Ufal completa 48 anos consolidando e expandido o ensino superior de qualidade

Nesses 48 anos, a Ufal consolidou-se como instituição universitária pluridisciplinar, criando cursos de graduação e pós-graduação, implementando a pesquisa, a extensão e vinculando-se às necessidades regionais. O objetivo maior da atual gestão é o fortalecimento da universidade, enquanto instituição pública, gratuita e inovadora

29/01/2009 09h10 - Atualizado em 13/08/2014 às 00h07
context/imageCaption

Campus Arapiraca

Interiorização da Ufal

A Ufal começou a concretizar a interiorização com a inauguração do campus Arapiraca, em 15 de setembro de 2006, que oferece, na sede e pólos, 16 cursos, recebendo 640 alunos por ano.

Além do campus Arapiraca, duas outras regiões do Estado devem ser beneficiadas com a interiorização. Para a reitora, a interiorização da Ufal é a meta prioritária da sua gestão. “A Ufal é a maior instituição pública de ensino superior, mas por muito tempo ficou restrita à capital e municípios próximos, excluindo parcelas dos estudantes do interior de Alagoas. Por isso, queremos interiorizar com qualidade, oferecendo aos moradores do agreste e do sertão a possibilidade de cursarem o ensino superior sem se afastarem de suas regiões”, disse Ana Dayse.

O campus de Delmiro Gouveia, com pólo em Santana de Ipanema, deve ofertar, inicialmente, 12 cursos de graduação, nas áreas de Gestão, Tecnologia, Comunicação e Educação.

Reuni garante recursos para obras em Maceió e no Interior

Segundo o pró-reitor de Gestão Institucional, João Carlos Barbirato, a Ufal terá um orçamento recorde em 2009. "Dos recursos do Reuni 2009 e do Orçamento da Ufal 2009, já temos liberados, prontos para serem utilizados: 6,8 milhões para o Campus de Delmiro Gouveia e seu Pólo em Santana do Ipanema; 5,75 milhões para o Campus Arapiraca e seus Pólos em Penedo, Palmeira dos Índios e Viçosa; e mais uns 12 milhões para o Campus Central. Esse montante será aplicado em obras e compra de equipamentos/mobiliário. Todos os projetos arquitetônicos dos prédios que serão construídos em 2009 estão em fase de conclusão e estão belíssimos. Acreditamos que entre abril e junho estarão todos com obras iniciadas”, ressalta o pró-reitor.

Mostrando dados de crescimento da Ufal, a reitora Ana Dayse destacou que o Reuni proporciona democratização do acesso à educação. “Para Alagoas, o programa representa inclusão social e gerará, até 2012, mais 6 mil novas vagas na graduação. Garantir o acesso ao ensino superior aos estudantes do ensino médio, na capital e no interior, é um compromisso da Ufal, para viabilizar o desenvolvimento do Estado”, enfatizou ela.

Campus Sertão

O grande marco de 2008 foi o lançamento da pedra fundamental do Campus Sertão, no final de novembro, concretizando mais um importante passo na interiorização e expansão da Ufal.

Segundo a reitora, é mais uma oportunidade de provar que o “Sistema Público Federal da Educação Superior é capaz de oferecer plenas condições de promover a inclusão social duradoura que move em nosso país o desejo da mudança e a esperança no futuro”. Ao fazer um balanço dos últimos cinco anos em que está à frente da reitoria, Ana Dayse reafirmou que a Educação é um investimento social e político prioritário e destacou o campus sertão como uma realização histórica. 

“O futuro Campus é um Projeto dotado de uma configuração pedagógica inovadora em estrutura, conteúdo e concepção. Alagoas tornou-se o projeto-piloto da interiorização para o país, por ter adotado uma concepção pedagógica inovadora e abrangente. Um projeto que visa atender às aspirações da juventude, iniciar a oferta de profissionais com formação superior qualificada no Sertão para impulsionar os processos produtivos locais dos municípios influenciados pelo Campus e Pólo”, destacou a reitora.  

