam marcar as consultas no menor prazo possível. Por isso, além da implantação do Projeto Acolher, que tem como objetivo orientar melhor os pacientes que estão buscando atendimento, também foi feita uma nova contratualização de consultas, em vigor desde o início deste ano, que reserva 50% dos atendimentos de primeira vez para agendamento interno.

Antes, todas as consultas eram agendadas pelo Complexo Regulador de Maceió (Cora), um sistema de marcação de consultas que funciona em todos os postos de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). "Não é a solução para o grave problema da baixa oferta, mas é o mínimo que poderia ser feito junto ao Gestor Municipal", avalia Maria Betania Fernandes Neto, chefe do Setor de Regulação e Avaliação em Saúde.

Por ser um hospital de ensino e ofertar várias especialidades de média e alta complexidade, o Hospital Universitário recebe pacientes de todo o Estado, gerando filas gigantescas no Serviço de Arquivo Médico e Estatística (Same). "Era absurdo ver aqueles usuários na fila com a perspectiva de não conseguir agendar nada. O fato é que com a repactuação, tendo 50% das vagas para agendamento interno, a tendência é que as chances do usuário conseguir agendar aumentem", pondera Betânia.

Já os pacientes do neurologista Fernando Gameleira, especialista em Epilepsia, que são acompanhados por um longo período e com consultas frequentes, o setor de Regulação realizará o agendamento. "Quando o paciente sair da consulta, o médico já diz o mês que ele deve retornar e o recepcionista já registra na agenda física e no cartão do usuário. Na última semana do mês o sistema é alimentado para o atendimento ocorrer via prontuário eletrônico.  Os agendamentos de primeira vez são agendados via Cora e Interno", explica a chefe do Setor de Regulação e Avaliação em Saúde.

Atendimento no Restaurante Universitário é retomado nesta segunda (16)

Com início das aulas, RU volta a atender toda comunidade acadêmica da Ufal
13/01/2017 às 09h03
context/imageCaption

Os comensais que não têm cadastro biométrico devem apresentar um documento oficial

Ascom Ufal

Na próxima segunda-feira (16), com o reinício das aulas na Universidade Federal de Alagoas, o Restaurante Universitário (RU) retoma o atendimento a toda comunidade acadêmica.

Para os que já possuem cadastro, o atendimento será realizado pelo processo de biometria. Os que ainda não têm cadastro biométrico devem apresentar um documento oficial com foto e um documento atualizado que comprove o vínculo com a Ufal, tal como comprovante de matrícula, declaração da coordenação de curso ou lista de convocados, caso o estudante seja calouro.

Terreno no Ceca será propriedade definitiva da Ufal

Universidade fará cessão provisória de galpões para prefeitura de Rio Largo
05/01/2017 às 12h33 - Atualizado em 06/01/2017 às 17h51
context/imageCaption

Reunião foi realizada na manhã desta quarta-feira (3)

Manuella Soares - jornalista

A reitora da Universidade Federal de Alagoas, professora Valéria Correia, reuniu-se, na manhã desta quarta-feira (3), com o superintendente Victor Soares Braga, da Superintendência de Patrimônio da União (SPU-AL),para firmar um acordo de cessão do terreno onde está localizado o prédio do Ceca, em Rio Largo. Participaram da reunião da Ufal o diretor do Centro de Ciências Agrárias (Ceca), Gaus Silvestre, o assessor jurídico da Ufal, Basile Christopoulos, o prefeito de Rio Largo, Gilberto Gonçalves, além do ouvidor da Ufal, Afonso Marinho e um professor do curso de Engenharia Florestal. 

A boa notícia é que o imóvel será, oficialmente, propriedade da Ufal. O superintendente da SPU informou que o terreno foi desmembrado em cartório e a maior parte será de posse definitiva da Universidade por meio de um contrato de doação da União Federal para a Instituição, como autarquia.

Desde a origem do Ceca, o terreno era apenas cedido para uso da Instituição, mas a Ufal não tinha a posse registrada da área. De acordo com o assessor jurídico, até o final do mês, ou início de fevereiro, a formalização será efetivada. Já uma parte menor que foi desmembrada e estava ocupada por moradores vai ser regularizada pela própria SPU e não mais será responsabilidade da Ufal. 

A prefeitura de Rio Largo demonstrou interesse em construir um centro administrativo nos galpões que ficam no final do terreno da Universidade. A ideia é avaliar uma proposta de acordo com as normas ambientais e de ocupação florestal.

“Fechamos um acordo importante. Agora estamos fazendo tratativas para fazer a cessão provisória de onde funcionava a Funasa, que vai desocupar, mediante um projeto que de ocupação que será submetido à aprovação do Consuni”, destacou a reitora Valéria.

Inscrição para mestrado em Ciências Farmacêuticas começa no dia 9 de janeiro

Oportunidade é para graduados em Farmácia, Medicina, Odontologia, Enfermagem, Nutrição, Fonoaudiologia, Química, Educação Física e Biomedicina.
05/01/2017 às 15h28 - Atualizado em 19/01/2017 às 12h29

Ascom Ufal

A Universidade Federal de Alagoas, por meio da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep), está com a oferta de 19 vagas para o curso de mestrado em Ciências Farmacêuticas.

As inscrições devem ser feitas de forma online, no período de 9 a 30 de janeiro, em formulário próprio disponível na página eletrônica do Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Ciências Farmacêuticas (PPGCF). Clique aqui para acessar o endereço, conferir o edital e acompanhar as atualizações do processo. É importante a leitura do edital pelos interessados, pois há necessidade de envio de documentação por meio eletrônico.

Conforme o edital, podem se inscrever no processo seletivo graduados em Farmácia, Medicina, Odontologia, Enfermagem, Nutrição, Fonoaudiologia, Química, Educação Física e Biomedicina, com diploma de nível superior emitido por instituições oficiais reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC).     

Os inscritos serão submetidos a exame de proficiência em língua inglesa (prova escrita), avaliação de conhecimentos específicos (prova escrita) e análise do currículo.

Programação de acolhimento aos calouros terá debates, exposição e manifestações culturais

Semestre letivo para os veteranos será iniciado no próximo dia 16
11/01/2017 às 09h25 - Atualizado em 11/01/2017 às 12h32
context/imageCaption

Atividades serão realizadas em dois dias

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

Quem está chegando agora na Ufal será recebido com programação especial na próxima semana. A partir da segunda-feira (16), a Universidade terá uma série de atividades para os novos estudantes. A partir das 9h, eles serão recepcionados no Auditório da Reitoria com o café com música – voz e violão, acompanhado de dança cigana. A seguir, às 9h30, a reitora da Ufal, Valéria Correia, apresenta a aula magna O papel da Universidade no contexto atual.

Logo depois, às 10h20, haverá apresentação das pró-reitorias e órgãos de apoio e uma fala do movimento estudantil. A manhã será finalizada com sorteio de livros da Edufal. Já na parte da tarde a programação continua a partir das 13h40 com o CitTour – Conhecendo e descobrindo a Ufal. Haverá um ônibus saindo do CIC com várias paradas para que os novos alunos possam conhecer o campus. Às 15h30, a Calourada Verde promove a plantação de mudas no Campus A.C Simões.

A partir das 19h, os estudantes do noturno também sertão recebidos com um café com música e apresentação do grupo Afoxé. Logo depois, a aula magna com a reitora Valéria Correia, desta vez para os alunos que não puderam comparecer pela manhã. O momento também terá apresentação dos setores, fala dos estudantes e sorteio de livros. As atividades serão encerradas às 21h30 com a abertura da exposição fotográfica do movimento estudantil.

Já na terça (17), durante todo o dia acontece a Calourada Solidária, com a operação Doadores de Plantão. O Hemoal estará de plantão na Reitoria para realizar o cadastro de doadores de medula óssea e coletar as doações de sangue. Enquanto isso, os alunos deverão ser recebidos em seus horários de estudo pelos coordenadores de curso e centros acadêmicos. A partir da quarta-feira (18), as aulas do semestre 2016.2 acontecem em horário normal para os novatos, das 7h30 às 22h30, dependendo do curso e turno. Para os veteranos, as aulas já se iniciam na próxima segunda (16).

Programação de acolhimento aos calouros terá debates, exposição e manifestações culturais

Semestre letivo para os veteranos será iniciado no próximo dia 16
11/01/2017 às 12h38 - Atualizado em 18/01/2017 às 09h01
context/imageCaption

Atividades serão realizadas em dois dias

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

Quem está chegando agora na Ufal será recebido com programação especial na próxima semana. A partir da segunda-feira (16), a Universidade terá uma série de atividades para os novos estudantes. A partir das 9h, eles serão recepcionados no Auditório da Reitoria com o café com música – voz e violão, acompanhado de dança cigana. A seguir, às 9h30, a reitora da Ufal, Valéria Correia, apresenta a aula magna O papel da Universidade no contexto atual.

Logo depois, às 10h20, haverá apresentação das pró-reitorias e órgãos de apoio e uma fala do movimento estudantil. A manhã será finalizada com sorteio de livros da Edufal. Já na parte da tarde a programação continua a partir das 13h40 com o CitTour – Conhecendo e descobrindo a Ufal. Haverá um ônibus saindo do CIC com várias paradas para que os novos alunos possam conhecer o campus. Às 15h30, a Calourada Verde promove a plantação de mudas no Campus A.C Simões.

A partir das 19h, os estudantes do noturno também sertão recebidos com um café com música e apresentação do grupo Afoxé. Logo depois, a aula magna com a reitora Valéria Correia, desta vez para os alunos que não puderam comparecer pela manhã. O momento também terá apresentação dos setores, fala dos estudantes e sorteio de livros. As atividades serão encerradas às 21h30 com a abertura da exposição fotográfica do movimento estudantil.

Já na terça (17), durante todo o dia acontece a Calourada Solidária, com a operação Doadores de Plantão. O Hemoal estará de plantão na Reitoria para realizar o cadastro de doadores de medula óssea e coletar as doações de sangue. Enquanto isso, os alunos deverão ser recebidos em seus horários de estudo pelos coordenadores de curso e centros acadêmicos. A partir da quarta-feira (18), as aulas do semestre 2016.2 acontecem em horário normal para os novatos, das 7h30 às 22h30, dependendo do curso e turno. Para os veteranos, as aulas já se iniciam na próxima segunda (16).

Edital vai selecionar livros que serão lançados na Bienal 2017

A reitora da Ufal, Valéria Correia, e o diretor da Edufal, Osvaldo Maciel, participaram de solenidade na Fapeal
09/01/2017 às 12h52 - Atualizado em 30/01/2017 às 15h15
context/imageCaption

Diretor da Edufal, Osvaldo Maciel, assina edital de publicação de livros

Lenilda Luna - jornalista

A reitora da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Valéria Correia, e o diretor da Editora da Ufal (Edufal), Osvaldo Maciel, participaram, na manhã desta segunda-feira (9), de uma solenidade na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) para o lançamento de edital de Apoio à Editoração e Publicação de Livros. As obras serão lançadas na 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas juntamente com a Imprensa Oficial Graciliano Ramos (Cepal) e o apoio da Fundação Universitária de Desenvolvimento, Extensão e Pesquisa (Fundepes). A novidade deste edital em relação aos anteriores é que ele permite a inscrição de doutores externos à Ufal.

O governador do Estado, Renan Filho, presidiu a solenidade e destacou o bicentenário da Emancipação de Alagoas, que será comemorado com várias atividades durante o ano. "Hoje, temos uma realidade bem diferente daquela em que se comemorou o centenário da emancipação e nem conseguimos imaginar toda a evolução tecnológica e científica que ocorrerá nos próximos cem anos. Mas deixaremos nosso legado, também, em forma de livros, para socializar o conhecimento com as gerações futuras. Os cidadãos e cidadãs de Alagoas daqui a cem anos terão o registro do que se produzia em 2017", ressaltou o governador.

A reitora Valéria Correia agradeceu a parceria entre a Universidade e o Governo do Estado, por meio de ações conjuntas com a Fapeal, Fundepes e Imprensa Oficial Graciliano Ramos. "É importante que a produção acadêmica seja socializada. Nós acreditamos na teoria a serviço das transformações sociais. Queremos abrir para o público a possibilidade de conhecer o que se produz na Ufal”, destacou a reitora. E lembrou: “A Bienal deste ano terá como tema o Bicentenário de Alagoas e o lançamento de livros será uma forma relevante de celebrar nossa história".

O edital dedica 80% das publicações para pesquisadores vinculados a Programas de Pós-graduação, mas reserva 20% dos recursos para trabalhos resultantes de pesquisas de doutores que não estejam na pós-graduação. O presidente da Fapeal, Fábio Guedes, destacou essa primeira ação do ano como uma contribuição nas atividades comemorativas ao Bicentenário da Emancipação de Alagoas. "Este edital libera 150 mil reais em recursos para a publicação de cerca de 50 livros", disse o presidente.

O diretor da Edufal ressalta que editais para publicação de livros são uma forma democrática de oferecer oportunidades aos autores-pesquisadores. "Essas ações fortalecem o mercado editorial alagoano, por meio de políticas públicas efetivas, incentivando uma produção qualificada, já que é voltado para a divulgação de pesquisas da Universidade. Teremos publicações em diversas áreas. As propostas de livros a serem publicados devem ser levadas à sede da Edufal de 16 de janeiro à 17 de fevereiro", informa Osvaldo Maciel.

No final da solenidade, a Edufal ofereceu ao governador de Alagoas, Renan Filho, um exemplar do livro Lacan chinês: poesia, ideograma e caligrafia chinesa de uma psicanálise, de autoria do professor e psicanalista Cleyton Andrade, do Instituto de Psicologia da Ufal (IP). O livro foi vencedor do prêmio Jabuti 2016 na categoria Psicologia, Psicanálise e Comportamento. "Foi a primeira vez que a Ufal venceu um prêmio dessa relevância nacional e internacional. Portanto, essa obra precisa ser conhecida e divulgada pelo Governo", finalizou Osvaldo Maciel.

Confira o edital e o formulário de inscrição em http://www.edufal.com.br/ ou nos links abaixo.

 

Primeira colação de grau social de 2017 lota auditório da Reitoria

Familiares e amigos prestigiaram a conquista dos novos profissionais
12/01/2017 às 09h21 - Atualizado em 16/01/2017 às 12h25
context/imageCaption

Cerimônia de colação foi presidida pela pró-reitora Sandra Regina Paz

Ascom Ufal

Confiro o grau. Nesta quarta-feira, 11, foi a vez de 75 formandos ouvirem essa tão esperada frase, após anos de estudo e dedicação em busca do sonhado diploma de formação superior.

Novos profissionais das áreas de Administração, Economia, Ciências Contábeis, Arquitetura, Computação, Engenharia, Licenciaturas, entre outros cursos, participaram da primeira cerimônia de colação de grau social de 2017, realizada no Auditório da Reitoria. Familiares e amigos lotaram o local para prestigiar essa conquista.

No momento de fala concedido aos presentes, o recém-formado em Serviço Social, Tales de Melo Mendonça, lembrou benefícios, dificuldades e lições aprendidas durante a graduação. “Deveríamos receber dois diplomas: um referente à profissão e outro em relação à vida. Quando entramos na Ufal, enfrentamos uma série de dificuldades, como as greves, mas, mesmo assim, ela sobressai na qualidade de ensino, pesquisa e extensão. Não há outra instituição no Estado que se compare à Ufal”, afirmou. “Tenho muito orgulho de ter feito parte dessa instituição que proporciona muitas oportunidades aos estudantes alagoanos. Aqui é um lugar em que sempre me senti em casa. A nossa tarefa foi cumprida e acredito que as portas da Universidade sempre estarão abertas”, concluiu Tales, desejando sucesso a todos os novos profissionais.

A solenidade foi presidida pela pró-reitora de Graduação (Prograd), Sandra Regina Paz, em companhia do pró-reitor de Gestão Institucional (Proginst), Flávio Domingos, e demais servidores da Universidade.

MHN recebe curadora do Museu Nacional de História Natural de Lisboa

Cristiane Bastos apresentou a estrutura do museu lusitano, as atividades desenvolvidas na instituição, além das afinidades que possui com o MHN e as parcerias entre as instituições
05/01/2017 às 15h43 - Atualizado em 06/01/2017 às 17h58
context/imageCaption

Cristiane Bastos veio de Portugal, onde atua como curadora do setor de mamíferos do Museu Nacional de História Natural e da Ciência (Muhnac) que fica na capital

Graziela França- estudante de Jornalismo

O Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) realizou uma palestra com a bióloga e curadora do setor de mamíferos do Museu Nacional de História Natural e da Ciência (Muhnac) de Lisboa, Cristiane Bastos Silveira, nesta quarta-feira (4). O evento contou com a presença de integrantes de diversos setores do MHN e da gestão da Ufal.

Durante a ocasião foram apresentadas a estrutura do museu lusitano, as atividades desenvolvidas na instituição, composição referentes a servidores, pesquisadores e bolsistas, além das afinidades que possui com o MHN e as parcerias entre as instituições.

“O Museu de História Natural de Lisboa tem entre as suas missões promover a formação, que acontece seja requisitado por uma instituição ou através dessas parcerias de intercâmbio. E com essas experiências adquirimos um enriquecimento muito grande, por meio das realidades diferentes de cada instituição”, destacou Cristiane Silveira, representante do Muhnac.

De acordo com Cíntia Rodrigues, museóloga do MHN, o intercâmbio entre as instituições de mesma tipologia são muito importantes. “Como é uma instituição de mais de um século e há ainda a proximidade entre as línguas, é uma ótima parceria e propicia a troca em vários níveis de pesquisa dentro do museu, o científico, a gestão, comunicação e educativo que são grandes pilares nas instituições”, comentou.

Sobre a curadora

Natural da cidade de Salvador, Bahia, Cristiane Bastos Silveira se formou em Ciências Biológicas, licenciatura, na Universidade Federal da Bahia (UFBA). Há 28 anos mora em Portugal, onde atua como curadora do setor de mamíferos do Museu Nacional de História Natural e da Ciência (Muhnac) que fica na capital portuguesa, Lisboa. Desenvolveu seu mestrado em conservação da diversidade animal na Universidade de Lisboa. Já o doutorado foi em Zoologia, na Universidade de Londres.

Espaço Cultural estará fechado de 9 a 12 de janeiro

Motivo é a manutenção na rede elétrica do prédio
06/01/2017 às 13h09 - Atualizado em 11/01/2017 às 09h02

Redação Ascom

Na próxima semana, entre os dias 9 e 12 de janeiro, o prédio onde funciona o Espaço Cultural da Ufal estará fechado para troca do quadro de energia. As atividades serão retomadas normalmente já na sexta, 13 de janeiro. 

No prédio funcionam, além dos cursos de Dança, Teatro, Música e Moda, a Pinacoteca Universitária, Orquestra Sinfônica, Corufal e as Casas de Cultura, que integram um trabalho de extensão da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Alagoas, com quase cinco mil alunos estudando línguas estrangeiras e Língua Portuguesa.

Mais informações pelos telefones (82) 3214-1540 ou 3336 2907.

Ufal participa de ação conjunta para publicação de livros

Fapeal e Cepal junto com a Universidade, lançarão edital de R$ 180 mil para editoração e publicação de resultados de pesquisas
06/01/2017 às 15h09 - Atualizado em 09/01/2017 às 12h51

Redação Ascom com informações da Fapeal

A Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal), por intermédio da Fundação Universitária de Desenvolvimento, Extensão e Pesquisa (Fundepes), participa do lançamento do edital de Apoio à Editoração e Publicação de Livros em conjunto com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) e a Imprensa Oficial Graciliano Ramos (Cepal). As instituições realizarão a divulgação do edital nesta segunda, 9 de janeiro, às 9h, na sede da Fapeal.

A proposta da Fapeal é prospectar recursos de forma sistemática e em parceria, com o intuito de ampliar esta atuação e potencializar os recursos captados. A Fundação disponibilizará um aporte financeiro para o programa em R$ 150 mil, advindos de recursos próprios da instituição, que somados a outros insumos totalizará em R$ 180 mil.

Participam do lançamento, a reitora Valéria Correia, o diretor da Edufal, professor Osvaldo Maciel, o diretor-presidente da Fapeal, professor Fábio Guedes, e o diretor-presidente da Imprensa Oficial, Marcos Kummer. Estarão reunidos os diretores das instituições parceiras na presença do governador do Estado, Renan Filho.

O edital dedica 80% das publicações para stricto sensu, sendo também destinados 20% para trabalhos resultantes de pesquisas que não sejam oriundas da pós-graduação. As inscrições serão recebidas até 17 de fevereiro, na sede da Editora na Ufal.

1º Encontro Nordestino de Licenciatura em Ciências Biológicas já tem inscrições abertas

Evento acontece de 13 a 17 de fevereiro em Penedo
13/01/2017 às 14h54 - Atualizado em 06/02/2017 às 10h12

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

A cidade de Penedo será sede, de 13 a 17 de fevereiro, do 1º Encontro Nordestino de Licenciatura em Ciências Biológicas, que, junto com a 4ª Semana das Ciências Biológicas comemorarão os dez anos do curso do Campus Arapiraca. As inscrições já estão abertas de forma online até 6 de fevereiro, e interessados em submeter trabalhos podem enviar os arquivos até 20 de janeiro.

​Na programação, Bruno Gomes (UFPE), falando sobre “o lúdico e a afetividade no processo ensino aprendizagem”; Marcelo Duzzioni (Ufal), falando sobre “transtornos e ansiedade: dos modelos animais aos tratamentos farmacológicos atuais”; Ana Carolina Borges Lins e Silva (UFRPE) que irá tratar do “Ecoar: Laboratório de Ecologia ao Ar Livre”; Taline Cristina da Silva (Uneal), com o tema “como estudos etnobiológicos contribuem para estratégias de educação ambiental?”; Evening dos Santos Lopes falando da “influência dos transtornos de memória, de inteligência e de linguagem no aprendizado”; e Felipe Augusto Correia Monteiro (IFCE, Campus Jaguaribe) que trata da “Zoologia no Ensino de Ciências Biológicas”.

O Encontro tem caráter científico e alcance regional, e deve se consolidar como um espaço estratégico para debates entre profissionais da área, estudantes de licenciatura, pesquisadores, professores formadores e da educação básica interessados em temas emergentes e de grande rebatimento na ação docente dos que fazem o ensino da Licenciatura em Ciências Biológicas no Nordeste.

Para se inscrever, acesse o link.

A programação completa e mais informações estão disponíveis aqui

 

Programação diversificada marca Acolhimento aos novos alunos da Ufal

Cadastro para doadores de medula óssea integrou as atividades e reforçou a parceria do Hemoal com a instituição
17/01/2017 às 18h39 - Atualizado em 18/01/2017 às 16h08
context/imageCaption

Programação diversificada marca Acolhimento aos novos alunos da Ufal

Diana Monteiro - jornalista

Palestras, debates, plantio de mudas, exposição, exibição de vídeo e atividades culturais marcaram à Recepção de Acolhimento aos alunos do segundo semestre letivo de 2016 iniciado na última segunda-feira (16) no Campus A. C. Simões, envolvendo as 21 unidades acadêmicas, Centro de Ciências Agrárias e também a Unidade de Ensino Viçosa. A conexão com a sociedade e o enfrentamento dos desafios visando o desenvolvimento social e igualdade foi o foco da aula magna proferida pela reitora Valéria Correia ao discorrer sobre o tema O papel da Universidade no contexto atual.

A pró-reitora de Graduação Sandra Regina Paz destacou a boa participação dos alunos nas atividades programadas que têm como principal objetivo fazer um panorama geral sobre os cursos e conhecimentos de setores de interesse dos estudantes. A exemplo das pró-reitorias acadêmicas (Graduação, Pesquisa e Pós-graduação e Estudantil), Departamento de Registro Acadêmico (DRCA) e Biblioteca Central, com exibição de video.

E complementou: “Os novos alunos participaram de um passeio de ônibus no Campus A. C. Simões com visitação a todas as unidades acadêmicas, Arboretum, Restaurante Universitário e Residência Universitária. Fizemos uma parada na biblioteca onde na oportunidade foram mostrados procedimentos e orientações para utilização desse serviço”, reforçou a pró-reitora.

Regina Paz chamou a atenção para o envolvimento do segmento docente na programação de acolhimento, a partir das atividades específicas nas unidades acadêmicas com participação de coordenadores de cursos e centros acadêmicos, assim como de pesquisadores da instituição. “O plantio de mudas ornamentais da flor conhecida como buquê de noiva na Faculdade de Medicina ( Famed), marcou a participação de alunos do citado na Calourada Verde”, frisou , destacando ainda as atividades programadas pelo Ceca e pelos cursos de Nutrição, Enfermagem, Química, Filosofia, Ciências Sociais para acolhimento aos seus respectivos alunos.

Ação do Hemoal

A importância da parceria da Universidade Federal de Alagoas com o Hemocentro de Alagoas ( Hemoal) foi destacada pela coordenadora de captação de doação de sangue e cadastro de medula óssea Maria das Graças Martins Padilha, segundo ela, atendendo as expectativas do setor em todas as ações promovidas com a citada finalidade. O cadastro para possíveis doadores até às 15 horas desta terça -feira (17), no hall da Reitoria, integra a Calourada Solidária.

Maria das Graças enfatiza que o objetivo da ação é fortalecer o cadastro de medula óssea e o compromisso com a doação de medula. A doação destina-se a pessoas acometidas por doenças que comprometem a produção do sangue pela medula, como leucemia e aplasia de medula óssea e crianças com algumas doenças genéticas. Informa que no próximo dia 25 a equipe do Hemoal estará no Centro de Ciências Agrárias (Ceca), de 8 às 16 horas, participando de uma atividade do curso de Zootecnia para o serviço de doação de sangue.

 

2

Revista Musifal publicará artigos apresentados em jornada acadêmica

Lançamento da terceira edição está previsto para segundo semestre desse ano
01/02/2017 às 09h24
context/imageCaption

Marcos Moreira, coordenador do curso de Música e um dos organizadores da revista

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

Após passar por uma reestruturação para atender aos padrões do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) da Universidade Federal de Alagoas, a terceira edição da revista Musifal será lançada no segundo semestre de 2017. Esse próximo número está recheado de artigos científicos de pesquisadores de vários estados, que foram apresentados durante a 7ª Jornada Pedagógica para Músicos de Banda, realizada em novembro de 2016, na cidade de Marechal Deodoro-AL.

A Musifal é um projeto registrado na Pró-reitoria e Extensão e tem como proposta apresentar o que vem sendo estudado e pesquisado na área de Música em Alagoas e no Nordeste brasileiro, numa linha que vai da Musicologia à Educação Musical. Editada desde 2010, a Musifal é a segunda revista eletrônica da Universidade e, de acordo com Marcos Moreira, coordenador do curso de licenciatura em Música da Ufal, até a edição de 2011, a revista não estava nos padrões de uma publicação científica, era apenas um “depósito” de artigos.

“Mesmo assim, conseguimos apresentá-la em eventos no Rio de Janeiro, São Paulo e Portugal, porque queríamos mostrar que, mesmo sem ter uma estrutura mínima para se trabalhar e desenvolver pesquisa, produzimos muito. A revista, como estava, serviu como um apoio de registros científicos de eventos acadêmicos. Agora é muito mais que isso”, ressaltou.

Marcos Moreira e mais dois professores do curso de Música, Flávio Ferreira e Milson Fireman, estão na comissão organizadora. “Já temos grandes pesquisadores doutores que estão na Comissão Editorial: Diana Santos, Joel Barbosa e Celson Benedito, da Ufba [Universidade Federal da Bahia]; Marco Toledo, da UFC [Universidade Federal do Ceará]; Diósnio Neto, da USP; e Alexandre Andrade, Instituto Piaget, de Portugal”, disse Moreira.

A terceira edição, já no novo formato dentro do SEER, onde há vários outras publicações científicas da Ufal, também será apresentada na 8ª Jornada Pedagógica para Músicos de Banda, que já está no calendário de eventos de Marechal Deodoro e acontece no final desse ano. “A partir da edição de 2018, nossa revista publicará artigos inscritos na Jornada e também passará a publicar os artigos do Simpósio da Associação Brasileira de Musicologia, que fará parceria permanente com a Jornada Pedagógica”, completou Moreira.

Essa parceria, segundo o professor, dará mais notoriedade à revista e numa dimensão muito mais abrangente. “Vamos ser uma ramificação do simpósio com a temática bandas de música. Com isso, nossa revista vai ampliar o alcance e terá ramificações no meio científico onde mais se produz pesquisa na área de música – São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Para nós é um crescimento muito grande”, completou.

 

Prograd divulga notas das provas práticas da seleção de estágio na Ufal

Candidatos podem interpor recurso nos dias 2 e 3 de fevereiro
01/02/2017 às 19h55 - Atualizado em 02/02/2017 às 10h30

Ascom Ufal

A Pró-reitoria de Graduação da Ufal divulgou o resultado preliminar das provas práticas dos candidatos que concorreram às vagas para estágio na Assessoria de Comunicação. Os estudantes podem interpor recurso, por escrito, devidamente identificado, motivado e registrado na Secretaria da Prograd nos dias 2 e 3 de fevereiro, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Apenas serão aceitos os recursos preenchidos no formulário disponível no Anexo 3 do edital. A pontuação final dos candidatos será definida pelo somatório das notas obtidas na primeira e segunda etapas. Para o caso de desempate serão utilizados os seguintes critérios: maior coeficiente de rendimento acumulado; maior coeficiente de rendimento do último período letivo cursado; e Idade.

O resultado final da seleção de estágios será divulgado no dia 7 de fevereiro, a partir das 14h.

Confira em anexo as notas.

Palestra motivacional sugere reflexões aos alunos do Paespe

Trajetórias de docentes foram contadas para estimular a disciplina nos estudos
01/02/2017 às 10h04 - Atualizado em 02/02/2017 às 11h07
context/imageCaption

Professor Valmir Pedrosa faz palestra motivacional no Paespe

Ascom Ufal

Qual o tamanho do seu mundo? Esse foi o questionamento provocado aos alunos do Programa de Apoio aos Estudantes das Escolas Públicas do Estado (Paespe), nesta terça-feira (31), durante a palestra motivacional O Nosso Mundo, ministrada pelo professor Valmir Pedrosa. O tema levou os estudantes da turma 2016/2017 a algumas reflexões sobre organização, disciplina nos estudos e, sobretudo, foco para alcançar os objetivos.

De acordo com a mensagem principal da palestra, o tamanho da sua garra tem que ser proporcional ao seu sonho. “Ao se esforçar no estudo, maior será a possibilidade de recompensa. Ao estudar, um indivíduo se enriquece em conhecimento e habilidades, o que lhe trará muitos benefícios em sua vida, possibilitando o conhecimento do mundo, de novas culturas”, sugere o professor Valmir.

Pedrosa mostra aos alunos a sua trajetória acadêmica, desde sua saída de Maceió após a graduação em Engenharia Civil na Ufal, até o seu Pós-doutorado na University of California Davis (UCDAVIS), Estados Unidos. O objetivo dessa retrospectiva é mostrar aos estudantes que a sua dedicação aos estudos o levou a conhecer o mundo, e que não existem fronteiras para a realização dos sonhos.

“A sua percepção do tamanho do mundo vai dar o indicativo do quanto você deve estudar para participar dele”, ressalta.

A atividade contou com a presença do professor Luciano Barbosa, diretor do Centro de Tecnologia (Ctec), que aproveitou a oportunidade para falar sobre a sua jornada desde quando morava no agreste Alagoano e era estudante do ensino médio até o seu ingresso como docente na Universidade Federal de Alagoas.

Atividades de Biologia no Paespe iniciaram no último sábado

Professora Giana está à frente das aulas de Biologia no Programa há mais de cinco anos
06/02/2017 às 09h48
context/imageCaption

Professora Giana com a turma no início das atividades de 2017

Ascom Ufal 

As aulas de Biologia já começaram para a turma 2016/2017 do Programa de Apoio às Escolas Públicas do Estado (Paesp/Ufal). A professora Giana  Raquel Rosa, coordenadora da Pró-reitoria de Graduação (Prograd) e os estudantes Alberto Monteiro e Felipe Rodrigues iniciaram as atividades no último sábado (4).

Desde 2010 Giana ministra aulas e orienta grupos de estudantes do curso de licenciatura em Biologia, que realizam as atividades durante as manhãs de sábado no Centro de Tecnologia da Ufal. São cerca de 80 alunos atendidos.

Sob a orientação da professora, o estudante Alberto Santos Monteiro contribui com o Programa há dois anos. Ele é responsável pela elaboração do material didático e acompanhamento do grupo.

Em 2013, a professora Giana acompanhou três alunos do Paespe que foram selecionados para apresentar trabalhos, representando Alagoas, na Feira de Ciências da Universidade de São Paulo (USP). O evento foi promovido pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, e teve como tema O tempo na vida.

Biblioteca Central emite nota sobre serviço de refrigeração do setor

Novos equipamentos já foram comprados
01/02/2017 às 16h50 - Atualizado em 02/02/2017 às 11h05

Redação Ascom

Em meio aos questionamentos de alunos sobre a eficiência do sistema de refrigeração da Biblioteca Central da Ufal, a direção do setor emitiu uma nota nesta quarta-feira, 1 de fevereiro, sobre o assunto. Segundo a BC, a equipe está empenhada em resolver o problema, com a compra de equipamentos novos e a instalação deles em breve.

A direção também pediu desculpas pelos transtornos e informou que está trabalhando para proporcionar um ambiente adequado e serviços de qualidade aos usuários.

Leia a nota na íntegra.

Comunidade universitária da Ufal cai no frevo do Jaraguá

Comissão organizadora convoca a todos para o “esquente” e desfile de bloco no dia 17
08/02/2017 às 21h18 - Atualizado em 10/02/2017 às 08h47
context/imageCaption

Lançamento na Ufal será dia 17

Diana Monteiro - jornalista

Oficina de frevo, exposição de estandartes e distribuição de máscaras estão entre as atividades da festa carnavalesca intitulada Somos todos Ufal, com lançamento no dia 17, no Campus A.C. Simões. A ideia é convocar a comunidade universitária para o desfile à noite, na conhecida prévia de carnaval de Maceió. A ala da Ufal sairá dentro do tradicional bloco Filhinhos da Mamãe que elegeu este ano como tema Alagoas Libertada. A concentração será no Museu Théo Brandão e os foliões desfilam até as ruas do Jaraguá.

As atividades no campus transcorrerão nos horários da manhã e da tarde, no hall da Reitoria, e incluem lançamento da marchinha, distribuição de folders com orientações sobre as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) e Lei Seca. Conforme os organizadores, para divulgação do bloco, espaços estratégicos, a exemplo do Restaurante Universitário (RU), serão também visitados pela comissão. Durante o “esquente” haverá a venda das camisetas.

A oficina de Frevo será conduzida pelo professor de dança Edson Santos, especialista em frevo. A iniciativa é da Coordenadoria de Qualidade de Vida no Trabalho (CQVT), com apoio da Gestão da Ufal. Integram a comissão organizadora os seguintes servidores: Eraldo Ferraz, Rosineide Duarte, Thaise Justino, Rosa Prédes, Rômullo Moreira e Tiago Cruz.

Mais informações sobre o bloco pelos telefones 3214 -1136 e 98896 - 6829 (Rosineide ou Thaise).

NTI fecha temporariamente central de atendimento nesta sexta

Durante duas horas as chamadas poderão ser feitas via e-mail
02/02/2017 às 09h31 - Atualizado em 03/02/2017 às 15h14

Ascom Ufal

O Núcleo de Tecnologia da Informação da Ufal (NTI) informa que a central de atendimento do setor estará indisponível para contato telefônico ou presencial nesta sexta-feira (3), das 13h30 às 15h30. O motivo da suspensão do atendimento é uma reunião interna com a participação dos servidores e colaboradores no Núcleo para promover melhorias no atendimento. Durante esse período, as solicitações de abertura de chamados podem ser realizadas pelo e-mail atendimento@nti.ufal.br. Já as demandas urgentes serão recebidas pela secretaria do NTI, localizada no 1º andar da Reitoria, Campus A.C. Simões.

