Alunas destacam qualificação dos docentes


01/04/2009 08h22 - Atualizado em 13/08/2014 às 00h38
context/imageCaption

A aluna Gislaine Gonçalves, de Brasília, estagiando em Viçosa

Mesmo em fase de estruturação, o Pólo Viçosa está sendo campo de estágio para a aluna Gislaine Gomes Gonçalves, do último ano do curso de Medicina Veterinária da União Pioneira de Integração Social, em Brasília. O estágio, na área de Anatomia, tem a supervisão do professor Giuliano Lesnau.

Gislaine está fazendo a montagem de esqueletos e peças para as aulas práticas do Laboratório e concluirá o estágio em maio, quando então voltará à sua instituição de origem para apresentar o trabalho.

A aluna usa as técnicas de maceração, em que é retirada a musculatura, colocada em água pura para favorecer o crescimento de microorganismos que irão consumir a matéria orgânica e deixar somente o osso. Na segunda etapa são feitos a limpeza dos ossos, o clareamento com água oxigenada, seguida da fixação, que é a montagem do esqueleto. Assim, a peça dissecada estará pronta para ser utilizada em aula.

Para o trabalho, Gislaine também faz uso da técnica crio-desidratação, que consiste no congelamento e descongelamento para a preparação de peças. “Estou tendo a oportunidade de aprender muito com este estágio aqui. O corpo docente é qualificado, o curso tem tudo para dar certo e é preciso que os alunos aproveitem ao máximo o conhecimento repassado”.

Ser uma profissional competente é o objetivo da aluna Natanni Vítor, que não mede esforços para ser uma médica veterinária, ao sair todos os dias de Maceió para estudar em Viçosa, em companhia das colegas Francesca Alexsandra e Evellynne Marques, todas do 4º período.

Natanni disse que, apesar de enfrentar as dificuldades de uma universidade implantada há pouco tempo, gosta muito do curso que faz. “Estou acompanhando o dia–a–dia do curso que faço e venho me dedicando para ser uma boa profissional na área de Medicina Veterinária”, complementa.

A aluna Francesca Alexandra ressaltou a importância do curso no interior e a oportunidade de muitos jovens terem o acesso a uma universidade pública e de qualidade, destacando a qualificação e o alto nível de conhecimento dos professores.

“A qualidade de ensino da Ufal sempre foi um motivo que me levou a fazer um curso superior nesta instituição. Sei que preciso me dedicar muito ao curso que faço, absorvendo o máximo de conhecimento para me tornar uma boa profissional”, disse Francesca.

Formada em Jornalismo pela Ufal, Evellyne Marques disse que desde a infância sabia que cursaria Medicina Veterinária. “A implantação do curso na Ufal foi o grande começo para a realização do meu sonho”, enfatizou. Evellyne trabalha na Ong Neafa e disse que  pretende,  com o conhecimento que está tendo e sob orientação dos professores, contribuir para  minimizar os riscos das zoonozes no município de Viçosa.

Leia também: Consuagro participa de seminário regional sobre agrotóxico.

Alunas destacam qualificação dos docentes

Mesmo em fase de estruturação, o Pólo Viçosa está sendo campo de estágio para a aluna Gislaine Gomes Gonçalves, do último ano do curso de Medicina Veterinária da União Pioneira de Integração Social, em Brasília. O estágio, na área de Anatomia, tem a supervisão do professor Giuliano Lesnau.

Gislaine está fazendo a montagem de esqueletos e peças para as aulas práticas do Laboratório e concluirá o estágio em maio, quando então voltará à sua instituição de origem para apresentar o trabalho.

A aluna usa as técnicas de maceração, em que é retirada a musculatura, colocada em água pura para favorecer o crescimento de microorganismos que irão consumir a matéria orgânica e deixar somente o osso. Na segunda etapa são feitos a limpeza dos ossos, o clareamento com água oxigenada, seguida da fixação, que é a montagem do esqueleto. Assim, a peça dissecada estará pronta para ser utilizada em aula.

Para o trabalho, Gislaine também faz uso da técnica crio-desidratação, que consiste no congelamento e descongelamento para a preparação de peças. “Estou tendo a oportunidade de aprender muito com este estágio aqui. O corpo docente é qualificado, o curso tem tudo para dar certo e é preciso que os alunos aproveitem ao máximo o conhecimento repassado”.

Ser uma profissional competente é o objetivo da aluna Natanni Vítor, que não mede esforços para ser uma médica veterinária, ao sair todos os dias de Maceió para estudar em Viçosa, em companhia das colegas Francesca Alexsandra e Evellynne Marques, todas do 4º período.

Natanni disse que, apesar de enfrentar as dificuldades de uma universidade implantada há pouco tempo, gosta muito do curso que faz. “Estou acompanhando o dia–a–dia do curso que faço e venho me dedicando para ser uma boa profissional na área de Medicina Veterinária”, complementa.

A aluna Francesca Alexandra ressaltou a importância do curso no interior e a oportunidade de muitos jovens terem o acesso a uma universidade pública e de qualidade, destacando a qualificação e o alto nível de conhecimento dos professores.

“A qualidade de ensino da Ufal sempre foi um motivo que me levou a fazer um curso superior nesta instituição. Sei que preciso me dedicar muito ao curso que faço, absorvendo o máximo de conhecimento para me tornar uma boa profissional”, disse Francesca.

Formada em Jornalismo pela Ufal, Evellyne Marques disse que desde a infância sabia que cursaria Medicina Veterinária. “A implantação do curso na Ufal foi o grande começo para a realização do meu sonho”, enfatizou. Evellyne trabalha na Ong Neafa e disse que  pretende,  com o conhecimento que está tendo e sob orientação dos professores, contribuir para  minimizar os riscos das zoonozes no município de Viçosa.