No Sertão, o Reuni investe 5 milhões e 880 mil reais para a construção da sede do Campus Ufal em Delmiro Gouveia e seu Pólo em Santana do Ipanema. O prédio em Delmiro Gouveia abrigará, no início de 2010, os primeiros aprovados no vestibular para os cursos de Engenharia Civil, Engenharia de Produção Industrial, Licenciatura em Letras, História, Geografia e Pedagogia.  No pólo de Santana do Ipanema, haverá a oferta dos cursos de Economia e Ciências Contábeis, contando com a possibilidade de cursos na área de saúde.  

O campus Sertão vai ampliar a atuação da Ufal nessa região, que já acontece desde 2002por meio do programa Xingó, no município de Piranhas, através do Ensino a Distância, com os pólos presenciais nos municípios de Olho D’Água das Flores e Santana de Ipanema.

Concursos

O ano de 2008 também foi marcado pela ampliação do funcionalismo, com a contratação, por meio de concurso público, de novos servidores. O concurso de técnico-administrativo dos Campi Maceió e Arapiraca, para cargos de níveis médio e superior, realizado no primeiro semestre de 2008, preencheu 60 vagas. Os aprovados foram empossados no mês de julho, passaram por treinamento e assumiram as funções nos campi Maceió e Arapiraca. Os 235 professores, aprovados nos concursos realizados também em 2008, iniciaram suas atividades imediatamente.

Nesse mês de janeiro, foi realizado o concurso do Campus Arapiraca e Pólo Penedo, tendo como objetivo preencher 30 vagas para professores advindas do Programa de Expansão 2008. As provas tiveram início na terça-feira (20/01) e foram concluídas na sexta-feira (23/01). A expectativa é que os candidatos aprovados estejam em sala de aula ainda no primeiro semestre de 2009. Além deste concurso em Arapiraca, há outro em fase de homologação de inscrições para o Campus A.C. Simões, em Maceió.

Ainda para o ano de 2009, há a expectativa de realização, no mínimo, de mais três novos concursos, atendendo o Campus Arapiraca e Pólos, o Campus Maceió e o Campus Delmiro, cuja inauguração está prevista para o ano de 2010.

Ao todo, em 2009, serão mais 123 vagas para docentes, sendo 38 na expansão e 85 dentro do Programa Reuni, além de mais 50 vagas para técnicos-administrativos.

Internet via wireless

O acesso à internet via wireless em algumas áreas do campus foi outra evidência da aplicação de recursos na Universidade em 2008. O projeto objetiva incentivar o acesso à internet sem fio, principalmente nas áreas acadêmicas e administrativas. Até o momento, a internet sem fio pode ser acessada gratuitamente no prédio da Reitoria, na Biblioteca Central e na Superintendência de Infra-estrutura, situada próximo ao radar metereológico e à gráfica. Segundo Rui Figueira, funcionário da Divisão de Redes do Núcleo de Tecnologia da Informação, o sistema deverá ser implantado em todo o Campus Maceió até o segundo semestre de 2009.

Parcerias para melhorar a educação em Alagoas

O Plano Estratégico para mudar a realidade educacional em Alagoas – tendo em vista o nosso Estado ter um dos piores índices de analfabetismo do país – tem a Ufal como parceira, representada na equipe técnica pela pró-reitora de Graduação, Graça Tavares.

A parceria prioriza, principalmente, a oferta de cursos de licenciatura e de especialização para atendimento da demanda de professores das redes de ensino estadual e municipal nos próximos seis anos. O investimento que o Ministério da Educação (Mec) fará na área de recursos humanos objetiva estimular arranjos educacionais no âmbito do Estado, com a coordenação da Secretaria de Educação e parceiras das instituições públicas locais que oferecem ensino superior público e gratuito.

