Ufal promove evento internacional na área de Matemática

Organizadores querem transformar Maceió em uma referência na área de Geometria Diferencial
12/03/2014 às 17h25 - Atualizado em 14/08/2014 às 10h28

Manuella Soares - jornalista

Pesquisadores do mundo inteiro estão reunidos em Maceió para a 4ª edição de um workshop que já faz parte do calendário anual dos eventos internacionais na área de Geometria Diferencial. Este ano, acontece de 10 a 14 de março no Hotel Radisson, na praia de Pajuçara. Os professores dos Grupos de Geometria e Análise Geométrica do Instituto de Matemática da Ufal organizam o workshop em parceria com o do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCTMat) e com apoio, FAPEAL, CNPq, Capes e Agence Nationale de la Recherche (ANR). 

O professor Marcos Petrúcio Cavalcante salienta que desde a primeira edição o evento tem tido grande sucesso devido à contribuição de nomes importantes na área. “Nós temos um grupo ativo de jovens professores muito atuantes e reconhecidos, além do prestígio na comunidade científica nacional e internacional dos professores Fernando Codá, ex-aluno da Ufal e Hilário Alencar”, ressaltou. 

Entre os palestrantes convidados estão professores de instituições renomadas como Imperial College London, no Reino Unido; University of Stanford e University of California nos Estados Unidos;Universidad de Granada, na Espanha; Université Paris-Est, na França; e do Institutto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa). Um dos destaques do Workshop é o tradicional minicurso voltado para os estudantes de pós-graduação, sobre tópicos recentes de pesquisa e que é ministrado por um importante pesquisador da área. Na edição de 2014 o professor William Meeks, da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, é o convidado para ministrar o curso intitulado “Curvature estimates for embedded surfaces of constant mean curvature". 

Além de ser um dos palestrantes do evento, o pesquisador português André Neves, participou do minicurso. Ele é conhecido por ter resolvido, ao lado do alagoano e ex-aluno da Ufal, Fernando Codá, um problema matemático que estava sem solução há quase 50 anos (a Conjectura de Wilmore).  “Este é um dos melhores encontros de Análise Geométrica da América do Sul. Para mim, é maravilhoso! Neste curso do Meeks aprendi coisas novas e tive a oportunidade de ver o que meus colegas estão a trabalhar. Eu continuo a trabalhar com o Codá. É uma das coisas que me dão mais prazer matematicamente. Foi uma das coisas mais agradáveis que me aconteceram na vida”, ressaltou Neves. 

Maceió como referência 

A dedicação dos organizadores e do comitê científico com a grandiosidade do evento em Maceió tem um motivo histórico, que foi lembrado na abertura do 4º Workshop de Geometria Diferencial: é a contribuição do professor alagoano Manfredo Perdigão do Carmo, doutor honoris causa da Universidade Federal de Alagoas e considerado “o pai da Geometria no Brasil”.   

“Maceió tem uma produção muito grande na área porque vem desde o professor Manfredo, que construiu a área de Geometria Diferencial no Brasil, então a gente tem essa tradição lá de trás e, agora, queremos colocar Maceió no mapa das conferências em nível internacional”, enfatizou Fernando Codá. 

O matemático prestou uma homenagem ao professor Manfredo apresentando a sua árvore genealógica acadêmica de orientação de doutorado. Ele pesquisou todos os antecedentes, conhecidos desde o século 14. O resultado apresentado no workshop encontrou nomes importantes no estudo da Matemática, como Bernard Bolzano e Nicolau Copérnico. A pesquisa continuou com os descendentes de Manfredo Perdigão, que orientou 27 teses de doutorado e formou uma cadeia de cerca de 100 pesquisadores atuantes no Brasil e no exterior, dentre os quais estão cinco professores da Ufal (Hilário Alencar, Márcio Batista, Marcos Cavalcante, Feliciano Vitório e o já falecido Edmilson Pontes). As árvores genealógicas acadêmicas podem ser conferidas em anexo. 

Expectativa de um alagoano 

Um dos organizadores do workshop e ex-aluno da Ufal, Fernando Codá, pesquisador do Instituto de Matemática Pura e Aplicada contou que está vivendo a expectativa e os preparativos para o Congresso Internacional de Matemáticos (ICM 2014), o maior evento internacional da área, que este ano será realizado na Coréia do Sul, em agosto. Codá será responsável por uma das palestras plenárias do ICM,o terceiro brasileiro a ser convidado para esta função em mais de cem anos desde a primeira edição, em 1897. 

“Estamos trabalhando muito! Tenho um artigo para entregar no próximo mês e isso dá trabalho porque tem que fazer um panorama da área, mas a expectativa é grande!”, comentou. O alagoano Fernando Codá também está cotado para ganhar a medalha Fields, considerado o prêmio Nobel da Matemática.