Acadêmicos do Sertão realizam aula de campo no ponto mais alto de Alagoas

Alunos e professores de Geografia obtêm novas informações geográficas sobre o território alagoano

23/03/2012 17h12 - Atualizado em 14/08/2014 às 10h34
context/imageCaption

Aula de campo na Serra de Santa cruz

Myllena Diniz – estudante de Jornalismo

A Serra da Onça, local culminante do Estado de Alagoas, serviu de cenário e de objeto de estudo para alunos de Geografia do Campus do Sertão. Em aula de campo para as disciplinas de Climatologia e de Hidrografia, ministradas pelo professor Fernando Pinto, um grupo de acadêmicos visitou pontos turísticos do município de Mata Grande, situado a 46 quilômetros de Delmiro Gouveia.

O ambiente natural funcionou como laboratório e permitiu aos alunos experiências práticas, fundamentais para toda formação acadêmica. Essa oportunidade possibilitou o cálculo de profundidade da Lagoa de Santa Cruz e a identificação de sedimentos em suspensão. Além disso, o grupo realizou estudos sobre a movimentação de correntes, bem como análises de nascentes e classificação de nuvens.

As atividades tiveram o apoio da cartógrafa Sara Fernandes, professora da Ufal, cuja orientação serviu para o desenvolvimento de registros de coordenadas geográficas e de altimetria do terreno. Nesse aspecto, os dados obtidos pelo grupo, por meio do equipamento Global Positioning System (GPS), revelaram que a Serra de Santa Cruz não é o ponto mais elevado do território alagoano, como é amplamente divulgado.

As análises feitas pela equipe comprovaram que o título de maior altitude do Estado pertence à Serra da Onça – área de difícil acesso e de árdua escalada para os aventureiros. “Nossa medição comprovou que a Serra de Santa Cruz possui 886 metros de altura. Já a Serra da Onça corresponde a 1.016 metros, ou seja, é a parte mais alta de Alagoas”, destacou o professor Fernando Pinto.

O grupo visitou outros pontos turísticos da região, com o auxílio do guia cedido pela Secretaria de Educação e Cultura de Mata Grande. Entre as atrações esteve o santuário de Santa Terezinha, considerado símbolo da tradição religiosa do município e uma das maiores expressões da arte sacra em Alagoas. “O santuário possui um belo museu de arte sacra, com estátuas de diversos santos. Inclusive, está sendo reivindicado pelo Vaticano. Aproveitamos a oportunidade para medir a torre do local e chegamos ao resultado de 690 metros de altitude”, acrescentou o professor.

A ação gerou bons frutos e promete trazer mais contribuições para as pesquisas em áreas pouco exploradas do território alagoano. Segundo Fernando, a experiência possibilitou a criação da Força Expedicionária do Sertão de Alagoas, idealizada pelo professor Marcelo Felisberto – outro pesquisador envolvido na aula de campo dos alunos de Geografia. Essa iniciativa corresponde a um grupo de pesquisadores preocupados em descobrir terrenos íngremes da região e ampliar as informações geográficas acerca do interior do Estado.

A Serra da Onça e suas tradições

Visto de quase todos os pontos de Mata Grande, um dos principais cartões postais do município é conhecido por, no passado, servir de abrigo para as onças. Lenda ou não, o lugar ficou conhecido como Serra da Onça. Ainda hoje, as histórias sobre o local são repletas de significados populares e crenças religiosas. Todos os anos, durante a Semana Santa, romeiros e curiosos de diferentes regiões do Brasil levam adiante a tradição de subir a serra e procurar o “banguê” – tubérculo agridoce encontrado entre as rochas.