Casas de Cultura abrem seleção para cursos de idiomas

Inscrições são abertas ao público e gratuitas
02/02/2017 às 15h09 - Atualizado em 09/02/2017 às 09h29
context/imageCaption

Divulgação

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

Já estão abertas as inscrições para a seleção de 820 vagas nos cursos de idiomas oferecidos pelas Casas de Cultura do Espaço Cultural, em parceria com a Pró-reitoria de Extensão e a Faculdade de Letras. São 20 vagas por turma nos cursos de alemão, espanhol, francês, inglês, português e libras. As aulas começam no dia 13 de fevereiro e acontecem uma vez por semana.

Quem quiser participar precisa se dirigir à Secretaria das Casas de Cultura, localizada no Espaço Cultural Salomão de Barros Lima da UFAL, Praça Sinimbu, entre os dias 6 e 8 de fevereiro, somente no horário das 9h às 12h e de 13h às 16h. Por conta do grande volume de pessoas que procuram a matrícula no Programa Casas de Cultura, e para que fosse possível uma organização da ordem de chegada das pessoas no prédio do Espaço Cultural da praça Sinimbu, adotou-se um sistema de senhas, de forma a garantir a entrega da documentação e a matrícula nos cursos de línguas com maior tranquilidade.

"Contamos com a compreensão da comunidade alagoana acerca deste procedimento, uma vez que todos os servidores técnicos administrativos e professores da Ufal, são profissionais valorosos que se dedicam a este trabalho socialmente relevante e estão fazendo o melhor que podem para atender a grande demanda de matrícula que se apresentou", declarou a Pró-Reitora de Extensão Joelma Albuquerque.  A coordenação do programa da FALE e a PROEX estão envidando esforços para que possamos atender a todos e todas da melhor maneira possível.

Durante a manhã são entregues 250 senhas, e na parte da tarde, 100 senhas. Todas as pessoas estão sendo atendidas dentro do horário previsto em Edital. No momento da inscrição o candidato preenche o formulário online e entregar cópias e originais dos seguintes documentos: RG, comprovante de matrícula ou histórico escolar; ficha de inscrição devidamente preenchida (disponibilizada na secretaria das Casas de Cultura no ato da inscrição). Alunos ou servidores da Ufal também devem trazer cópia do comprovante de matrícula atual ou da carteira de identidade funcional/contracheque.

A inscrição é aberta ao público em geral, porém a seleção terá como base a seguinte ordem de prioridade: no caso de cursos sequenciais, alunos matriculados em curso da Casa de Cultura em 2016.1, alunos que concluíram ou que estão cursando a educação básica em escola pública; e alunos ou servidores da Universidade; e comunidade em geral.

O resultado final será divulgado no dia 9 de fevereiro. Mais informações no edital

O projeto

Os cursos das Casas de Cultura são projetos de extensão da Faculdade de Letras que compõem um programa de extensão apoiado pela Proex, e têm como objetivo o estímulo à difusão das línguas alemã, espanhola, francesa, inglesa, portuguesa e da língua brasileira de sinais (Libras) e das suas expressões culturais.  

 

Proest abre seleção de bolsistas para o Centro de Inclusão Digital

Estar regularmente matriculado na Ufal e possuir habilidade em softwares são alguns dos requisitos
01/02/2017 às 17h05 - Atualizado em 03/02/2017 às 15h20

Thâmara Gonzaga – jornalista

A Pró-reitoria Estudantil (Proest) da Universidade Federal de Alagoas abriu processo seletivo para o preenchimento de 10 vagas de bolsistas instrutores para o Centro de Inclusão Digital (CID), no Campus A. C. Simões.

Os bolsistas receberão uma bolsa no valor de R$ 400 durante o período de seis meses, podendo ser renovado por igual período, de acordo com o interesse da Pró-reitoria. Ao final das atividades, receberão um certificado com carga horária proporcional às tarefas realizadas.

Conforme o edital, podem participar estudantes regularmente matriculados nos cursos presenciais de graduação da Ufal, com disponibilidade de até 12 horas semanais e que possuam habilidades em softwares de uso acadêmico e profissional. Não estar vinculado a outro programa remunerativo da instituição também faz parte da lista de requisitos.

As inscrições são presencias e devem ser realizadas de 1º a 13 de fevereiro, na Sala 2 da Proest, localizada no Centro de Interesse Comunitário (CIC). O candidato precisa apresentar ficha de inscrição preenchida (Anexo 1 do edital), além de comprovante de matrícula e histórico analítico atualizados. Caso possua certificados de cursos de informática e de atuação em ensino na área, as cópias dos comprovantes também podem ser apresentadas.

A seleção será por meio de análise documental (eliminatória), currículo e entrevista (classificatórias). Esta última etapa ocorrerá entre os dias 20 e 21 de fevereiro, em local e horário a serem divulgados em até três dias antes do início da primeira entrevista.

Confira o edital no link.

Confira o resultado da seleção de estagiários da Ufal retificado

Candidatos podem interpor recurso até esta sexta, 3 de fevereiro
02/02/2017 às 18h25 - Atualizado em 13/02/2017 às 15h55

Ascom Ufal

A Pró-reitoria de Graduação da Ufal divulgou o resultado preliminar das provas práticas dos candidatos que concorreram às vagas para estágio na Assessoria de Comunicação. No entanto, por um erro no envio das notas para a Prograd, o resultado precisou ser retificado. 

Os estudantes podem interpor recurso, por escrito, devidamente identificado, motivado e registrado na Secretaria da Prograd nos dias 2 e 3 de fevereiro, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Apenas serão aceitos os recursos preenchidos no formulário disponível no Anexo 3 do edital. A pontuação final dos candidatos será definida pelo somatório das notas obtidas na primeira e segunda etapas. Para o caso de desempate serão utilizados os seguintes critérios: maior coeficiente de rendimento acumulado; maior coeficiente de rendimento do último período letivo cursado; e Idade.

O resultado final da seleção de estágios será divulgado no dia 7 de fevereiro, a partir das 14h.

Confira em anexo as notas.

MHN realiza 7º Fim de Semana no Museu em clima de carnaval

Evento conta com programação cultural e científica para o público de todas as idades
02/02/2017 às 09h17 - Atualizado em 03/02/2017 às 16h15
context/imageCaption

Arte de divulgação

Graziela França- estudante de Jornalismo  

O Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) realiza o 7º Fim de Semana no Museu, nos dias 4 e 5 de fevereiro. Em clima de carnaval, muita alegria, diversão e conhecimento farão parte da primeira edição do evento em 2017.

Além da exposição permanente, o Fim de Semana no Museu contará com diversas atrações culturais e científicas que tratarão de temas que envolvem, principalmente, a herpetologia, ramo da biologia que estuda anfíbios e répteis, e a importância da preservação destas espécies, como a nova exposição Desmistificando as serpentes. Haverá também duas oficinas: Pequeno herpetólogo e Aprendendo sobre serpentes.

Atividades carnavalescas compõem a programação da 7ª edição do evento, como oficinas de adereços para carnaval, fantasias, música, frevo, entre outras. Um bazar de roupas e acessórios também acontecerá no pátio do MHN.

O Fim de Semana no Museu começou em julho do ano passado e busca atrair a comunidade para conhecer as exposições do Museu e participar da variada programação disponibilizada a cada mês.

“O projeto foi um sucesso e deu o retorno esperado, pois muita gente que não conhecia o MHN agora já inclui o Fim de Semana no Museu em sua diversão. Participa, manda mensagem e espera pela programação. Para nós, é gratificante receber essas pessoas e ver que o trabalho de extensão dá esse retorno positivo”, destacou Cíntia Rodrigues, museóloga do MHN.

A programação acontece na sede do MHN, localizada na Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade). As atividades são gratuitas e voltadas para o público de todas as idades. Para participar das oficinas basta chegar alguns minutos antes para fazer as inscrições.

Serviço:

7º Fim de Semana no Museu

Dias: 4 e 5 de fevereiro

Horário: 9h às 17h

Local: Av. Amazonas, Prado (Praça da faculdade)

Confira a programação

Envio de sugestões para exposições de 2017 na Pinacoteca termina dia 6

Exposições podem ser individuais ou coletivas, desde que sejam projetos inéditos no circuito cultural alagoano
03/02/2017 às 10h11 - Atualizado em 07/02/2017 às 08h15
context/imageCaption

Arte de divulgação

Redação Ascom

Artistas interessados em expor seus projetos em 2017 na Pinacoteca Universitária da Ufal, devem enviar suas sugestões até a próxima segunda, 6 de fevereiro. As exposições podem ser individuais ou coletivas, desde que sejam projetos inéditos no circuito cultural alagoano.

Com o intuito de difundir a produção artística, o edital também busca incentivar as múltiplas expressões no campo da arte contemporânea. A Pinacoteca dispõe de dois salões para montagem da exposição, cujas perspectivas e planta baixa estão anexadas ao edital disponível na página da Pinacoteca e na seção de concursos e editais do site da Ufal.

Os artistas deverão enviar, exclusivamente por via postal, o projeto e o formulário de inscrição devidamente preenchido e ficar atentos aos demais critérios de participação. Após avaliação e seleção dos projetos pela Comissão de Pauta, o resultado será divulgado ainda este mês.

Serviço:

O que: Edital de Exposições 2017 da Pinacoteca Universitária

Inscrições: 6 de dezembro de 2016 a 6 de fevereiro de 2017

Contato: pinaufal@gmail.com | (82) 3214-1545

Local: Pinacoteca Universitária - Espaço Cultural Universitário Salomão de Barros Lima, Praça Visconde de Sinimbu, 206, Centro

Projeto busca fortalecer identidade cultural do Mercado do Artesanato de Maceió

Ação faz parte do Proinart e envolve estudantes de Relações Públicas, Jornalismo, Design e Teatro
06/02/2017 às 08h00 - Atualizado em 03/02/2017 às 11h37
context/imageCaption

Alunos que fazem parte da equipe do projeto de extensão que integra o Proinart

Simoneide Araújo – jornalista colaboradora

Mercado Público do Artesanato: retrato da cultura, identidade e patrimônio de Alagoas. Esse é o tema do projeto de extensão inscrito noPrograma de Iniciação Artística (Proinart) da Universidade Federal de Alagoas. A proposta é fortalecer a identidade cultural do Mercado, para que a comunidade local e os visitantes conheçam o lugar, uma vez que onde ele está instalado não tem um bom acesso e está fora da rota turística. O que se quer é difundir as atividades desenvolvidas pelos artesãos e a arte genuinamente alagoana.

O projeto tem a participação dos estudantes Érica Rocha, Jéssica Roberta e Luan Soares, do curso de Relações Públicas; Cláudia Leite e Mailson Honorato, de Jornalismo; Joesile Cordeiro, de Tetaro; e Pedro Lopes, de Design. A coordenação é da professora Sandra Nunes, do Departamento de Comunicação Social, coordenadora do curso de Relações Públicas.

De acordo com Érica Rocha, uma das idealizadoras do projeto, a proposta é consolidar o sentimento de pertencimento de quem trabalha no Mercado do Artesanato. “Estamos trabalhando junto com os artesãos para saber as demandas deles, vamos entregar um plano de comunicação, incluindo a inserção do local nas redes sociais Facebook e Instagram, porque os artesãos querem projetos que viabilizem a ida de turistas e da comunidade local. Essa é uma questão imediata para eles: levar turistas para o Mercado”, disse.

Iniciado em agosto de 2016, o projeto vai iniciar a segunda fase que é criar a identidade do local, uma marca e promover palestras para artesãos, enfocando seu papel e seus valores para a sociedade alagoana; levar apresentações de espetáculos de teatro de objetos em escolas públicas municipais, no Espaço Quintal Cultural, de Bom Parto, e em instituição que abriga crianças carentes, localizada no Tabuleiro do Martins, próximo à Ufal. “Estamos preparando um documentário e exposição fotográfica. Já passamos pela primeira etapa, que foi planejamento e levantamento de informações. A partir dessas informações, estamos elaborando o espetáculo de teatro de objetos, que usará os produtos produzidos no próprio Mercado, transformados em personagens na cena”, completou Érica.

 A previsão de conclusão do projeto é junho desse ano, quando será elaborado artigo científico sobre a situação encontrada no Mercado de Artesanato, o que foi feito pelo projeto, identificando quem produz, de fato, o artesanato genuinamente alagoano. “Esse é um requisito exigido pelo Proinart”, destacou Érica.

 

Educação física para crianças e jovens foi debatida em Arapiraca

Programação teve participação de professor de Coimbra
03/02/2017 às 12h11
context/imageCaption

Professores debateram a importância da atividade física na formação dos jovens

Manuella Soares - jornalista

O auditório do Centro de Referência Integrado de Arapiraca (Cria) ficou lotado no 1º Encontro Arapiraquense sobre Atividade Física, Esporte e Saúde, realizado na última segunda-feira (30). O evento promovido pelo Laboratório de Cineantropometria, Atividade Física e Promoção da Saúde (Lacaps), do Campus Arapiraca da Ufal, teve como tema central a importância do esporte e da atividade física na formação de jovens.

Alunos, professores e profissionais de Educação Física participaram da programação que foi aberta com a palestra A multidimensionalidade do treino de jovens atletas, ministrada pelo professor Antonio Figueiredo, da Universidade de Coimbra-Portugal.  Já a palestra do professor Arnaldo Tenório, do Campus Arapiraca, teve um tema reflexivo: O sistema de esporte no Brasil - oportunidades ou impossibilidades para o jovem?

Continuando a mesa-redonda mediada pelo professor Luís Carlos Barbosa (Ufal), que tratou sobre a atividade física e a formação do jovem, as palestras foram proferidas pelos professores Vitor Fabiano (Cesmac/Maceió); Jeferson Porto e a personal trainer Laura Cavazzani.

Entre os temas abordados estão: a atividade física na promoção da saúde de crianças e adolescentes; o treinamento de força para jovens; e a reabilitação de lesões musculoesqueléticas.

“Nosso evento foi um sucesso, preenchendo todas as vagas do auditório”, destacou o professor Luís Carlos. Os participantes receberão certificados até esta sexta-feira (3), que devem ser enviados por e-mail. 

Administrações da Ufal e do HU se reúnem com presidente da Ebserh

Contratação de pessoal e repasse de recursos foram alguns dos pontos abordados
03/02/2017 às 11h24 - Atualizado em 07/02/2017 às 07h44
context/imageCaption

Presidente da Ebserh, Kleber Morais (centro), planeja visitar o HU da Ufal, no mês de março, para tratar das respostas concretas às demandas apresentadas

Ascom Ufal

A reitora Valéria Correia e a superintendente do Hospital Universitário (HU) da Ufal, Fátima Siliansky, participaram de uma reunião, nessa quarta-feira (1º), na presidência da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), em Brasília. Elas foram recebidas pelo presidente da Empresa, Kleber Morais, pelo vice, Laedson Bezerra, e pelo diretor de Atenção à Saúde, Cláudio Saab. 

Durante o encontro, a reitora reforçou o pedido de compra do novo acelerador linear, equipamento utilizado no tratamento de radioterapia, e falou sobre a necessidade de contratação de mais recursos humanos para o hospital. “Aumentamos a nossa produtividade e por isso precisamos de mais pessoal, seja chamando os já concursados ou com a realização de novos concursos. Desejamos também ampliar os serviços de ensino e pesquisa na unidade”, argumentou. Segundo Valéria Correia, ficou acordada a contratação em torno de 32 pessoas. “A informação repassada é que, provavelmente, a partir de março já começam a chamar”, disse.

Outro ponto abordado na reunião foi o repasse de recursos, incluindo os R$ 3 milhões que estavam destinados ao hospital em 2016 e que iam ser utilizados para compra de equipamentos. “A resposta que obtivemos foi a de que o dinheiro havia sido transformado em capital para manutenção dos HU's e que a Empresa vai fazer levantamento das necessidades de equipamentos de acordo com os planos apresentados pelos hospitais”, explicou a reitora. Na ocasião, Fátima Siliansky fez a entrega do plano de crescimento do HU, com indicação de obras e aquisição de bens, ao presidente da Ebserh e solicitou a nomeação dos cargos em comissão que ainda estão vagos no hospital. 

Kleber Morais se comprometeu em analisar as solicitações e planeja visitar o Hospital Universitário da Ufal, no mês de março, para tratar das respostas concretas às demandas apresentadas. “Avalio positivamente a reunião. O que queremos é aproximar cada vez mais a Universidade do hospital, fazendo com que cumpra a sua missão de ensino pesquisa e extensão por meio de seus serviços”, destacou Valéria Correia.

Trabalhos acadêmicos poderão ser redigidos em outros idiomas além do Português

Proposta da Propep foi aprovada na sessão ordinária do Consuni
07/02/2017 às 08h22
context/imageCaption

Professor André Lage, da Propep, apresentou a proposta

Lenilda Luna - jornalista
Foi aprovada, na sessão ordinária do Conselho Universitário (Consuni), nesta segunda-feira (6), a Minuta de Resolução elaborada pela equipe da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep), estabelecendo que os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs), dissertações, teses e outros documentos análogos possam ser redigidos em idiomas diferentes do Português.

A proposta levou em consideração a institucionalização da língua estrangeira nos Programas de Pós-graduação da Ufal, principalmente nos mestrados e doutorados, e a necessidade de internacionalizar a produção acadêmica da Universidade. Portanto, a partir de agora, os trabalhos poderão estar redigidos em Português, Inglês, Espanhol, Francês ou em Língua Brasileira de Sinais (Libras). 
A apresentação do trabalhos em outros idiomas deve ser solicitada pelo autor ao colegiado do curso, já que os integrantes da banca examinadora também precisam dominar a língua estrangeira escolhida pelo aluno. "Já convivemos com o intercâmbio internacional em pesquisas e estamos regulamentando uma convivência com a língua estrangeira, que faz parte da rotina da maioria dos cursos", destacou o professor André Lage.

Revista do Cedu publica dossiê sobre Base Nacional Comum Curricular

Última edição do periódico traz artigos que problematizam o documento do MEC e manifesto do Fórum Paulista de Educação Infantil
06/02/2017 às 11h31 - Atualizado em 08/02/2017 às 16h53
context/imageCaption

Capa da revista virtual Debates em Educação

Manuella Soares - jornalista

O assunto mobiliza o sistema educacional do país. E para entrar no debate sobre a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a revista do Programa de Pós-graduação em Educação da Ufal publicou um dossiê eletrônico que reúne artigos de vários pesquisadores. A proposta de construir uma BNCC no Brasil seria um descritivo de conteúdos e saberes necessários para cada ano e segmento da Educação Básica. Mas essas orientações têm causado divergentes opiniões.   

Intitulado Educação Infantil e Base Nacional Comum Curricular : questões para o debate, o dossiê é organizado pelos professores do Centro de Educação da Ufal (Cedu) Cleriston Izidro dos Anjos e Solange Estanislau dos Santos, que assinam o editorial da revista.

A nova edição do periódico eletrônico conta com uma entrevista com a professora Rita Coelho, que esteve à frente da Coordenação Geral de Educação Infantil do MEC, além de nove artigos de pesquisadores de instituições como USP, Unicamp, UFSCar, Uerj, UFC, UFRGS, Unisinos, Unesp, UEL, Unirio e Unisul. A revista encerra com um Manifesto Indignado produzido pelo Fórum Paulista de Educação Infantil.

A BNCC vem sendo discutida com mais ênfase desde o final de 2015 e, no ano passado, quando houve uma consulta pública do documento preliminar. Depois disso, foi publicada a segunda versão incluindo as contribuições de pesquisadores, formadores de professores e representantes de associações lidas à educação. De acordo com o professor Cleriston, é importante problematizar, antes do texto final do MEC, o que está sendo proposto para a educação infantil e a legitimidade de uma Base Nacional.

“Em que medida as crianças estão sendo consideradas na BNCC? O que já temos de produção escrita sobre a BNCC que pode contribuir para alimentar o debate a respeito da proposta? As crianças precisam de uma BNCC? As especificidades da educação infantil estão sendo respeitadas? Os marcadores de diferenças - raça, etnia, religião, sexualidade, classe social - estão devidamente referenciados e contemplados? O que tem em comum todas as crianças brasileiras? Que projeto de nação está fundamentando as propostas?”, questiona o professor.

Essas inquietações impulsionaram a organização do Dossiê que pretende fomentar o debate de uma proposta que está em processo de elaboração num contexto de instabilidade política.

“A tentativa foi de aglutinar nesse espaço todos os setores que lutam, pesquisam e vivem a educação infantil pública, e buscam a legitimação da elaboração de políticas públicas com participação da sociedade civil, dos movimentos sociais e da universidade”, explica Cleriston.

Os organizadores do periódico deixam uma mensagem de reflexão. “Esperamos que o conjunto de reflexões contribua para questionarmos o porquê, o para quê e a serviço de quem está a proposta da BNCC. Que uma BNCC não apague o que há de extraordinário nas crianças e no cotidiano das creches e pré-escolas brasileiras. Que as contribuições de cada um dos artigos possam alimentar o debate e nos fortalecer nestes tempos difíceis que vivemos, e impulsionem a luta em defesa da Educação Infantil pública, gratuita, laica e de qualidade para todas as crianças”, assinam os professores Cleriston e Solange.

Confira aqui o Dossiê publicado na revista Debates em Educação.

Estudantes e professores participam do 4º Encontro de Ensino de Ciências e Matemática

Evento apresenta novas tecnologias educacionais e produções acadêmicas
03/02/2017 às 10h50
context/imageCaption

Mesa de abertura do EECM

Thâmara Gonzaga - jornalista

Estudantes de graduação, pós, professores das redes pública e particular de Alagoas participam, até esta sexta-feira (3), do 4º Encontro Alagoano de Ensino de Ciências e Matemática (EECM). As atividades do evento, iniciadas nesta quarta-feira (1º), estão sendo realizadas no Centro de Interesse Comunitário (CIC), Campus A. C. Simões.

A cerimônia de abertura foi com o professor do Centro de Educação (Cedu), Anderson Menezes, sobre educação e contemporaneidade. Comunicações orais, oficinas, mesa-redonda e palestras fazem parte da programação.

O EECM tem como objetivo apresentar as novas tecnologias educacionais e produções acadêmicas para o ensino de matemática e ciências. “O encontro é um momento para buscar capacitação. A programação é voltada para as novas maneiras de ensinar matemática, física, química e biologia”, destaca a professora de biologia da rede estadual de ensino e mestranda do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGCIM) da Ufal, Luciana Tener. 

O evento é organizado pela comunidade acadêmica do PPGCIM e, na opinião de Luciana, “a visão do programa é mudar a realidade da aula tradicional, qualificar os profissionais para o trabalho docente, de modo a estimular o aluno, fazer com que ele desenvolva suas potencialidades”. A professora defende que, “hoje em dia, não dá para limitar a aula ao uso do quadro, livro didático e prova”. 

Ideia compartilhada pelo pedagogo e também mestrando Ilson Mendonça. Ele ensina matemática por meio de jogos. “Cada vez mais, é necessário fazer uso de realidades e objetos com os quais os alunos já estão familiarizados e o encontro apresenta muitas possibilidades que podem ser utilizadas em sala de aula”, diz.

Clique aqui para saber mais informações sobre o evento.   

ETA entrega medicamentos e roupas a comunidade carente

Produtos foram arrecadados pela campanha Sururu de Capote contra o bicho de pé; doações ainda podem ser feitas
07/02/2017 às 07h43 - Atualizado em 09/02/2017 às 10h11
context/imageCaption

Além de roupas e calçados, foram doados medicamentos para tratar a infestação de bicho-de-pé

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

Na última sexta-feira (3), servidores da Escola Técnica de Artes (ETA) da Ufal entregaram roupas, medicamentos e calçados às famílias que moram na região da orla da Lagoa Mundaú, vitimas de infestação de bicho-de-pé. A ação faz parte da campanha Sururu de Capote contra o bicho de pé, que conta com a doação de voluntários da Universidade e da comunidade em geral.

Os interessados em colaborar com a campanha ainda podem fazer suas doações. O local de entrega é a Secretaria da ETA, que funciona no Espaço Cultural da Ufal, na Praça Sinimbu, das 8h às 20h. Podem ser doados calçados em bom estado, para crianças e adultos, os medicamentos pomada Neomicina, Bacitracina, pomada Ivermectina e Albendazol 40mg, além de agulhas, luvas, álcool, sabão, bisturi, algodão, gases, esparadrapo, soro e óleo A-G-E

Mais informações pelo 3214-1614.

Prograd publica edital convocando estudantes do semestre 2016.2

São convocados os estudantes pré-matriculados do Campus do Sertão e Campus Arapiraca
03/02/2017 às 15h20 - Atualizado em 08/02/2017 às 09h57

Redação Ascom

A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) e o Departamento de Registro e Controle Acadêmico (DRCA) publicaram, nesta sexta-feira (3), o edital convocando os candidatos pré-matriculados no semestre 2016.2

Os estudantes relacionados no Anexo I do Edital devem comparecer para confirmar a matrícula na Universidade Federal de Alagoas – Campus Arapiraca Sede, Unidade de Ensino Palmeira dos Índios, Unidade de Ensino Penedo, Campus Sertão Sede (Delmiro Gouveia).

As confirmações de matricula serão feitas nos dias 09, 10 e 13 de fevereiro. Os estudantes devem comparecer munidos de documento de identificação oficial com foto e assinar a Ata de Confirmação de Matrícula.

Caso o aluno não efetue a confirmação no prazo previsto, a sua pré-matrícula será cancelada, podendo ser convocado o próximo candidato pré-matriculado na condição de suplente ou candidatos a serem convocados da Lista de Espera.

Consulte o edital para mais informações.

3

Ufal defende investimentos do BNB em projetos alagoanos

Reitora debateu metodologia utilizada pela instituição financeira ao lançar chamadas e editais
02/03/2017 às 09h13 - Atualizado em 03/03/2017 às 13h09
context/imageCaption

Reitora Valéria Correia participou de reunião na Fundepes

Ascom Fundepes

Assegurar que os projetos de pesquisa elaborados em Alagoas concorram em condições de igualdade aos editais lançados pelo Banco do Nordeste do Brasil. Essa foi a demanda apresentada pela Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes), Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e Instituto Federal de Alagoas (Ifal).

A reitora Valéria Correia participou de uma reunião, na última sexta-feira (24), na Fundepes, que contou com a presença do presidente da Fundação, Gabriel Bádue, do reitor do Ifal, Sérgio Teixeira, o pró-reitor de Pesquisa do Ifal, Carlos Henrique, além de Carlos Felipe Lemos Alves e Filipe Willians Gomes, integrantes da Superintendência do BNB em Alagoas. Eles debateram a metodologia utilizada pela instituição financeira ao lançar chamadas e editais. Em 2016, Ufal e Ifal submeteram, por meio da Fundepes, 11 projetos ao BNB.

O objetivo do encontro foi avaliar de que forma os projetos de pesquisa elaborados pelas instituições alagoanas podem atender às exigências da instituição, referência no desenvolvimento regional, e assegurar seus financiamentos. Apenas no ano passado, cerca de R$ 4,5 milhões em recursos para pesquisas poderiam ter sido captados para projetos no Estado.

Já em janeiro desse ano, a Fundepes submeteu mais dois projetos atendendo a editais lançados pelo BNB, buscando recursos para a realização do Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Universidades (Confies), que acontece em novembro, em Maceió, e para Bienal do Livro.

Durante a reunião, a reitora da Ufal, Valéria Correia, solicitou a análise do BNB quanto ao financiamento de projetos de pesquisa desenvolvidos pela Universidade, apoio para projetos como a construção do Centro de Convenções da instituição, financiamento para projetos de energias renováveis e para a realização do Fórum Social Alagoano.

Carlos Felipe Alves e Filipe Willians Gomes asseguram que as demandas serão encaminhadas para a superintendência do banco em Alagoas e posteriormente para a sede da entidade, em Fortaleza.

HU terá atividades de prevenção contra doença renal crônica

Ações estão programadas para o Dia Mundial do Rim; campanha também alerta sobre obesidade
02/03/2017 às 10h04 - Atualizado em 06/03/2017 às 11h41
context/imageCaption

Arte de divulgação

Ascom Ufal

No dia 9 de março será comemorado o Dia Mundial do Rim. Serão realizadas ações em todo o mundo com objetivo de divulgar as informações relacionadas à prevenção das doenças renais. O Hospital Universitário da Ufal também programou atividades para lembrar a data.

O tema deste ano é Doença Renal e Obesidade: estilo de vida saudável para rins saudáveis. No hall central dos ambulatórios do HU haverá análise do IMC (Índice de Massa Corporal), verificação da Pressão Arterial, aplicação de questionário disponibilizado pela Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) sobre os fatores de risco da doença renal crônica, distribuição de material educativo e informações relacionadas à prevenção, assim como, sobre o acesso à assistência à saúde.

Dentro da programação terão duas palestras educativas às 10h e às 15h, no mini auditório do HU. 

As ações serão desenvolvidas pela equipe multidisciplinar de cuidados em saúde da Unidade do Sistema Urinário do Hospital Universitário envolvendo médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, psicóloga e assistente social, numa parceria com o Ambulatório de Nutrição em Nefrologia e alunos da Liga de Nefrologia e Hipertensão (Linehal).

A SBN, que coordena a campanha no Brasil, elabora material informativo e educativo para distribuir em cerca de 500 eventos realizados por ano em todas as regiões. As ações foram intensificadas, ampliando cada vez mais o número de pessoas atingidas com informações sobre prevenção e a importância do diagnóstico da doença renal crônica.

Reunião do Consuni vai discutir realização da Bienal

Sessão também terá deliberação de processos de revalidação de títulos estrangeiros
03/03/2017 às 10h18 - Atualizado em 06/03/2017 às 13h42

Ascom Ufal

O Conselho Universitário da Ufal se reúne, na próxima segunda-feira (6), em sessão ordinária na Sala dos Conselhos. Na pauta do dia está a apreciação do projeto de realização da 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas, com parceria e execução da Fundepes.

Os conselheiros também farão a análise e deliberação de processos de revalidação de títulos estrangeiros que foram previamente aprovados pela Câmara Acadêmica.

Haverá a proposta de adesão da Ufal ao Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional (Profbio) e a apresentação da Execução Orçamentária de 2016, além do orçamento para 2017.

Campanha arrecada alimentos para trabalhadores rurais

Cerca de 400 pessoas perderam o emprego ou estão com salários atrasados
02/03/2017 às 11h25 - Atualizado em 03/03/2017 às 10h18

Ascom Ufal

O Centro Acadêmico e a coordenação do curso de Filosofia realizam uma campanha para arrecadar alimentos não-perecíveis para os trabalhadores da Usina Sinimbu, localizada entre os municípios de São Miguel e Teotônio Vilela.

De acordo com o professor Artur Bispo, que realiza projetos em assentamentos rurais, cerca de 400 trabalhadores foram demitidos, com salários atrasados de vários meses, sem previsão de pagamento.

Os alimentos podem ser deixados na coordenação do curso de Filosofia, com a estudante Yasmin Alcantara, do 5º período ou na sala BSA-2 nas quartas e sextas, durante as aulas do professor Bispo.

Para as pessoas que não possam contribuir com alimentos, existe a possibilidade de realizar depósito bancário em nome de Veronica Ferreira Pinto, CPF 278.720.334-53, que é uma das pontes com os trabalhadores. Os dados da conta poupança da Caixa Econômica são: agência 0840 operação 13, conta 00079517-7.

Novos residentes do Hospital Universitário participam de capacitação

São 56 residentes, entre médicos e profissionais de outras áreas
06/03/2017 às 11h39 - Atualizado em 06/03/2017 às 11h40
context/imageCaption

Socialização de residentes do HU

Diana Monteiro - jornalista

As atividades de socialização dos 56 novos residentes do Hospital Universitário (HU) 2017 seguem até esta terça-feira (7), sob a responsabilidade da Gerência de Ensino e Pesquisa (GEP), da Coordenação de Residência Médica (Coreme) e da Coordenação de Residência Multiprofissional (Coremu). A capacitação tem como local o auditório da Reitoria e conta com a participação de 33 residentes médicos em várias especialidade e 20 profissionais de outras áreas.

A Segurança do Trabalho será abordada no último dia da programação, iniciada na quinta-feira (2) e que levou ao conhecimento dos residentes temas gerais,  como: Hospital Universitário e a Gerência de Ensino; capacitação em Vigilância em Saúde e segurança do paciente. 

“A socialização é realizada desde 2014 e objetiva recepcionar e capacitar os novos residentes para o início das atividades práticas”, enfatizou Alecsandra Ventura, da Unidade de Gerenciamento de Atividades de Pós-graduações (UGAPG). Também envolvidas na organização da capacitação Regina Maria dos Santos e vicentina Esteves Wanderley, respectivamente, da Gerência de Ensino e Pesquisa e do setor de Gestão de Ensino do HU.

Especialidades

O HU da Universidade Federal de Alagoas, na área de pós-graduação, oferta 14 residências médicas nas seguintes especialidades: anestesiologia; cirurgia geral; clínica médica; coloproctologia; dermatologia; medicina da família e comunidade; neonatologia; neurocirurgia; obstetrícia e ginecologia; oftalmologia; patologia; pediatria; psiquiatria e reumatologia. A Residência Mulltiprofissional, tem como área de ênfase a saúde do adulto e do idoso e é destinada aos profissionais de Enfermagem, Farmácia, Nutrição, Psicologia e Serviço Social.

 

Dia da Mulher será lembrado em ato contra violência e opressão

Programação também terá debate sobre aleitamento materno e atividades culturais
02/03/2017 às 15h31 - Atualizado em 13/03/2017 às 08h38

Manuella Soares - jornalista

A coordenação de Qualidade de Vida no Trabalho da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas da Ufal (CQVT/Progep) prepara uma programação especial com atividades em alusão ao Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março. Será uma semana inteira, de 6 a 10, com debates, oficinas e ações reflexivas e culturais.

O evento promovido pela CQVT terá abertura às 9h, no hall da Reitoria, com o lançamento do Comitê Violência Contra a Mulher. Já no dia 7, haverá oficina de confecção de cartazes, às 16h, na Praça da Paz. À noite, a partir das 19h, a Pinacoteca Universitária recebe o espetáculo Sapatos Vermelhos, da artista Isabele Pitta. O roteiro faz uma reflexão sobre a ancestralidade feminina na atualidade.

Essa atividade será preparatória para o Ato Político de enfrentamento das opressões, violências e retrocessos, marcado para o dia 8, com uma caminhada iniciando da Praça Sinimbu, às 9h.

Também no dia 8 será lançado o 1º Concurso de Fotografia da Pró-reitoria Estudantil (Proest) cuja temática é empoderamento feminino.

No dia 9 de março a CQVT promove uma roda de conversa sobre aleitamento e doação do leite materno. Na ocasião haverá o lançamento do projeto Aleitamento materno e qualidade de vida da mulher trabalhadora que amamenta, no Hospital Universitário. 

E no dia 10, último dia de atividades em alusão à data, Isabelle Pitta vai ministrar a oficina de vivência e prática Corpo, expressividade e feminilidade, na Faculdade de Serviço Social (FSSO), das 15h às 17h. Serão disponibilizadas 30 vagas e os interessados devem solicitar pelo e-mail gdheufal@gmail.com.

 

Candidatos da segunda chamada do Sisu 2017 realizam a pré-matrícula

Autenticação de documentos está sendo feita no CIC
06/03/2017 às 11h31 - Atualizado em 07/03/2017 às 12h30
context/imageCaption

Auditório do CIC lotado para autenticar a documentação

Lenilda Luna - jornalista

A manhã desta segunda-feira (6) foi bem movimentada no Campus A.C Simões, com a presença dos candidatos convocados em segunda chamada para preencher as vagas nos cursos da Ufal pelo Sisu 2017. O local que mais concentra pessoas é no auditório do Centro de Interesse Comunitário (CIC), onde está sendo feita a autenticação de documentos.

