Mestrado profissionalizante em Energia de Biomassa vai iniciar a primeira turma neste segundo semestre

As inscrições foram encerradas e o resultado final da seleção será divulgado no dia 30 de agosto
16/07/2013 às 16h25 - Atualizado em 14/08/2014 às 10h31
context/imageCaption

Sede do Ceca, em Rio Largo

Lenilda Luna - jornalista

O curso de mestrado profissionalizante em Energia da Biomassa, com linhas de pesquisa em Etanol, Biogás, Biodiesel e Florestas Energéticas, foi proposto pelo Centro de Ciências Agrárias (Ceca) da Universidade Federal de Alagoas com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento econômico do Estado, capacitando profissionais para a produção de energia alternativa. O campo de trabalho está em expansão, já que Alagoas está recebendo investimentos na produção de energia gerada a partir do bagaço da cana-de-açúcar e da casca de coco, entre outros materiais de origem orgânica.

O Edital publicado no dia 21 de junho deste ano, para a primeira turma, oferece 20 vagas. As inscrições já foram encerradas e o resultado de todas as etapas do processo seletivo está previsto para ser divulgado no dia 30 de agosto. As matrículas serão realizadas de 2 a 4 de setembro. O mestrado em Energia de Biomassa está vinculado ao Centro de Ciências Agrárias, mas contará com docentes de outras unidades da Ufal, como o Centro de Tecnologia, o Instituto de Química e Biotecnologia, o Instituto de Ciências Atmosféricas, e o Instituto de Computação. Além dos 16 docentes da Ufal, também está na equipe um professor do Instituto Federal de Alagoas (Ifal). 

Energias Alternativas e preservação do meio ambiente

A produção de energia de biomassa tem atraído um interesse crescente dos setores industriais e dos pesquisadores, tanto pela preocupação com a escassez dos combustíveis de fontes não renováveis como pela necessidade de preservar o meio ambiente. Aqui em Alagoas a produção de biocombustível é favorecida pela diversidade de materiais orgânicos que podem ser utilizados para essa extração.

O cultivo da cana-de-açúcar e a produção do etanol já contam com pesquisas consolidadas na Ufal, que integra a Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Setor Sucroalcooleiro (Ridesa). Outra vantagem é que os pesquisadores do novo mestrado vão poder contar com os resíduos de origem animal produzidos nas atividades do curso de pós-graduação em Zootecnia, também abrigado no Ceca, que já conta com grupos de pesquisa trabalhando com biodigestores. Esse reaproveitamento é importante porque os resíduos da produção agropecuária, quando descartados de forma incorreta, podem causar sérios danos ambientais e à saúde humana.

A linha de pesquisa em Florestas Energéticas também desperta o interesse de pesquisadores e do mercado, porque as leis de proteção ambiental limitam bastante a extração da madeira em áreas remanescentes de vegetação, o que leva à escassez de matéria-prima e ao encarecimento dos insumos. Por conta disso, várias indústrias estão investindo em cultivar espécies florestais, como o Eucalipto, para garantir a produção de biomassa. Estas madeiras cultivadas podem ser utilizadas inclusive nos fornos de cerâmicas e padarias, evitando o desmatamento das florestas naturais.

Para mais informações ligue (82) 3261-3470/Ramal 269.