Instituto Lukács lança livros em Alagoas

Obras retomam discussões sobre a perspectiva revolucionária marxista
11/12/2012 às 15h40 - Atualizado em 14/08/2014 às 10h36
context/imageCaption

A professora Edna Bertoldo lança o livro Trabalho, Educação e Formação Humana

Myllena Diniz – estudante de Jornalismo

O Instituto Lukács lançou doze livros baseados na perspectiva teórica do marxismo. O lançamento foi realizado no auditório Nabuco Lopes, no prédio da Reitoria da Universidade Federal de Alagoas, situado no Campus A. C. Simões, em Maceió. O momento foi destinado à divulgação das obras de pesquisadores da instituição alagoana e de outras do Brasil, todas relacionadas à discussão da crise estrutural do sistema capitalista e tendo como referência clássicos de Karl Marx, Friedrich Engels, Vladimir Lenin, György Lukács e István Mészáros.

Entre os lançamentos estão obras desenvolvidas por pesquisadores alagoanos, como a bibliografia Trabalho, Educação e Formação Humana. O livro é fruto de coletânea de 14 artigos apresentados no 3º Encontro Norte/Nordeste Trabalho, Educação e Formação Humana (Enntefh) e está vinculado a trabalhos desenvolvidos pelo Grupo de Pesquisa Trabalho, Educação e Ontologia Marxiana (GPTeom) e pelo Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, ambos da Ufal. O projeto aconteceu em parceria com o Instituto de Estudos e Pesquisas do Movimento Operário da Universidade Estadual do Ceará (IMO/UECE); a linha Marxismo, Educação e Luta de Classes do Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da Universidade Federal do Ceará (E-Luta/UFC); e o Grupo de Pesquisa Educação, Marxismo e Ontologia (EMO), dos campi Sertão e Arapiraca da própria Ufal.

Para uma das organizadoras da obra, a professora Edna Bertoldo, do Centro de Educação (Cedu), as publicações do Instituto Lukács e a ampliação das discussões sobre a teoria marxista são conquistas políticas. “Essa reflexão tem uma importância política enorme, porque o instituto retoma debates sobre a realidade do mundo contemporâneo. Para isso, ele se enquadra na perspectiva do resgate teórico revolucionário”, destacou.

O professor Sérgio Lessa, do Instituto de Ciências Humanas, Comunicação e Artes (Ichca), teve quatro livros de sua autoria lançados no evento. De acordo com Lessa, os títulos Mundo dos Homens: trabalho e ser social, Serviço Social e Trabalho: por que o serviço social não é trabalho; Abaixo a família monogâmica!; e Proletariado e sujeito revolucionário, escrito em parceria com Ivo Tonet, destacam o papel do trabalhador na geração da riqueza. “Nos livros, nós salientamos como o proletariado produz toda a riqueza da sociedade. Além disso, trazemos reflexões sobre a necessidade da revolução na busca pela superação da miséria do mundo em que vivemos”, reforçou.

Na visão de Ivo Tonet, colaborador em diferentes livros lançados no encontro e autor das obras Educação contra o capital e Sobre o socialismo, o evento possui significativa contribuição para a análise do mundo contemporâneo. Segundo ele, as reflexões presentes nas obras que compõem o catálogo do Instituto Lukács e o debate entre pesquisadores da área social ampliam a percepção dos impactos da dinâmica capitalista sobre os indivíduos. “Esse momento não é só para mais uma discussão, pois é um assunto sobre o futuro da humanidade. É uma oportunidade para nós refletirmos se queremos a continuidade dessa ordem social – que é brutal e desumana – ou a superação radical dela. Desse modo, os livros tratam da compreensão de tal ordem social e fazem uma crítica radical sobre ela”, avaliou.

Todos os livros publicados pelo Instituto Lukács são vendidos a preço de custo e podem ser obtidos por meio do endereço eletrônico da editora.