"É preciso lembrar de trazes as cópias junto com os originais", alerta Stephanie Pimentel, da Copeve. Muitas das dúvidas dos candidatos com relação à pré-matrícula podem ser solucionadas com a leitura do edital de convocação e do Manual do Candidato. "Algumas pendências de documentação podem ser resolvidas no atendimento. Em alguns casos, podemos dar um prazo para a entrega de alguns itens. Mas os classificados e suplentes convocados no edital não podem deixar de comparecer ou vão perder a vaga", alerta Stephanie.

Marcos Fonseca veio de Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Ele foi classificado em segunda chamada para Medicina e estava muito animado. "Na primeira chamada eu fiquei muito perto da classificação, por isso estava com muita esperança de ser chamado desta vez. Deu tempo de organizar toda a documentação para a pré-matrícula. Vou retornar para Campo Grande, mas depois, venho com meus pais organizar a mudança", disse o novo estudante de Medicina da Ufal.

A pré-matrícula prossegue até o dia 8 de março. Os locais por curso estão definidos no edital. O horário, na maioria das localidades, é das 9h às 19h. Mas, nas unidades de ensino de Palmeira dos Índios, Viçosa, Penedo, Santana do Ipanema e na sede do Campus do Sertão, o horário de atendimento será encerrado às 17h. 

Segundo o edital, ao entregar a sua documentação, o candidato receberá o comprovante de entrega do envelope devidamente assinado e carimbado. Para os candidatos da Ampla Concorrência, este comprovante representa a aceitação dos documentos e a efetivação da pré-matrícula. Já para os que concorrem à Reserva de Vagas/Cotas e à Ampla Concorrência com bonificação pelo Critério de Inclusão Regional, o comprovante confirma apenas a entrega da documentação, que será analisada pela Banca Examinadora.

Pesquisa aponta que homens sofrem mais os efeitos das noites mal dormidas

Estudo realizado na Ufal acompanhou rotina de sono de 138 pessoas
03/03/2017 às 10h40 - Atualizado em 06/03/2017 às 12h41
context/imageCaption

Pesquisadora Luciane de Souza acompanhou a rotina de sono de 138 voluntários de Maceió

Thâmara Gonzaga – jornalista

Os homens são os mais afetados pelas noites mal dormidas e as mulheres mais resistentes diante das poucas horas de repouso noturno. Essas são algumas das evidências apontadas no relatório final da pesquisa sobre o sono, realizada com moradores de Maceió, liderada pela doutora na área de Psicobiologia, Luciane de Souza.

De 2015 a 2016, a pesquisadora acompanhou 138 pessoas em um estudo promovido pelo Laboratório de Eletrofisiologia e Metabolismo Celular, coordenado pela professora Adriana Ximenes, do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). O grupo de voluntários era composto por mulheres e homens, com idade de 20 a 39 anos (adultos jovens) e de 40 a 59 (meia idade).

Parte dos dados da pesquisa mostra resultados comparativos entre as rotinas de sono apresentadas por gênero e faixa etária. “De modo geral, a má qualidade do sono afeta a cognição e o estado de humor, mas os efeitos são diferentes entre homens e mulheres”, revela Luciane de Souza. 

Com base nos dados da observação da rotina diária de cada participante e dos testes realizados, a pesquisadora constatou que o homem sofre mais com a perda da qualidade do sono. “A mulher é mais resistente, embora relate o maior número de queixas por causa das poucas horas de descanso”, afirma.

Segundo a pesquisadora, quando submetidos a testes de memória e atenção, os resultados mostraram que as noites ruins de sono não afetaram a memória de curto prazo visuoespacial, usada para identificação e localização de objeto, dos homens e mulheres voluntários da pesquisa. Já as memórias de curto prazo verbal, operacional verbal e visuoespacial, destaca Souza, mostraram-se mais afetadas nos homens que dormiam mal; enquanto nas mulheres só foi registrado um leve declínio na memória de curto prazo verbal.

“Esquecer palavras, decorar um número de telefone e depois ligar, montar um quebra-cabeça ou se localizar em um ambiente recentemente conhecido são tarefas que podem se tornar mais difíceis para o público masculino que não dorme adequadamente”, esclarece.

Ainda de acordo com o estudo feito com voluntários de Maceió, os homens se deitam mais tarde e dormem menos. Já as mulheres vão para cama mais cedo e dormem cerca de 24 minutos a mais que eles. “Outra observação interessante foi o fato delas demorarem mais a adormecer que eles, sendo que estes têm o sono mais fragmentado”, apontou. 

Sem levar em consideração a qualidade do sono dos voluntários, Luciane explica que, na separação por gênero, nos testes aplicados de atenção visual concentrada e de memória de curto prazo verbal, homens e mulheres têm desempenhos equivalentes. Já em relação às memórias de curto prazo visuoespacial, operacional verbal e visuoespacial, esclarece Souza, os homens apresentam desempenho um pouco melhor do que as mulheres, especialmente, no que se refere ao domínio cognitivo visuoespacial, que corresponde à nomenclatura de objetos e ao senso de localização, por exemplo.

No teste de psicovigilância motora, que verifica o tempo de reação após um estímulo visual, Luciane relata que o homem se mostrou mais rápido, ou seja, com um tempo de reação menor. “No entanto, comete mais erro, tornando muitas vezes sua resposta imprecisa e impulsiva. É o que chamamos de falso start”, argumenta. “Já a mulher, apesar de mais lenta no tempo de reação, comete menos erros, apresentando maior eficiência na resposta”, contrapõe a pesquisadora.

Sono e idade

Na faixa etária de 20 a 25 anos, o dado que chamou atenção da pesquisadora foi o fato de os jovens dormirem a mesma quantidade de horas do grupo de pessoas com 50 anos. “Numa fase de aprendizado, de estudos no colégio ou na faculdade, a falta adequada de descanso resulta em alteração de humor e prejuízo cognitivo”, alerta. “Estudos já demonstram irritabilidade, agressividade e sintomas depressivos associados a horas insuficientes de sono”, adverte.

Segundo Luciane, nos questionários aplicados durante a pesquisa, os jovens também se queixaram mais de sonolência e desatenção, apesar de terem apresentado melhor desempenho nos testes cognitivos do que os mais velhos. “Observou-se uma leve diminuição no rendimento médio dos indivíduos a partir dos 40 anos de idade, sendo que aqueles com idade entre 20 e 39 anos de idade tiveram desempenho equivalente”, aponta.

O estudo também mostrou que em torno de 50% dos voluntários dormiam até seis horas de sono noturno. A pesquisadora esclarece que, de acordo com a Associação Mundial de Medicina do Sono, a duração adequada de descanso para a maioria dos adultos jovens é de sete a nove horas de sono, mas Luciane faz a ressalva de que há pessoas que se sentem bem dormindo apenas seis, os chamados “dormidores curtos”, realidade que não representa a maioria da população.

“Há ainda os 'dormidores longos’, porém também representam uma parcela pequena”, diz. “O ideal é dormir o suficiente para promover o descanso, a restauração mental e orgânica, evitando assim flutuações do humor, além de manter o equilíbrio do sistema imunológico e cardiovascular, por exemplo. Dormir bem não é dormir muito e, sim, o suficiente”, ressalta a pesquisadora

Retorno para os participantes

Ao fim do período de observação e dos testes, cada voluntário da pesquisa recebeu um relatório de seis páginas, com um diagnóstico sobre a rotina de sono apresentada, além de indicações para dormir melhor. “Também fizemos convites para realizar procedimentos para higiene do sono. A maioria não voltou, infelizmente”, diz Luciane ao relatar a dificuldade de adesão e de mudança de hábito.

Entre as medidas solicitadas pela pesquisadora para melhorar a qualidade do descanso, estão a adoção de um horário regular para deitar e acordar, excluir o café e bebidas estimulantes depois das 17h, não usar o smartphone e o computador pelo menos uma hora antes de dormir. “Quando ouviam essas recomendações, muitos alegavam que era impossível. Para os alagoanos, tirar o café da noite é muito complicado”, relata. “Mas tivemos o exemplo de um rapaz com baixo desempenho cognitivo que, após seguir as recomendações, observamos aumento significativo no desempenho dos testes e na qualidade do sono”, ressalta.

Sobre a pesquisadora

Luciane de Souza tem trabalhos de mestrado e doutorado sobre o sono e fez sua pós-graduação na Universidade Federal de São Paulo. Ela passou três anos na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) devido ao Programa de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Regional (PDCR), que promove a mobilidade de doutores para outros estados a fim de realizar pesquisas.

O PDCR é uma parceria do Governo Federal, por meio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), com o Governo Estadual via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal).

A pesquisa sobre o sono em Maceió foi realizada em duas etapas. Em um primeiro momento, os voluntários foram entrevistados sobre as condições de repouso nos últimos 30 dias, ingestão de bebidas alcoólicas, peso, altura, prática de atividade física, hábitos antes de dormir, grau de escolaridade e o cronotipo (para saber se é mais ativo no período matutino, vespertino ou se é intermediário, que se adapta facilmente a qualquer um dos horários).

Após esse contato, recebiam um aparelho chamado actígrafo, parecido com um relógio de pulso, e que registra o ciclo vigília-sono, ou seja, o período em que está acordado ou dormindo. O actígrafo deveria ser usado por 24 horas, admitindo-se a retirada apenas para o banho. Os voluntários receberam, ainda, um diário onde deveriam registrar, assim que despertassem, informações sobre a hora em que dormiu e acordou, quantas vezes levantou ao longo da noite, entre outros questionamentos.

Na parte seguinte do trabalho, foram submetidos a testes de memória e atenção, assim como a avaliação subjetiva do estado de humor, realizados no laboratório do ICBS. Os resultados do estudo foram obtidos a partir da análise e da confrontação de todos esses dados.

Mais matéria sobre o sono

Os dados parciais da pesquisa também foram divulgados em uma matéria publicada no portal da Ufal, em 2015. As principais evidências encontradas entre os voluntários do estudo foram a realidade de dormir menos que o ideal, os despertares ao longo da noite e a demora para adormecer.

Clique aqui para conferir.

 

Programação especial marca encerramento da exposição Jardim em Suspenso

Durante essa semana, haverá espetáculo de dança, teatro, show musical e Conversa de Arte
06/03/2017 às 12h06 - Atualizado em 07/03/2017 às 12h30
context/imageCaption

Arte de divulgação

Lucas Cavalcante – estudante de Relações Públicas e 
Patrícia Mendonça – estudante de Jornalismo

Várias atividades gratuitas vão compor a última semana, de 7 a 10 de março, da exposição Jardim em Suspenso, em cartaz na Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas. As atrações serão em comemoração à passagem da mostra da artista Karla Melanias pelos salões da Pinacoteca e à Semana da Mulher. 

Dando início às atrações, nesta terça-feira (7), às 19h, haverá apresentação do espetáculo solo de dança contemporânea Sapatos Vermelhos, com a bailarina e professora do curso de Dança da Ufal, Isabelle Pitta. Nesse trabalho, ela oferece ao público uma reflexão sobre a ancestralidade feminina na atualidade. 

Na quarta-feira (8), também às 19h, será dia da Conversa de Arte, um bate-papo com a convidada pernambucana Ana Lira, jornalista e fotógrafa. A conversa será conduzida pela artista em exposição, Karla Melanias. 

Na quinta-feira (9), o músico alagoano Luiz Luan fará apresentação, das 20h às 21h, e, nesse horário, a exposição ficará aberta à visitação. No último dia, sexta-feira (10), será a vez do espetáculo Alice, uma produção da Cia do Chapéu, que revela uma adaptação da obra de Lewis Carroll, Alice, no País das Maravilhas. 

Durante essa semana, a Pinacoteca abrirá em horário normal para visitação e estenderá o atendimento nos dias das atividades até 21h. 

SERVIÇO:

O quê: Semana de encerramento da exposição Jardim em Suspenso 
Local: Pinacoteca Universitária, no Espaço Cultural Universitário Salomão de Barros Lima, Praça Visconde de Sinimbu, 206, Centro, Maceió
Data: 7 a 10 de março 
Horário: a partir das 19h 
Contato: pinaufal@gmail.com | (82) 3214-1545 
Site: www.ufal.br/pinacoteca

Ufal abre inscrições para curso Danças Poéticas da Índia

São 24 vagas ofertadas, destinadas a jovens e adultos acima dos 16 anos de idade
03/03/2017 às 13h09 - Atualizado em 06/03/2017 às 13h27

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

Quem é admirador da tradição indiana tem, agora, a oportunidade de entrar um pouco nesse universo, a partir da oferta do curso gratuito de extensão Natya Kavya – Danças Poéticas da Índia, vinculado à licenciatura em Dança da Universidade Federal de Alagoas. As inscrições são online e acontecem de 6 a 10 de março. São 24 vagas destinadas a jovens e adultos acima de 16 anos de idade, sendo 12 delas voltadas à comunidade externa e 12 a alunos e servidores da instituição.

A lista com os nomes dos contemplados será divulgada no dia 13, no tal da Ufal e na Coordenação do curso de Dança. As aulas já começam dia 14 de março. As atividades acontecerão sempre às terças-feiras, no horário das 12h15 às 13h30, no Espaço Cultural da Ufal, na Praça Sinimbu. O curso terá duração de oito meses, com encerramento marcado para 7 de novembro.

Quem vai ministrar as aulas será a professora do curso de licenciatura em Dança da Ufal, Joana Wildhagen. O conteúdo será composto de: padrões rítmicos [talas], gestual de mãos [mudras], unidades coreográficas [adavos] e expressão facial [abhinaya]. Mais informações pelo e-mail: joanaletras@hotmail.com.

SERVIÇO

O quê: curso de extensão Natya Kavya – Danças Poéticas da Índia
Inscrições: de 6 a 10 de março
Onde: Espaço Cultural da Ufal, na Praça Visconde de Sinimbu, s/n, Centro de Maceió
Gratuito

Intervenções educativas alertam para prevenção de LER/Dort

Atividades serão no HU durante três dias com profissionais de vários setores
03/03/2017 às 11h14
context/imageCaption

Intervenções educacionais serão realizas para vários setores do HU

Ascom Ufal

O Hospital Universitário promove, de 6 a 8 de março, a Semana de Prevenção e Combate à LER/Dort. A profissional de Educação Física Rosa Elisa fará intervenções de práticas educativas para os profissionais de vários setores do HU. Será uma hora de atividades, sempre das 10h às 11h.

No dia 6, os servidores da Divisão de Gestão de Pessoas (DIVGP), Setor de Gestão de Processos e Tecnologia da Informação (SGPTI), Faturamento e Financeiro poderão participar da ação. No dia 7 de março será a vez dos profissionais que trabalham na Gerência de Ensino e Pesquisa, Gerência de Atenção à Saúde e no Gabinete da Superintendência. Já no dia 8, as intervenções serão para a Gerência Administrativa, Divisão Administrativa e os setores Financeiro, Compras e Planejamento.  

Ufal e Governo do Estado se reúnem para estabelecer agenda de parcerias

Será definida uma pauta de prioridades para ser apresentada junto ao MEC
06/03/2017 às 09h42 - Atualizado em 07/03/2017 às 14h19
context/imageCaption

Reitora Valéria Correia e o presidente da Fapeal, Fábio Guedes

Ascom Ufal

A administração da Universidade Federal de Alagoas tem tomado uma série de iniciativas em busca de firmar parcerias para garantir a continuidade da expansão das atividades da instituição e contornar o período de contingenciamento de recursos.

Na última sexta-feira (3), a reitora Valéria Correia e o vice-reitor José Vieira se reuniram com o presidente e o diretor-executivo da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), Fábio Guedes Gomes e João Vicente da Costa Lima, respectivamente, para estabelecer uma agenda de parcerias e apoio entre Ufal, Governo Estadual e Ministério da Educação (MEC). 

“Em reunião anterior, conversamos com o governador sobre como o Poder Executivo do Estado poderia apoiar a instituição em pautas junto ao MEC. Na ocasião, ficou estabelecido que o presidente Fábio Guedes, que é professor da Ufal, seria o intermediador dessa agenda”, explicou a reitora.

Ainda de acordo com Valéria Correia, o início do processo de avaliação da expansão e interiorização da Universidade apresentará dados importantes que irão compor parte dessa agenda com o Ministério. “Iremos pensar com mais dados de realidade e agir diante das demandas com mais exatidão”, acrescentou.

Pinacoteca divulga contemplados pelo edital de exposições 2017

São três artistas, sendo uma de Minas Gerais, um da Paraíba e uma de Alagoas
03/03/2017 às 13h15 - Atualizado em 03/03/2017 às 13h20
context/imageCaption

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

A Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas já está com os novos projetos para exposições desse ano. O calendário começa no próximo mês de abril e os aprovados pelo edital 2017 são Do lado de lá, do lado de cá, de Eugênia França, de Minas Gerais; Nunca serei cinza, de Guto Holanda, da Paraíba; e Por trás do véu, de Patrícia Melro Bentes, de Alagoas.

Com mais essa seleção, a diretora Maria Christina Cavalcanti destaca que a Pinacoteca reafirma seu compromisso de difundir as manifestações artísticas que configuram a arte contemporânea. A escolha das exposições do novo calendário foi definidpor uma comissão formada por seis integrantes: Maria Christina Cavalcanti, a arquiteta professora do Centro de Tecnologia da Ufal, Ivvy Pessôa, o graduando do curso de Design, Rafael Almeida, e as artistas Eva Le Campion, Karla Melanias e Vera Gama.

A comissão elegeu as três melhores propostas para as mostras que serão realizadas em 2017, mas o calendário da pauta anual ainda está sendo definido e será divulgado posteriormente no sitewww.ufal.br/pinacoteca


Edufal reedita obra rara de 1902

‘Indicador Geral do Estado de Alagoas’ está de volta pela parceria entre Edufal, Imprensa Graciliano Ramos, Braskem, Fundação Casa do Penedo e Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas
06/03/2017 às 10h00 - Atualizado em 06/03/2017 às 11h51
context/imageCaption

Capa da obra reeditada pela Edufal

Márcia Alencar – jornalista

O Indicador Geral do Estado de Alagoas, de Craveiro Costa e Torquato Cabral, é uma obra, de 1902, referencial para os estudiosos que pretendam conhecer a fundo aspectos da formação socioeconômica e pela história social e cultural de Alagoas. Diversos intelectuais alagoanos apresentam neste livro dados históricos, geográficos e estatísticos do Estado, por meio de textos explicativos, mapas, tabelas, ilustrações e fotos. “É o almanaque mais importante do século 20. Atinge a transição de Maceió como cidade”, ressalta o professor e sociólogo Sávio de Almeida.

“A reedição fac-similar do Indicador Geral do Estado de Alagoas foi possível graças aos esforços coletivos de instituições e pessoas que se mobilizaram, repetindo o esforço e altruísmo de alguns que se dedicaram ao empreendimento, dirigido por Craveiro Costa e Torquato Cabral e efetivado pelos editores Ramalho e Murta”, destaca a professora Rachel Rocha, do curso de Ciências Sociais da Ufal. Além de trazer a escrita de Craveiro Costa em alguns capítulos, tem a autoria de Hugo Jardim, Diegues Junior, Affonso de Mendonça, Francisco Izidoro, Alfredo Rego, Eusébio de Andrade, Goulart de Andrade, Adriano Jorge e João Alberto Ribeiro.

“Da vida nos engenhos às cidades, das artes aos ofícios disponíveis em Alagoas, o livro é capaz de nominar um por um parte dos seus cidadãos, do juiz ao coveiro, do artista ao soldado, elecando profissões, lugares, costumes, pessoas e coisas, apontando elementos desse espaço alagoano em formação. É uma obra referencial”, ressalta o professor da Ufal e antropólogo Bruno César Cavalcanti.

Dos editores Ramalho e Murta chama a atenção logo no prefácio do livro o texto: “Vae correr mundo o Indicador Geral do Estado de Alagoas. No gênero é o primeiro trabalho que surge das artes graphicas alagoanas. Repositório de informações minuciosas, largas e utilíssimas sobre todos os ramos da actividade humana no nosso caro torrão natal. Vem preencher, segundo pensamos e muitos reconhecem, uma grande lacuna, tornando-se fonte copiosa de tudo quanto diz ao nosso desenvolvimento, tomado o termo em sua accepção total - progresso, moral e material”. A capa é assinada pelo artista plástico Rosalvo Ribeiro e, à época, Alagoas contava apenas com 34 municípios (dos atuais 102), governada por Euclides Vieira Malta.

O livro pode ser encontrado na sede da Edufal, no Campus A.C. Simões, em Maceió; nas extensões da Edufal no Espaço Cultural, Centro da cidade, e em Delmiro Gouveia, no Campus do Sertão. Também à venda no site da editora.

 

 

Consuni começa a avaliar propostas de mudanças no Estatuto da Ufal

Relatório com sugestões de modificações será apresentado nesta segunda (13)
13/03/2017 às 11h46 - Atualizado em 14/03/2017 às 12h47
context/imageCaption

Consuni vai deliberar sobre mudanças no Estatuto e Regimento da Ufal

Thâmara Gonzaga - jornalista

Apresentar, avaliar e deliberar sobre o relatório que apresenta as propostas de alteração no Estatuto e Regimento da Universidade Federal de Alagoas. Essa é a pauta da reunião extraordinária do Conselho Superior da Ufal (Consuni), com início marcado para as 14h desta segunda-feira (13).

Para a reitora Valéria Correia, as mudanças buscam “garantir a representatividade da comunidade acadêmica”. “O compromisso dessa gestão é possibilitar que todas as unidades da Ufal tenham assento, voz e direito a voto na instância maior da Universidade”, destacou.

Segundo o vice-reitor José Vieira, o relatório será apresentado pelo Grupo de Trabalho (GT) que ficou encarregado de continuar as atividades iniciadas em 2015, mas que não foram concluídas. Responsável por coordenar as atividades do GT, Vieira destaca que esse é um momento importante para a vida institucional da Ufal. “O relatório, que será apreciado a partir de hoje pelo Consuni, tem importância vital para a Universidade, haja vista que, a modo de correlação, o Estatuto está para a Ufal assim como a Constituição está para o Estado Brasileiro”, ressaltou.

Ainda de acordo com o vice-reitor, “as mudanças vão modernizar e adequar o Estatuto a uma série de demandas, não só em relação à existência institucional dos campi do interior e sua representação no Consuni, mas também pela inclusão do NDI [Núcleo de Desenvolvimento Infantil], da Cied [Coordenadoria Institucional de Educação a Distância], da ETA [Escola Técnica de Artes], e pela normatização da questão das pró-reitorias”, argumentou.

Grupo de Trabalho

O GT, instituído em abril de 2016, deu continuidade à sistematização do conjunto de modificações do estatuto e regimento geral, aprovadas pelo Conselho nos dias 10 e 16 de março de 2015, e que ainda necessitam de regulamentação e finalização no Consuni.

“Frente à necessidade de uma maior atenção para as demandas da interiorização, a nova gestão optou por sugerir a inclusão de novos membros no GT, diante da desistência de alguns da primeira formação, criando assim uma nova formatação que incluísse de modo mais apropriado e representativo os campi do interior”, explicou Vieira.

Reitoria Itinerante participa da mobilização do Dia Internacional da Mulher

A reitora Valéria Correia e integrantes da gestão acompanharam a caminhada pelo Centro de Maceió
09/03/2017 às 09h26 - Atualizado em 10/03/2017 às 11h36
context/imageCaption

Reitora e integrantes da Gestão participaram da mobilização

Lenilda Luna - jornalista

No Dia Internacional da Mulher, 8 de março, a Reitoria da Universidade Federal de Alagoas transferiu-se para as ruas de Maceió. A reitora Valéria Correia, pró-reitoras e demais integrantes da equipe de gestão juntaram-se às técnicas e docentes da Ufal na mobilização em defesa dos direitos das mulheres e por uma sociedade sem violência e sem discriminação.

A concentração aconteceu às 9h, na praça Sinimbú, com a participação dos sindicatos que representam os trabalhadores da Ufal, como Sintufal e Adufal, os núcleos de Pesquisa Mulher e Cidadania, que tem à frente a professora Elvira Barreto, e Frida Kahlo, sob a coordenação da professora Andréa Pacheco. Outras representações feministas também marcaram presença, como as mulheres trabalhadoras rurais, o coletivo Afrocaeté e o Movimento de Mulheres Olga Benario.

As mulheres caminharam pelas ruas do Centro até o antigo Produban, no calçadão, e concluíram a caminhada em frente ao INSS, onde protestaram contra a proposta de aumentar a idade de aposentadoria das mulheres de 60 para 65 anos, prevista na Reforma da Previdência. A reitora Valéria Correia participou de todo o percurso. "A Universidade, que é liderada por mulheres, precisa estar presente nas ruas nesse dia de luta contra a violência à mulher e contra a cultura do estupro", ressaltou a reitora.

À noite, a reitora ainda participou de um debate sobre o dia Internacional da Mulher na unidade da Ufal em Santana do Ipanema, Campus do Sertão. Ela integrou a mesa ao lado da docente Ana Cristina Santos, com a participação de Flávio Domingos, pró-reitor de Gestão Institucional,  e Rafael Rodrigues, coordenador geral da Unidade.

Lançamento do comitê de combate à violência inicia programação do Dia da Mulher

Evento conta com uma série de atividades até a próxima sexta-feira
06/03/2017 às 13h41 - Atualizado em 07/03/2017 às 17h07
context/imageCaption

Lançamento do Comitê de Combate à Violência contra Mulheres

Thâmara Gonzaga - jornalista

O lançamento do Comitê de Combate à Violência contra a Mulher, ao Racismo e à Homofobia, realizado nesta segunda-feira (6), marcou a abertura da programação do Dia da Mulher. O evento é promovido pela Coordenação de Qualidade de Vida no Trabalho da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas da Ufal (CQVT/Progep) e conta com uma série de atividades até a próxima sexta-feira.

“O comitê é uma forma de institucionalizar o diálogo sobre esse tema e reafirmar que a questão da violência contra a mulher não pode ser invisível para a sociedade”, defendeu a reitora Valéria Correia. “É preciso lutar contra a cultura do assédio moral, sexual e estupro na sociedade e nos espaços da universidade”, acrescentou ao lembrar da importância da presença feminina em cargos de decisão. “Tenho o orgulho de dizer que, na nossa gestão, temos muitas mulheres em cargos decisivos”, destacou.

A pró-reitora de Gestão de Pessoas (Progep), Carolina de Abreu, também participou do evento e reforçou a importância da comissão. “Na Ufal, de 1.600 técnicos, mil são mulheres; no quadro de docentes, 45% são professoras. Somos muitas nessa instituição e é inadmissível o desrespeito. É preciso tocar no assunto e combater o problema do assédio moral, da violência verbal e comportamental”, ressaltou. “Toda negação de direito é violência e não se pode naturalizar”, completou a professora Silvana Medeiros, pró-reitora Estudantil (Proest).

Segundo a professora do curso de Serviço Social e líder do grupo de pesquisa Frida Kahlo, Andrea Pacheco, o comitê atuará em duas dimensões: uma parte pedagógica, com pesquisas, propostas de oficina e palestra; e a assistencial, com direcionamento psicológico, jurídico e na área da saúde. “As pessoas que sofrem alguma violência ficam muito fragilizadas e desistem de buscar ajuda. Por isso, a importância desse direcionamento”, explica. “Queremos combater a cultura do estupro, do racismo, machismo e da homofobia, ou seja, opressões que acontecem em muitos espaços da sociedade”, concluiu a professora Andrea.

A programação da CQVT tem apoio das entidades sindicais Sintufal e Adufal, e continua com atividades variadas, conforme anexo. Na quarta-feira (8) haverá um Ato Político de enfrentamento das opressões, violências e retrocessos, com uma caminhada iniciando da Praça Sinimbu, às 9h.

A Assessoria de Comunicação da Ufal também lançou uma campanha para as redes sociais. Durante esta semana, use a #MulheresNaUfal para publicar fotos no Instagram. Mostre personagens e atitudes que representam a data em homenagem às mulheres.

Operação 'Down um Sorriso' leva alegria e cuidados no próximo dia 13

Campanha é realizada pela Foufal e atende crianças com Síndrome de Down
07/03/2017 às 08h46 - Atualizado em 10/03/2017 às 11h24
context/imageCaption

Arte de divulgação

Redação Ascom

O Dia Internacional da Síndrome de Down é comemorado em 21 de março. Para lembrar a data a Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Alagoas (Foufal) realiza, na próxima segunda-feira (13), das 8h às 13h, a operação Down um Sorriso. A campanha deve promover ações de saúde bucal e dar visibilidade à Síndrome de Down atendendo crianças de 0 a 12 anos com este diagnóstico.

Segundo a equipe de organização da campanha, o movimento também tem o objetivo de combater o preconceito. “As crianças com síndrome de Down são muito alegres, felizes e com um potencial imenso! Assim, os cuidados devem ter início o mais cedo possível para que o máximo possa ser alcançado, pois isso fará enorme diferença no futuro da criança e o dentista faz parte dessa equipe de saúde”, explica a professora Patrícia Nascimento, coordenadora da campanha.

A operação Down um Sorriso deve ainda orientar sobre prevenção de doenças bucais, alimentação saudável e técnica de higiene bucal, além de realizar exame odontológico nas crianças participantes. “A coleta de dados será o passo inicial para que se possa conhecer o perfil da condição bucal das crianças com Síndrome de Down do nosso estado a fim do planejamento de ações futuras”, conta a professora. A Operação Down um Sorriso também visa engajar a comunidade acadêmica e chamar a atenção da sociedade para a causa da Síndrome.

“O estado de Alagoas ainda apresenta carência no atendimento odontológico de pessoas com deficiência, e também são insuficientes as informações sobre as reais necessidades odontológicas das crianças com Síndrome de Down, o que dificulta, inclusive, a proposição de políticas e metas para ampliar e aprimorar a rede de atendimento a essas pessoas”, avalia Patrícia.

Em outubro, Maceió será sede do 8º Congresso sobre Síndrome de Down, evento que deve contemplar a  grande diversidade de temas para debates, reunindo os múltiplos aspectos que instrumentalizam as pessoas com Down, seus familiares e profissionais a exercitarem a prática inclusiva como forma de conquistar a desejada cidadania para esse grupo de indivíduos, em respeito aos princípios constitucionais da igualdade, solidariedade, dignidade e cidadania.

Morre jornalista que encabeçou implantação de curso na Ufal

José Aldo Ivo morreu aos 84 anos; sepultamento será nesta terça-feira
07/03/2017 às 09h20 - Atualizado em 07/03/2017 às 09h35
context/imageCaption

Aldo Ivo lutou pela implantação do curso de Jornalismo na Ufal

Ascom Ufal

O jornalismo e a crônica esportiva alagoana perderam, nesta segunda-feira (6), José Aldo Ivo, aos 84 anos. O jornalista deixou sua marca na história da Universidade Federal de Alagoas ao lutar pela implantação do curso de Jornalismo na década de 80, quando era presidente do sindicato.

O velório está sendo realizado no cemitério Campo Santo Parque das Flores, localizado na Av. Durval de Góes Monteiro, s/n, em Maceió. O sepultamento será nesta terça-feira (7), a partir das 11h. "A sociedade perde muito com a partida de Aldo Ivo, profissional combativo na luta pelo jornalismo independe e imparcial", lamentou a reitora Valéria Correia.

Aldo Ivo fez uma carreira de 67 anos dedicados ao exercício da profissão. Torcedor do Botafogo Futebol e Regatas, a crônica esportiva foi seu primeiro berço no jornalismo e já aos 17 anos fazia coberturas de jogos de futebol. Só depois ele se dedicou a outras editorias.

No extenso currículo destacam as passagens como diretor geral e diretor de divulgação do Diário Oficial de Alagoas, redator do jornal O repórter, presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Alagoas (Sindjornal), presidente da Associação dos Cronistas Desportivos de Alagoas (ACDA) – entidade representante da Imprensa Esportiva no Estado (1963/1966); e conselheiro da Fundação Alagoana de Promoções Esportivas (Fape).

O jornalista também foi conselheiro do Serviço Social do Comércio (Sesc), presidente da seccional Alagoas da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo (Abrajet), assessor de comunicação da Federação das Indústrias do Estado do Alagoas (Fiea) e redator da página de Turismo do Jornal Tribuna do Sertão.

Aldo Ivo deixa cinco filhos, oito netos e quatro bisnetos. O jornalista era tio do professor Jasiel Ivo, da Faculdade de Direito da Ufal.

'Open Data Day' começa nesta sexta com palestras, oficinas e hackathon

Evento tem apoio da Ufal e deve promover a discussão sobre uso de dados abertos
08/03/2017 às 08h00 - Atualizado em 07/03/2017 às 12h15
context/imageCaption

Arte de divulgação

Redação Ascom

A edição local do Open Data Day (Dia Internacional dos Dados Abertos), que será realizada nos dias 10 e 11 de março, tem apoio da Universidade Federal de Alagoas. O evento acontece na Estácio Fal, no bairro da Jatiúca, e deve promover ampla discussão e apresentar experiências de uso dos Dados Abertos para a promoção da transparência, por meio da inovação utilizando dados abertos.

As edições do Open Data Day buscam apresentar o conceito e o amplo ecossistema em torno dos dados abertos; engajar a sociedade a desenvolver aplicativos, criar visualizações e análises sobre os dados abertos que permitam a criação de negócios e serviços inovadores bem como o melhor acompanhamento das atividades do governo.

Para a edição Maceió, são aguardados pesquisadores, estudantes, ativistas, jornalistas, profissionais de diversas áreas como tecnologia, administração, economia, geografia, empresários e empreendedores e representantes do setor público local. O evento contará com palestras, oficinas e hackathon.

No primeiro dia os participantes conhecerão os conceitos de Dados Abertos e projetos existentes. Todas as palestras serão ministradas por especialistas que possuem vasta experiência na área. Já estão confirmados os seguintes palestrantes: o deputado estadual Rodrigo Cunha, o professor da Ufal Ig Ibert Bittencourt, o professor Armando Barbosa Sobrinho e profissionais da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio.

No segundo dia ocorrerá o hackathon com um foco na promoção da transparência. Para auxiliar as equipes da competição, os órgãos publicadores de dados prestarão mentoria técnica e de negócio. As soluções desenvolvidas serão apresentadas a uma banca avaliadora e a melhores soluções serão premiadas. Durante o hackathon ocorrerão também sorteios de brindes.

Dados Abertos

São dados que qualquer pessoa pode livremente usar, reutilizar e redistribuir, estando sujeito a, no máximo, a exigência de creditar a sua autoria e compartilhar pela mesma licença. Tais dados devem ser disponibilizados em formatos computacionais abertos e processáveis por máquina, ou seja, que não possuam restrição tecnológica para serem usados e que possam ser lidos por softwares computacionais, ampliando o seu potencial de uso e cruzamento com outras bases de dados para geração de informação e conhecimento.

A publicação de dados abertos é uma obrigação do Poder Público Brasileiro, conforme o Art.º 8 da Lei Federal de Acesso à Informação, conhecida popularmente como LAI. O Dia Internacional de Dados Abertos Internacionalmente, o Open Data Day foi uma iniciativa da Open Knowledge Foundation (Fundação para o Conhecimento Livre) desde 2011.

A edição 2017 já tem mais de 125 cidades do mundo (em todos os continentes) confirmadas. No Brasil, o evento será realizado em Brasília/DF, Teresina/PI, São Paulo/SP, Curitiba/PR e Maceió/AL, com inscrições já encerradas.

Mais informações nos telefones (82) 99621-1639 ou 99934-6297 ou no site www.doity.com.br/oddmcz2017.

