Empresa incubada oferece serviços para gerenciar frotas e rastrear transporte público

Empreendedores desenvolveram dispositivos para acompanhar rota dos ônibus e controlar a manutenção de carros

15/04/2014 10h55 - Atualizado em 14/08/2014 às 10h27
context/imageCaption

A Zuq fica no antigo prédio do Instituto de Computação

Pedro Barros - estudante de Jornalismo

Em março deste ano, uma das principais avenidas de Maceió recebeu uma faixa exclusiva para ônibus. Se por um lado, a viagem no transporte público estava mais rápida; por outro, as faixas dos demais veículos parecia mais engarrafada que antes. A cidade ainda está se adaptando a novas políticas de transporte coletivo, que têm sido o foco da atenção de estudiosos da mobilidade urbana e de gestores públicos. Para pesquisadores e estudiosos, essas políticas podem ser a solução para o trânsito caótico dos grandes centros urbanos, desde que administrado e utilizado da melhor forma.

Foi pensando nisso, que a empresa Zuq, que integra a incubadora da Universidade Federal de Alagoas, criou uma ferramenta para monitorar e gerenciar o transporte público. Em 2010, Willy Tiengo e Marcio Aguiar inseriram proposta de aplicar a informática ao transporte e ao trânsito na Incubadora de Empresas de Alagoas (Incubal) da Universidade. Em seu processo de incubação, a Zuq desenvolveu diversas pesquisas e projetos para melhorar o trânsito, na área de rastreamento e gestão de frotas, gestão de transporte público, serviço de informação ao passageiro, videomonitoramento, simulação de trânsito e semáforos adaptativos.

Atualmente, a empresa tem se focado no desenvolvimento de softwares para transporte público, gerenciamento e rastreamento de frotas. Essa última área, inclusive, rendeu-lhe o segundo lugar no 1º Prêmio Alagoano Empreendedor Inovador, voltado para soluções inovadoras à gestão pública do Estado.

Transporte público 2.0

Você já quis saber quais ônibus passam em determinado ponto ou qual a parada mais próxima de onde você está? Já ficou imaginando por onde anda o ônibus que está esperando e quanto tempo ele irá demorar para chegar? Pois então, é justamente para isso que serve o site urbano.al, criado pela Zuq. Com essa ferramenta, os passageiros podem saber quais ônibus passam em cada parada de Maceió e os horários de saída; montar percursos e visualizar no mapa a rota de várias linhas, algumas, inclusive, em tempo real.

"Particularmente em Alagoas, enfatiza-se os atrasos de horário, além das constantes superlotações, desvio de rota, ultrapassagem em pontos oficiais de parada para passageiros, etc. Além disso, questões básicas como informações de itinerários, horários, pontos de parada e geração de roteiros são inacessíveis aos usuários", explicaram, acrescentando que o problema com esses serviços é comum em várias partes do País e, por isso, foram desenvolvidos no Brasil outros aplicativos, como o Geosit, que monitora os ônibus de Uberlândia-MG.

O site criado pela Zuq ainda está em desenvolvimento e, para utilizá-lo, é necessário fazer uma solicitação, informando uma conta de e-mail. Segundo Tiengo, os cadastrados são aceitos periodicamente. A ferramenta ainda está disponível apenas para teste e a única empresa monitorada é a Auto Viação Veleiro. Além do módulo para usuários, o urbano.al também pode auxiliar no planejamento e na operação das empresas, seja no transporte urbano ou no intermunicipal.

Gerenciamento de frotas

A Zuq também desenvolveu um sistema para gerenciar frotas, o flits.mobi. A ferramenta on-line, que pode ser acessada em smartphones e tablets, permite gerenciar desde um carro (conta gratuita) até mil veículos. O usuário individual ou instituição pode controlar abastecimento, hodômetro, horímetro, troca de pneus e os mais diversos tipos de manutenção. Além disso, relatórios sobre cada um desses tópicos são gerados automaticamente, com destaque para o gasto gerado.

No caso da gestão de frotas, a tecnologia da Zuq permite rastrear os automóveis e controlar seu uso pela equipe. O serviço permite o acompanhamento em tempo real da frota, a visualização dos trajetos, veículos, alertas de violação de cerca eletrônica e de mau uso (como excesso de velocidade). Por meio do botão do pânico, o motorista pode alertar a central sobre alguma situação de perigo; é possível também bloquear o carro a partir da central, impedindo seu uso.

Segundo o projeto apresentado pela empresa, o governo estadual, por exemplo, gasta muito com aluguel de carros, por não cuidar da manutenção da sua frota própria. "Há diversas manutenções preventivas que são negligenciadas, causando danos muito maiores que terminam por inutilizar o veículo e gerando gastos elevados de manutenção corretiva. 'Quebrou um carro, aluga outro.' É desperdício de dinheiro público", explicou o cientista da computação Willy Tiengo, sócio da Zuq. "O governo gastou, em 2013, mais de 73 milhões de reais com locação de veículos. Gasta muito porque não faz um trabalho preventivo, no caso, de manutenção", enfatizou.

Os sócios estimam que o governo tenha alugado cerca de dois mil veículos ano passado e que, com esse valor, poderia se adquirir aproximadamente 2,5 mil veículos. "A maioria das grandes empresas privadas ainda adota o modelo de frota própria, pois os custos são significativamente mais baixos se comparados à locação de veículos", justificaram.