Integrantes do Conexões de Saberes participam de seminário em Brasília


02/03/2009 08h47 - Atualizado em 13/08/2014 às 00h13
context/imageCaption

prof. Janda Alencar, coordenadora do programa

Integrantes do Conexões de Saberes da Universidade Federal de Alagoas estão em Brasília, participando do III Seminário Nacional do Programa, que acontece entre os dias 2 e 5 de março.

Da Ufal, participam 12 representantes no encontro, entre eles, a coordenadora do Programa em Alagoas, Janda de Alencar, o coordenador de extensão, José Roberto Santos, o monitor do Programa Escola Aberta, Joabson Santos, e mais 8 bolsistas. Em Brasília, eles fazem uma avaliação geral do Conexões Saberes em todo o Brasil e planejam o ano de 2009, já que o Programa ainda está com a vigência do ano passado.

Nesses quatro anos em que vem sendo desenvolvido na Ufal, através da Pró-Reitoria de Extensão, o Conexões demonstra resultados mais que satisfatórios. Prova disso é a aprovação no concurso para monitoria no Governo do Estado de Alagoas, realizado em 2007, de alguns estudantes provenientes dos projetos.  Além de alunos aprovados em cursos de mestrado no Brasil e no exterior.

“No Seminário, os bolsistas tem a oportunidade de discutir as ações afirmativas através do Fórum Nacional dos Estudantes de Origem Popular e de avaliar o impacto que o Programa teve na vida deles”, esclareceu Janda Alencar. “É bom reforçar que só este ano o projeto Pré-Vestibular Comunitário, uma das principais ações do Conexões, aprovou 96 estudantes no Processo Seletivo Seriado da Ufal” destacou Janda.

José Henrique da Silva, estudante do curso de Ciências Contábeis, bolsista do Conexões, viajou com a comitiva alagoana à Brasília. Há dois anos envolvido com o Programa na Ufal, José Henrique diz que foi muito importante essa participação. “No Conexões, vivenciei o tripé da Universidade que é o Ensino, Pesquisa e Extensão. Espero que a gente consiga a renovação do Programa e que consiga subsídios para garantir a continuidade, e mais, uma maior integração com a comunidade”, conclui o bolsista.

O Seminário tem como eixo de discussão, entre as 33 universidades convocadas de todo o país, o processo de democratização do ingresso e da permanência qualificada de jovens de origem popular na universidade pública, além de analisar estudos sobre ações afirmativas em Instituições de Ensino Superior. Paralelo ao seminário, acontece ainda o Fórum de estudantes de Origem Popular.

Daniel Dabasi – Estagiário de jornalismo/Proex