 

4

Ufal conquista medalhas em competição esportiva internacional

Evento foi realizado na praia de Pajuçara, em Maceió; atletas homenagearam estudantes vítimas de acidente com ônibus
03/04/2017 às 09h32 - Atualizado em 04/04/2017 às 10h26
context/imageCaption

Atletas da Ufal ganham troféu em competição internacional

Ascom Ufal

Alunos da Universidade Federal de Alagoas participaram do International University Beach Games, realizado entre os dias 28 de março e 1º de abril, em Maceió. A Ufal representou Alagoas com as equipes de Bech Soccer Feminino (Futebol de Areia), Beach Soccer masculino (Futebol de Areia) e a equipe de Beach Handball Masculino (Handebol de Areia).

O time masculino de handebol de areia conquistou a medalha de prata e a equipe do futebol feminino garantiu o pódio com a medalha de bronze para a Ufal.

A abertura do evento, na praia de Pajuçara, foi prestigiada por várias autoridades e pelo presidente da Confederação Brasileira de Desportos Universitários (CBDU),o professor Luciano Cabral, que foi ex-aluno da Universidade e docente substituto do curso de Educação Física.

A aluna Alycia Eduarda de Oliveira Silva, do curso de Geografia, proferiu o Juramento do Atleta, antes de dar início aos jogos na arena montada na orla de Maceió. Nas últimas partidas da competição os atletas da Ufal entraram com tarjas pretas em sinal de luto pelos falecidos no acidente que envolveu dois ônibus que transportavam alunos da Ufal e Uneal.

“Contamos sempre com a presença de vários alunos da Ufal torcendo de forma ordeira e pacífica. Quero fazer um agradecimento especial aos professores José Leandro Tavares da Costa, Luigi Alpino e Antônio Paulo Pacheco Bidart, respectivamente técnicos colaboradores do Futebol de Praia Feminino, Futebol de Praia Masculino e Handebol de Praia Masculino”, destacou Francisco de Assis Farias, gerente de Esportes da Pró-reitoria Estudantil (Proest).

Sesc faz parceria com Ufal para realização do Palco Giratório

Apresentações artísticas e oficinas serão realizadas no Espaço Cultural, na Praça Sinimbu
03/04/2017 às 09h39

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

A edição do Palco Giratório deste ano terá a parceria da Universidade Federal de Alagoas e, com isso, parte da programação acontecerá no Espaço Cultural, na Praça Visconde de Sinimbu. O projeto é uma ação do Departamento Nacional do Sesc e busca promover a descentralização e a difusão das produções cênicas no país. O evento acontecerá de 6 a 20 de abril, pela manhã, à tarde e à noite.

De acordo com o coordenador de Assuntos Culturais da Ufal, Ivanildo Piccoli, essa parceria com o Sesc-Alagoas é muito importante, uma vez que várias apresentações artísticas e oficinas serão realizadas dentro do espaço da Universidade. Para ele, essa interação é muito positiva.

A programação completa do evento está disponível no site do Sec-Alagoas, mas, logo abaixo, você confere o que vai acontecer no Espaço Cultural da Ufal. Serão quatro oficinas e cinco espetáculos e performances:

Dia 6 de abril – apresentação do espetáculo Lete, da Beradera Companhia de Teatro. Será na Sala Preta, às 19h;

Dia 7 de abril – oficina de teatro Jogo, presença e centelha de vida, das 10h às 13h e das 14h às 17h. A proposta é capacitar o ator para atuar com verdade cênica, percepção estética, domínio das emoções e prontidão para o jogo;

Dia 8 de abril – espetáculo teatral Caranguejo Overdrive, da Aquela Cia de Teatro, do Rio de Janeiro. Na Sala Preta, às 19h;

Dia 10 de abril – espetáculo de circo Palafita, do Grupo Fuzuê, do Ceará. Também na Sala Preta, às 19h;

Dia 13 de abril – performance DNA de DAN, do Grupo Maikon K, do Paraná. No estacionamento do Espaço Cultural, às 17h;

Dia 14 de abril – performance Corpo Ancestral, também com o Grupo Mikon K. Na Sala preta, às 18h;

Dia 15 de abril – oficina de performance Corpo Abismo – práticas de presença, na Sala Preta, das 10h às 13h e das 14h às 17h;

Dia 18 de abril – oficina de teatro Processo de revelação, também na Sala Preta, das 10h às 13h e das 14h às 17h;

Dia 20 de abril – oficina de performance Corpo presente, na Sala Preta, das 10h às 13h e das 14h às 17h.

Mais informações no Assessoria de comunicação do Sesc Alagoas, pelo telefone 2123-2437.

Proex convoca classificados para 2ª etapa da seleção do Pré-Enem Comunitário

Candidatos a novos bolsistas passarão por entrevista e vão ministrar aula para banca
03/04/2017 às 10h20
context/imageCaption

Confira a lista de classificados na 1ª etapa

Ascom Ufal

O Programa Conexões de Saberes da Universidade Federal de Alagoas, vinculado à Pró-reitoria de Extensão (Proex), divulgou a lista de selecionados para a segunda etapa do processo seletivo dos novos bolsistas do projeto Pré-Enem Comunitário.

A próxima etapa terá caráter classificatório e o candidato vai participar de uma entrevista e ministrar uma aula que será avaliada por uma banca examinadora. Os selecionados devem comparecer no dia, horário e local estabelecidos no resultado.

Mais informações pelo 3214-1091.

Confira aqui os classificados.

Reitora solicita celeridade na apuração de denúncias envolvendo mestrado

Valéria Correia encaminhou pedido à Corregedoria da Ufal para iniciar investigação
04/04/2017 às 10h41 - Atualizado em 05/04/2017 às 12h02
context/imageCaption

Gestão solicita apuração de denúncias envolvendo mestrado em Administração

Ascom Ufal

Preocupada com as denúncias envolvendo o Mestrado Profissional em Administração Pública (Profiap), a reitora Valéria Correia solicitou à Corregedoria da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) que fossem iniciados os procedimentos correicionais, para apurar as acusações direcionadas ao programa de pós-graduação e assim tomar as providências legais cabíveis, caso as denúncias sejam ratificadas. Denúncias de supostas irregularidades no processo seletivo foram publicadas na sexta passada (31), no Portal Diário do Poder.

Constam na matéria acusações de que alunos especiais ingressaram e avançaram no curso em contraposição ao que determinam editais e normas do Profiap. "Trata-se de uma situação grave, que coloca o nome de uma instituição reconhecida como a Ufal em xeque. Por isso, agimos para que as apurações necessárias sejam feitas, através de nossas instâncias administrativas, seguindo a prática de transparência e legalidade dos atos praticados nesta Universidade", destacou a reitora.

A gestora da Ufal pediu celeridade no trâmite processual, para que a situação seja logo esclarecida, como pode ser visto no fragmento do texto enviado à Corregedoria da Ufal (processo número 23065009739/2017-84): "Guiando-nos sempre pelo princípio da transparência e da publicidade, com a garantia do devido processo legal, do contraditório e da ampla defesa, recomendamos a devida celeridade processual, a fim de que, com brevidade, possamos esclarecer os fatos à comunidade universitária, científica, e perante a população alagoana".

Seleção do Profiap é nacional

O Profiap é um mestrado profissional em Administração Pública, em rede nacional, cujo edital de abertura de vagas e os exames de acesso são realizados via Exame Nacional de Acesso, com teste da Anpad (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Administração). O cumprimento dos requisitos dos editais para alunos regulares e especiais ficam sob a responsabilidade de cada Programa.

O coordenador local do Profiap, professor Claudio Zancan, enviou ofício para o presidente do Comitê Gestor Nacional do Programa de Pós-graduação, Dario de Oliveira Lima Filho, com o detalhamento das informações citadas na denúncia, visando dar publicidade e esclarecimentos técnicos sobre os processos de seleção utilizados no curso. O diretor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac), professor Anderson de Barros Dantas, também ingressou com uma solicitação de apuração das denúncias junto à Corregedoria. Na sexta passada, ele havia se manifestado sobre o caso, quando publicou uma nota de esclarecimento.

Veja o conteúdo do ofício e da nota nos anexos.

Sessões de cinema vão fazer reflexão sobre questões ambientais

Primeiro filme exibido abordará problema de saneamento básico
03/04/2017 às 10h38
context/imageCaption

Convite de divulgação

Manuella Soares - jornalista

Cinema e debate. Essa combinação é a essência do projeto Cine Ambiental, desenvolvido por alunos da disciplina Projetos Integradores 1, do curso ´de licenciatura em Ciências Biológicas da Ufal. Serão realizadas três sessões cinematográficas acompanhadas de discussões sobre questões ambientais atuais na cidade de Maceió.

A primeira sessão está marcada para a próxima sexta-feira (7), às 15h, no Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS), com o tema Saneamento básico.  Os próximos encontros serão nos dias 14, para discutir Resíduos sólidos; e 24, com o debate sobre Educação ambiental.

O projeto tem o objetivo de trabalhar a percepção ambiental dos estudantes desenvolvendo um debate saudável e estimulando a participação de todos para a interação na temática.

“Esperamos que não somente possamos proporcionar um momento para discutir os problemas que generalizadamente todos entendemos, mas leva-los a refletir além do senso comum, identificar as diferentes concepções em cada fase do ensino, valorizando o saber lúdico de cada um”, ressaltam os participantes do projeto.

Fórum vai debater questões do setor de mineração em Alagoas

Grupo de Extensão da Ufal está na organização do evento que acontece no dia 7, em Murici
04/04/2017 às 08h00 - Atualizado em 03/04/2017 às 11h29
context/imageCaption

Arte de divulgação

Manuella Soares - jornalista

O Grupo de Extensão de Engenharia e Segurança do Trabalho (Geest/Ufal) promove o Fórum da Mineração de Alagoas, em parceria com a Prefeitura de Murici e a Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Turismo de Alagoas (Sedetur). O evento será na próxima sexta-feira (7), no auditório da Prefeitura de Murici.

O Fórum vai abordar informações sobre a regularização nas pedreiras, segurança do trabalho e possíveis aprimoramentos no setor de mineração de granito do Estado. Representantes de diversos órgão estarão presentes, como Sedetur, Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Instituto do Meio Ambiente (IMA) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

A programação conta com discussões sobre regulamentação dos trabalhadores de cooperativas; fiscalização nas pedreiras clandestinas; licenciamento; tributação; ações para fomentar o setor mineral; e o granito no mercado arquitetônico, entre outros temas.

“A realização do Fórum é de muita importância para nós, pois nos permite apesentar os resultados que o Geest obteve junto à Cooperpedras, cooperativa que abrange os municípios de Murici, União dos Palmares e Branquinha”, ressaltou Stacyly Cristine, diretora financeira do Grupo.

Pesquisadores já podem submeter projeto de pesquisa ao edital Pibic 2017-2018

Serão aceitas inscrições até 2 de maio
04/04/2017 às 09h57 - Atualizado em 04/05/2017 às 13h18

Ascom Ufal

Docentes e pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas já podem submeter propostas para o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic). Conforme edital do processo, com vigência para o período 2017-2018, para concorrer às bolsas de iniciação científica e iniciação científica nas ações afirmativas, os professores devem inscrever e submeter o projeto de pesquisa até 2 de maio.

Cada proponente pode apresentar apenas um projeto de pesquisa, vinculado à unidade acadêmica ou campus onde esteja lotado. A proposta deve ser encaminhada, exclusivamente, por meio do sistema Pibic, disponível neste link https://sistemas.ufal.br/pibic/, anexando a lista de arquivos e documentos especificada no edital.

A Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep) da Ufal, por meio da sua Coordenação de Pesquisa (CPq), é responsável pela coordenação do Programa.

Iniciação científica do estudante

Por meio do edital Pibic, estudantes também participam dos projetos de pesquisa coordenados pelos docentes da Ufal.

O orientador do projeto só pode inscrever, como bolsista ou colaborador, estudantes de graduação regularmente matriculados e que não estejam inadimplentes com a Universidade referente a outros editais encerrados ou em vigência.

O estudante que fizer jus ao benefício da bolsa de iniciação científica receberá, durante 12 meses, sendo a vigência de 1º de agosto de 2017 a 31 de julho de 2018, uma mensalidade no valor de R$ 400 que estará sujeita a alterações pelas agências de fomento.

Para mais informações, confira o edital retificado.

Grupo de Extensão promove caminhadas para comunidade universitária no Campus A.C. Simões

Iniciativa é de professores e alunos dos cursos de Educação Física, Ciências Biológicas e Nutrição
04/04/2017 às 08h00 - Atualizado em 05/04/2017 às 12h07
context/imageCaption

Alunos se alongam antes da caminha em frente ao CIC

Janaina Alves - relações públicas 

Ter um tempo para se exercitar em meio aos compromissos do dia a dia nem sempre é possível. Pensando nisso, professores e alunos dos cursos de Educação Física, Ciências Biológicas e Nutrição desenvolveram o projeto de extensão Ciclos Vitais, que consiste em oferecer à comunidade universitária caminhadas, avaliação física e nutricional.

De acordo com a professora Ana Rosa, do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS), o que ensejou a criação do projeto foram as queixas dos colegas e alunos que não encontravam tempo para a prática de exercício ou de esporte. "O projeto também é uma oportunidade de além de cuidar da saúde, promover a interação entre as pessoas aqui na Ufal", disse. 

A proposta é trazer para dentro do campus um momento para cuidar do corpo e da mente, com a prática de um exercício simples e que ao mesmo tempo traz inúmeros benefícios para a saúde. Também participam do projeto o Centro de Educação (Cedu), representado pela professora Socorro Dantas, do curso de Educação Física; e a Faculdade de Nutrição (Fanut), com o professor Ciro Rego Júnior.

O projeto vai além da prática do exercício, propondo a coleta e análise de dados dos participantes para uma posterior avaliação dos benefícios alcançados. Amostras de colesterol e perfil lipidêmico serão colhidos e analisados pela professora Priscila Guimarães, do ICBS e conta com a parceria da Coordenação de Qualidade de Vida no Trabalho (CQVT), ligada à Progep.

O propósito do grupo é transformar o projeto num programa de promoção à saúde da instituição que aconteça de forma perene e possa atender mais pessoas. "Nós gostaríamos que daqui saísse também um grupo de corrida", completou Ana Rosa. 

Como fazer para participar

Alunos, servidores e comunidade em geral que queiram fazer parte do grupo precisam frequentar os encontros que acontecem às segundas, quartas e sextas-feiras, às 16h30, em frente ao Centro de Interesse Comunitário (CIC). Sempre antes da caminhada o grupo faz uma série de alongamento.

Pinacoteca da Ufal apresenta mostra inédita da mineira Eugênia França

A exposição traz reflexão e crítica ao elitismo e seu consumismo exacerbado
03/04/2017 às 16h54 - Atualizado em 04/04/2017 às 11h06
context/imageCaption

Eugênia França

Simoneide Araujo com Ascom Pinacoteca

Nesta terça-feira (4), a Pinacoteca da Universidade Federal de Alagoas apresenta a nova exposição “Do lado de cá, do lado de lá”, da mineira Eugênia França. A abertura oficial será às 20h, com entrada gratuita. A visitação da mostra começa no dia 5 de abril e vai até 19 de maio.

A artista plástica traz uma reflexão sobre a relação ingênua da criança com o objeto, que resulta em afeto desinteressado. “São meninas de periferia, que apesar de fazerem parte da realidade do nosso País, causam estranhamento ao serem representadas com suas bonecas decrépitas. Isso uma sociedade onde as interações humanas são baseadas no poder econômico”, destacou.

Eugênia usa lonas velhas de caminhão como suporte para eternizar vestígios, rastros e histórias que compõem suas telas. Com seu trabalho, ela faz crítica ao elitismo e seu consumismo exacerbado, inclusive em seu método de produção, dando espaço para a reutilização da matéria.

É por meio de suas criações que Eugenia pretende demonstrar como o capitalismo é perverso ao excluir não apenas objetos considerados obsoletos, mas também seres humanos que não participam da lógica consumista. “A exposição propõe levantar uma discussão acerca do lugar que nós ocupamos na sociedade capitalista em que vivemos”, disse.

E completa: “As relações que estabelecemos com as pessoas e com os objetos apontam para a perpetuação do instituído, uma vez que nós somos repetidores de um sistema que geralmente não questionamos, o que reflete nas escolhas, nos papéis desempenhados e no lugar que ocupamos na sociedade”.

A artista

Eugenia França vive e trabalha em Contagem, Minas Gerais é graduada em Serviço Social pela PUC, especialista em terapia sistêmica pela Holon Espaço Dinâmico e Bacharel em Artes Plásticas pela UEMG. Participou de várias mostras coletivas em Belo Horizonte (MG), mas “Do lado de cá, do lado de lá.” é sua primeira individual e a Pinacoteca Universitária o primeiro museu de arte do circuito que a exposição fará no decorrer do ano. Os próximos museus serão nos estados do Maranhão e Santa Catarina.

SERVIÇO

Exposição: Do lado de cá, do lado de lá.
Local: Pinacoteca Universitária - Praça Visconde de Sinimbu, 206, 1o piso, Centro
Abertura: 4 de abril de 2017, às 20h
Visitação: 5 de abril até 19 de maio (segunda a sexta, das 8h30 às 18h).
Visitas em grupo agendadas pelo telefone (82) 3214 1545 ou pelo e-mail pinaufal@gmail.com.

Entrada gratuita

Serviço Social comemora 60 anos em Alagoas

Conquistas e desafios foram expostos ao analisar a contribuição da Ufal na história do curso
03/04/2017 às 17h34 - Atualizado em 04/04/2017 às 11h00
context/imageCaption

Prédio de Serviço Social (Fotos: Thiago Prado)

Rose Ferreira – jornalista colaboradora

Ao longo de seis décadas são muitas histórias de lutas, conquistas e contribuições. O ensino de Serviço Social em Alagoas começou em 1957, na Escola Padre Anchieta, e ganhou projeção com a criação do curso de graduação na Ufal. Desde a formação da primeira turma, na década de 70 até os dias atuais, a Universidade tem deixado sua marca no empenho à estruturação do curso, na oportunidade de ensino no interior, no destaque em pesquisas e parcerias, além de eleger a primeira reitora assistente social da história das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) do país.

“Somos o único curso que em seu código de ética tem o compromisso com a classe trabalhadora. Em tempos difíceis como o que vivemos, onde o preconceito e o conservadorismo voltam à tona com muita força no país, temos o desafio de reafirmar nossos princípios éticos. É nesse contexto que o Serviço Social e a universidade têm um papel fundamental de desvendar o real e se colocar também junto às lutas sociais e na defesa de uma sociedade mais justa e igualitária”, destacou a reitora Valéria Correia.

Desde 1993, a Ufal passou a ofertar o curso de Serviço Social no turno da noite, ampliando seu alcance. E a trajetória foi, recentemente, fortalecida depois da implantação do curso na unidade educacional de Palmeira dos Índios, ligada ao Campus Arapiraca, em 2006, e que, atualmente, tem conceito quatro na avaliação institucional do Ministério da Educação (MEC). 

A coordenadora na unidade de Palmeira, Marinês Coral, lembra que ao final de 2016, o curso tinha nove docentes, sendo quatro já doutores, três prestes a concluir o doutorado e dois mestres, o que evidencia a qualidade dos profissionais e da graduação no interior.

Os dados são comemorados pelo Centro Acadêmico Maninha Xucuru. “Palmeira dos Índios não é a unidade problema, como muitos já disseram; ao contrário, é a solução, por ter proporcionado o acesso da classe trabalhadora ao ensino superior”, ressaltou Lela Sobreiro, representante do CA de Palmeira dos Índios.

O caminho é traçado com muita dedicação para inserir o nome do curso no cenário nacional. A diretora da Faculdade de Serviço Social (FSSO), Rosa Prédes, conta que os projetos são muitos e mais conquistas virão. “Se é de batalhas que se vive a vida, a luta nos movimenta e a resistência nos fortalece, então é nessa perspectiva que a comissão está trabalhando, visualizando a possibilidade de lançamento de livros sobre os 60 anos de Serviço Social, com publicação do edital em breve. Esse ano ainda, vamos abrir o doutorado no curso; realizaremos um seminário; teremos participação efetiva na Bienal com lançamento de obras, debates etc; e promoveremos o 4º colóquio nacional e o 1º internacional”, pontuou Prédes, com entusiasmo.

Comemorações

No último dia 21, a direção da Faculdade de Serviço Social da Ufal (FSSO) organizou uma programação especial para comemorar os 60 anos do curso em Alagoas, no Campus A.C. Simões, em Maceió. O dia começou com um momento simbólico de plantio de uma muda de Pau-Brasil, em frente ao prédio da FSSO, e seguiu com uma mesa-redonda intitulada A contribuição da Ufal nos 60 anos do curso de Serviço Social em Alagoas, no auditório da Reitoria.

Ao se dirigir aos estudantes, Layana Farias, representante da Executiva Nacional dos Estudantes de Serviço Social e do Centro Acadêmico Rosa Luxembergo ressaltou a importância dos futuros assistentes sociais estarem comprometidos com o projeto ético-político do curso e com a classe trabalhadora, para que sejam cada vez mais uma categoria combativa e de luta. “Os tempos são sombrios; o momento pede organização, luta e resistência acima de tudo”, conclamou.

A representante do Cress-AL, Edmée Barros, fez uma retrospectiva histórica enfatizando o compromissos da profissão, que tem como princípio a defesa dos direitos humanos. “A luta pela qualidade da formação profissional ao longo dessas décadas e nos dias atuais tem sido um dos principais objetivos dessa categoria e o curso de Serviço Social de Alagoas, nesses 60 anos, formou profissionais que fizeram história e tem feito, na prática e na luta, pela divulgação dos direitos sociais no nosso Estado”, destacou.

Homenageada no evento, a reitora Valéria Correia reforçou o compromisso da Gestão com a estruturação da unidade educacional de Palmeira dos Índios e evidenciou a qualidade do curso, tanto na graduação, como no mestrado, relembrando fatos históricos. Também receberam homenagens as pioneiras da trajetória e os mais novos estudantes. 

Comunidade universitária do Campus Arapiraca presta homenagem às vítimas do acidente

Presentes vestiram-se de branco para a celebração do ato ecumênico
03/04/2017 às 17h41 - Atualizado em 05/04/2017 às 08h51
context/imageCaption

Presentes vestiram-se de branco em homenagem às vítimas

Redação Ascom

Esta segunda-feira (3), foi de  muita emoção no Campus Arapiraca. Estudantes, professores e técnicos vestiram-se de branco e realizaram uma solenidade em memória às cinco vítimas fatais do acidente ocorrido na última quinta-feira, dia 30 de março, entre dois ônibus escolares,  dos municípios de Teotônio Vilela e de Junqueiro, nas proximidades do município de São Sebastião.

Também estavam presentes ao ato ecumênico os  coordenadores e direção do Campus Arapiraca e professores de Psicologia e de Serviço Social da unidade de Palmeira dos Índios. A reitoria da  Ufal foi representada pela pró-reitora Estudantil,  Silvana Medeiros, pró-reitora de Extensão, Joelma Albuquerque, e professora Lígia Ferreira, do Neab. 

A foto foi registrada pela professora Marcia Silva e as informações enviadas por Adriana Adrião, da Comissão Geral do Centro Acadêmico A Voz da Enfermagem - CAVEn, do Campus de Arapiraca.

Ufal sedia 7º Encontro Estadual da Rede de Sementes da Resistência

Estiagem e salvaguarda das sementes crioulas são temas do evento
04/04/2017 às 17h24
context/imageCaption

Arte de divulgação do evento

Ascom Ufal

Nesta quarta e quinta-feira, 5 e 6 de abril, o Campus A. C. Simões da Ufal vai sediar o 7º Encontro Estadual da Rede de Sementes da Resistência.

O evento, a ser realizado no auditório da Reitoria, é aberto para toda comunidade acadêmica e demais interessados. Com o tema “Do chão do Semiárido brota a semente da resistência”, o encontro abordará debates sobre Os impactos da estiagem para a preservação e as estratégias de salvaguarda das sementes crioulas.

Pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas, Embrapa, Instituto Federal de Alagoas (Ifal), representantes do governo estadual, lideranças de organizações sociais, além de agricultores do Agreste, Bacia Leiteira, Médio e Alto Sertão e Zona da Mata participarão do evento.

O Encontro Estadual de Sementes da Resistência é realizado pela Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA Alagoas), com o apoio da Ufal e da Rede Alagoana de Agroecologia.

Sobre a ASA

Há 17 anos, a ASA Alagoas vem mobilizando comunidades no Semiárido e articulando políticas públicas que convergem para sustentabilidade da agricultura familiar e camponesa, que respeitem e reconheçam a importância da Região Semiárida para a manutenção da biodiversidade e multiplicação dos saberes e sabores populares, em especial, das sementes crioulas.

Confira a programação abaixo:

Consuni aprecia relatório da Fundepes e aprova calendário acadêmico de 2017

Sessão ordinária homenageou vítimas do acidentes com transportes escolares
04/04/2017 às 09h46 - Atualizado em 18/04/2017 às 18h17
context/imageCaption

A sessão foi iniciada com um minuto de silêncio pelas vítimas do acidente no agreste

Lenilda Luna - jornalista

A sessão ordinária do Conselho Universitário, realizada nesta segunda-feira (3), foi iniciada com o pedido de um minuto de silêncio, feito pela reitora Valéria Correia, em homenagem à memória das vítimas do acidente envolvendo dois ônibus de transporte de estudantes, ocorrido nas imediações do município de São Sebastião, na noite de quinta-feira, 30 de março. A Ufal decretou luto por três dias pela morte da aluna Débora Afra Borges Vasconcelos, do curso de Enfermagem do Campus Arapiraca.

Ainda nos informes, a reitora anunciou oficialmente o resultado das eleições para a direção do Campus do Sertão, parabenizando os eleitos: professores Agnaldo José dos Santos (diretor geral) e Thiago Trindade Matias (diretor acadêmico). Outra questão colocada nas informações iniciais, pela reitora, foi o esclarecimento sobre as providências que estão sendo tomadas para apurar denuncia envolvendo o Programa de Mestrado Profissional em Administração Pública (Profiap).

Valéria Correia destacou ainda a importante decisão do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que concedeu liminar na Ação Direta de Inconstitucionalidade suspendendo  a Lei 7.800/2016, de Alagoas, que instituiu o programa Escola Livre no Estado. A Lei foi criticada por vários setores da Educação, que a nomearam "Lei da Mordaça". "Os advogados da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino (Contee) fizeram menção ao documento aprovado neste Conselho Universitário com posicionamento contrário a essa Lei", destacou.

Após os informes iniciais, foram colocadas em discussão as atas das três sessões anteriores. A ata da sessão extraordinária realizada no dia 27 de março, que tratou especificamente sobre o relatório anual de Gestão e prestação de contas de 2016, foi a única que gerou questionamentos por parte dos conselheiros.  Foi destacada a necessidade de fazer os ajustes apontados durante a sessão ao texto do relatório, e feitos esclarecimentos à taxa de sucesso da instituição, com um aumento significativo no número de alunos que conseguiram concluir a graduação. Após algumas intervenções, a ata foi aprovada com dez abstenções.

Relatório de Gestão da Fundepes

O relatório da gestão da Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes) foi apresentado pelo diretor presidente, Gabriel Soares Bádue, que assumiu em março de 2016. A Fundepes é uma fundação de direito privado, sem fins lucrativos, que tem o papel de apoiar as ações de incentivo a pesquisa científica. O diretor destacou a fiscalização do Ministério Público, por meio da promotora Faildes Mendonça, que, como veladora da entidade, exigiu a adequação da situação financeira e orçamentária.

Na carta de apresentação do relatório, o diretor-presidente destacou a situação crítica em que encontrou o órgão. "Havia inclusive a ameaça de encerramento das atividades em meio ao cenário nacional de escassez de recursos e grave crise política e econômica, cujo fim ainda não é possível prever. Para tentar reverter este prognóstico, adotamos medidas austeras, de redução de pessoal, revisão de contratos, otimização da estrutura física e planejamento de metas diante da nossa realidade", destacou Gabriel Bádue.

Os conselheiros fizeram alguns questionamentos e também parabenizaram a gestão pelo compromisso de conduzir a Fundepes com transparência e apresentando mudanças que visam fortalecer o papel da entidade na consolidação da pesquisa científica em Alagoas. "A Fundepes passou por um enxugamento, mas ainda tem um papel fundamental em Alagoas e tem o reconhecimento da comunidade científica no Estado", destacou o vice-reitor da Ufal, José Vieira, que faz parte do conselho deliberativo da Fundepes.

O vice-diretor executivo, professor Gerson Guimarães, ressaltou o empenho da atual Gestão em superar as dificuldades para que a entidade possa ter resultados melhores nos próximos anos. "Estamos mantendo o apoio às iniciativas importantes e queremos ampliar o nosso leque de atuação", destacou. Após várias manifestações dos conselheiros universitários, o Relatório de Gestão 2016 da Fundepes, já aprovado no conselho da entidade, foi ratificado por unanimidade pelo Consuni.

Calendário Acadêmico de 2017

Visando adequar as atividades acadêmicas, após as greves e ocupações que ocorreram nas Universidades Públicas Federais, em 2016, foram apresentadas duas propostas, elaboradas pela Pró-reitoria de Graduação (Prograd), garantindo 200 dias letivos por ano e os sábados letivos. O Fórum dos Colegiados acatou preferencialmente a proposta de calendário unificado para os três campi da Ufal. 

A proposta encaminhada pela Câmara Acadêmica foi debatida e questionada por vários conselheiros, que manifestaram a preocupação tanto com a condição de trabalho e de férias para os professores como a garantia de proporcionar aos alunos o recesso em janeiro e um ajuste que permita a regularização do ano letivo dentro do ano civil em um futuro breve. Foi apresentada outra proposta, com algumas diferenças, principalmente na data de início do período 2017.2.

Por 19 votos, a proposta 1 foi aprovada, contra 12 votos para a segunda proposta e cinco abstenções. Dessa forma, pelo calendário acadêmico aprovado, as aulas do período 2017.1 serão iniciadas em 5 de julho em Maceió, Viçosa e Santana, e no dia 31 de julho, em Arapiraca, Palmeira, Penedo e Delmiro.

Confira o Calendário 2017:

 

Pibid seleciona professores supervisores e estudantes bolsistas

Inscrições vão até esta quarta-feira (5)
04/04/2017 às 09h15 - Atualizado em 05/04/2017 às 12h05

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) está com inscrições abertas até a próxima quarta-feira, 5 de abril, para seleção de professores supervisores (Edital 07/2017) e estudantes bolsistas (Edital 08/2017).  As inscrições podem ser feitas por e-mail. Os candidatos devem encaminhar a ficha de inscrição e  as cópias dos documentos solicitados.

Já no dia 13 de abril será divulgado o resultado com a lista dos candidatos aprovados no limite de vagas, que serão convocados a assinar documentação no mesmo dia. Os demais candidatos aprovados serão cadastrados como banco de reserva.

As vagas para docentes serão distribuídas para escolas de Maceió e Matriz de Camaragibe, e envolvem os cursos de Educação Física, Filosofia, Geografia, História e Pedagogia. Podem concorrer à bolsa no valor de R$ 765 mensais, professores licenciados e em efetivo exercício docente, nas áreas previstas no edital, e que atuem na educação básica.

A seleção será feita em etapas, onde primeiro é feita a análise da carta de intenções, justificando as razões e interesses pessoais diversos em participar do Programa; entrevista; e análise de currículo.

Estudantes

Os estudantes que se interessarem em participar do Pibid devem estar matriculados nos cursos de Biologia, Educação Física, Filosofia, Letras/Inglês, Pedagogia e Química. As vagas serão distribuídas em escolas de Maceió, Arapiraca, Delmiro Gouveia e Matriz de Camaragibe. Além disso, o aluno deve estar cursando entre o 2° e o 6° período do curso, e terá atividades em carga horária de oito horas semanais, com bolsa no valor de R$ 400.

Os documentos necessários para a inscrição de estudantes são: formulário de inscrição, cópia do comprovante de matrícula, histórico escolar analítico, cópia do RG e CPF, e carta de intenções sobre a participação no Programa. A seleção também será feita em etapas; primeiro serão analisados o histórico escolar e a carta de intenções. Após as duas etapas, que são eliminatórias e classificatórias, será realizada uma entrevista com os selecionados.

Os candidatos aprovados e classificados terão o prazo até o dia 12 de abril para entregarem ao coordenador da área da seleção os dados necessários para serem incluídos no Sistema da Capes ainda no mês de fevereiro/2017. A seleção tem validade de 12 meses.

NTI fecha temporariamente central de atendimento nesta sexta

Durante duas horas as chamadas poderão ser feitas via e-mail
07/04/2017 às 11h19

Ascom Ufal

O Núcleo de Tecnologia da Informação da Ufal (NTI) informa que a central de atendimento do setor estará indisponível para contato telefônico ou presencial nesta sexta-feira (7), das 12h às 14h. O motivo da suspensão do atendimento é uma reunião interna com a participação dos servidores e colaboradores no Núcleo para promover melhorias no atendimento. Durante esse período, as solicitações de abertura de chamados podem ser realizadas pelo e-mail atendimento@nti.ufal.br. Já as demandas urgentes serão recebidas pela secretaria do NTI, localizada no 1º andar da Reitoria, Campus A.C. Simões.

Grupo Clowns de Quinta promove oficina para palhaços de hospitais

Inscrições podem ser feitas on-line
10/04/2017 às 11h01 - Atualizado em 11/04/2017 às 13h19
context/imageCaption

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

A graça além do riso é nova oficina promovida pelo Clowns de Quinta, grupo de pesquisa da Universidade Federal de Alagoas, ligado ao curso de licenciatura em Teatro. Será nos dia 14 e 15 de abril, na sala de dança do Complexo Cultural Teatro Deodoro, em Maceió, das 9h às 17h. A inscrição custa R$ 100 e pode ser feita em plataforma on-line, até esta segunda-feira (10).

A oficina é mais uma ação do Cadê meu Nariz, evento promovido pelo Clowns de Quinta, que acontece a cada dois anos, e conta com apoio da Diretoria de Teatros de Alagoas (Diteal). Podem participar estudantes da área da Saúde, que trabalham como palhaços em hospitais, além de atores, estudantes de Teatro e outros interessados.

Quem participar terá a chance de trabalhar conteúdos como história do palhaço; jogos improvisos e cômicos; linguagens não verbais; fórmulas cômicas; esquetes clássicas e a busca e o aprimoramento do palhaço interior. “A oficina A graça além do riso propõe a busca e a reflexão pelo ‘estado de graça’, por meio da sintonia, da intimidade, da empatia, da cumplicidade, transportando o público – paciente ou interno – para um espaço de experimentações únicas que podem ir da gargalhada até a barriga doer ou os olhos marejados de emoção”, disseram os organizadores.

A equipe do Clows de Quinta garante que, na oficina, o riso não será tratado como foco central do palhaço. “Sorrir, rir, gargalhar! Será o riso a exclusiva missão do palhaço? Vamos mostrar que o riso é uma consequência de uma relação de empatia de dois seres inteiros e plenos”, revelaram.

O grupo

O Clows de Quinta é um grupo de pesquisa que tem como linha de estudo a comicidade, utilizando a linguagem circense e a arte do Palhaço. É coordenado pelo professor Ivanildo Piccoli e formado pelos estudantes Elaine Lima, David Oliveira e Nathaly Pereira.

 

Obras variadas despertam interesse do público em Feirão de Livros

Títulos estarão à venda com descontos até esta sexta-feira (7)
06/04/2017 às 14h42 - Atualizado em 07/04/2017 às 17h20
context/imageCaption

Levid Mello aproveitou o feirão mais uma vez. Fotos: Victória Pereira

Rafaela Oliveira - estudante de Relações Públicas

Levid Mello da Silveira é motorista dos Correios e se define como um viciado em livros “assim como criança em confeitaria”. Diz possuir interesse variado que vai desde a literatura grega antiga à escrita chinesa e reforçou o interesse que tem por literatura em geral e filosofia. “Nunca perdi uma feira de livros e sou um participante assíduo do Feirão da Edufal”, enfatiza.

