Edufal comemora 15 anos da Coleção Nordestina na Bienal de São Paulo

Novo título lançado é Modernismo e Regionalismo, de Tadeu Rocha; Edufba, Eduneb e Editora UFPE também marcaram presença

05/09/2014 18h30 - Atualizado em 08/09/2014 às 12h10
context/imageCaption

Stella Lameiras, diretora da Edufal

Simoneide Araújo e Márcia Rejane – enviadas especiais

A Editora da Universidade Federal de Alagoas (Edufal) marcou presença na 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, com a publicação de Modernismo e Regionalismo, de Tadeu Rocha. O lançamento, ocorrido no estande da associação Brasileira de Editoras Universitárias (Abeu), também marcou as comemorações dos 15 anos da Coleção Nordestina.

A Editora da Universidade Federal da Bahia (Edufba) lançou Navegação a Vapor na Bahia Oitocentista (1839 – 1894); a Editora do Estado da Bahia (Eduneb), Os Analphabetos, de João Gomes; e a Editora UFPE, Utopias Peregrinas, de Dom Helder Câmara. Nessa uma década e meia são quase cem títulos lançados pelas 21 editoras que compõe a Coleção Nordestina.

Para a diretora da Edufal, Stela Lameiras, o livro de Modernismo e Regionalismo é o resgate da história da memória do autor Tadeu Rocha, sertanejo de Alagoas. “Nesses quinze anos de Coleção Nordestina temos contribuído para a preservação da memória e da história do nosso Estado”, ressaltou.

Na solenidade, Maria José de Matos Luna, diretora da Abeu, Região Nordeste, disse que as editoras têm mantido, a cada ano, um título que destaca a obra de autores de sua região, de seu estado. “Esperamos continuar com esse projeto e que outras editoras do Nordeste se engajem mantermos as produções; já temos quase cem títulos lançados”, reforçou.

Maria José Luna destacou, ainda, que as editoras universitárias brindaram paulistanos e outros visitantes da bienal. “Presenteamos a comunidade que visitou a Bienal de São Paulo com a oportunidade de conhecer a obra de ilustres autores nordestinos”, completou.

O organizador de Os Analphabetos, Paulo Henrique Duque Santos, falou da satisfação de publicar o trabalho de João Gomes. “Ele tem uma obra vastíssima e essa que apresentamos na bienal é um trabalho inédito do autor”, ressaltou.

Coleção Nordestina

A Coleção Nordestina é uma rede regional mantida desde 1999 com a união de oito editoras universitárias, cujo objetivo é compor uma coleção destinada a publicar ou republicar obras representativas da produção intelectual da região Nordeste. A temática dos livros é abrangente, incluindo áreas como Literatura, Ciências Sociais, Folclore e Antropologia.

Atualmente, a rede Nordeste conta com 21 editoras filiadas, que divulgam a arte, a ciência e a cultura de seus estados.

Preparativos

A Edufal, além de lançar livro e expor outras obras com seu selo no estande da Abeu, aproveitou a Bienal de São Paulo, realizada de 22 a 31 de agosto no pavilhão de Exposições do Anhembi, para fazer contatos com editoras e autores. A diretora Stela Lameiras e sua equipe, Carol Almeida, produtora cultural, e o assessor Sebastião Medeiros, já estão nos preparativos para 7ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas que acontece em 2015, em Maceió.

A equipe da Edufal e a Assessoria de Comunicação da Ufal, responsáveis pela organização e divulgação da Bienal alagoana, prometem novidades. “Fizemos alguns bons contatos, conhecemos projetos bem interessantes. Nossa ideia é reunir ações que componham o tema da nossa próxima bienal Palavras, sons e imagens – Universo de Sentidos”, comentou Stela Lameiras.

Em breve, a Edufal anunciará as principais atrações e os primeiros nomes já confirmados para a Bienal do Livro de Alagoas.