Os dados constatam que cerca de 80% dos professores do Estado têm nível superior, mas o setor continua com carências de recursos humanos nas áreas de exatas, línguas estrangeiras e nas novas licenciaturas como Filosofia e Sociologia. A oferta de cursos de pós-graduação nessas áreas prioritárias oportunizará a formação de recursos humanos para suprir a carência existente.

Qualificação de professores

Outra parceria que tem dado certo e melhorado o nível educacional em Alagoas foi a da Ufal com as instituições de ensino superior do Estado para qualificação de docentes. 23 professores da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal) já integram o Mestrado de Educação. Mas o desafio ainda é muito grande: Alagoas apresenta, atualmente, 43 mil professores sem qualificação ou com desvio de função.

Internacionalização do Ensino Superior

A Ufal firmou novos convênios com as Universidade de Porto, Lisboa e Madeira – em Portugal – e com a Universidade de Salamanca, na Espanha. Essa parceria potencializa trocas de experiências e de aprendizado entre as instituições envolvidas e é promovida pelo Grupo Tordesilhas, que congrega no Brasil quatro universidades da Região Nordeste.

A internacionalização do ensino superior proporcionou o primeiro encontro sobre o assunto, em setembro de 2008, com as presenças do reitor honorário da Universidade de Salamanca, Ignácio Berdugo, e do vice-presidente do Portal Universia, Jamil Hannouche.

Pelo Programa Universia, 15 alunos de diversos cursos de graduação da Ufal estão estudando em Portugal por um período de seis meses; retornando em fevereiro deste ano. Além de estudantes, o Programa vem também contemplando docentes, em cursos de pós-graduação, com as universidades portuguesas conveniadas.

Em termos de cooperação internacional, a Ufal possui 25 convênios com os seguintes países:

Nas Américas: Argentina; Bolívia; Chile; Cuba; Barbados; Nicarágua; México; Uruguai;  Paraguai; Estados Unidos da América

Na África: Cabo Verde; Angola; Guiné-Bissau; Moçambique; República Democrática do Congo; São Tomé e Príncipe

Na Europa: Espanha; França; Holanda; Portugal; Rússia; Itália

Na Ásia: Coréia do Sul; Israel; China

Investimento no servidor

O volume de recursos que a Ufal tem angariado tem beneficiado também os servidores, afinal eles são parte fundamental na construção de uma Universidade mais viva e melhor. De acordo com a pró-reitora de Gestão de Pessoas e do Trabalho, Sílvia Cardeal, o investimento que se faz no servidor técnico destaca a Ufal como a de maior recurso, no que se refere a orçamento, para capacitações no Brasil. “Tudo isso é resultado de um esforço da atual gestão. Esta realidade nos coloca bem à frente das outras instituições federais de ensino superior, porque algumas universidades, apesar de maiores, não fazem avaliação de desempenho e dão progressão automática”, ressalta ela.

Sendo assim, a participação e as aprovações nos cursos de capacitação têm nova realidade na Ufal. Para se ter idéia, em 2004, havia menos de 500 servidores técnicos nessas atividades. Em 2008, o número cresceu para 2.000 participantes. Os desistentes também diminuíram, provavelmente porque estar capacitado atualmente significa ter reflexos no salário, como determina o Decreto 5707/2006, que trata sobre a Política Nacional de Capacitação. A Progep já conta com o planejamento para este ano e contempla o segmento técnico-administrativo com um maior número de capacitações nas mais diversas áreas, especializações, atividades administrativas e a perspectiva de pós-graduação (mestrado e doutorado).

Bolsas de estudo estimulam formação acadêmica

A Universidade, através da Pró-Reitoria Estudantil, tem ampliado consideravelmente o número de bolsas de estudo, visando ampliar a participação estudantil nas atividades de ensino, pesquisa e extensão. Em 2008, foram 709 bolsas Estudo/Trabalho disponibilizadas, o que representa uma ampliação de 100% em relação a 2007. Além disso, o atendimento no Restaurante Universitário (RU) foi ampliado para 1100 comensais/dia; e na Residência Universitária, onde atualmente vivem 102 residentes, sendo a maioria do interior de Alagoas, foi criada uma ouvidoria para estreitar ainda mais a relação desses estudantes com a pró-reitoria.