Como se considera um viciado em livros, a expectativa que tem é que a cada edição do evento se amplie a variedade e a estrutura para atrair ainda mais o leitor, mas aproveita para recomendar a visitação ao Feirão no Campus A.C. Simões, por ser uma oportunidade para que a comunidade conheça importantes obras que estão sendo vendidas.

O professor da área de educação infantil do município de Delmiro Gouveia, Elídio Moreira destacou que costuma vir ao campus em Maceió e diz que dessa vez a visita foi ainda mais proveitosa, porque coincidiu com o período do Feirão, que termina nesta sexta-feira (7). “Para quem se interessa por livros é bem interessante, os títulos foram bem escolhidos”, enaltecendo a diversidade de obras disponibilizadas.

De acordo com Fernanda Lins, da Edufal, a ideia é apresentar a Editora aos que estão chegando. “A intenção é apresentar a Editora da Universidade Federal de Alagoas não só como um órgão a ser visitado, mas também como referência de pesquisa”, conta. A expectativa é que o Feirão de Livros resulte, como de costume, em saldo positivo, atingindo o objetivo esperado.

GraduaSUS debate políticas afirmativas e transversalidade na formação

Oficina temática de março compartilhou experiências positivas com alunos, professores e profissionais
04/04/2017 às 10h58
context/imageCaption

Emeline Donato, coordenadora do PET Saúde GraduaSUS. Foto: SMS

Ascom SMS

O Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde, o PET Saúde GraduaSUS, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e a Coordenação Geral de Desenvolvimento de Recursos Humanos (CDRH) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) promoveram oficina temática Políticas Afirmativas e Transversalidade na Saúde.

O evento realizado no final de março contou com cerca de 80 participantes entre professores (tutores), preceptores (profissionais de saúde dos serviços e da gestão da SMS) e alunos dos cursos de Enfermagem, Farmácia, Medicina, Nutrição, Psicologia e Serviço Social. O PET Saúde GraduaSUS Ufal tem como objetivo central promover mudanças curriculares dos cursos envolvidos nos projetos aprovados pelo Ministério da Saúde, adequadas às políticas públicas da área e realidades locais. Com essa perspectiva, desenvolve diversas atividades mensalmente, como grupos de trabalho, reuniões gerais, oficinas temáticas, cursos, rodas de conversa, dentro da Universidade, nos serviços de saúde, na gestão, etc.

A oficina temática de março teve como foco a apresentação da experiência da professora Sandra Bonfim na Uncisal, uma vez que os cursos de saúde da instituição já passaram por reformulações de seus projetos político-pedagógicos e possuem conhecimentos comuns em seus currículos, objeto do programa, bem como a inserção dessa temática, obrigatória pelas Diretrizes Curriculares Nacionais.

“Sendo o SUS ordenador da formação em saúde, segundo a Lei Orgânica da Saúde – 8080 de 1990, é imprescindível fomentarmos espaços que permitam discussões plurais, apresentem a diversidade da sociedade contemporânea e pensem a produção de cuidado de maneira compartilhada. Considerando as experiências já realizadas e em curso, estamos articulando as instituições públicas SMS, Ufal e Uncisal para enriquecimento conjunto e atendimento qualificado aos nossos objetivos. Para tanto, é fundamental o apoio à integração ensino-serviço-gestão-comunidade, ao tempo em que investimos na formação acadêmica sintonizada com a realidade, disparamos fluxos potentes de educação permanente em saúde, olhando para os processos de trabalho no SUS”, afirma a coordenadora geral do PET Saúde GraduaSUS Ufal, Emilene Donato.

A coordenadora definiu o retorno dos participantes como muito positivo, destacando a necessidade de buscar respostas, levando em consideração aspectos sociais, históricos, políticos e culturais de pessoas e grupos, como foi discutido, o que refletiu diretamente nas reflexões do grupo acerca da abordagem.

“Ficou a reflexão sobre a importância de discutirmos amplamente esse tema. O preconceito é real, impacta na pele. Sandra trouxe uma história de lutas e conquistas, nos sensibilizou e inspirou a construir essa história juntos, levando esse conhecimento para dentro de casa, para a Universidade, para a fila do banco, a todos os lugares, para o maior número de pessoas”, afirmou Hansmille Santos, aluno do 7º período de Enfermagem da Ufal. “Foi o melhor momento do PET, porque ao mesmo tempo em que estávamos aprendendo vimos possibilidades do que queremos fazer”, complementou Francielle Silva, estudante do 6º período de Psicologia.

O Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde foi regulamentado por meio da Portaria Interministerial nº 421, de 03 de março de 2010 e reformulado pelo Edital nº 13, de 28 de setembro de 2015. A iniciativa tem como pressuposto a educação pelo trabalho e visa qualificar os processos de integração ensino/serviço/comunidade de forma articulada entre as instituições de ensino e o Sistema Único de Saúde (SUS), de acordo com seus princípios e necessidades. A Ufal tem projeto aprovado com a SMS com vigência até abril de 2018.

Museu Théo Brandão abre inscrições para Encontro de Pesquisadores

Apresentações de trabalhos podem ser nas áreas de Artes, Antropologia, Museus, História e Memória
11/04/2017 às 11h29 - Atualizado em 13/04/2017 às 12h06
context/imageCaption

Arte de divulgação

Jacqueline Batista – jornalista colaboradora

Até o dia 2 de maio, o Museu Théo Brandão (MTB) está com inscrições abertas para trabalhos a serem apresentados no 4º Encontro de Pesquisadores do Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore. O evento integra a programação da 15ª Semana Nacional de Museus e será realizado de 16 a 19 de maio.

Interessados em participar devem encaminhar um resumo do trabalho e a ficha de inscrição para apreciação da comissão científica do encontro, por meio do endereço eletrônico museutheobrandao@gmail.com. Os trabalhos selecionados serão apresentados na modalidade oral.

Neste ano, o encontro está aberto a pesquisadores que trabalham com temáticas ligadas às Artes, Antropologia, Museus, História e Memória.  Serão submetidas à avaliação da comissão científica, as inscrições que estiverem de acordo com as normas e com indicação nos seguintes eixos temáticos: Artes, Antropologia e Construções Sociais; Museus e Histórias Controversas; e História, Memória e Esquecimento.

Cada proponente poderá se inscrever com até dois trabalhos, sendo um como autor e outro, coautor. Veja o regulamento completo e a ficha de inscrição na circular do evento, por meio do link goo.gl/wpyLhi.

Cied retoma atendimento aos usuário por meio de ferramenta online

Dúvidas relacionadas ao universo da Educação a Distância são respondidas por e-mail
05/04/2017 às 09h05
context/imageCaption

Cied volta a oferecer atendimento online

Ascom Ufal

Alunos, professores, tutores e demais interessados nas informações sobre Educação a Distância (EaD) da Ufal podem se dirigir à página da Coordenadoria Institucional de Educação a Distância (Cied), que retomou o atendimento aos usuários por meio de ferramenta específica, online. Basta clicar no ícone de 'contato' para enviar uma mensagem.

Durante alguns meses o serviço ficou indisponível por questões administrativas, no entanto, está sendo retomado a partir do mês de abril. Além de tirar dúvidas, as principais notícias sobre EaD, os cursos ofertados e novos editais estão disponíveis na página da coordenadoria. 

Para acessar, clique aqui

5

6

Paespe inicia atividades do Pró-Exatas para diminuir evasão

Aulas serão realizadas aos sábados, das 8h às 12h, no Ctec
01/06/2017 às 09h30
context/imageCaption

Primeiro encontro do Pró-Exatas aconteceu no último sábado (27)

Cairo Martins - estagiário de Jornalismo

Os estudantes do curso preparatório para as áreas de ciências exatas, o Pró-Exatas, iniciaram as atividades no último sábado (27). Nesse primeiro encontro eles aproveitaram para conhecer os serviços ofertados pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal).  

Na ocasião, os alunos visitaram as dependências do Restaurante Universitário (RU) e Biblioteca Central (BC), além de terem conhecimento sobre o serviço de assistência médica.

O projeto Pró-Exatas faz parte das ações inseridas no Programa de Apoio aos Estudantes das Escolas Públicas do Estado (Paespe), coordenado pelo professor Roberaldo Carvalho de Souza, e conta com a participação do diretor do Instituto de Matemática (IM), José Carlos e do docente Francisco Vieira.

A disciplina que explora a matemática básica tem como objetivo diminuir o impacto das disciplinas iniciais nas áreas de exatas, como é o exemplo de Cálculo 1 e Geometria Analítica. Para isso, durante a semana os alunos terão monitoria para esclarecimentos de dúvidas referentes ao material de aula e das listas de exercícios

As aulas serão realizadas aos sábados, das 8h às 12h, no Centro de Tecnologia (Ctec). Serão enfatizados os conteúdos de funções e trigonometria, requisitos básicos para o bom desempenho dos alunos no início do curso.

O projeto conta com os monitores Alejandro Paglia e Carlos Alberto, estudantes do curso de Engenharia Civil.

 

Sala Antonio Piranema realiza espaço de Terapia Comunitária Integrativa

Encontro acontecerá no dia 6 de junho na Residência Universitária
02/06/2017 às 09h42 - Atualizado em 05/06/2017 às 12h41

Rafaela Oliveira - estudante de relações públicas

A sala de cuidado Antonio Piranema realizará uma vivência terapêutica comunitária integrativa. O encontro acontecerá no dia 6 de junho, às 13h30, na sala de estudos da Residência Universitária, e será facilitado pela psicóloga Regina Japiá.

A Terapia Comunitária Integrativa (TCI) é um espaço de compartilhamento de experiências de vida de forma horizontal e circular. Segundo a coordenação da sala: “É um espaço onde cada um torna-se terapeuta de si mesmo, a partir da escuta de histórias relatadas, bem como corresponsáveis no enfrentamento e superação de desafios cotidianos, em um ambiente acolhedor e caloroso. A TCI se propõe a ser um instrumento de aquecimento e fortalecimento das relações humanas, nas construções de redes de apoio social, em um cenário cada vez mais individualista, privatizado e conflitivo.”

A coordenação ainda destaca os diversos objetivos que busca alcançar com o espaço. Entre eles estão reforçar a autoestima individual e coletiva e a fomentação da tomada de iniciativas e o empoderamento para transformações sociais.

A Sala de Cuidados Professor Antonio Piranema é um projeto de extensão ofertado pelo Núcleo de Saúde Pública (Nusp) da Faculdade de Medicina da Ufal.

 

Área do Ichca danificada pelas chuvas já foi consertada

Parte do teto desabou com a queda de árvores, Sinfra já concluiu a reforma
01/06/2017 às 09h44 - Atualizado em 02/06/2017 às 09h24
context/imageCaption

Equipe da Sinfra fez todos os reparos no Ichca

Jacqueline Freire – jornalista colaboradora

O prédio do Instituto de Ciências da Comunicação, História e Artes (Ichca), localizado no Campus A.C. Simões, teve parte do teto danificada devido à queda de árvores após as fortes chuvas que atingiram a cidade na última semana. O acidente aconteceu durante a madrugada e não houve feridos.

A Superintendência de Infraestrutura (Sinfra) realizou a retirada da árvore, imediatamente, e seguiu com a reforma do local. Segundo o técnico Diogo Henrique, a árvore caiu em decorrência de fungos. “Estamos realizando um estudo para saber se é preciso nos antecipar com a retirada de mais árvores, já que a queda foi provocada por um ataque de fungos”, explicou.

Em relação ao teto, foi realizada a revisão do madeiramento e substituição das telhas. O serviço já foi concluído, conforme as fotos em anexo, que mostram a situação após o acidente e logo em seguida a reforma.

ASI seleciona bolsistas para atividades na área de Relações Internacionais

Inscrições podem ser feitas até segunda-feira (5)
01/06/2017 às 15h25 - Atualizado em 05/06/2017 às 12h44

Ascom Ufal

A Assessoria de Intercâmbio Internacional (ASI) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) lançou, nesta quinta-feira (1º), uma chamada interna para o preenchimento de duas vagas no programa de Bolsas de Apoio à Pesquisa e Inovação e Pós-Graduação (BAPIPG).

Os aprovados realizarão atividades de ensino e pesquisa na área de Relações Internacionais e correlatas às atribuições da ASI. Pelo desempenho das atribuições, receberão bolsa no valor mensal de R$550.

Estudantes regularmente matriculados na Ufal, de quaisquer cursos e a partir do 5º período, podem se candidatar. Conhecimento de língua estrangeira (inglês, espanhol ou francês), de informática e redes sociais são alguns dos requisitos mínimos exigidos dos candidatos.

Os interessados em participar devem preencher a ficha de inscrição, disponível neste link, até as 12h da próxima segunda-feira (5).

Os inscritos passarão por uma entrevista com a equipe da ASI, no dia 6 de junho, a partir das 10h, conforme lista a ser divulgada no dia anterior. O resultado final da seleção sairá às 16h do mesmo dia em que será feita a entrevista.

Audiência pública debate alterações no Estatuto da Ufal

Na pauta da audiência pública estava a inclusão dos campi e unidades educacionais fora de sede no Estatuto e Regimento
02/06/2017 às 11h16 - Atualizado em 02/06/2017 às 17h56
context/imageCaption

O vice-reitor, José Vieira Cruz, presidiu a audiência pública

Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo

Na tarde da última quarta-feira (31), foi realizada uma audiência pública na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) para apresentar propostas sobre a reforma do Estatuto da Ufal, partindo do esclarecimento da inclusão dos campi e unidades educacionais fora de sede no Regimento. A reunião foi aberta ao público e contou com vários componentes da comunidade acadêmica, incluindo estudantes, docentes e demais servidores da Universidade.

Segundo o secretário Rômullo Rogério, da Secretaria dos Conselhos Superiores (Secs), a discussão para a necessidade dessas alterações foi acarretada, principalmente, pelo fato de que o Estatuto entrou em vigor em 2003, e por terem sido criados após essa data, os campi Arapiraca e do Sertão não estão presentes no Estatuto e no Regimento.

As alterações foram concluídas pelo Grupo de Trabalho (GT) autorizado pelo Conselho Universitário (Consuni) em outubro de 2016. O vice-reitor, José Vieira, enfatizou que foi uma tarefa bastante complexa e que agora é necessário debater os pontos levantados, para se pensar e melhorar no que for possível as necessidades da proposta inicial colocada pelo GT.

No início da audiência foi feita a apresentação da cronologia dos fatos acerca da reforma do Estatuto e do Regimento da Ufal pelo secretário Rômullo Rogério. Após isso, o assessor jurídico, Basile Christopoulos, fez uma apresentação das propostas levantadas pelo Consuni. “Nós tivemos como referência para os debates que fizemos, a ideia de incorporar os campi fora de sede, tanto no estatuto como no regimento da Ufal, e incorporar as unidades educacionais, bem como a Escola Técnica de Artes (ETA) e a Coordenadoria Institucional de Educação a Distância (Cied), dentro desse modelo institucional. Não estavam bem definidas qual seriam essas estruturas, ou em que nível elas entrariam dentro do modelo instaurado, mas nós procuramos trabalhar com o que fosse mais simples possível, e mais objetivo em relação a estrutura adequada para esses modelos dentro do Estatuto e do Regimento”, declarou ele antes de apresentar as possíveis mudanças.

Foram apresentadas as principais alterações e inclusões feitas em artigos do Estatuto no que se refere aos campi e unidades fora de sede. Uma das inclusões apresentadas por Christopoulos, foi a criação de uma nova seção para tratar dos artigos que vão regulamentar esse tema. Além disso, os cursos, programas e espaços acadêmicos dos campi do interior, unidades acadêmicas ou unidades educacionais deverão ser aprovados pelo Consuni. Foi incluído também que as unidades educacionais podem realizar atividades de ensino, pesquisa e extensão, mas ainda assim continuam vinculadas ao campus fora de sede, e são supervisionadas pela Reitoria.

Como forma de contemplar a ETA e o Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI), foi incluído que além de cursos e programas de educação superior, a Ufal também pode criar, organizar e fornecer ensino básico, técnico e tecnológico. Já a Cied e o Hospital Veterinário de Viçosa foram incluído como órgãos de apoio vinculados à Reitoria. Outra alteração apontada é que serão incluídos na composição do Consuni todos os pró-reitores e diretores dos campi fora de sede.

Após a apresentação das propostas foi aberto um debate para que os presentes pudessem expressar suas opiniões sobre as mudanças e, assim, sejam aprovados ou alterados os pontos que forem convenientes.

"Faremos outras audiências também pontuais, onde trataremos daqueles pontos que nós identificarmos de maior sensibilidade, pelo que nós apresentamos no Consuni”, ressaltou o vice-reitor, José Vieira Cruz.

Assista aqui a audiência completa. 

Pesquisadores comemoram tombamento da Serra da Barriga como Patrimônio Cultural do Mercosul

Arqueólogos e historiadores da Ufal participaram da equipe que elaborou o dossiê
01/06/2017 às 12h18 - Atualizado em 08/06/2017 às 11h44
context/imageCaption

Serra da Barriga. Foto: Iphan

Lenilda Luna - jornalista

A Serra da Barriga, localizada em União dos Palmares, no estado de Alagoas, com todo o seu simbolismo de resistência, já foi objeto de estudos, ao longo de décadas, realizados por pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas, principalmente nas investigações de História, Arqueologia e Antropologia, mas também há trabalhos em Nutrição, Geografia e Medicina. O local que abrigou o Quilombo dos Palmares é uma referência reconhecida como Patrimônio Nacional ainda na década de 1980, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). 

A partir de 2015, o Iphan propôs tornar a Serra da Barriga um patrimônio do Mercosul e, para isso, convidou pesquisadores para a formulação de um dossiê apresentando a história, as características atuais e a importância do local como referência geográfica, cultural e histórica. Os pesquisadores da Ufal que colaboraram com a comissão indicada pelo Iphan foram os historiadores Aruã Lima, Clara Suassuna e Zezito Araújo e, o antropólogo Siloé Soares de Amorim. Também compuseram a equipe de colaboradores externos Cláudia Puentes, pela Secretaria de Cultura do Estado de Alagoas, e Élida Miranda, pela Fundação Cultural Palmares.

O Grupo de trabalho para a candidatura para reconhecimento da Serra da Barriga – parte mais acantilada como Patrimônio Cultural do Mercosul do Iphan foi coordenado por Marcelo Brito, assessor de Relações Internacionais, e contou, na equipe local com Greciene Lopes dos Santos Maciel, Joelma Farias Cornejo, Rute Ferreira Barbosa e Sandro Gama de Araújo. "Viemos realizando esse trabalho desde 2016. Foi um processo longo, mas é muito gratificante ter o primeiro bem alagoano a ter uma título internacional. Em novembro teremos a reunião dos países do Mercosul aqui em Maceió", informa Greciene Lopes, técnica para Educação Patrimonial do Iphan e também doutora em Educação e professora do Centro de Educação da Ufal.

O tombamento como Patrimônio Cultural do Mercosul, que será homologado no dia 8 de junho na Reunião de Ministros da Cultura, inclui a Serra da Barriga como a representante brasileira na proposta Cumbes, Quilombos y Palenques del Mercosur - La geografía del cimarronaje, que destaca as formas de resistência contra o escravismo em países da América do Sul. A Serra da Barriga é referenciada "como parte do patrimônio, não só material, mas principalmente imaterial, bens acumulados que, em termos antropológicos, são manifestados pelas camadas populares da região, sobretudo, em termos religiosos e míticos que oferece, ao imaginário popular de diferentes camadas sociais, de modo geral, uma estreita relação com a ancestralidade africana", destaca-se no dossiê.

Para os pesquisadores da Ufal que participaram da elaboração do documento, a notícia de que a candidatura da Serra da Barriga foi aceita na reunião da Comissão de Patrimônio Cultural do Mercosul, ocorrida na Argentina, no final de maio, com a participação de representantes do Iphan, foi bastante comemorada. "Foi um trabalho conjunto muito importante entre o Iphan e os pesquisadores que colaboraram. Acreditamos que a Serra da Barriga terá ainda mais visibilidade e isso faz com que o poder público tenha que se comprometer com sua preservação. É uma demonstração também da importância e eficiência do serviço público para a manutenção da vida e da memória. A Serra da Barriga merece um reconhecimento pela Unesco. Esse é o nosso objetivo", ressalta Aruã Lima, historiador.

O tombamento também pode estimular pesquisas conjuntas sobre a resistência do povo negro na América do Sul. "Essa proposta inclui quilombos da Colômbia, Venezuela, Equador, países onde o povo negro também resistiu à escravidão, assim como na Serra da Barriga. Esse tombamento vai permitir um fluxo de pesquisa entre os países que abrigaram essa história de luta. O dossiê que foi apresentado pelo Iphan teve uma autoria coletiva, com a participação de vários pesquisadores. Esse é um reconhecimento importante para as identidades quilombolas, que extrapolam as fronteiras nacionais", destacou o antropólogo Siloé Amorim.

O Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (Neab) da Ufal, criado em 1981, realiza estudos na Serra da Barriga desde que foi colocada a proposta da implantação do Memorial Zumbi. A atual diretora, professora Lígia dos Santos Ferreira, comemora mais esse reconhecimento ao patrimônio representado pela Serra da Barriga. "Torna-se urgente que esse reconhecimento seja mundial e que uma reparação político-moral seja empreendida por toda a humanidade, a fim de que cada indivíduo se envergonhe desse histórico de privação de liberdade, acompanhada das mais cruéis ações contra as nações africanas com o sequestro, tráfico e comércio de pessoas para escraviza-las", defende Ligia.

Jusciney Carvalho Santana, coordenadora institucional de formação (Comfor), doutora em Educação e colaboradora no Neab, também participou de algumas reuniões do grupo de trabalho. Como educadora, ela ressaltou a necessidade de compartilhar a história desse patrimônio. "Considero fundamental a criação de um espaço de aprendizagem permanente na Serra, para promoção de ações educativas voltadas para a comunidade local e que possam estimular uma rede de colaboração e fortalecimento do diálogo com a rede municipal de escolas. Muitos, infelizmente, ainda desconhecem a história de Alagoas, sendo que esse desconhecimento reforça as desigualdades étnico-raciais no Estado", pondera a educadora.

O vice-reitor da Ufal, professor José Vieira, que também é historiador, comemorou o tombamento. "Temos um sentimento de missão cumprida. A Ufal, assim como outras instituições de Alagoas, como a Uneal, por exemplo, desde o início se dispôs a colaborar com este processo coordenado pelo Iphan.  Essa soma de esforços possibilitou essa conquista, que ressignifica este patrimônio de Alagoas, mas que reflete a luta dos povos negro e ameríndio no mundo. Como historiador, fico emocionado. Mesmo nesse contexto de incertezas constitucionais, a Ufal deve ocupar os espaços e formular políticas públicas que proporcionem melhorias coletivas", concluiu Vieira.

Editora Universitária realiza feirão de livros durante todo o mês de junho

Descontos vão até 70%
02/06/2017 às 11h00 - Atualizado em 06/06/2017 às 13h10
context/imageCaption

Descontos vão até 70%, somente na sede da Edufal

Ascom Ufal

O mês de junho chega na Editora Universitária com promoção de até 70% em vários títulos selecionados. As ofertas vão durar todo o mês de férias, dos namorados e das festas juninas.

Confira os títulos próprios e de outras editoras universitárias e comerciais. Apenas na sede no Campus A. C. Simões, no CIC, das 9h às 17h.

 

Reitora se reúne na Capes para esclarecimentos sobre Profiap

Valéria Correia reforçou compromisso da gestão em dar continuidade ao Programa
02/06/2017 às 16h51 - Atualizado em 02/06/2017 às 17h22
context/imageCaption

Reitora entregou documentos à Capes para esclarecer providências junto ao Profiap

Letícia Sant’Ana - estagiária de jornalismo


A reitora Valéria Correia se reuniu, na última quinta-feira (1º), com representantes da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em Brasília, para reafirmar o compromisso da gestão em dar continuidade ao Programa de Mestrado Profissional em Administração Pública (Profiap).

Na ocasião, foi entregue o documento com as medidas tomadas pela Reitoria e pela Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propep) a respeito do Profiap na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). “A reunião foi muito boa. Expus as medidas tomadas, além de expressar o interesse da Ufal em continuar com o curso”, explica Correia.

O encontro reforçou o empenho em prestar esclarecimentos à Capes, que fomenta o programa de pós-graduação.

Cine Ufal Cultural tem sessão adiada para 20 de julho

Mudança da data é devido ao recesso acadêmico
05/06/2017 às 13h08 - Atualizado em 05/06/2017 às 13h47
context/imageCaption

Arte de divulgação

Ascom Ufal

A Pró-reitoria de Gestão de Pessoas e do Trabalho (Progep) adiou a primeira sessão do Cine Ufal Cultural, que estava marcada para a próxima quinta-feira (8), devido ao recesso acadêmico. A nova data será 20 de julho, às 14h, no Auditório Nabuco Lopes, localizado na Reitoria da Ufal, onde será exibido o filme Xingu.  A ação, a princípio, era voltada apenas para os servidores da Universidade, mas a Progep estendeu a participação para toda a comunidade universitária.

De acordo com a organização, a proposta dessa ação cultural é exibir filmes com diferentes temáticas a cada três meses, e que, ao final das exibições, possa ser aberta uma discussão sobre o tema abordado, através de um mediador. 

A mediadora desta sessão será Michelle Reis de Machado, professora da disciplina História Indígena no Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes (Ichca), que tem por objetivo desmistificar o imaginário social sobre o índio brasileiro. Além da docente, a tribo Tingui Botó também participará da discussão e realizará uma apresentação cultural.

As inscrições devem ser feitas através do link.

O filme

Com direção de Cao Hamburguer, Xingu foi lançado em 2012 e conta a história dos irmãos Orlando, Cláudio e Leonardo Villas-Bôas, que decidem viver uma grande aventura e alistam-se na expedição Roncador-Xingu, partindo numa missão desbravadora pelo Brasil Central. Logo os irmãos se tornam chefes da expedição e se envolvem na defesa dos índios e de sua cultura.

Numa viagem sem paralelo na história, os irmãos Villas-Bôas conseguem fundar o Parque Nacional do Xingu, um parque ecológico e reserva indígena que, na época, era o maior do mundo, do tamanho de um país como a Bélgica. (Fonte: Globo Filmes).

Ufal vai receber recursos para continuar algumas obras

Complexo Esportivo ganhará aditivo e Centro de Energias Renováveis tem construção garantida
05/06/2017 às 11h52 - Atualizado em 06/06/2017 às 12h03
context/imageCaption

A reitora Valéria Correia com o ministro Marx Beltrão

Manuella Soares - jornalista

A reitora Valéria Correia retorna de Brasília com boas notícias para a Ufal. Em mais uma reunião, na última quarta-feira (31), com o ministro do Turismo Marx Beltrão ela teve a confirmação da liberação de recursos que haviam sido negociados este ano.

A Ufal vai receber um aporte de R$ 2,2 milhões do Ministério da Educação, para a construção do curso de Engenharia de Energias Renováveis, ligado ao Centro de Ciências Agrárias (Ceca). O pedido de apoio financeiro aconteceu na visita da reitora à Brasília, em março, quando Valéria apresentou os projetos para submissão de verbas de Bancada e Ministérios referentes ao novo Centro da Ufal. O projeto arquitetônico tem um orçamento preliminar de aproximadamente R$ 2 milhões, sendo dividido para construção de dois blocos.

Já o aditivo de R$ 2,5 milhões necessário para concluir o Complexo Esportivo foi confirmado e garante a continuidade do projeto que está na fase final, com 84% pronto. A reitora havia apresentado um ofício, em abril, pedindo a liberação da verba devido à judicialização do processo por parte do consórcio responsável pela obra.

Na reunião, Correia também tratou sobre o projeto de construção do Campus Penedo, das quadras esportivas para os campi do interior e reforçou o pedido de ajuda financeira para reformas dos museus da Ufal.

“Falei [para o ministro] sobre a prioridade com a reforma no Museu Theo Brandão, mas ele só poderá sinalizar algo de positivo no segundo semestre, devido ao contingenciamento de 68% nos recursos do Ministério do Turismo”, destacou a reitora.

3º Seminário Luso-brasileiro de Educação Infantil será realizado na Ufal

Evento acontece em julho; interessados podem submeter trabalhos até esta sexta-feira (2)
02/06/2017 às 15h09 - Atualizado em 02/06/2017 às 15h12
context/imageCaption

Arte de divulgação

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

A terceira edição do Seminário Luso-brasileiro de Educação Infantil (SLBEI) será realizada nos dias 3, 4 e 5 de julho, na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). O evento congrega investigadores, professores, estudantes e demais interessados nas pesquisas, nos debates e nas propostas relacionadas com a educação infantil.

O 3º SLBEI vai discutir as políticas a partir da elaboração das orientações curriculares municipais e da Base Nacional Comum Curricular (BNCC/Brasil), tanto em Portugal quanto no Brasil; os direitos das crianças, que precisam sempre ser reafirmados e garantidos; e as pedagogias das infâncias com suas particularidades, tensões e desafios trazidos por uma visão de educação que vai além do ensino e coloca a criança como protagonista do processo educativo.

Interessados podem submeter duas modalidades de trabalhos: relatos de pesquisas e relatos de experiências. O período para inscrições de resumos vai até esta sexta-feira (2). As inscrições para ouvintes no evento seguem durante o mês enquanto houver vagas.

Na programação, além de apresentação de trabalhos, exposições, visitas, minicursos, oficinas e debates de filmes vão ser realizadas conferências e mesas redondas.

O SLBEI é fruto de uma parceria entre a Ufal, representada pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Pedagogias e Culturas Infantis (Geppeci) e a Universidade do Minho (Braga/Portugal), por meio do Centro de Investigação em Estudos da Criança (Ciec). Essa parceria surgiu da necessidade de reflexão e discussão sobre múltiplos aspectos relacionados à educação das crianças pequenas nos diversos contextos e cotidianos.

Para mais informações acessar o site: www.slbei.com

Ufal lança site da 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas

O evento será na terça-feira, 6 de junho, na sede da Edufal, Campus A. C. Simões, com programação variada
02/06/2017 às 16h41 - Atualizado em 05/06/2017 às 10h59
context/imageCaption

Convite para lançamento do site da Bienal, no dia 6 de junho

Márcia Alencar – jornalista
 
A Universidade Federal de Alagoas (Ufal), por meio da Editora Universitária (Edufal), promove, na próxima terça-feira, 6 de junho, a partir das 9h, o lançamento do site da 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas.
O evento será na sede da Edufal, no Campus A. C. Simões e a programação variada conta com o lançamento dos livros A Construção de Lygia Fagundes Telles, de Nilton Resende e Lacan Chinês (2ª edição), de Cleyton Andrade, além de apresentação da Camerata da Escola Técnica de Artes, com regência da professora Lilian Pereira e café junino.
A Bienal 2017 será realizada no Centro de Convenções de Maceió, de 29 de setembro a 8 de outubro, com o tema Livros que envolvem, leituras que libertam, em comemoração aos 200 anos da Emancipação Política de Alagoas. 
Segundo o diretor da Edufal, professor Osvaldo Maciel, a 8ª Bienal do Livro está sendo pensada com carinho por uma comissão envolvendo diversos servidores da Universidade e funcionários da Fundepes. “É grande o esforço para realizar o evento em uma conjuntura atípica no país. Esperamos manter a beleza, contando com atrações que serão apresentadas no evento de lançamento do site”, destaca o diretor. A 8ª Bienal de Alagoas é uma realização da Ufal, em parceria com Fundepes, Governo do Estado e Prefeitura de Maceió.
 
A programadora visual da Assessoria de Comunicação da Ufal, Camila Fialho, destaca que o lançamento do site é uma etapa importante no processo de concepção do evento, pois atende a grande curiosidade do público nas redes sociais para saber as atrações já confirmadas e inicia alguns serviços tradicionais oferecidos por esse tipo de evento. “O site promove o agendamento de visitas para as escolas e facilita a negociação com expositores e pessoas que querem fazer parte de alguma maneira deste evento tão agregador que é a Bienal de Alagoas”, destaca Camila.

Na ocasião do lançamento do site, a comissão organizadora também apresentará oficialmente o tema do evento Livros que envolvem, leituras que libertam, fazendo alusão aos 200 anos de emancipação de Alagoas. “Somos envolvidos pelos livros e entramos em um mundo paralelo enquanto estamos lendo, mas a leitura nos torna livres, pois, por meio dela, podemos refletir e conhecer nossos próprios pensamentos”, explica Camila Fialho, responsável pela criação da identidade visual do evento, com base no conceito “As páginas de Alagoas”, onde harmonizou elementos que lembram a identidade cultural do Estado.

“Os elementos têm força visual presentes nos folguedos e no artesanato. O formato faz referência ao mapa de Alagoas desconstruído, sem delimitação de fronteiras. O fitilho colorido, que tem movimento próprio, foi usado como uma metáfora para a semente do conhecimento que abraçará e envolverá a sociedade alagoana por meio da Bienal”, destaca.
 
As redes sociais da 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas já podem ser acessadas pelo Facebook, Instagram e Twiter.

Museu de História Natural promove 1° Arraiá do MHN

Evento é gratuito e comemora as festividades juninas com muitas atrações típicas da época
07/06/2017 às 08h00 - Atualizado em 08/06/2017 às 11h46
context/imageCaption

Arte de divulgação

Graziela França- estudante de Jornalismo

Para comemorar o mês mais nordestino do ano, o Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) realiza a 1ª edição do Arraiá do MHN. Com a colaboração de todos os setores na organização, o evento traz diversas atrações juninas e muita diversão para toda a família, no dia 16 de junho, a partir das 16h, na sede do Museu.

A ideia de promover um evento voltado para as festas juninas surgiu durante a apresentação da cantora Wilma Araújo em um dos eventos do Fim de Semana no Museu. A cantora se encantou com o projeto que tem como finalidade atrair a comunidade e oferecer conhecimento e mais uma opção de lazer para família.

“Então, se pensou em fazer um momento de confraternização também entre os equipamentos culturais da Pró-reitoria de Extensão, que são nossos parceiros em muitas atividades, e celebrar numa festividade que tem uma relevância cultural grande para o público local”, explicou Cíntia Rodrigues, museóloga do MHN.

No Arraiá do MHN haverá exposições, apresentações culturais, barracas de jogos e de comidas típicas, sorteios e muito forró ao som da cantora Wilma Araújo, que apoiou o projeto desde o início. Vestido de chita e roupa xadrez, são os trajes mais esperados da festa.

O evento gratuito e aberto para todo o público acontece na sede do MHN, localizado na Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade).

A programação completa será divulgada ainda esta semana. Acompanhem pelo Facebook do MHN.

Serviço:

O quê: 1° Arraiá do MHN

Quando: 16 de junho

Horário: A partir das 16h

Local: Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade)

Funcionamento da Ufal terá horário especial durante recesso

Medida é para contenção de gastos; horário não se aplica nas unidades com calendário diferente
02/06/2017 às 17h28 - Atualizado em 05/06/2017 às 15h03
context/imageCaption

Setores administrativos da Ufal vão funcionar das 8h às 17h

Manuella Soares - jornalista

A gestão superior da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) definiu horário especial de funcionamento no Campus A.C. Simões, em Maceió, durante o recesso acadêmico.  Até o dia 30 de junho os setores administrativos da Reitoria vão funcionar de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. As unidades de Santana do Ipanema e Viçosa seguem o mesmo calendário acadêmico e também podem ajustar o horário.

Em memorando circular, o reitor em exercício, José Vieira Cruz, esclarece que a medida foi tomada considerando “o princípio da economicidade e eficiência da Administração Pública e a necessidade de reduzir despesas com manutenção e de racionalizar os serviços em período de menor demanda e menor disponibilidade orçamentária e financeira”.

