Ufal e Iphan firmam cooperação para projetos em Alagoas

A parceria entre os dois órgãos permite executar projetos que retornam para o estado com símbolos históricos e culturais preservados e em funcionamento
10/04/2013 às 09h05 - Atualizado em 14/08/2014 às 10h30
context/imageCaption

Equipe da Ufal e Iphan comemoram a parceria firmada

Manuella Soares - jornalista

O reitor da Universidade Federal de Alagoas, Eurico Lôbo, assinou um termo de cooperação com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), na última segunda-feira (8). O documento vai permitir estreitar as parcerias já firmadas entre os dois órgãos e a iniciativa de novos projetos que serão desenvolvidos no Estado.

Ao assinar o termo, a presidente nacional do Iphan, Jurema Machado, comentou a importância de alinhar as parcerias. “Nós precisamos de projetos de desenvolvimento físico que funcione com vitalidade e é essa a capacidade que a Ufal tem na recuperação do patrimônio histórico”, disse.

A ideia principal é unir o conhecimento técnico e utilizar os recursos destinados à preservação da cultura do Estado de Alagoas. O primeiro projeto a ser executado será a ativação de um albergue estudantil na cidade de Penedo. “Vai funcionar como um laboratório de extensão do curso de Turismo onde será possível levar um ônibus com cerca de 40 alunos de escolas que possam ficar no local e conhecer o patrimônio histórico da cidade. O albergue vai se tornar um edifício voltado para a educação patrimonial de jovens escolares”, explicou Sandro Gama, chefe da Divisão Técnica do Iphan.

Ainda em Penedo, paralelamente à revitalização do Cine Penedo, o prédio histórico vai servir de espaço para a prática de atividades voltadas ao cinema digital, com salas de aula e laboratórios que atenderão também à comunidade acadêmica, sob a gestão da Ufal. “Esse apoio é importantíssimo no sentido de garantia da preservação dos prédios que a universidade pode lançar mão ao utilizá-los como base das suas atividades, ressaltou o coordenador de Assuntos Culturais das Ufal, Sérgio Onofre.

A recuperação e preservação dos patrimônios material e imaterial do Estado é um trabalho já engajado por professores, pesquisadores e alunos, mas o termo de cooperação assinado com o Iphan também é uma oportunidade de pensar na formação e capacitação de quem se interessa pela área. “Temos a ideia de criar um curso de especialização a ser ofertado pela Ufal com o apoio do Iphan e todo o trabalho que é desenvolvido com essa parceria tem toda a autoridade, cuidado, técnica e zelo necessários nos espaços que trazem, além da arquitetura, os valores históricos que estão incorporados. E de forma mais efetiva, é um retorno para o próprio Estado”, destacou o reitor Eurico Lôbo.