Hospital Sírio Libanês inicia especialização em Arapiraca

Cursos foram demandados pela Prefeitura de Arapiraca e atende profissionais de 47 municípios
02/09/2013 às 15h05 - Atualizado em 14/08/2014 às 10h30
context/imageCaption

Eurico Lôbo aponta benefícios multilaterais com a parceria entre Ufal, Sírio Libanês e Prefeitura de Arapiraca

Jhonathan Pino - jornalista

Cento e quarenta e oito é o número de pessoas que estarão qualificadas em dez meses para atuar na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), nas cidades que formam a 2ª Macrorregião de Alagoas, que abrange 47 municípios do Sertão e Agreste do Estado. O número é possível graças a uma parceria entre a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o  Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa e a Prefeitura de Arapiraca, responsável pelo projeto que demandou a vinda dos cursos de Especialização em Gestão Clínica, Regulação e Preceptoria.

O Instituto, referência nacional na formação de recursos humanos na área de saúde é o responsável pelo planejamento dos cursos, que serão sediados no Campus Arapiraca nos próximos 10 meses. “Eles já foram realizados em 10 regiões diferentes, a partir do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sus [Proadi], do Ministério da Saúde. Em sua primeira etapa, qualificamos profissionais em Aracaju, Maceió, Natal, João Pessoa, Manaus, Vitória, Campo Grande, Fortaleza, Florianópolis e Belém. Agora, na segunda edição, serão beneficiadasoutras 20 regiões”, relatou Flávio Shimomura, gestor de aprendizagem do Sírio Libanês.

O reitor Eurico Lôbo, os diretores do Campus Arapiraca Márcio Aurélio Lins e Eliana Cavalcanti, a prefeita Célia Rocha, secretário Municipal de Saúde, Ubiratan Pedrosa, além da representante do Conselho de Saúde da 2ª Macrorregião, Aruska Magalhães, e da vereadora de Arapiraca, Aurélia Fernandes, estiveram presentes na solenidade de abertura dos três cursos, na última quarta-feira, 28, e falaram de forma entusiasmada sobre essa iniciativa.

Me faz lembrar da minha época como secretária, quando trouxemos os cursos “saúde pública” e de “epidemiologia”, promovidos pela Fundação Oswaldo Cruz. Lembro-me bem que isso impulsionou o crescimento da saúde no nosso município, aliado ao SUS”, mencionou a prefeita.

O professor Eurico Lôbo relatou o interesse, desde o primeiro momento, da professora Eliane em trazer esse curso para a Ufal. “Essa é uma grande oportunidade para atuação conjunta com a prefeitura. Vocês terão, sem dúvida, uma formação diferenciada, em busca de solucionar o grande problema quanto a saúde no país, que é a gestão dos recursos”, disse o reitor.

Conselheira de Saúde da cidade de Gerau do Ponciano, relatou que também gostaria de ser um dos alunas da especialização. “Eu que sou servidora da Secretária de Saúde do Município de Arapiraca sei que a cidade é referência em saúde no Estado e se hoje atuo como conselheira é com o conhecimento que adquiri aqui na cidade”, destacou Aruska Magalhães.

O entusiasmo de todos foi contextualizado por Ubiratan Pedrosa, que abordou a importância dessa capacitação para a formulação de projetos que atendam a difícil realidade dos alunos. “O Sírio Libanês não é apenas um hospital de excelência, é também uma máquina de recursos humanos. O projeto faz parte da política de isenção fiscal do Governo Federal, que é revertido na promoção de cursos de formação de recursos humanos para o SUS. Estamos formando gente para o SUS e que possa interferir nessa realidade. Imagine 148 pessoas aprendendo a fazer projetos que alterem a realidade de seus municípios” evidenciou o secretário.

Os cursos de Gestão Clínica, Regulação e Preceptoria serão ofertados para médicos, assistentes, enfermeiros, psicólogos e outros profissionais que já trabalham na rede de saúde de Arapiraca e dos municípios vizinhos. Com duração de dez meses, cada turma de 48 alunos será acompanhada por dois facilitadores, que foram treinados pela equipe do Sírio Libanês, entre eles, três professores de Enfermagem do Campus Arapiraca.