De acordo com o documento, as unidades acadêmicas podem aderir ao horário diferenciado, desde que não haja prejuízo às suas atividades. E isso não implica em redução de jornada dos servidores, visto que eles devem ajustar o horário de trabalho em acordo com a chefia imediata.

O memorando também destaca que diversas instituições públicas de âmbito nacional já implantaram ações semelhantes. Já a Divisão de Segurança da Sinfra solicita às direções das Unidades Acadêmicas que comuniquem caso haja aulas, reformas ou quaisquer outros eventos e acessos relevantes durante o período de recesso, principalmente naqueles ocorridos nos finais de semana e à noite em seu ambiente, enviando ou encaminhando as informações para o endereço eletrônico ds.gsg@sinfra.ufal.br. Para dúvidas, é possível entrar em contato com os seguintes telefones: (82) 3214-1290/3214-1089.

Outros setores

A Biblioteca Central na Ufal será aberta ao público das 7h às 17h e a Editora Universitária vai funcionar a partir das 9h até às 17h. Já o Restaurante Universitário estará fechado ao público durante o recesso acadêmico em virtude da reforma no local.

O horário diferenciado na Ufal não se aplica a Arapiraca, Palmeira dos Índios, Penedo e Delmiro Gouveia porque seguem calendários acadêmicos diferentes. 

Recesso acadêmico em algumas unidades da Ufal começa dia 5

Aulas do período letivo 2017.1 iniciam em 5 de julho em Maceió, Viçosa e Santana do Ipanema
02/06/2017 às 18h06 - Atualizado em 02/06/2017 às 18h32
context/imageCaption

Férias acadêmicas terminam em 5 de julho no A.C. Simões

Manuella Soares - jornalista

Professores e alunos da Universidade Federal de Alagoas, no Campus A.C. Simões e nas unidades educacionais de Viçosa e Santana do Ipanema, entram em recesso acadêmico a partir desta segunda-feira (5), até o dia 4 de julho. O início do período letivo 2017.1 nestes locais será no dia 5 de julho, quando retornam as aulas.

Já nos campi fora de sede, em Arapiraca e Delmiro Gouveia, assim como as unidades educacionais de Penedo e Palmeira dos Índios, as atividades acadêmicas continuam até 3 de julho, prazo final para digitação das notas do período letivo 2016.2. As férias docentes nestes campi e unidades serão até 30 de julho e, o retorno das aulas com início do semestre 2017.1 será no dia 31.

Confira aqui o calendário de 2017.1.

Projeto de extensão desenvolve ações de divulgação científica

Atividades acontecem no Campus Arapiraca e são voltadas para alunos de escolas públicas
05/06/2017 às 11h21 - Atualizado em 05/06/2017 às 11h23
context/imageCaption

Estudantes da Ufal incentivam a ciência para alunos das escolas

Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo

O Programa de Educação Tutorial (PET) de Química e o subprojeto Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid) Interdisciplinar do Campus Arapiraca da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) desenvolveram juntos o projeto de extensão A Universidade é sua, a Ciência também! O objetivo central é divulgar o conhecimento científico a partir de atividades lúdicas e buscar uma maior integração das escolas públicas do munícipio de Arapiraca e seu entorno.

A primeira ação aconteceu no dia 16 de maio, onde 30 estudantes do 5º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Antônio Caetano de Souza, do povoado de Novo Rio, localizado no município de Igaci, visitaram o campus. Entre as atividades desenvolvidas pelo projeto estão: um esquete teatral para iniciar um diálogo sobre o tema abordado com os participantes, a discussão de um vídeo sobre o papel do cientista na sociedade, e uma mostra de experimentos interativos. Essas atividades são apresentadas com o intuito de divertir, colocando a ciência como tema principal.

O coordenador do projeto, Wilmo Ernesto Francisco Júnior, destaca que o projeto tem três focos principais. “O primeiro, é mostrar uma visão de ciência mais dinâmica, lúdica e acessível a todos, o que se dá basicamente pela interatividade de cada etapa. O segundo foco é promover uma integração maior da Universidade com estudantes da educação básica de escolas públicas, inclusive criando perspectivas de acesso para os visitantes, tanto no que diz respeito ao espaço, quanto ao Ensino Superior. Por fim, também visa a formação dos estudantes de Química e Pedagogia da Ufal que integram o projeto, no planejamento e avaliação de atividades de educação não-formal e de divulgação da ciência”, declarou o docente. 

O professor citou também a importância da realização desse projeto. “Poucos projetos trabalham no sentido de abrir as portas da universidade para a população, o que é fundamental, tendo em vista o compromisso social da universidade na produção e divulgação do conhecimento”, afirmou.

De acordo com a organização, os dois programas envolvidos têm em comum o foco de estimular a formação dos estudantes de graduação por meio do planejamento e execução de atividades educativas, tendo como uma das propostas centrais a ampliação dos espaços educativos. Por isso, a atividade ocorrerá regulamente e eles pretendem atingir um público estimado em mais de 300 pessoas.

As escolas interessadas em participar das ações podem entrar em contato pelo email ufal.pet.quimica@gmail.com

Projeto do Proinart apresenta contação de histórias no HU

Atividade fez parte das ações do 2º Mutirão Nacional da Rede Ebserh
06/06/2017 às 10h55
context/imageCaption

Grupo do projeto 'Cocar de histórias e outras narrativas latinas'

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

A equipe do projeto de extensão Cocar de histórias e outras narrativas latinas fez apresentação no Hospital Universitário da Universidade Federal de Alagoas. A atividade mudou a rotina dos pacientes que frequentam o HU e foi uma atração durante o 2º Mutirão Nacional da Rede Ebserh.

O momento lúdico do Cocar de histórias, promovido no Hospital, faz parte das ações do projeto aprovado pelo Programa de Iniciação Artística (Proinart) da Ufal. O grupo, coordenado pelo professor Toni Edson, da Escola Técnica de Artes, desenvolve sessões de contos baseados em pesquisas feitas a partir da literatura indígena.

O projeto iniciou as atividades em setembro de 2016 e a primeira intervenção feita pelo grupo foi em outubro, na Casa da Criança com Câncer. A equipe também se apresentou na 4ª edição do Congresso Acadêmico Integrado de Inovação e Tecnologia (Caiite), realizada em dezembro do ano passado.

O projeto

Dentro das ações do projeto, o grupo, formado por cinco bolsistas e sete voluntários, se reúne todas as terças-feiras para ler, fazer jogos teatrais e contar histórias. Paralelo a isso, os bolsistas fazem atividades permanentes de levantamento de informações sobre a tradição oral indígena presente na literatura, constroem as histórias e também ensaiam a contação delas.

PET de Economia lança Boletim com principais indicadores de 2016

Dados apontam endividamento das famílias maceioenses e queda na produção da safra; construção civil ficou estável
06/06/2017 às 11h33 - Atualizado em 07/06/2017 às 14h41
context/imageCaption

Boletim Peteco é mensal e disponível online

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

O Boletim de Conjuntura de Alagoas do Programa de Educação Tutorial de Economia (Peteco) lançou neste mês uma edição com os principais indicadores econômicos do Estado no ano de 2016. O trabalho é uma realização dos alunos de graduação sob a supervisão do professor Cid Olival Feitosa. Produzido desde outubro de 2015, o projeto aborda temas como Índice de Preços ao Consumidor, Balança Comercial de Alagoas, emprego, turismo, entre outros assuntos.

Entre os assuntos abordados, o documento mostra baixo volume de exportações e uma queda de produção da safra alagoana, a exemplo do abacaxi (53,7%), coco-da-baía (18,3%), e cana-de-açúcar (4,3%). Por outro lado, as pesquisas mostram estabilidade no setor da construção civil e leves variações nos índices de serviços. O Boletim ainda apresenta um dado preocupante, de que 62,3% das famílias maceioenses ficaram endividadas em 2016.

“O Boletim proporciona um maior aprofundamento sobre alguns conteúdos trabalhados em sala de aula e uma maior inter-relação entre as atividades de ensino, pesquisa e extensão.  Além disso, estimula o desenvolvimento da capacidade argumentativa, via produção textual, promovendo uma formação crítica e cidadã acerca da realidade estadual”, afirma o orientador do projeto.

O Peteco, por meio de análises setoriais, realiza o acompanhamento sistemático da evolução e das tendências de curto prazo da economia alagoana. No informativo é possível ter acesso à essas informações a partir de uma linguagem mais clara e acessível não somente aos estudantes das ciências econômicas, mas a toda sociedade alagoana.

Para acessar o Boletim com a síntese dos indicadores de 2016, basta clicar aqui. A publicação é mensal e online, disponível no site do Peteco e no Facebook. 

Evento de arquitetura vai discutir cidades planejadas e inclusivas

Semau será de 28 a 31 de agosto, na Ufal, com palestrantes renomados
08/06/2017 às 10h18 - Atualizado em 12/06/2017 às 10h54
context/imageCaption

Arte de divulgação

Ascom Ufal

A 13ª Semana de Arquitetura e Urbanismo (Semau) abre, a partir de 19 de junho, o primeiro lote de inscrições para o evento que será realizado de 28 a 31 de agosto, no auditório da Reitoria da Universidade Federal de Alagoas. Promovido pelo grupo PET Arquitetura da Ufal o tema deste ano é Vivacidade: desafios, planejamento e participação.

Em sua 13ª edição, a Semau propõe “debater sobre a cidade, seus desafios, ações possíveis de planejamento e a importância da participação do cidadão, visando promover discussões sobre o papel do arquiteto face às interferências que o urbanismo e a arquitetura podem provocar na dinâmica social do espaço urbano, e como as diversas intervenções podem contribuir para a identificação e envolvimento do usuário que o vivencia”, destacam os organizadores.

Num convive para inspirar a construção de ideias e alternativas para o planejamento de cidades mais vivas, equilibradas e, principalmente, inclusivas, o evento deixa a reflexão: “Afinal, para quem é a cidade?” 

A Semau terá conferências proferidas por Raquel Rolnik (FAU-USP), Regina Dulce Lins (FAU-Ufal), Elisabete França (Faap/USP Cidades) e Simón Hosie (PUJ-Bogotá); e comentários de Verônica Robalinho (FAU-Ufal) e Renan Silva (Unit). A programação também conta com uma visita guiada na cidade de Maceió, mesa redonda, exibição de filme, oficina e lançamentos da 7ª edição da Revista Ímpeto (PET Arquitetura) e do livro Guerra dos Lugares, de Raquel Rolnik.

As inscrições estarão disponíveis no site do PET.

Projeto Samu nas Escolas ensina noções de primeiros socorros na Ufal

Alunos do Paespe e Paespe Júnior participaram de atividades
05/06/2017 às 12h27 - Atualizado em 05/06/2017 às 16h13
context/imageCaption

Dicas de primeiros socorros e alunos atentos

Ascom Ufal

Os participantes do Programa de Apoio aos Estudantes das Escolas Públicas do Estado (Paespe e Paespe Júnior) aprenderam noções de primeiros socorros com a equipe do Samu nas Escolas, projeto de extensão da Ufal em parceria com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Maceió. As atividades foram realizadas na última sexta-feira (2).

Durante todo o dia eles participaram de oficinas sobre como agir em situações de emergência, a exemplo de desmaio, engasgo, queimaduras, choque elétrico, fraturas e hemorragias.

Os alunos ainda foram conscientizados sobre a importância do Samu e os danos causados pelo trote, atitude criminosa que prejudica os serviços de urgência, uma vez que sobrecarrega o número de ligações e ocasiona o deslocamento de toda equipe para atender uma ocorrência que não existe.

O objetivo desse dia de atividades foi difundir as informações com os alunos para que se tornem multiplicadores dessas ideias entre os colegas.

7

Prograd divulga edital de processo seletivo para estágio não-obrigatório

Inscrições seguem até dia 7; edital contempla diversos cursos
03/07/2017 às 12h34 - Atualizado em 10/07/2017 às 16h34

Klebson Candido – estagiário de Relações Públicas

A Universidade Federal de Alagoas (Ufal), por meio da Pró-reitoria de Graduação (Prograd) está com inscrições abertas, entre os dias de 3 a 7 de julho, para o processo de seleção em estágio não-obrigatório. O estágio é voltado aos alunos de graduação e tem duração de 6 meses, podendo ser prorrogado por igual período. As vagas são destinadas para os cursos de Administração (2); Biblioteconomia (11), sendo uma delas para a biblioteca do Museu Théo Brandão; Ciências Contábeis (1); Engenharia Ambiental e Sanitária (1) e Pedagogia (3). Há ainda vagas para cadastro reserva em outros cursos.

O estagiário receberá bolsa no valor de R$ 520,00, mais auxílio-transporte no valor de R$ 132,00 e deve cumprir carga horária semanal de 30 horas. O procedimento para as inscrições está dividido em duas etapas, sendo a primeira o preenchimento do formulário de inscrição online e a segunda o envio da documentação comprobatória para análise curricular (cópias digitalizadas de documento oficial com foto, histórico escolar analítico e certificados, atestados ou declarações de participação em programas como Pibid, Pibic, Pibit, Pet, Monitoria/Tutoria, BDAI, BDI, Paimter, entre outros) para o e-mail: estagioufal@gmail.com

O resultado preliminar do processo seletivo será divulgado na data provável de 11 de julho, sendo dado um período para interposição de recursos. O resultado final será conhecido na data provável de 17 de julho. Para mais informações, acesso o edital do certame

 

Reforma do Restaurante Universitário continua até o final do mês

As fortes chuvas desse período e alguns problemas que surgiram durante a intervenção provocaram o adiamento do prazo de entrega
05/07/2017 às 10h06 - Atualizado em 05/07/2017 às 13h17
context/imageCaption

As reformas continuam e devem ser concluídas até o final do mês

Lenilda Luna - jornalista


A Pró-reitoria Estudantil (Proest) e a Superintendência de Infraestrutura (Sinfra) emitiram nota técnica para explicar os motivos pelos quais a reforma no Restaurante Universitário não pôde ser concluída durante o período de recesso. A obra deve continuar até o final deste mês de julho, com previsão de entrega para o dia 31. Os residentes vão continuar recebendo as refeições do restaurante do Centro de Ciências Agrárias (Ceca).

A diretora do RU, Milena Fernandes, lamentou os transtornos que o adiamento significará para os estudantes que retornam às aulas, mas enfatizou que as obras atendem às exigências da Anvisa e do Ministério Público. "Precisamos adequar o ambiente de produção de refeições aos critérios da legislação higiênico-sanitária visando a proteção à saúde dos usuários", destacou a nutricionista.

A nota explica que a obra por que passa o RU do Campus A.C.Simões, consiste na reforma do refeitório, que permitirá a alteração do sistema de distribuição e reforma interna, da área de produção de refeições, que inclui troca do piso, teto, sistema hidráulico entre outros pontos, que sofreram desgaste, e que, durante as intervenções, foi detectada a necessidade de substituir parte das instalações de esgoto e de drenagem.

Outro fator que provocou o adiamento da entrega foram as fortes chuvas que ocorreram nesse período, dificultando o trabalho externo e interferindo nos serviços da parte interna também. "Cientes dos inconvenientes que resultaram no atraso da abertura do RU, reafirmamos nosso compromisso com a garantia do direito à alimentação e acesso a este imprescindível órgão de apoio acadêmico", declaram os responsáveis pelo RU e pela obra.

Leia a nota completa em anexo:

Gestão e Eletrobras discutem estratégia para aprovação do projeto da subestação da Ufal

Na reunião também ficou acertada a parceira para a poda de árvores no Campus A.C Simões
04/07/2017 às 10h25 - Atualizado em 05/07/2017 às 10h44

Jessyka Faustino, estudante de Jornalismo

Uma nova reunião de representantes da Eletrobras -AL com a reitora Valéria Correia e com uma equipe técnica da Superintendência de Infraestrutura (Sinfra) foi realizada na tarde da terça-feira (27). O objetivo foi a correção dos projetos para que atendam às exigências técnicas do Segundo Comando Aéreo Regional (Comar) para aprovação da linha de transmissão voltada ao funcionamento da Subestação da Universidade Federal de Alagoas.

Tanto a Ufal quanto a Eletrobras já haviam encaminhado um primeiro projeto ao Comar, mas ambos foram reprovados por divergências da altitude permitida para a linha de transmissão para a área próxima ao aeroporto. Na reunião, ficou decidido que os projetos das duas instituições serão ajustados as exigências e encaminhados juntos. "É uma medida para somar esforços no sentido de conseguir a aprovação do projeto nos órgãos reguladores, dando continuidade aos trâmites da implantação", ressalta a reitora Valéria Correia.

A subestação é essencial para o funcionamento dos laboratórios da Ufal e também trará grandes benefícios para a comunidade circunvizinha na qualidade da distribuição de energia. "A subestação da Ufal vai melhorar o nível de fornecimento de energia da própria Universidade, a confiabilidade e a qualidade da energia. As ocorrências de queda vão ser muito mais espaçadas, diminuindo o risco de panes em equipamentos. Além disso, para a comunidade ao redor haverá vantagens, já que toda carga que hoje é usada pela Ufal vai deixar de ser retirada da subestação do Tabuleiro dos Martins, o que vai permitir um melhor atendimento a população", explica Hugo Tabosa, representante da Eletrobras.

Proginst divulga nota técnica sobre a situação financeira da Ufal

As informações esclarecem os cortes no orçamento e o que está sendo feito para manter o funcionamento da instituição
03/07/2017 às 16h09 - Atualizado em 04/07/2017 às 16h12

Ascom Ufal

Diante da repercussão das reportagens sobre a situação financeira da Ufal e para esclarecer melhor o que está sendo feito para manter o funcionamento da instituição, apesar dos cortes no orçamento, a Pró-reitoria de Gestão Institucional emitiu nota técnica.

Leia aqui.

Pinacoteca seleciona obras e artistas para nova exposição

Mostra será em comemoração aos 200 anos da emancipação política de Alagoas
04/07/2017 às 12h01 - Atualizado em 04/07/2017 às 16h15
context/imageCaption

Arte de Divulgação

Ascom Pinacoteca

A Pinacoteca Universitária realizará a exposição Horizontes, em comemoração aos 200 anos de emancipação política de Alagoas. A mostra apresentará em sua composição um panorama visual da arte contemporânea alagoana e será construída por meio de produções de artistas locais que fazem parte da história deste estado e por aqueles que se mostram em outros horizontes. 

Desde o dia 3 de julho a Pinacoteca Universitária recebe inscrições de trabalhos a serem expostos em Horizontes. As submissões vão até o dia 21 de julho. O quesito principal é que as obras sejam de produção atual que ainda não tenham sido divulgadas. A mostra pretende reunir criações inéditas de novos artistas e de autores convidados.

A exposição terá abertura no dia 15 de agosto e permanecerá para visitação no museu de arte contemporânea universitário até o dia 7 de outubro. Interessados em expor na mostra devem cadastrar-se por meio da ficha de inscrição disponível no site da Pinacoteca, até o dia 21 de julho, submetendo no máximo três trabalhos. 

Esses trabalhos serão avaliados por uma comissão julgadora da Pinacoteca, composta por artistas, professores e estudiosos da contemporaneidade. Na ficha de inscrição o candidato deve especificar seu nome, idade, contatos pessoais, tipo de obra (escultura, pintura, fotografia, videoarte etc), suporte a ser utilizado, conceito, título, ano de realização, fotos e medidas das obras. É obrigatório ser maior de idade e, em caso de inscrição coletiva de artistas, deve ser apresentada uma declaração de todos os componentes, autorizando o uso da obra. 

As obras e a ficha de inscrição deverão ser enviadas por e-mail para: expohorizontes.pinaufal@gmail.comA mostra faz parte das atividades culturais apresentadas pela 8ª edição da Bienal do Livro de Alagoas. Mais informações pelo telefone: 3214-1545 ou pelas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.

Terceira edição do SLBEI reúne pesquisadores da educação infantil

Programação segue até amanhã com mesas e mini-cursos
04/07/2017 às 11h44 - Atualizado em 06/07/2017 às 13h12
context/imageCaption

Evento internacional acontece na Ufal

Letícia Sant'anna - estagiária de Jornalismo

O 3º Seminário Luso-Brasileiro de Educação Infantil (SLBEI) está sendo realizado na Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e segue com programação até amanhã (5). O evento reúne investigadores, professores, estudantes e demais interessados nas pesquisas relacionadas à educação infantil. O grupo de cultura negra Abí Axé Agbé, de Delmiro Gouveia, abriu o evento que seguiu com mesa sobre políticas educativas e pedagogias das infâncias.   

Nesta terça-feira (4), as atividades continuam no Auditório Nabuco Lopes, na Reitoria, com mesas e mini-cursos. A programação completa está no site do SLBEI.

 

 

Reitora participa de entrega da Láurea João Florentino

Solenidade destaca profissionais dedicados à produção científica na área de ciências farmacêuticas
12/07/2017 às 16h20
context/imageCaption

Cerimônia aconteceu no auditório da Reitoria

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

A reitora Valéria Correia participou da cerimônia de entrega da Outorga Láurea João Florentino Meira de Vasconcellos de Inovação Farmacêutica, dedicada aos profissionais que reconhecidamente tenham se destacado em atividades de prestação de serviços, produção científica, disseminação do conhecimento e empreendedorismo em ciências farmacêuticas e afins. A solenidade fez parte da oficina de Informação Farmacêutica, realizada na terça-feira (11), promovida pela Academia Nacional de Farmácia, na Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

“É com muita honra que nós recebemos aqui na Ufal os membros da Academia Brasileira de Ciências Farmacêuticas e da Academia Nacional de Farmácia. A Láurea mencionada nos orgulha especialmente, dando destaque para o nosso curso de Farmácia e à produção científica na área, resultante do esforço coletivo desses pesquisadores”, afirmou Correia.

Três graduados em Farmácia pela Ufal receberam a Láurea, foram eles: Lisete Gomes de Carvalho, da Santa Casa, e os professores Daniel Silva e Mariana Santos. Outros dois professores da Ufal também foram contemplados entre eles o diretor da Escola de Enfermagem e Farmácia, João Xavier de Araújo, e o professor Ticiano Gomes, mencionado pelo seu estudo sobre a própolis vermelha em Alagoas.

Patrono

João Florentino Meira de Vasconcellos nasceu na cidade do Pilar, na Paraíba e foi diplomado em Farmácia pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Fundou a Sociedade Farmacêutica, semente da Escola Livre de Farmácia, fundada em 1898, que deu origem à Faculdade de Farmácia e Odontologia da Universidade de São Paulo (USP). Participou ativamente na organização e promoção da Farmacopéia Paulista, oficializada em 31 de maio de 1917, trabalhando incansavelmente pela sua adoção no Estado de São Paulo.

11º Fim de Semana no Museu traz programação com atividades científicas e culturais

Museu de História Natural da Ufal realiza evento em parceria com Usina Ciência e Faculdade Estácio de Alagoas
06/07/2017 às 10h09 - Atualizado em 07/07/2017 às 11h28
context/imageCaption

Arte de Divulgação

Graziela França- estudante de Jornalismo

Conhecimento e diversão farão parte da programação de férias da 11ª edição do Fim de Semana no Museu realizado pelo Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), nos dias 8 e 9 de julho. Desta vez, o evento acontece em parceria com outro projeto de extensão, a Usina Ciência e o Núcleo de Educação Física da Faculdade Estácio de Alagoas.

O evento traz para o público uma colônia de férias com diversas atividades que englobam astronomia, biologia, física, química, recreação, jogos didáticos, brincadeiras na sala lúdica, além das exposições. Toda programação estará disponível de 9h às 17h nos dois dias com o objetivo de proporcionar muito conhecimento e diversão para as crianças e todo o público participante.

A museóloga Cíntia Rodrigues, uma das organizadoras do evento, contou que realizar o evento em parceria com outros órgãos traz mais conhecimento e diversidade nas atividades para os visitantes. “É importante para as unidades de extensão das Universidades esta parceria, pois é uma oportunidade de oferecer ao público uma possibilidade maior recursos para aprendizado e lazer, e executar os projetos de extensão que temos. Além disso, fortalece e promove nossas ações e traz praticidade para o público que pode conhecer um pouco do nosso trabalho reunido em um só lugar”, destacou a museóloga.

O evento acontece na sede do MHN, localizado na Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade), e é gratuito e aberto para o público de todas idades. 

Serviço:

O quê: 11º Fim de semana no Museu

Quando: 8 e 9 de julho

Horário: Das 9h às 17h

Local: Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade)

Ufal discute com órgãos da justiça políticas destinadas à criança e ao adolescente da capital

Reunião contemplará o Santos Dumont, localizado no bairro do Tabuleiro do Martins e conta com a participação do Núcleo Temático da Criança e do Adolescente (NTCA), da instituição
06/07/2017 às 10h23 - Atualizado em 06/07/2017 às 16h46

Diana Monteiro - jornalista

Nesta sexta -feira, dia 7, a partir das 9h, será realizada no auditório do Laboratório de Computação Científica e Visualização (LCCV), Campus A.C. Simões, uma reunião que tem como foco central a efetividade da Rede de Atendimento à Criança e ao Adolescente residentes no Santos Dumont, localizado no bairro Tabuleiro do Martins, em Maceió. A reunião tem como público-alvo trabalhadores das diversas políticas setoriais, estudantes, professores, interessados em conhecer as principais demandas daquela comunidade que fica na circunvizinhança do campus. 

A reunião para tratar de ações efetivas destinadas envolve a participação da 11ª Promotoria de Justiça da Capital (Infância e da juventude), do Ministério Público do Estado (MPE/AL), em parceria com o Núcleo Temático da Criança e do Adolescente (NTCA), da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Representantes dos demais órgãos estaduais e municipais que constituem a Rede de Atendimento nessa área, também estarão presentes às discussões. 

A professora Márcia Iara Costa da Silva, da Faculdade de Serviço Social (FSSO) e coordenadora do NTCA adianta que as atividades programadas serão por bairro, com participação da rede local e objetivam fazer o levantamento das demandas de cada comunidade, por política setorial. A partir do debate coletivo, propostas serão elencadas, segundo ela, na perspectiva de encontrar soluções para problemas diagnosticados e daí criar fluxos de atendimento que assegurem a garantia do direito da criança e do adolescente que necessitam de atendimento. E acrescenta: 

“Objetiva-se que a partir de todo esse processo, responsabilidades sejam assumidas pelos órgãos gestores no sentido de garantir o exercício do direito e o acesso de crianças, adolescentes e jovens aos serviços, programas e projetos, executados pelas diversas politicas setoriais”, afirma Márcia, que também lidera na Ufal o Grupo de Pesquisa Rede, Questões Geracionais e Políticas Públicas. Além dela, também coordenará a discussões a Promotora de Justiça Alexandra Beurlen.

Procuradoria Institucional realiza segundo painel sobre o processo de recredenciamento da Ufal

Momento esclareceu dúvidas sobre pontos avaliados pela comissão; ciclo acontece em agosto
06/07/2017 às 09h39 - Atualizado em 19/07/2017 às 15h12
context/imageCaption

Painel aconteceu nesta terça-feira (4)

Klebson Candido – estagiário de Relações Públicas

A Procuradoria Educacional Institucional (P.E.I.) realizou, nessa terça-feira (4), mais um painel sobre o processo de recredenciamento do Ministério da Educação (MEC), pelo qual a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) irá passar em agosto. O painel foi voltado aos coordenadores de curso e teve como tema: Regulação e supervisão da educação superior: o processo de recredenciamento. A discussão contemplou os principais pontos-chave da avaliação institucional.

O painel foi mediado pelo procurador institucional e coordenador da comissão de recredenciamento, Tiago Leandro Cruz, e contou com a presença da diretora de avaliação e regulação de ensino do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), Tarcimária Gomes, que falou sobre O Sistema Nacional de Avaliação Superior e o processo de recredenciamento.

Tarcimária salientou que assim como o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), o processo de recredenciamento avaliará, entre outros pontos, ações de ensino, pesquisa, extensão, além de responsabilidade social empreendidas pela Universidade. “O recredenciamento é uma das ações que compõe o Sinaes, que é composto por ações diversas de avaliação interna da instituição, da autoavaliação e ações externas de observação de avaliação das ações institucionais do trabalho quanto ao ensino, pesquisa e extensão”, afirmou.

A importância da participação dos estudantes no processo de recredenciamento também foi assunto discutido. “O aluno, para além da sua vida como estudante da instituição, é uma representação da sociedade estando dentro dela. Então ele tem a responsabilidade de apresentar à sociedade à qual ele representa a importância social da instituição que forma futuros profissionais. A sociedade tem o direito de conhecer quais são as ações que a instituição implementa no seu dia a dia e a partir daí compreender a relevância da instituição para a sociedade", ressaltou.

Os indicadores levantados no primeiro recredenciamento da Ufal oferecerão subsídios para avanços necessários. “Os governos instituídos veem quais são as necessidades de avanços e melhorias que precisam ser implementadas através de políticas públicas para ampliação de vagas, ofertas de turno, disponibilização de novas vagas para concurso de professores, técnico-administrativos, ampliando a oferta [de vagas] na educação superior.  Então esses dados vão para os órgãos reguladores e de acompanhamento, diferentes secretarias e ministérios fazem a análise para ver quais são os investimentos necessários para o estado de Alagoas”, finalizou.

Primeiro painel

No dia 14 de junho, a programação foi voltada aos Pró-reitores, diretores dos campi e unidades acadêmicas, coordenadores de graduação e de pós-graduação, assessores e diretores de órgãos da Reitoria do Campus A.C. Simões.

Na oportunidade, Tiago Cruz falou da necessidade de reforçar as contribuições sociais da Universidade durante o recredenciamento.  “Será uma avaliação de tudo o que a Ufal vem construindo ao longo dos seus 56 anos. E é um momento de grande importância, pois estamos em uma conjuntura em que os serviços públicos e seus servidores são colocados em questionamento, então esse é um compromisso a mais do que já temos no processo de recredenciamento”, declarou. 

Visitas

A reitora Valéria Correia tem realizado diversas visitas às Unidades Acadêmicas para falar sobre recredenciamento. Confira a agenda:

JULHO
19 - quarta-feira
manhã - IQB
tarde - CEDU

21 - sexta-feira
manhã - IM
tarde - FSSO

24 - Segunda-feira
manhã - FEAC
tarde - IGDEMA

25 - terça-Feira
tarde - ICS

#AGOSTO

02 -Quarta-feira
manhã - FOUFAL
tarde - ICHCA

04 - Sexta-Feira
manhã - FAU
tarde - FALE

08 - Terça-feira
Manhã- CECA

09 - Quarta-feira
manhã - IC

10 - Quinta-feira
manhã - CTEC

14 - Segunda-feira
manha - FAMED

15 - Terça-feira
manhã - ICBS

16 - Quarta-feira
manhã - ESENFAR

17 - Quinta-feira
manhã - ICAT

23 - Quarta-feira
manhã - IF

Seminário Internacional na Ufal discute dívida pública e crise capitalista

Evento reúne pesquisadores do Brasil, Uruguai, Argentina, Colômbia e Itália
07/07/2017 às 09h30
context/imageCaption

Convidados compõem a mesa de honra

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

Teve início nesta quinta-feira (6) o Seminário Internacional Dívida Pública, Crise Capitalista e Questão Social, evento realizado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) em parceria com a Auditoria Cidadã. A atividade reúne pesquisadores do Brasil, Uruguai, Argentina, Colômbia e Itália para discutir e compartilhar experiências de auditoria da dívida em cada país.

A reitora Valéria Correia expressou o orgulho de ter a Ufal sediando e participando desse evento internacional. “A Universidade cumpre o papel de elucidar o que tem por trás desse mito da dívida pública. Esse seminário marca uma trajetória da nossa gestão. Queremos lembrar que estamos de um lado, do lado do povo brasileiro, da defesa dos serviços públicos e das universidades federais brasileiras contra os cortes de gastos”, afirmou.

De acordo com a coordenadora da Auditoria Cidadã da dívida pública, Maria Lúcia Fatorelli, conectar a questão da dívida com a crise é o ponto de partida do encontro. “Afinal, que crise é essa? Nós tivemos no Brasil alguma calamidade ou alguma guerra? Temos batido recorde de safra, recorde de produção, um país que simplesmente possui todas as riquezas em abundância. Isso é uma crise fabricada, intimamente ligada com a política monetária que cria dívida pública”, explicou.

À frente da organização, o professor José Menezes reforçou o papel do seminário enquanto espaço de encontro com demais grupos, entre eles os sindicatos, e propôs a construção de uma carta política elencando os problemas vindos da dívida e quais as consequências sociais. “Nossa tarefa não é apenas discutir. No Uruguai estão privatizando o hospital que atende um milhão de pessoas, isso representa um terço da população. É importante que daqui tenhamos essa carta política que nos coloque a possibilidade de criar uma unidade para enfrentar esses ataques e ir em defesa dos nosso direitos”, enfatizou.

Estiveram presentes ainda na mesa de abertura o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), professor Fábio Guedes; a coordenadora do Programa de Pós-graduação de Serviço Social (PPGSS), Norma Alcântara; representando o intercâmbio com a Faculdade de Serviço Social, o professor Francesco Scheettino, da Universidade de Napoli, na Itália; o vice-presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), juiz Antônio José de Carvalho; e representando os sindicatos, o coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Alagoas (Sintufal), Evilásio Freire.

O evento é aberto, gratuito e segue com programação até amanhã (7). Mais informações na página do evento. 

Confira resultado preliminar da seleção de estágio com bolsa

Candidatos podem interpor recurso até esta quinta-feira (13)
12/07/2017 às 09h53 - Atualizado em 13/07/2017 às 13h51

Klebson Candido - estagiário de Relações Públicas 

 

A Pró-reitoria de Graduação (Prograd) publicou nessa terça (11), o resultado preliminar do processo de seleção de estagiários com bolsa para a Universidade Federal de Alagoas (Ufal). Os candidatos podem interpor recurso até esta quinta (13), exclusivamente por meio do preenchimento de formulário disponível online.

Os candidatos que interporem recursos, deverão enviar os documentos necessários em um único e-mail para: estagioufal@gmail.com, dentro do prazo previsto no edital do certame.

O resultado final será divulgado na data provável de 17 de julho. 

Confira aqui o resultado preliminar.

 

 

Feac promove 2º Congresso Alagoano de Gestão em Economia

Evento ocorre entre 25 e 27 de julho, à partir das 19h, no prédio da Faculdade de Economia
13/07/2017 às 11h03 - Atualizado em 14/07/2017 às 11h56
context/imageCaption

Arte de divulgação

Cairo Martins - estagiário de Jornalismo

Entre os dias 25 e 27 de julho, a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), promove o 2° Congresso Alagoano de Gestão em Economia, Administração e Contabilidade (Conag). Nesta segunda edição, o evento será voltado para a gestão no setor privado, tendo como tema Perspectivas para Inovação no Mercado Empresarial Alagoano.

O objetivo é promover discussões de temas relevantes que possam contribuir com compartilhamento do conhecimento técnico e científico nas áreas mais diversas. O 2º Conag está aberto a professores, pesquisadores, consultores e formuladores de políticas públicas nas áreas para enriquecer o debate.

O evento conta com o apoio do Grupo de Estudos em Tecnologia, Inovação e Competitividade (Getic) e é patrocinado pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal).

O Congresso acontecerá no prédio da Feac, a partir das 19h. Para mais informações acesse o site, clicando aqui.

Procura de estudantes para regularizar pendências supera expectativas

Desligamento de alunos que perderam prazo é medida administrativa
11/07/2017 às 12h50 - Atualizado em 13/07/2017 às 12h03
context/imageCaption

Carolina Lins, estudante de História conseguiu regularizar situação

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

A Pró-reitoria de Graduação (Prograd) ainda está recebendo das coordenações dos cursos os dados sobre os estudantes que procuraram a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) para regularizar pendências e concluir o curso, mas já se sabe que o número superou as expectativas.