Universidade se destaca em pré-vestibular comunitário

O Projeto Pré-Vestibular Comunitário, uma iniciativa do Programa Conexões de Saberes da Ufal, tem tornado o sonho de muitos jovens, dos bairros Graciliano Ramos, Benedito Bentes, Bom Parto e dos municípios de Santa Luzia do Norte e Rio Largo, em realidade. O número de aprovados no Processo Seletivo Seriado (PSS) tem aumentado a cada ano. Em 2008, foram cinqüenta. Este ano, a aprovação saltou para 90, o que tem feito do Pré-Vestibular Comunitário uma referência em termos de preparação e inclusão social.

O Projeto existe desde 2006 e, desde então, tem capacitado não somente jovens a entrarem na Universidade, mas também estimulado universitários, que atuam no Programa Conexões, à produção científica através da publicação de artigos, apresentação de trabalhos em eventos nacionais e até mesmo à produção de Trabalhos de Conclusão de Curso sobre o assunto.

Em 2008, o Programa Conexões de Saberes lançou a cartilha “Conquistando Espaços”, com o intuito de esclarecer, de maneira nítida, o que ele realmente é e explicar à comunidade acadêmica quais os projetos e atividades inseridos em seus dois anos de existência.

Ingressantes e concluintes na Universidade

3.333 feras foram aprovados no PSS 2009 para os 61 cursos (54 diurnos e 19 noturnos) ofertados pela Ufal – Campus Maceió. Em Arapiraca, 770 alunos estão ingressando nos 16 cursos ofertados no Campus do Agreste e Pólos. Além disso, a Ufal oferta ainda 5 cursos a distância (Pedagogia, Física, Matemática, Sistema de Informação e Administração). O vestibular a distância acontece neste domingo (25/01).

Paralelo ao grande número de ingressantes na Universidade, vale ressaltar o número de formandos, que também é expressivo. Anualmente, a Ufal forma em torno de 2.000 profissionais.

Ampliação da Biblioteca Central

Com a nova gestão da Universidade, a Biblioteca tem garantido 8% do orçamento institucional, o que assegura a melhoria do acervo bibliográfico, as condições de uso das bibliotecas e a oferta de serviços especializados. O Sistema de Bibliotecas (SIBI) passou a ser composto pela Biblioteca Central, o Órgão Colegiado e 7 Bibliotecas Setoriais.  A Biblioteca Central nos últimos anos passou por melhorias na  sua infra-estrutura, além da contratação de pessoal.

A Biblioteca recebeu um grande impulso. Hoje  é um pólo de intercâmbio científico, cultural e social, saindo de um estado primitivo para uma performance moderna e dinâmica.

Congresso Acadêmico

Desde 2004, a Ufal realiza anualmente o Congresso Acadêmico, com o objetivo de divulgar sua ampla produção científica. O evento tem crescido ano após ano. Em 2008, foi realizada sua quinta edição, que contou com duas grandes inovações: a descentralização das atividades, fazendo com que as Unidades Acadêmicas tivessem uma participação efetiva; e a realização da Reunião Regional da Sociedade Brasileira para Progresso da Ciência (SBPC). Ao todo, 1.790 trabalhos foram inscritos e apresentados, além de outras diversas atividades paralelas que aconteceram na V Semana da Cultura Africana, na VII Jornada Multidisciplinar do Hospital Universitário, dentre outras.

Edufal: 25 anos de sucesso

A Edufal completou  25 anos em 2008.  Criada em 5 de outubro de 1983, como órgão integrante da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), com a missão de editar e divulgar trabalhos e publicações de interesse científico, hoje é uma editora  premiada em âmbito nacional.

