Equipe externa avalia trabalhos de Iniciação Científica da Ufal

Etapa de avaliação externa é concluída e resultado preliminar sai na próxima quarta-feira, 10
05/07/2013 às 14h43 - Atualizado em 14/08/2014 às 10h31
context/imageCaption

Simoni Meneghetti reforça que as avaliações interna e externa são fundamentais para que a Ufal tenha um Pibic forte e transparente

Manuella Soares - jornalista

A Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade Federal de Alagoas reuniu, na manhã desta sexta-feira (5), no auditório do Instituto de Física, professores de várias instituições de ensino que formaram a comissão de avaliadores externos dos projetos submetidos ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic 2013/2014 ). A pró-reitora Simoni Meneghetti ressaltou a importância do processo de avaliação.

“Todas as etapas visam como resultado a uma demanda qualificada de projetos para a concessão de bolsas, então é um processo de várias etapas de avaliações interna e externa fundamentais para que a Ufal tenha um Pibic forte e transparente”, disse Meneghetti.

Cerca de 450 projetos foram submetidos ao edital deste ano, mas o número de bolsas que serão concedidas pelo CNPq, pela Ufal e pela Fundação e Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal) ainda não está definido. De acordo com o coordenador de pesquisas da Propep, Pedro Valentim, a concorrência entre os bolsistas cresceu proporcionalmente à qualidade dos projetos. “Como tivemos um crescimento no número de doutores na Ufal, a gente percebeu que aumentou o número de solicitação de bolsas, então, com o maior interesse dos alunos e pesquisadores, o processo fica mais concorrido e, portanto, a seleção privilegia aqueles que têm mais qualidade”, comentou.

Além dos 13 avaliadores externos, também estiveram presentes na reunião os membros do Comitê Assessor de Pesquisa da Ufal, formado por representantes de todas as unidades de ensino. O momento foi de discussão sobre os critérios utilizados para definir quais projetos estão adequados para receber o fomento e iniciar as atividades ainda este ano. De modo geral, os professores tiveram uma boa impressão dos trabalhos que terão incentivo à iniciação científica na Ufal.

“Os projetos estavam excelentes e com planos de trabalho muito adequados. Alguns, só para ter um comparativo, a gente não tem lá [na USP] tão bons como os que eu vi aqui”, destacou o professor Augusto Pereira Filho, da Universidade de São Paulo, que avaliou 43 projetos nas áreas de Física e Ciências Atmosféricas.

Outros professores relataram problemas na originalidade, fundamentação da revisão bibliográfica ou detalhes que implicaram em negativas para as bolsas. “Muitas vezes isso não desqualifica o trabalho, mas precisamos ter um cuidado muito grande em todos os critérios do edital, então, os projetos que não recomendei foram por algum problema técnico”, explicou a professora Iêda Garcia, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

O resultado preliminar do Pibic 2013/2014 será divulgado na próxima quarta-feira, dia 10.