O alerta da pró-reitora Sandra Regina da Paz é que os alunos que não procuraram a Ufal no prazo estabelecido devem ser desligados porque excederam o prazo previsto para a conclusão do curso. “A medida é administrativa, cumprindo o regulamento, isso não é uma expulsão, como chegou a ser veiculado na imprensa, já que o aluno só é expulso quando é punido por algo grave”, explicou a pró-reitora.

O prazo para regularização de estudantes com pendências acadêmicas foi encerrado ontem (10). A ação foi amplamente divulgada e todas as coordenações se empenharam em entrar em contato com os estudantes individualmente para informar sobre a situação. “Identificamos o problema dos alunos em situação de desligamento no ano passado, desde então, passamos a tomar algumas medidas para resolver a questão. Uma delas foi a convocação de alunos que estavam devendo o TCC”, informou Suzana Barrios, da Coordenação de Desenvolvimento Pedagógico da Prograd. Em 2016, 37% dos estudantes diplomados já tinham o tempo de integralização expirado.

A estudante de História, Carolina Lins, teve dificuldades para entregar o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) durante a graduação, mas regularizou a situação dentro do prazo. Ela lembrou que parte dos estudantes não se dedica apenas ao curso, mas se divide entre trabalho e família, o que dificulta o desenvolvimento do trabalho no tempo hábil. “Muitos alunos já tinham perdido as esperanças em colar grau e agora vão ter uma segunda chance para sair com o diploma. O nível superior é de fundamental importância no mercado de trabalho, a Resolução foi uma grande oportunidade para os alunos”, afirmou. A Resolução Nº 13/2017 foi aprovada pelo Conselho Universitário (Consuni) no dia 8 deste mês.

Oficinas

Outras ações em planejamento são duas oficinas, uma oficina de elaboração de projetos para orientar os estudantes sobre o TCC e, e a outra oficina prevê orientar os alunos sobre a sistematização dos estudos e das leituras para aqueles que se distanciaram das pesquisas e do trabalho de conclusão. “Nossa intenção é que todos consigam concluir seus cursos com sucesso”, finalizou a coordenadora Suzana Barrios. A oficina de elaboração de projetos será ministrada pelo professor Silvio Gamboa, pesquisador na área da Educação, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). 

Liga Acadêmica de Saúde Coletiva empossa nova diretoria

Evento foi marco inicial da interação entre as ligas acadêmicas
10/07/2017 às 11h45 - Atualizado em 10/07/2017 às 15h46
context/imageCaption

Os novos membros da Liga Acadêmica de Saúde Coletiva

Eduardo Lira - estudante de Relações Públicas

Os novos membros da Liga Acadêmica de Saúde Coletiva (Lasc), formada por alunos do curso de Enfermagem da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), tomaram posse na tarde da última sexta-feira (7), no auditório do Núcleo de Saúde Pública (Nusp).

As estudantes Adrielly Cristina e Andressa Ramos foram as responsáveis por dar início à cerimônia numa palestra sobre o histórico e a relevância das ligas na formação do profissional. “Ela vai ampliar o senso crítico dos discentes, desenvolver o senso teórico e prático dos estudantes proporcionando profissionais melhores à população, potencializando a formação acadêmica, além de desenvolver uma assistência humanizada”, pontuou Adrielly.

Logo após, ocorreu a apresentação das atividades das ligas que compõem a Lasc. Iniciada pela aluna de Enfermagem, Thayná Mayara, membro da Liga Acadêmica de Enfermagem Gineco-Obstétrica Enfermeira Elza de Morais (Laego), seguida pela apresentação do estudante Davi Porfírio, presidente da Lasc, que ministrou sobre a criação da liga.

“A partir de agora, a gente pretende ir para o campo da extensão, chegando junto das comunidades, fazendo nossas ações de saúde e apresentando à liga mais oportunidades”, comentou Davi sobre a nova fase da Lasc. Participou também da cerimônia, o estudante e membro da Lasc, Danilo Damião, que acredita que sua participação na liga possa trazer bons frutos para o campo de trabalho. “Ela permite que eu, enquanto estudante de enfermagem, possa explorar essa área da saúde coletiva tanto na pesquisa como na extensão e ensino”, destacou.

Ao final da solenidade, a coordenadora do curso de Enfermagem, Amuzza Aylla, deu as boas vindas aos membros executivos atentando para os valores primordiais que compõem a profissão: cuidar, escutar, acolher e ajudar. “E que vocês possam levar o nome da Escola de Enfermagem aonde quer que vocês estejam, e que possam acolher à comunidade e a outros acadêmicos aqui dentro”, discursou.

Os nova diretoria da Liga

Com citações do educador e filósofo Paulo Freire, tomaram posse os discentes: Davi Porfirio da Silva (presidente), Igor Michel Ramos dos Santos (vice-presidente), Adrielly Cristina de Lima Raimundo (secretária geral e executiva), Nataly Cavalcante (diretora de comunicação) Andressa Ramos de Araújo (diretora de ensino e pesquisa), Paula Danielle Cavalcante R. De Melo (diretora de extensão) e Siane Mariano Alves (tesoureira).  

Santana do Ipanema sedia 1ª Semana de Economia

O evento organizado pelo Centro Acadêmico de Economia ocorre de 12 a 14 de julho
10/07/2017 às 11h11
context/imageCaption

Palestra de abertura será na Câmara de Vereadores de Santana

Cairo Martins - estagiário de Jornalismo e Anderson Santos - jornalista colaborador

O Centro Acadêmico do curso de Economia (Caeco) da unidade educacional da Ufal em Santana do Ipanema realiza, entre os dias 12 a 14 de julho, a 1ª Semana de Economia (Semeco), com o tema Introduzindo saberes acadêmicos. A palestra inicial será ministrada pelo professor Cícero Péricles, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac), do Campus A.C. Simões.

O evento propõe ser um relevante espaço para debates acadêmicos, políticos e científicos, comprometidos com o desenvolvimento crítico e social dos estudantes e profissionais da área, e conta com o apoio do curso de Economia da Unidade.

Segundo o coordenador Cristiano Santos, a atividade “busca aproximar os alunos e a comunidade local da discussão e aplicação de conceitos econômicos, permitindo maior integração entre os discentes e a comunidade”.

A programação contará com oficinas, minicursos e palestras que serão ministradas por docentes e estudantes do curso, além de convidados externos, como o deputado estadual Rodrigo Cunha, que tratará do monitoramento da gestão pública; e dos docentes da Feac Ana Milani, Natallya Levino e Maria Cecília Junqueira Lustosa.

A presidente do Caeco, Beatriz Silva, relata que as atividades programadas buscam contribuir com os conhecimentos adquiridos para além da sala da aula. “Buscamos abranger áreas de todos os gostos para que venha agradar maior quantidade de público e assim tornar nosso evento um sucesso”, afirma a estudante.

No período vespertino o evento ocorrerá no Colégio Divino Mestre, e à noite na Câmara de Vereadores do município, onde haverá a palestra de abertura.

Inscrições e mais informações no site do evento.

Progep seleciona servidores para capacitação em evento nacional

São 30 vagas e as inscrições seguem entre 18 e 24 julho para administradores, assistentes e auxiliares em Administração
12/07/2017 às 16h37 - Atualizado em 13/07/2017 às 09h33
context/imageCaption

Arte de divulgação

Cairo Martins - estagiário de Jornalismo

A Pró-reitoria de Gestão de Pessoas e do Trabalho (Progep), divulga o edital de seleção para participação da 22ª edição do Congresso Nacional Brasileiro de Administração (Conad), que acontecerá em outubro, na cidade Goiânia, Goiás. A ação dá sequência às atividades para capacitação dos servidores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), desenvolvidas pela Coordenadoria de Desenvolvimento de Recursos Humanos (CDRH).

São ofertadas 30 vagas para servidores que possuem os cargos de Administradores, Assistentes e Auxiliares de Administração, com formação superior ou tecnológica. Os interessados em participar da seleção devem realizar solicitação entre 18 e 24 julho, através do preenchimento do formulário de Participação de Servidor em Evento Externo, código F0064.

Após o preenchimento do formulário, o servidor deverá abrir o processo no SIPAC, tramitar no sistema e encaminhar fisicamente para a Gerência de Capacitação cumprindo cronograma especificado no edital. De acordo com a DCRH, processos incompletos e fora do prazo não serão aceitos.

Das 30 vagas ofertadas, 15 são para administradores, 13 para assistentes e 2 para auxiliares em Administração. As despesas com taxa de inscrição do evento, passagem aérea e diárias, serão custeadas pela Universidade.

Esta ação tem como finalidade proporcionar o debate dos desafios da profissão, para adquirir conhecimento de alternativas, soluções, informações e novas tendências com o objetivo de melhorar o âmbito profissional.

Confira o edital na seção de ‘Concursos e eventos’ no site da Ufal e saiba mais informações sobre o Conad neste link.

Projeto de extensão capacita agricultores de assentamento em Branquinha

‘Colhendo Bons Frutos’ integra nutrição e agroecologia para a inclusão socioeconômica da comunidade
10/07/2017 às 15h26 - Atualizado em 11/07/2017 às 13h16
context/imageCaption

Projeto acontece no Assentamento Zumbi dos Palmares

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo


Contemplado entre mais de mil iniciativas de todo o Brasil, o projeto Colhendo Bons Frutos: nutrição e agroecologia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), vem desenvolvendo um trabalho interdisciplinar no Assentamento Zumbi dos Palmares (AZP), no município de Branquinha, com o objetivo favorecer a inclusão socioeconômica da comunidade por meio do cultivo e do beneficiamento de produtos agroecológicos. Como parte dessas ações, os pesquisadores promoveram, no mês de junho, o primeiro módulo do Curso Básico de Apicultura para jovens agricultores.

Numa parceria com o Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (Emater), as 20 vagas foram preenchidas por membros da comunidade e de outros assentamentos. A capacitação foi ministrada pela zootecnista Dinayse Almeida, técnica da Emater.

“A ideia é despertar, principalmente nos jovens, o gosto pela atividade e mostrar a eles que dá certo”, afirmou Almeida. Durante o curso, os agricultores ganharam o material de apiário e conheceram as normas para instalação e funcionamento das casas de mel, onde são processados os produtos apícolas. A outra parte da capacitação foi prática. Os participantes visitaram a casa do mel em União dos Palmares, e sugeriram, de acordo com as recomendações passadas no curso, um local para a instalação do apiário. 

A apicultura foi escolhida pela comunidade por ser uma alternativa rentável e um meio de manter os jovens no campo. “Alguns já trabalham com isso e eles gostam da apicultura por conta do desafio e do certo risco da atividade. A agricultura é um processo lento e o jovem quer algo mais imediato e concreto. Com o mel, quando feito de forma adequada, o retorno financeiro é mais rápido”, contou a professora da Faculdade de Nutrição (Fanut) Maria Alice, que coordena o projeto.

Além da capacitação em parceria com a Emater, o projeto Colhendo Bons Frutos realizou, no ano passado, um curso de Agroecologia no AZP para incentivar a produção em base agroecológica. “Essa é nossa intenção: estimular outros agricultores a produzirem sem agrotóxicos, porque muitos ainda utilizam. Isso vem de uma herança da cana-de-açúcar”, afirmou Alice. Durante a capacitação, os agricultores aprenderam técnicas de compostagem, o adubo feito a partir de resíduos de alimentos, para não depender de insumos comprados. Também aprenderam a lidar com as pragas de forma natural, sem utilizar veneno.

Mulheres no campo

As ações desenvolvidas pelo projeto são importantes também para a inclusão socioeconômica das mulheres do assentamento. “As mulheres não tinham direito a nada, tudo era no nome dos homens. Quando vinha algum projeto, elas não recebiam. Os homens dizem que eu queria tirar a esposa deles de casa. Enfrentei muita coisa e comecei a chamar outras mulheres para se organizar”, contou a presidente da Associação de Produtoras Agroecológicas da Zona da Mata de Alagoas (Aproagro), Maria Lucilene, que mobilizou as agricultoras para fundar uma associação onde elas pudessem ter autonomia e reconhecimento. De acordo com o estatuto da Aproagro, os homens só podem participar se suas esposas também participarem. “Não é só para mulheres, mas quem toma as decisões somos nós”, reforça Maria.

Na Associação elas produzem polpas e doces com as frutas que não conseguiam ser vendidas e eram descartadas. Os produtos são comercializados na Feira Orgânica. “O projeto melhorou nossa condição de vida. Tanto ajuda o agricultor como o pessoal da cidade, levando um alimento saudável”, afirma a agricultora.

Na perspectiva de melhoria do produto vendido na Feira, o projeto realizou um trabalho de rotulagem com o apoio das alunas de Nutrição, produzindo a informação nutricional de seis doces no laboratório de técnica dietética na Ufal. Segundo a coordenadora, apesar do doce não ser algo interessante de se estimular o consumo, é um produto que faz parte da renda das mulheres do campo. “Faz parte da cultura nordestina, é uma alternativa rentável e respeitamos isso”, completa. O trabalho está em fase de conclusão.

Mais ações

O projeto começou em 2014, sem financiamento, com ações desenvolvidas apenas na Feira Orgânica da Ufal. Em setembro de 2015, o Colhendo Bons Frutos: nutrição e agroecologia foi contemplado no Prêmio Santander na categoria Universidade Solidária e com o recurso as atividades se expandiram.  

Após reuniões, os colaboradores do projeto, junto com a comunidade do AZP, começaram a identificar quais eram os problemas a serem resolvidos, a fim de atender às demandas da Feira Orgânica e promover a alimentação saudável na comunidade universitária. “A Feira tinha pouca diversificação, poucos agricultores levavam seus produtos para lá e precisávamos melhorar a qualidade do que chegava”, conta a coordenadora.

A partir dos encontros, algumas ações foram desenvolvidas pelo projeto, beneficiando o assentamento e, consequentemente, ampliando a oferta de produtos na feira da Ufal. Uma delas foi a compra e instalação de equipamentos para melhorar a irrigação, feita pela comunidade, sob a orientação de um agrônomo.

Para diversificar a oferta de vegetais folhosos, como o alface, o projeto contou com a parceria do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), Campus Satuba, que ofereceu as mudas e ensinou as agricultoras a plantarem. “Com as orientações, elas criaram um pequeno viveiro e o trabalho foi crescendo. Antes elas compravam em Arapiraca para poder plantar aqui”, explica Alice. 

Outras ações são pensadas para o futuro, como a produção de banana passa e laranja desidratada. “No momento não temos o equipamento para desidratar, mas é uma ideia porque nessa região tem muita banana e laranja. Essa produção vai ser boa para atender o pessoal mais fitness”, comentou.

Pesquisas

Paralelamente ao projeto de extensão, estão sendo desenvolvidas duas pesquisas interligadas que tratam da saúde nutricional dos assentados. As atividades dos dois projetos são executadas por professores da Fanut, de Serviço Social e de Agroecologia.

Biblioteca Central recebe computadores novos

Ao todo foram adquiridas 500 máquinas para atender as unidades acadêmicas; Biblioteca ganhou 40 em dois laboratórios
13/07/2017 às 11h12 - Atualizado em 14/07/2017 às 09h54
context/imageCaption

O espaço Via Pesquisa recebeu 24 novos computadores para que os alunos façam pesquisas

Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo

A reitora Valéria Correia realizou, na tarde desta quarta-feira (12), a entrega de 40 computadores novos, que serão utilizados em dois laboratórios da Biblioteca Central (BC) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A Pró-reitora Estudantil, Silvana Medeiros, e a diretora da BC, Cristiane Oliveira, também estiveram presentes na ocasião.

Essa realização se deu após um diagnóstico sobre as principais necessidades da biblioteca e visando proporcionar inclusão digital aos alunos da Universidade. Dos 40 computadores entregues, 24 foram destinados ao espaço Via Pesquisa, que é disponibilizado para que alunos da Instituição possam realizar pesquisas online, e 16 computadores foram enviados para o Centro de Inclusão Digital (CID), ambos localizados no prédio da biblioteca.

A reitora expressou enorme satisfação na entrega dos equipamentos, e frisou que o objetivo da gestão atual sempre será priorizar o atendimento aos estudantes e os espaços coletivos. “Conseguimos adquirir 500 computadores, e com eles iremos suprir as mínimas necessidades das unidades. E uma das prioridades nesse primeiro momento foi o laboratório coletivo dos estudantes”, declarou. E complementou: “É uma satisfação ver todos os equipamentos do prédio funcionando, porque mesmo com a Universidade em crise conseguimos um mínimo de conforto para os alunos estudarem, principalmente porque a biblioteca é o cérebro da Universidade e congrega estudantes de diversos cursos”.

Atividades do CID

A iniciativa de incluir o Centro de Inclusão Digital na biblioteca, partiu de uma proposta da Pró-reitoria Estudantil (Proest), que sugeriu que um dos espaços do local fosse cedido para funcionar o projeto. O CID estava parado por dificuldades relacionadas aos equipamentos. “Antes o projeto estava em um local de difícil acesso e agora fomos muito bem acolhidos nesse espaço da biblioteca”, afirmou Silvana Medeiros.

De acordo com Alex Renner, técnico administrativo da Proest e responsável pelo projeto de inclusão, a ideia é ter no projeto estudantes de várias áreas da graduação, que possuam habilidades nos softwares que serão abordados no curso, para que assim eles repassem esses conhecimentos em informática para outros alunos. “Teremos diversos cursos, um deles explicará como trabalhar a ABNT na formatação de documentos, outro vai trabalhar as ferramentas da apresentação de slides, envolvendo fonte, cores e softwares que podem ser usados. E assim trataremos as necessidades básicas da graduação e da formação com os próprios estudantes”, declarou.

O projeto já conta com uma equipe de dez alunos bolsistas e a previsão é que na próxima semana as inscrições sejam abertas, para os turnos matutino e vespertino. “A chegada desses computadores foi muito importante, pois nós tínhamos computadores, mas eram antigos. E agora podemos ampliar a capacidade do laboratório, que com mais computadores poderemos atender mais alunos”, finalizou Renner.

Os detalhes sobre a seleção serão divulgados em breve.

Nota de Falecimento

07/07/2017 às 15h49 - Atualizado em 07/07/2017 às 15h54

Redação Ascom

A direção do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA-UFAL/EBSERH) comunica, com pesar, o falecimento da enfermeira Lenir Nunes de Oliveira. Lenir trabalhou no HU e foi professora do curso de Enfermagem da Universidade Federal de Alagoas. Inclusive, o Auditório Geral do hospital foi inaugurado com o seu nome em 1997, em reconhecimento aos serviços prestados pela servidora. O sepultamento ocorrerá  às 17h, no cemitério Parque das Flores.   

8

Dia da Mulher Negra na Ufal discute saúde, cultura e empoderamento

Programação contou com oficina, mesa redonda e apresentação cultural
01/08/2017 às 08h59 - Atualizado em 03/08/2017 às 10h45
context/imageCaption

Dia da Mulher Negra é celebrado na Ufal

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo 

 

Na última terça-feira (25), o Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Alagoas (Sintufal) promoveu um debate para marcar o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha e Dia Nacional de Tereza de Benguela. É a segunda vez que a data é comemorada na Ufal e neste ano, o tema discutido foi Saúde da mulher, cultura e empoderamento.

“O objetivo maior é a formação da nossa categoria. O tema chama a atenção da mulher negra para se cuidar e estamos aproveitando esse espaço para discussões e empoderamento”, afirmou a coordenadora de Direitos Humanos, gênero, raça e etnia do Sintufal, Girlaine Santos.

Para a advogada Kandysse Melo, do Escritório da Mulher, o dia 25 de julho é uma data de resistência que tem importância nacional. “Trazer para uma instituição de ensino superior a questão do povo negro quebra barreiras e preconceitos. Serve para reforçar que além de empoderadas, as mulheres negras precisam reconhecer seus direitos”, disse.

Na programação, o psicólogo Sidney José dos Santos coordenou uma mesa redonda sobre a saúde da mulher negra, discutindo a questão da anemia falciforme, doença genética frequente em Alagoas. “Estudos indicam que até 10% da população negra pode ser portadora do traço falcêmico. No continente africano, 12 mil crianças nascem por ano com a doença. A anemia falciforme traz prejuízos de ordem biológica, social e psicológica”, afirmou Sidney, especialista em doença falciforme.

Cultura e empoderamento

A intérprete de dança Ana Carla Moraes participa do evento desde a primeira edição e reconhece a importância do dia 25 de julho por ser específico para as mulheres negras. “O dia 8 de março não abrange todas as mulheres. Somos invisibilizadas todos os dias, ainda mais as mulheres negras de religião afro”, afirmou.

Como pesquisadora da dança em Alagoas, Ana Carla sempre pensou em como poderia contribuir com sua linguagem para uma dança mais política e crítica. “Minha performance é sobre o genocídio da mulher negra, periférica e LGBT que está morrendo dentro dessa estrutura perversa do machismo e do racismo. É uma construção que retrata a mulher que ainda hoje está na luta e na resistência”, reforçou.

Além da apresentação cultural, o Dia da Mulher Negra teve Oficina de Turbante com a hairstyle Yalla Silva. “As mulheres africanas usavam o turbante para diferenciar classe social e evolução espiritual. Na oficina eu trago o turbante estético, sem focar na questão religiosa, que requer cuidado e segredo”, finalizou.

Nota à comunidade universitária

01/08/2017 às 12h02 - Atualizado em 01/08/2017 às 14h05
Em virtude da paralisação dos serviços de transportes públicos na região metropolitana de Maceió, e para evitar maiores prejuízos acadêmicos, a Pró-reitoria de Graduação (Prograd) orienta aos docentes que ministram aula na data de hoje, dia 1º de agosto, a evitarem dar início a novos conteúdos, bem como a não registrarem falta dos estudantes, pois muitos dependem exclusivamente desses transportes para chegarem à Universidade.

 

Andifes publica nota em apoio ao reitor da Uneal

Publicação foi feita após relato do reitor em exercício da Ufal em reunião da Associação
01/08/2017 às 15h04 - Atualizado em 03/08/2017 às 10h10

Ascom Ufal

O reitor em exercício da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), professor José Vieira, relatou à Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), o caso da denúncia de ameaça de morte publicada pelo reitor da Universidade do Estado de Alagoas (Uneal), professor Jairo Campos.

Após o relato, a Andifes tornou pública uma nota de solidariedade em defesa da vida, civilização, autonomia universitária e em defesa da Uneal. A nota foi feita após reunião do Conselho da Associação, no último dia 28 de julho. Os reitores das universidades federais manifestaram repúdio a toda forma de violência, coação e tentativa de intimidação, assim como irrestrita solidariedade ao reitor e ao Conselho Universitário da Uneal e a comunidade acadêmica daquela instituição.

Veja nota em anexo.

Pós-graduação em Sociologia abre vagas para alunos especiais

Interessados têm até 10 de agosto para se candidatarem
01/08/2017 às 14h40 - Atualizado em 03/08/2017 às 10h11

Sara Graziele - estagiária de jornalismo

O Programa de Pós-Graduação em Sociologia abriu vagas para alunos especiais. Os alunos interessados devem ter concluído graduação e poderão se matricular em uma das disciplinas oferecidas no segundo semestre. As  inscrições devem ser feitas até 10 de agosto, e para realizá-las o aluno interessado deve enviar os documento exigidos no edital em anexo para o e-mail: selecaoppgs@gmail.com.

Os documentos necessários para a realização da inscrição são: ficha de inscrição, disponível no edital; diploma ou certidão de graduação; Identidade; CPF; Curriculum lattes e uma carta de intenção que justifique seu interesse pelo curso.

As disciplinas disponibilizadas para o segundo semestre são Teorias dos Movimentos Sociais, ministrada pelo professor Cristiano das Neves Bodart, e Crime e Espaço Urbano, ministrada pelo professor Emerson Oliveira do Nascimento. Os alunos serão selecionados pelos professores que ministrarão as aulas, com base na avaliação de currículo e a carta de intenções do candidato. O resultado será disponibilizado em 16 de agosto e o edital não prevê ações de recurso. Os candidatos selecionados receberão a confirmação em seu e-mail e por meio do site do PPGS.

Candidatos que já cursaram duas matérias como aluno especial, que desistiram ou foram reprovados em disciplinas do curso anteriormente não poderão se candidatar. A matrícula dos selecionados será feita no dia 18 de agosto na secretaria do PPGS e serão exigidos os originais e cópias dos documentos pedidos para a inscrição. O edital pode ser encontrado no site do ICS. 

Inscrição de chapas para Comissão de Ética de Enfermagem do HU começa dia 8

Eleição está prevista para 5 de setembro
04/08/2017 às 08h00 - Atualizado em 08/08/2017 às 12h26

Ascom Ufal

Profissionais de enfermagem efetivos, servidores e empregados públicos lotados no Hospital Professor Alberto Antunes (HUPAA/Ebserh/Ufal), que tenham interesse em fazer parte da Comissão de Ética da categoria, devem inscrever a chapa de candidatos no período de 8 a 18 de agosto, na Secretaria da Divisão de Enfermagem do HU, 2º andar.

De acordo com o edital de convocação, as chapas deverão ser formadas por cinco membros pertencentes ao quadro efetivo de pessoal de enfermagem do HUPAA, sendo três enfermeiros e dois técnicos ou auxiliares de enfermagem.

A inscrição deve ser feita por meio de solicitação formal e os candidatos precisam atender aos requisitos obrigatórios exigidos no edital.

A data prevista para eleição é 5 de setembro, das 7h às 20h, nas dependências do HU.

Confira o edital no anexo.

Tecnologia identifica estado nutricional de agricultores pelas unhas

Difundir método no SUS é um dos objetivos de pesquisa desenvolvida pela Ufal
04/08/2017 às 13h10 - Atualizado em 11/08/2017 às 08h05
context/imageCaption

Análise das unhas faz parte de uma pesquisa sobre biossegurança alimentar

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

Já pensou em poder avaliar sua alimentação dos últimos seis meses a partir de um pedaço de unha? A tecnologia inovadora, desenvolvida pelo professor Rodrigo de Jesus Silva, da Universidade Federal do Acre (Ufac), está sendo utilizada em uma pesquisa na Universidade Federal de Alagoas para analisar a situação nutricional das famílias de seis assentamentos da mesorregião alagoana. Um dos objetivos do projeto é difundir o método para área da saúde, capacitando profissionais para reproduzir a técnica no Sistema Único de Saúde (SUS).                                                     

O estudo é feito a partir da metodologia de isótopos estáveis, que já vem sendo utilizada para avaliar aspectos de transição alimentar e é realizada com coleta de partes de unhas cortadas pelo próprio entrevistado durante a pesquisa. “As diferenças na proporção entre os isótopos de carbono e nitrogênio ocorre naturalmente e permite inferir quais tipos de alimento foram consumidos nos últimos seis meses”, explica a coordenadora do projeto, professora Wanda Hirai.

A análise da coleta vai complementar outros dados da pesquisa interdisciplinar intitulada Saúde ambiental e biossegurança em comunidades rurais nas mesorregiões do estado de Alagoas, que visa verificar a segurança alimentar e nutricional e sua relação com as formas de uso e ocupação do solo em famílias de assentamentos rurais. “Os índices de insegurança alimentar no Brasil são contraditórios. Eles são mais altos na zona rural do que na zona urbana porque não é o acesso à terra que garante a produção. Vários fatores são determinantes para essa condição e é nesse sentido que nossos diálogos se juntam”, afirma a coordenadora.  A coleta de unhas será encaminhada para o Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo (Usp) para análise.

Levantamento

Os dados são coletados com as 150 famílias do Assentamento Zumbi dos Palmares, localizado no município de Branquinha, por meio de um extenso questionário com 18 páginas. Esse levantamento integra outra pesquisa, coordenada pela professora Maria Alice, da Faculdade de Nutrição (Fanut) e complementa o trabalho sobre biossegurança. Os estudantes de Nutrição e de Agroecologia, orientados pelos coordenadores dos dois projetos, visitam os lotes e entrevistam as famílias sobre questões relacionadas à saúde e produção agrícola.

O professor Rafael Navas, do Centro de Ciências Agrárias (Ceca) da Ufal, coordena os estudos sobre a forma de uso e ocupação do solo. O levantamento é feito nos lotes do assentamento, onde são verificados o tipo de produção, como é produzido, em que época e se fazem uso de agrotóxicos. “Primeiro entendemos como eles produzem, depois relacionamos com a questão alimentar. Queremos saber se cultivar um maior número de itens contribui para a segurança alimentar da família”, explica. O trabalho é feito junto ao projeto de extensão Colhendo Bons Frutos: nutrição e agroecologia, que auxilia apresentando alternativas agroecológicas para controle de pragas e manejo.

Para coleta de dados e imagens das comunidades estudadas, o estudo conta com mapeamento aéreo com uso da metodologia VANT (veículo aéreo não tripulado), executado pelo professor Gabriel Paes Marangon, do curso de Engenharia Florestal da Ufal.

A professora Maria Alice, à frente da pesquisa Saúde, nutrição e condições socioeconômicas dos agricultores dos assentamentos do município de Branquinha, Alagoas e do projeto de extensão Colhendo Bons Frutos, identifica os problemas relacionados à saúde das famílias, como anemia e sobrepeso, que são os mais recorrentes. “Fazemos a dosagem de hemoglobina e a partir do resultado orientamos que a pessoa procure o posto de saúde e solicite a suplementação garantida pelo SUS”, afirma. Ao final da coleta, os dados vão ser entregues nas unidades de saúde para reforçar o acompanhamento.

Veja mais sobre o trabalho do projeto Colhendo Bons Frutos no assentamento.

Além dos cursos de Nutrição, Agroecologia e Engenharia Florestal, a pesquisa envolve o de Serviço Social, que se preocupa com o acesso dos agricultores às políticas públicas. “Eles produzem, mas não conseguem escoar a produção, quando na verdade existem programas do governo destinados a essa compra. Nosso papel é ver quais são as dificuldades, quem está habilitado, ver como o agricultor está sendo atendido por esses programas ou porque não está sendo atendido”, conta Hirai, professora da Faculdade de Serviço Social (FSSO).

O projeto Saúde ambiental e biossegurança em comunidades rurais nas mesorregiões do estado de Alagoas tem origem de um edital do Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS), financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de Alagoas (Fapeal) e envolve instituições do Sudeste e Norte do país. Depois do levantamento no AZP, a pesquisa segue para outros cinco assentamentos, analisando 30 famílias em cada, são eles: Dom Helder, na Zona da Mata; Unidos pela Terra e Papagaio, em Igaci; e Santa Maria e Pau Santo, em Cacimbinhas.

Andifes publica nota sobre medida provisória 785

Reitores das instituições federais manifestaram inconformidade com conteúdo da emenda
01/08/2017 às 15h15 - Atualizado em 01/08/2017 às 16h40

Ascom Ufal

Reitores presentes na 165ª Reunião Ordinária do Conselho Pleno da Andifes, em Natal, RN, dias 27 e 28 de julho de 2017, manifestaram sua total inconformidade com o conteúdo e a forma da Emenda Aditiva 55 à Medida Provisória 785 de 2017 que visa transformar a identidade e, por conseqüência, o nome da Universidade Federal da Integração Latino Americana (UNILA), aglutinando, sob consulta, dois campi da Universidade Federal da Paraná (UFPR).

Veja nota completa aqui.

Curso de Teatro promove primeiro sábado cultural

Evento Manifestarte acontece dia 12 de agosto, no Espaço Cultural
07/08/2017 às 10h08 - Atualizado em 08/08/2017 às 08h39
context/imageCaption

Arte de divulgação

Simoneide Araujo – jornalista colaboradora

O que você acha de passar um dia diferente, com direito a muitas apresentações culturais e tudo de graça? Pois então, o curso de licenciatura em Teatro da Universidade Federal de Alagoas promove o Manifestarte, no dia 12 de agosto, a partir das 14h, no Espaço Cultural, na Praça Visconde de Sinimbu.

Será o primeiro sábado cultural e vai mostrar várias produções artísticas locais e comemorar o Dia do Estudante. A ideia dos alunos de Teatro é promover um momento de vivências e trocas de saberes, além de difundir a riqueza da cultura alagoana.

A programação começa com a banda de pífano Fulô da Chica Boa, seguida da Cooperativa de Performance, Perfomance Jal e Performance Panffy - Instinto Selvagem. Para encerrar, terá apresentação de Mary Alves, voz e violão.

Ascom divulga resultado da primeira fase de seleção de estudantes para a Bienal

Classificados farão prova escrita na próxima segunda-feira (7)
03/08/2017 às 10h39 - Atualizado em 04/08/2017 às 13h09
context/imageCaption

Prova eliminatória será dia 7 de agosto

Ascom Ufal

Após a etapa de análise do Histórico Escolar, a Assessoria de Comunicação da Ufal divulgou o resultado da classificação dos inscritos que participam do processo de seleção de voluntários da 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas. Nesta fase classificatória a comissão julgadora considerou a média do coeficiente dos candidatos.

Confira a classificação no anexo.

A próxima etapa será eliminatória e consiste em uma prova escrita, marcada para a próxima segunda-feira (7), às 10h, na Sala 1 do Centro de Interesse Comunitário (CIC).

De acordo com o edital da Chamada, “serão considerados como critérios avaliativos para a segunda etapa aspectos como: escrita em conformidade com a norma padrão, ortografia, centralidade do tema, coesão, coerência e criatividade”.

Dos 24 classificados para a segunda fase do processo seletivo, 13 alunos serão escolhidos para fazer parte da equipe de comunicação da Bienal e atuar nas atividades de divulgação do evento.

O resultado final será conhecido no dia 14 de agosto. A 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas acontece de 29 de setembro a 8 de outubro.

Circuito Penedo de Cinema abre inscrições para trabalhos acadêmicos

Interessados podem submeter artigos ou resumos expandidos até o dia 25 de setembro
03/08/2017 às 10h25 - Atualizado em 22/08/2017 às 18h59
context/imageCaption

Estudantes, professores e técnicos do Ensino Superior podem inscrever trabalhos acadêmicos até 25 de setembro (Foto - Vanessa Mota)

Deriky Pereira - Ascom Circuito

Estão abertas as inscrições de trabalhos acadêmicos para o 7º Encontro de Cinema Alagoano, evento que integra o Circuito Penedo de Cinema. A oportunidade é direcionada a estudantes, professores e técnico-administrativos do ensino superior do país, que podem inscrever resumos expandidos ou artigos até o dia 25 de setembro, por meio do site: doity.com.br/encontrocinema.

De acordo com a chamada divulgada na última quarta-feira (2), cada trabalho poderá ser composto por, no máximo, três autores e cada participante poderá inscrever até dois trabalhos. Além disso, no momento do envio, o nome do arquivo precisa conter as primeiras palavras do título do texto e os materiais enviados devem seguir o padrão da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

O coordenador geral do Circuito Penedo de Cinema, professor Sérgio Onofre, destaca a importância da troca de experiências durante o Encontro. “É uma oportunidade para estudantes e pesquisadores de diferentes cursos de cinema existentes no país hoje apresentarem seus trabalhos e reflexões. É um momento importante e a gente espera que as pessoas que se dedicam ao estudo do cinema no Brasil compareçam em massa ao nosso evento”, diz.

A lista de trabalhos selecionados para apresentação no 7º Encontro de Cinema Alagoano será divulgada no dia 10 de outubro pelo site oficial do Circuito e nas páginas do Facebook e Instagram do evento.

Apresentação

Cada trabalho selecionado para o 7º Encontro de Cinema Alagoano terá, no máximo, dez minutos para apresentação. A emissão de certificados de participação será restrita aos autores que apresentarem os trabalhos presencialmente no dia 11 de novembro.

“Como evento acadêmico é fundamental a garantia de espaços para a reflexão e debate sobre cinema no Brasil, em Alagoas, e sobre ele em diferentes aspectos, desde a formação à produção e à circulação. E, nesse sentido, o 7º Encontro de Cinema Alagoano representa essa janela dentro do Circuito, para que possa haver um momento de discussão sobre o cinema no país”, complementa Onofre.

Sobre o Circuito

O Circuito Penedo de Cinema, que acontecerá de 7 a 11 de novembro em Penedo (AL), é realizado pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) numa parceria com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult), e pelo Instituto de Estudos Culturais, Políticos e Sociais do Homem Contemporâneo (IECPS), com patrocínio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF). 

Para mais informações, acesse o site oficial do Circuito

MHN promove 12ª edição do Fim de Semana no Museu

Evento vai oferecer curso para crianças de 8 a 12 anos
02/08/2017 às 09h53 - Atualizado em 04/08/2017 às 10h34
context/imageCaption

Arte de divulgação

Graziela França- estudante de Jornalismo

Atividades científicas, culturais e artísticas já fazem parte da programação mensal do Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), por meio do projeto Fim de Semana no Museu que chega a sua 12ª edição, nos dias 5 e 6 de agosto. O evento acontece na sede do MHN, localizado na Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade), das 9h às 12h e das 13h às 17h.

Com uma programação variada e atrações para todo o público, o 12° Fim de Semana no Museu traz oficinas, cursos, palestras, aula de tango, apresentação da Orquestra Sinfônica da Ufal, poesia, entre outros. Serão muitas atividades práticas para despertar o interesse do público para a ciência, além das atividades culturais e artísticas.

Para a professora Flávia Moura, responsável pelo setor de etnoecologia e por esta edição do evento, a intenção é trazer a ciência no cotidiano, por isso o tema será Na cabeça e nas mãos.

 “A importância é ampliar o conhecimento científico na sociedade, atrair público para uma atividade de lazer saudável e educativa, estimular as pessoas a pensar em ciência como uma coisa muito interessante, de fácil compreensão e que ajuda no desenvolvimento pessoal e de nossa sociedade”, destacou a professora.

Além de toda a programação, uma novidade é um curso de Cientista Mirim, dividido em módulos ministrados a cada edição do Fim de Semana no Museu. Podem participar crianças de 8 a 12 anos.

Serviço:

O quê: 12° Fim de Semana no Museu

Quando: 5 e 6 de agosto

Horário: das 9h às 12h; 13h às 17h

Local: Av. Amazonas, Prado (Praça da Faculdade)

Projeto de extensão de Direito doa livros para o sistema prisional

Foram doados 500 livros para incentivo ao projeto Lêberdade
03/08/2017 às 09h08 - Atualizado em 04/08/2017 às 10h33
context/imageCaption

Livros foram arrecadados em campanha na FDA

Sara Graziele - estagiária de Jornalismo

O projeto de extensão Reconstruindo Elos, da Faculdade de Direito da Ufal (FDA), doou 500 livros para o sistema prisional de Alagoas. A ideia é incentivar a continuidade do projeto Lêberdade, que tem como objetivo a remição de pena a partir da leitura.

As obras doadas foram arrecadas em uma campanha promovida na FDA. Coordenado pelas professoras Elaine Pimentel e Ruth Vasconcelos, o projeto visa ser um elo permanente de arrecadação de livros e pretende participar da montagem de bibliotecas em todas a unidades prisionais.

Sobre o Reconstruindo Elos

Reconstruindo Elos é um projeto de extensão que realiza ações em sistemas prisionais, socioeducativos, com menores infratores, e no Centro Psiquiátrico Pedro Marinho Suruagy. O objetivo é auxiliar no processo de ressocialização e reintegração dessas pessoas, levando discussões sobre temas como direitos humanos, ética, atualidades, maioridade penal, direito do consumidor, música, violência doméstica, entre outros.

O projeto realiza rodas de discussão, palestras e, para os adolescentes e pacientes do centro psiquiátrico, ainda são desenvolvidos espaços lúdicos. Inicialmente, o Reconstruindo Elos era desenvolvido apenas por estudantes de Direito, mas, atualmente é interdisciplinar e também conta com a participação de alunos de Psicologia e Pedagogia. 

Estudantes do Paespe visitam estádio Rei Pelé

Programa realiza atividades multidisciplinares com alunos das escolas públicas do Estado
03/08/2017 às 10h38
context/imageCaption

Os alunos tiveram uma aula diferente sobre a história do futebol

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

O Programa de Apoio aos Estudantes das Escolas Públicas do Estado (Paespe) realizou, na última sexta-feira (28), uma visita guiada ao maior complexo esportivo de Alagoas, localizado no bairro do Trapiche, o estádio Rei Pelé. O objetivo foi promover uma aula interativa sobre a história do futebol. 

Durante a atividade, os alunos conheceram o museu fundado por Lauthenay Perdigão há mais de 20 anos. Eles tiveram acesso aos ambientes de treinamento e planejamento de táticas para os jogos, além de participarem de um momento recreativo no campo de futebol e desfrutarem da sensação de estar no lugar dos atletas. As atividades foram acompanhadas pelo professor Eduardo Lucena, do Centro de Tecnologia (Ctec) da Ufal.

Além de visitas técnicas, o Paespe realiza aulas preparatórias para o Enem e atividades multidisciplinares como curso de informática básica, palestras e oficinas.

Certificados de especialização passam a ser emitidos pelo Sigaa

Propósito da mudança é otimizar e informatizar os procedimentos para a emissão do documento
07/08/2017 às 17h31 - Atualizado em 08/08/2017 às 08h37

Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo


Com o objetivo de registrar e imprimir os certificados dos cursos de especialização da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) de forma mais simples e rápida, o Departamento de Registro e Controle Acadêmico (DRCA), em parceria com a Pró- reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep) e o Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI), fizeram a implementação do módulo Diplomas para Lato Sensu no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa).

De acordo com Rosana Sarita, diretora do DRCA, as emissões dos diplomas de especialização eram feitas de forma manual. “O interessado concluía a especialização e solicitava o seu certificado no DRCA, que digitava o mesmo e encaminhava para o registro, a ser realizado através de escrita manual em livros específicos de papel”, esclareceu.

Com a execução do novo padrão, o gerenciamento dos diplomas de especialização será digitalizado. “Ao terminar a especialização o aluno solicita o certificado, que é registrado em livro digital, e seu certificado será gerado automaticamente para impressão”, informou Sarita. Segundo ela, esse novo módulo otimiza o tempo de  emissão do documento, além de contar com uma base de dados totalmente informatizada.

“Apesar do cenário atual de cortes no orçamento das universidades brasileiras, não medimos esforços para que alcancemos melhorias e o desenvolvimento de processos de inovação tecnológica e administrativa”, declarou Rosana, que enfatizou também que as mudanças visam a prestação de um serviço público de excelência.

Ufal realiza a 14ª Semana de Economia em agosto

Evento discute o cenário de crise do país e os impactos para as populações alagoana e brasileira
04/08/2017 às 08h53 - Atualizado em 04/08/2017 às 10h36
context/imageCaption

Arte de divulgação

Janaina Alves - relações públicas 

O Programa de Educação Tutorial (PET) de Economia da Ufal realiza, entre os dias 14 e 18 de agosto, a 14ª edição da Semana de Economia. Este ano, o evento discutirá o cenário atual de crise pelo qual passa o Brasil e os impactos e reflexos dela nas populações brasileira e alagoana. As atividades acontecem no auditório Nabuco Lopes, localizado no prédio da Reitoria, no Campus A.C. Simões, e no Auditório da Faculdade de Serviço Social (FSSO). A programação segue abaixo. 

No primeiro dia de debates as palestras serão voltadas para o contexto do estado de Alagoas. Pela manhã, a partir das 9h, Osvaldo Maciel, diretor da Edufal e doutor em História pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) fará um resgate histórico sobre a formação de Alagoas e as perspectivas de desenvolvimento. À noite, o economista e professor da Ufal, Cícero Péricles, apresentará questões referentes ao cenário econômico de Alagoas no contexto da crise econômica e política. Participa, ainda, o economista e presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal), Fábio Guedes, que apresentará um panorama sobre a Ciência e Tecnologia e as políticas de investimento implementadas em Alagoas. 

O evento contará com outros convidados especialistas no assunto no cenário nacional e local, como a professora da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Vanessa Petrelli, que vai discutir alternativas de política econômica para o país, e o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Eduardo Costa Pinto, que apresentará o jogo político-econômico vivenciado atualmente. Já os professores alagoanos Basile Christopoulos (Seune) e Luciana Caetano (Feac) discutirão as reformas da previdência e trabalhista, contribuindo para uma melhor compreensão das medidas implementadas pelo governo.

Outras informações podem ser acessadas no site do evento ou na página do PET Facebook.

Ufal convida instituições para discutir formatação da SBPC 2018

Reunião de apresentação da 70ª edição do evento em Alagoas acontecerá na próxima terça
04/08/2017 às 15h54 - Atualizado em 04/08/2017 às 15h58
context/imageCaption

Reitora Valéria Correia e vice José Vieira estiveram na última edição da SBPC, em Belo Horizonte

Mercia Pimentel - jornalista

Danielly Bezerra - estudante de Relações Públicas

O vice-reitor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), professor José Vieira da Cruz,  convidou instituições do setor público e privado do estado para discutir o planejamento da  70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que em 2018 será sediada na Ufal. O encontro com os apoiadores será realizado na próxima terça-feira (08), no hotel Ritz Lagoa da Anta, às 16h.

Nomes do governo do Estado, Prefeitura, Secretarias de Educação, de Ciência e Tecnologia, do Turismo, das Federações do Comércio e Indústria, do setor privado e das instituições de ensino superior de Alagoas já confirmaram presença.

Na ocasião dedicada à fala do vice-reitor da Ufal, a gestão pretende explanar a importância e os principais objetivos da Reunião da Sociedade e reforçar os ganhos científicos, sociais, culturais e econômicos que o estado recebe com essa oportunidade. Será apresentado o quantitativo da última edição da Reunião Anual, em Belo Horizonte (MG), com dados recolhidos pela equipe da Universidade.

A SBPC é uma organização de pesquisadores em prol do desenvolvimento científico, tecnológico e educacional do país. Suas reuniões acontecem anualmente, tendo já se consolidado como o maior evento de divulgação científica da América Latina. Esta será a primeira vez que Alagoas recebe o evento, sendo a Ufal a instituição realizadora.   

Aberto edital para cessão de espaços de alimentação na Ufal

Além do campus da Ufal em Maceió, as cidades de Arapiraca, Delmiro Gouveia e Palmeira dos Índios também terão espaços cedidos
04/08/2017 às 10h05 - Atualizado em 04/08/2017 às 10h36
context/imageCaption

Cessão de espaços é para cantinas e restaurantes

Sara Graziele - estagiária de Jornalismo

Está aberto o edital para cessão de lanchonetes e restaurantes nos campi da Ufal. A licitação permite o uso dos espaços de alimentação em forma de cantina nos prédios da Faculdade de Letras (Fale), Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Feac), Institutos de Física (IF) e de Química e Biotecnologia (IQB), bloco João de Deus, Cento de Interesse Comunitário (CIC) e Comunicação Social (COS).

É possível concorrer na licitação para ter direito ao uso do espaço em forma de restaurante na Faculdade de Direito de Alagoas (FDA), Centro de Educação (Cedu) e antigo Csau. Já nos campi fora de sede, a licitação contempla a cantina de Palmeira dos Índios e os restaurantes de Arapiraca e Delmiro Gouveia.

Encontre aqui as Informações sobre áreas dos lotes e lances iniciais.

A comissão de licitação vai realizar o recebimento e abertura dos envelopes contendo a documentação exigida, em ato público, na sala de reunião do Conselho Universitário, no dia 17 de agosto. Deverão ser entregues dois envelopes, um com os documentos contendo a habilitação jurídica da empresa que concorre à vaga, e outro envelope com as propostas de preço.

Os envelopes podem ser enviados por correios ou serem entregues pessoalmente por representantes legais das empresas. Mesmo que queira concorrer a mais de um lote, cada empresa só precisa entregar um envelope de proposta de preços especificando para cada lote os valores que se propõe a pagar.

Podem participar da licitação empresas com credenciamento regular no Sicaf e não registradas nesse sistema. Não poderão participar empresas que tenham decretado falência, estejam em situação de concordata ou liquidação, empresas impedidas de licitar, pessoas físicas, entre outras condições presentes no edital.

Ufal oferece curso de capacitação de profissionais de saúde da Rede Básica

As aulas acontecerão nos dias 10 e 17 de agosto
08/08/2017 às 17h14 - Atualizado em 08/08/2017 às 17h14

Sara Graziele - estagiária de Jornalismo 

Servidores da rede pública de saúde podem se inscrever para participar de um curso oferecido numa parceria entre Ufal, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e Ministério da Educação (MEC). O curso será feito em módulos com o objetivo de melhorar a comunicação entre os diferentes pontos de atenção envolvidos com o atendimento dos serviços de saúde, assim como melhorar a efetividade nos agendamentos via Sisreg, diminuindo a dificuldade encontrada pelos usuários no momento do agendamento da consulta.

A oferta é para duas turmas. A primeira, começará na próxima quinta-feira, dia 10 de agosto e tem como público-alvo profissionais da assistência direta ao paciente. Já a segunda turma, que terá início no dia 17, é destinada aos profissionais de regulação, controle e avaliação e agendadores de consulta e exames. Para ambas são disponibilizadas 50 vagas.

As inscrições estão sendo feitas online e também podem ser realizadas na hora do evento. Confira nos anexos o projeto e o conteúdo que será desenvolvido no curso.

Para fazer a inscrição na Turma 1 clique aqui

Para fazer a inscrição na Turma 2 clique aqui

Paespe inicia inscrições para alunos de escolas públicas

Estudantes podem se inscrever até 30 de agosto
07/08/2017 às 10h20

Ascom Ufal

O Programa de Apoio ao Estudante de Escola Pública do Estado (Paespe), por meio dos projetos Paespe e Paespe Júnior, oferta 200 vagas destinadas aos alunos das redes municipal e estadual de ensino.

O Paespe é voltado para os estudantes da 2ª série do ensino médio que farão o Enem 2018, e o Paespe Júnior Júnior atende os alunos o 9º ano do ensino fundamental e 1ª série do ensino médio.

As inscrições podem ser realizadas no site da Copeve e se estendem até o dia 30 de agosto.  A coordenação alerta aos estudantes que ainda não possuem RG e CPF para providenciar com urgência a fim de não perder o prazo de inscrição. Ainda, se disponibiliza, de segunda a sexta das 08h às 17h para auxiliar no preenchimento do formulário de inscrição.

O Paespe atua desde 1992 preparando os alunos para o ingresso no ensino superior, tendo como essência a formação de cidadãos. Além das aulas preparatórias para o Enem, o programa oferece atividades multidisciplinares, tais como: curso de informática básica, palestras, oficinas e visitas técnicas.

As atividades ocorrem no Centro de Tecnologia do Campus A. C. Simões sob coordenação do professor Roberaldo Carvalho, e conta com a participação de docentes e discentes da Ufal. De acordo com a coordenação, cerca de 50% dos estudantes oriundos do Paespe ingressaram em cursos superiores da Ufal, e o percentual aumenta se contabilizar outras Instituições Públicas (Ifal, Uncisal, Uneal) e Instituições Privadas através do Prouni.

Lançado edital de seleção para docentes efetivos da Ufal

As inscrições vão até 31 de agosto; edital contempla cursos em Maceió e no sertão
09/08/2017 às 09h39 - Atualizado em 10/08/2017 às 16h28
context/imageCaption

Inscrições vão até 31 de agosto

Sara Graziele - estagiária de Jornalismo

A Ufal, por meio da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas e do Trabalho (Progep), abriu as inscrições do concurso público para selecionar professores efetivos. As vagas estão distribuídas entre os campi A.C. Simões e do Sertão.  As inscrições podem ser realizadas até 31 de agosto.

São três vagas ofertadas, sendo uma delas para professor assistente e duas para professor auxiliar. Serão avaliados profissionais das áreas de Estudos da Linguagem, Educação e Libras.

A data provável para o início das etapas de seleção é 15 de outubro. Os cartões com data, hora e local da prova só estarão disponíveis a partir de 29 de setembro, no site da Copeve.

Os candidatos podem solicitar isenção da taxa de inscrição até 21 de agosto.

Para mais informações, acesse o edital do concurso.

9

Aberto período de submissão de trabalhos para o 4° Colóquio de Letras e Linguística

Prazo para submissões se encerra dia 15 de setembro
01/09/2017 às 09h55 - Atualizado em 04/09/2017 às 13h41

Cairo Martins - estagiário de Jornalismo

Está aberto até 15 de setembro o período para submissão de trabalhos a serem apresentados no 4° Colóquio em Letras e Linguística (COLL) e 13° Seminário Discente, realizado pelo o programa de Pós-graduação em Letras e Linguística (PPGLL) da Faculdade de Letras (Fale) da Ufal. O evento acontece entre 25 e 27 de outubro.

Nunca abordado em edições anteriores, o tema Gênero e Sexualidade: perspectivas linguísticas e literárias em foco, traz uma reflexão sobre questões de gênero considerando uma abordagem para o ensino, a pesquisa e a extensão em contextos multiculturais, permitindo o diálogo com áreas voltadas a estudos literários e linguísticos.

As discussões e reflexões serão organizadas por meio de mesas coordenadas, sessões temáticas, palestras, minicursos, comunicações e mostra cultural, que visa refletir sobre as linguagens e diversidade cultural do século XXI. O evento conta com programação interdisciplinar que contribui para a formação intelectual e humana da comunidade acadêmica.

Os estudantes interessados em submeter trabalhos devem seguir as normas de submissão.

Para inscrições e mais informações sobre o evento, basta clicar aqui

Brinquedoteca é oficialmente inaugurada no Hospital Universitário

Espaço reduz tempo de internação e ressignifica imagem do ambiente hospitalar
04/09/2017 às 12h56
context/imageCaption

Brinquedoteca funciona no HU

Letícia Sant’Ana - estagiária de Jornalismo

O Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA), em parceria com a Escola de Enfermagem e Farmácia (Esenfar) da Ufal inaugurou oficialmente na última quinta-feira (31) a brinquedoteca da Clínica Pediátrica, em comemoração ao aniversário de um ano do projeto de extensão em Ludoterapia. A Teca (Território Encantado da Criança e do Adolescente) funciona desde maio de 2016, fruto da mobilização de profissionais da Clínica Pediátrica em prol da conquista de um espaço que abrigasse a proposta, além do empenho para realizar campanhas de arrecadação de brinquedos.

A equipe explica que o  espaço da brinquedoteca não só minimiza o impacto da hospitalização e adoecimento de pacientes e seus familiares, como propicia a humanização do serviço, estimula o desenvolvimento infantil por meio do brincar, reduz o tempo de internação e dá outro significado à imagem do ambiente hospitalar. Para a superintendente do HU, Regina Maria dos Santos, a institucionalização da brinquedoteca foi um momento importante e resultou no reconhecimento da Gestão sobre os efeitos positivos da Teca no tratamento dos pacientes.

As atividades realizadas na Teca são coordenadas pelas profissionais de Terapia Ocupacional e Psicologia, junto à equipe técnica da Clínica Pediátrica e de estudantes dos cursos de Psicologia e Enfermagem da Ufal.

Dia do Biólogo: profissionais atuam em diversos setores dentro do MHN

3 de setembro é a data dedicada aos profissionais que auxiliam no ensino, pesquisa e extensão do Museu
01/09/2017 às 13h33 - Atualizado em 04/09/2017 às 09h55
context/imageCaption

Jorge Luiz Lopes, diretor do MHN e um dos maiores paleontólogos do país

Graziela França-estudante de Jornalismo

Eles estudam a fauna, a flora, atuam na preservação do meio ambiente, desenvolvem pesquisas,  entre tantas outras atividades que envolvem a Biologia. No domingo, dia 3 de setembro, é comemorado o dia desses profissionais que podem atuar em uma área tão ampla, o biólogo.

Durante os 27 anos do Museu de História Natural (MHN) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) muitos desses profissionais passaram pelos laboratórios e exposições da Instituição. Conheça a história de alguns dos biólogos que compõem o quadro de colaboradores do MHN, auxiliando na parte de ensino, pesquisa e extensão, seja em cargos técnicos ou de docência, além dos estagiários e colaboradores da área.

Paixão de criança

O professor Jorge Luiz Lopes, diretor do MHN é um dos maiores paleontólogos do país. Ele conta que sua escolha pela Biologia surgiu devido à sua paixão pelo ambiente natural e seus organismos, assim como a paleontologia que também é uma área com a qual se identificava desde criança.

“Mesmo sendo paleontólogo, eu nunca vou deixar de ser biólogo pelo fato de ser graduado em Biologia. E como paleontólogo eu preciso o tempo inteiro entender da vida, conhecer os organismos  do presente para poder compreender os organismos do passado. A relação entre elas é total e são duas áreas que eu sou totalmente apaixonado”, enfatizou.

A história do atual diretor com o MHN é antiga. Atuou antes mesmo da fundação oficial do Museu, ainda em sua montagem. O primeiro setor no qual estagiou foi o de herpetologia. Em 2001 passou a atuar como profissional voluntário e em 2008 como efetivo. O setor de Paleontologia, do qual também é responsável possui um acervo de mais de 10 mil peças tombadas, fósseis de todos os tipos, locais e Eras. "O MHN tem grande importância para mim, porque é onde desenvolvo minhas atividades de pesquisa e extensão", frisou.

A serpente amiga Gildete

A responsável pelo setor de Herpetologia (que estuda anfíbios e répteis), Selma Torquato disse que sempre gostou de bichos e plantas, e isso fez com que escolhesse a profissão. No museu desde o ano em que se formou, descobriu lá dentro o interesse pela área de herpetologia. “O MHN me proporcionou oportunidades de conhecer áreas diferentes da Biologia e ter contatos com vários profissionais e alunos que compartilharam muitos conhecimentos e experiências”, contou.

Uma das histórias relembradas por Selma é do tempo em que atuava como monitora de exposição, “Guardo na memória a época em que tínhamos uma serpente salamanta, Gildete, que foi criada desde pequena conosco e era muito dócil e sempre provocava uma espécie de ‘encantamento’ no público infantil. Seus olhos brilhavam e eles queriam tocar e fazer carinho nela”, contou.

Educação e pesquisa

Pensou em ser jornalista, farmacêutico para, por fim, chegar à Biologia. Essa foi a trajetória do biólogo do setor de Botânica do MHN, Carlos Correia, “A Biologia só se revelou para mim como uma terceira perspectiva profissional. Eu sempre tive interesse por diferentes áreas do conhecimento, acho que a Biologia se colocou como caminho mais atraente para mim, porque a busca por compreender a vida exige uma visão complexa das coisas e o diálogo com diferentes saberes”, comentou.

Para Carlos, que é formado na área de licenciatura, trabalhar no museu é promissor e auxilia em sua formação específica voltada para o campo educacional. “Gosto, sobretudo, das atividades de extensão que temos realizado no contexto do projeto ‘Fim de Semana no Museu’”.

Para Ludmilla, a primeira opção

Já a bióloga Ludmilla Nascimento foi bem mais decidida. “Acho que a biologia me escolheu. Nunca pensei em fazer mais nada na vida”, disse a mastozoóloga, área que estuda os mamíferos. Formada desde 2007, na Universidade Federal de Sergipe (UFS), concluiu o mestrado em zoologia em 2010, na Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e chegou ao MHN em agosto de 2011.

Apaixonada por pequenos mamíferos, a bióloga conta com um acervo diverso no setor de mastozoologia do MHN, do qual é responsável, “No final da graduação descobri que minha praia eram os mamíferos terrestres e no mestrado me apaixonei pelos pequenos mamíferos, em especial. Não troco meus ratinhos por nada!”

Do campo à sala de aula

Responsável pelo setor de Ornitologia (que estuda aves) do MHN e pelo Laboratório de Morfologia, Sistemática e Ecologia de Aves (LSEA), o professor Renato Gaban-Lima, conta que escolheu a carreira ainda na infância, por possuir afinidade com a natureza. “Durante minha infância e adolescência adorava viajar e explorar locais não urbanizados, e sempre me interessei em observar os animais e as plantas, bem como o modo de vida da população humana que habitava esses locais”, contou o professor.

Gaban é um dos cinco docentes do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS) da Ufal que atuam também no MHN. Ele ainda destacou a importância de unir o trabalho de pesquisa com a docência. “No trabalho que realizamos, as pesquisas são primordiais para minhas atividades de docência, tanto em sala de aula quanto para a formação dos profissionais biólogos que ingressam no Laboratório”, explicou.

Felicidade na profissão

A também professora Letícia Ribes, pensou em atuar em outras áreas antes de chegar à Biologia. “Pensei até mesmo em cursar História, Engenharia, etc., porém percebi que meus professores de Biologia eram extremamente felizes e aí me dei conta que queria ter esse tipo de relação com minha profissão, ou seja, que ela me fizesse feliz acima de tudo”, disse.

Para ela, um dos prazeres em unir a docência à pesquisa e extensão é mostrar as novidades da área aos alunos. "É gratificante quando um aluno diz que não gostava muito de Botânica, mas que agora gosta, que gostou da aula, etc., ou seja, ter um feedback é muito bom, quando positivo é melhor ainda", comentou.

Do estágio à atividade como técnica

A bióloga Gabriela Correia conta que começou no museu em 2004, como bolsista vinculada do setor de herpetologia, mas estudando animais como aranhas e escorpiões, espécies que ainda pesquisa no setor de entomologia (setor que estuda insetos). “O setor desenvolvia, à época, um trabalho na usina cachoeira, e os alunos perceberam uma grande incidência de aranhas e escorpiões nas armadilhas. Foi então que o setor teve a ideia de recrutar estagiários dispostos a coletar e identificar esse material”.

Para Gabriela, o aprendizado no MHN é diário e será levado por toda a vida. “O museu me fez aprender muito sobre disciplina, organização, solidariedade, parceria, responsabilidade. Conheci pessoas que me influenciaram positivamente e que se tornaram exemplos de inspiração e admiração”, completou.

Bienal do Livro de Alagoas inicia agendamento de escolas

A 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas deverá receber cerca de 30 mil estudantes do ensino infantil ao Ejai
01/09/2017 às 17h27 - Atualizado em 04/09/2017 às 14h22
context/imageCaption

Agendamento de escolas deve seguir critérios das secretarias

Márcia Alencar – jornalista

Já estão sendo realizadas as inscrições de escolas públicas e privadas de Maceió e do interior do Estado para visitação à 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas. O evento será realizado de 29 de setembro a 8 de outubro, no Centro de Convenções Ruth Cardoso, numa promoção da Universidade Federal de Alagoas, por meio da Editora Universitária (Edufal), Governo do Estado e Prefeitura de Maceió.

As inscrições podem ser feitas até o período da Bienal, apenas online, pelo site www.bienaldolivroal.com.br, que fará o direcionamento para o Termo de Responsabilidade e o Formulário de Agendamento, a depender da natureza pública ou privada da instituição.  Para mais informações e esclarecer dúvidas, basta enviar e-mail para visitasbienal.al@gmail.com.

Segundo a coordenadora de Agendamento de Escolas da equipe da Bienal, Iris Danielle Tenório, o evento receberá 40 escolas por turno e cerca de 30 mil estudantes – nos horários da manhã (10h às 12h); tarde (13h às 17h) e noite (18h às 22h)  - com turmas de crianças a partir de 3 anos, Educação Infantil, e alunos do Ensino de Jovens, Adultos e Idosos - Ejai (restritos à noite). “Avisamos aos coordenadores de escolas que os portões só serão abertos às 10 h para os primeiros visitantes. Não adianta chegar muito cedo”, relembra Iris.

Os monitores da Bienal receberão os grupos em cada turno e farão o direcionamento às diversas atividades da programação, como apresentações culturais, palestras e livreiros, que acontecem no salão grande do Centro de Convenções e também no Teatro Gustavo Leite. “As visitas só serão agendadas para o período de segunda a sexta-feira, de 2 a 6 de outubro, informa a coordenadora.

O diretor da Edufal, professor Osvaldo Maciel, aproveita para ressaltar a importância de cumprir o Termo de Responsabilidade assinado para as visitas. “As escolas devem levar apenas o número de alunos acertados, previamente, para a segurança de todos. O número de escolas já é definido por turnos para garantir o número viável de estudantes nos espaços dos eventos”, destaca.

No site www.bienaldolivroal.com.br você pode ficar por dentro da variada programação e dos autores e convidados já confirmados. A 8ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas, com o tema Livros que envolvem, leituras que libertam, faz homenagem aos 200 anos de Alagoas. O evento é gratuito e aberto ao público nos três horários.

Agendamento das escolas públicas

Os profissionais da educação pública devem ficar atentos às orientações das secretarias de Educação. Para as escolas públicas de Alagoas o processo difere um pouco das unidades particulares, devido aos procedimentos estabelecidos pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e Secretaria Municipal de Educação (Semed), que este ano mantém o vale-livro para alunos e professores da rede pública municipal.

A Diretoria de Gestão Educacional da Semed selecionou 54 Unidades de Ensino da rede municipal, obedecendo ao limite de 1.200 crianças/alunos por dia. Em relação ao Ejai, serão 800 estudantes no horário noturno. As limitações atendem às recomendações de segurança da organização da Bienal.

Para atender os alunos da rede municipal, as coordenadorias estabeleceram critérios para seleção das escolas que irão ao evento. No caso das crianças de Educação Infantil, participarão as que frequentam os centros municipais de Educação Infantil que já utilizam transporte escolar para o translado, sem necessidade de contratação de novos transportes, e as com faixa etária de quatro a cinco anos por se encontrarem em processo de letramento.

Para os alunos do ensino fundamental, os critérios de seleção estabelecidos são escolas atendidas pelo transporte escolar e que possuam turmas do 5º ao 9º ano que participarão da Prova Brasil 2017.

Já para as escolas de Educação de Jovens, Adultos e Idosos (Ejai), serão selecionadas as unidades que realizam projetos voltados para a leitura, onde os docentes participam das formações continuadas da Semed, que promovam ações extraclasse, das diversas regiões administrativas e que utilizam o transporte escolar.

Para mais informações, acesse a Comunicação Interna emitida pela Diretoria de Gestão Educacional da Semed.

Confira a lista de escolas municipais selecionadas.

 

Reitora defende gratuidade do ensino público superior em debate com estudantes

O debate promovido pela UNE; gestores também se reuniram com diretores de unidades acadêmicas nesta quinta
01/09/2017 às 17h44 - Atualizado em 04/09/2017 às 13h41
context/imageCaption

Reitora conclamou os estudantes a defender a gratuidade da universidade pública

Lenilda Luna – jornalista e Thamires Ribeiro – estagiária de Jornalismo

Na noite desta quinta-feira (31), a reitora da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Valéria Correia, participou de um debate promovido pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e por Centros Acadêmicos, no auditório da Biblioteca Central. O tema e, destaque foi A crise no Ensino Superior Federal. Também participaram da mesa a presidenta nacional da UNE, Mariana Dias, e o diretor da Associação dos Docentes (Adufal), Carlos Muller.

Em sua intervenção, a reitora Valéria Correia fez referência à nota pública lançada pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino (Andifes), durante a reunião nacional realizada nos dias 23 e 24 de agosto. “A Andifes lançou essa nota para esclarecer que a crise nas universidades não é fruto da má gestão dos reitores. Também não concordamos com as propostas de cobranças nas universidades, como chegou a afirmar a secretária-executiva do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, que publicamente defendeu o fim da gratuidade”, relatou a reitora da Ufal.

Valéria Correia destacou a necessidade dos estudantes participem desta discussão para ter elementos de defesa da universalidade e gratuidade do Ensino Superior. “Os meios de comunicação contribuem para difundir que uma elite de estudantes, que poderia pagar as mensalidades, é que se beneficia do ensino superior público, mas isso não é verdade. O perfil das nossas universidades é outro. Sessenta e seis porcento dos estudantes das universidades federais brasileiras são oriundos de famílias com renda per capita de até 1,5 salário mínimo”, destacou a reitora.

Ao citar a pesquisa do perfil socioeconômico e cultural dos estudantes da graduação, realizada pelo Fórum dos pró-reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (Fornaprace), a reitora relatou a ampliação de vagas nas universidades, com a expansão e interiorização dos últimos anos, e as políticas afirmativas, que possibilitaram o acesso e permanência de alunos oriundos das camadas de baixa renda da população. “No norte e nordeste, o perfil de alunos das classes trabalhadoras apresenta um índice ainda maior, são 76% de estudantes que vêm de famílias com renda de até 1,5 salário mínimo”, indicou Valéria.

A reitora da Ufal explicou que a partir de 2014, as verbas para a Universidade começaram a sofrer redução, prejudicando o andamento de obras, as propostas de expansão, os insumos para os laboratórios e o funcionamento de restaurantes universitários. “É preciso saber que essa crise tem um propósito. O de justificar que a universidade pública, gratuita e voltada para a educação. Mas nós temos uma outra proposta para equilibrar o orçamento público: reforma tributária ascendente, ou seja, que paguem mais imposto os mais ricos; auditoria da dívida pública brasileira, porque quase 50% do orçamento da União é destinado ao pagamento de uma dívida que não deve pesar sobre os trabalhadores brasileiros; e taxação das grandes fortunas e das grandes movimentações financeiras”, defendeu Valéria.

Ao finalizar sua intervenção, Correia destacou o papel histórico da UNE na defesa do Ensino Público Federal e dos princípios da democracia e dos direitos universais à educação, saúde e moradia. “Enfrenta-se a crise ao inverso, não com mecanismos para fortalecer o capital financeiro, mas sim com leis e políticas para salvaguardar os direitos do povo brasileiro. O que vemos agora são contrarreformas, porque são leis regressivas do ponto de vista da classe trabalhadora. Precisamos lutar juntos para resguardar direitos, o meio ambiente, as comunidades indígenas e quilombolas. Também temos que defender a assistência estudantil como um direito para a permanência dos filhos dos trabalhadores na universidade, devemos fortalecer e defender a autonomia universitária e não permitir que seja cerceado o livre debate”, conclamou a reitora.

Gestores também cumpriram agenda com diretores das unidades acadêmicas

A reitora Valéria Correia e o vice-reitor, José Vieira, se reuniram mais cedo com os diretores das unidades acadêmicas da Ufal, durante a tarde desta quinta-feira (31). Entre os assuntos pautados estava a nota publicada pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), o processo de avaliação que o Ministério da Educação (MEC) realizará na Universidade, e o Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). 

Na ocasião, a reitora buscou demonstrar apoio e esclarecer a nota (http://www.andifes.org.br/52515-2/) divulgada pela Andifes na última segunda-feira (28).“Existem cortes reais, não há como afirmar que não estão acontecendo. Para a Ufal houve um corte de R$23 milhões. A sociedade brasileira precisa saber da crise que as universidades públicas estão passando, lembrando que a universidade contribui muito para o desenvolvimento da sociedade, e os estudantes não podem pagar por isso. Não se pode tirar da educação”, reforçou a reitora.

Valéria Correia, declarou ainda, que apesar dos cortes “a gestão tem conseguido manter a Universidade”, e que “não haverá problemas para terminar o ano, pois todos os contratos estão em dia”. Porém, alguns serviços, como de diárias e passagens para congressos e eventos, devem ser solicitados com antecedência, para serem ajustados aos créditos disponíveis.

Durante a reunião, o procurador Educacional Institucional, Tiago Cruz, esclareceu alguns pontos para ajudar os diretores e suas respectivas unidades acadêmicas na preparação para a avaliação que será feita pelo MEC, e está programada para acontecer entre os meses de outubro e novembro. Ele enfatizou também, a importância de esclarecer todas as dúvidas que surgirem da parte da comunidade acadêmica: “É um processo pelo qual a Universidade deve, obrigatoriamente, passar e, é importante ficarmos unidos e continuar no mesmo fluxo”, declarou.