Em 2005, a Edufal tornou-se a editora universitária pioneira, no Brasil, no desenvolvimento do Projeto Braille. Nesse segmento, já publicou vinte títulos, que vem sendo doados a bibliotecas e instituições de apoio aos deficientes visuais de Alagoas e do Brasil.

Em 2008, a Edufal fez-se presente na XX Bienal Internacional do Livro de São Paulo, lançando a quarta edição do livro “A Língua do Nordeste (Alagoas e Pernambuco)”, de Mário Marroquim.

Os preparativos para a IV Bienal Internacional do Livro de Alagoas já estão a todo vapor. Entre 30 de outubro a 8 de novembro, a Bienal será realizada no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso. Nessa edição, o patrono é o alagoano, de Palmeiras dos Índios, José Marques de Melo. 40 livros serão lançados este ano. Cinco salas serão usadas para oficinas literárias e de criação, uma sala com 180 lugares será destinada para palestras, debates e mesas-redondas. Além disso, haverá um café literário para bate-papo com autores nacionais e locais, um auditório para 500 lugares, além da praça de autógrafos. Mais informações sobre a IV Bienal no site: http://www.edufal.com.br/bienal2009/.

Hospital Universitário: inovação a serviço da saúde

O Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA) tem se destacado em vários segmentos da área de saúde, buscando aprimorar suas técnicas ou implantar novas metodologias, a fim de garantir a qualidade dos serviços prestados e continuar como referência no Estado.

A implantação do teste rápido diagnóstico para HIV foi uma das grandes ações de 2008. Profissionais de nível superior do Laboratório de Análises Clínicas do Hospital receberam capacitação para a realização desse teste que, diferente do teste rápido de triagem, não necessita da realização subseqüente de outros testes convencionais como confirmatórios para o diagnóstico definitivo de infecção pelo vírus da AIDS; o resultado é confirmado com 100% de segurança. Além disso, outra vantagem é o tempo requerido para realização do teste rápido diagnóstico para HIV, que poderá variar de 10 a 60 minutos.

Incentivo ao parto normal humanizado

Desde o final de 2008, as gestantes da Maternidade Professor Mariano Teixeira do HUPAA passaram a ser acomodadas em quartos individuais ou com no máximo dois leitos, onde ficarão internadas desde o pré-parto até o seu total restabelecimento (puerpério), com direito a um acompanhante de sua escolha, além da presença do bebê. Essa é uma das exigências estabelecidas na resolução RDC nº 36 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o funcionamento dos serviços obstétricos e neonatais no país.

Implantação do Ambulatório de Cuidados Paliativos

Outra importante ação em 2008 foi a implantação do Ambulatório de Cuidados Paliativos no Centro de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon), unidade responsável pelo tratamento integral ao paciente com câncer. Este serviço, pioneiro no Estado e destinado no momento apenas à demanda interna, está sendo estruturado para dispor de uma equipe multidisciplinar visando garantir o atendimento holístico, ativo e total ao paciente cuja doença não responde mais ao tratamento curativo.

Entre os objetivos dos cuidados paliativos, estão: proporcionar o alívio da dor, o controle de outros sintomas e uma melhor qualidade de vida ao paciente e a seus familiares.

Museu Théo Brandão abre portas da cultura para comunidade

O ano de 2008 foi bem movimentado para o Museu Théo Brandão. Além de exposições temporárias de grande sucesso, o Museu foi palco de muitas comemorações, recebeu a visita de pessoas com necessidades especiais, realizou oficinas para transmitir os saberes dos nossos mestres populares e, ainda não satisfeito, foi à rua através de uma exposição itinerante que percorreu vários pontos da cidade, levando a públicos heterogêneos o trabalho de artistas populares de Alagoas.

Inclusão através da arte

O projeto “Todos os sentidos: arte e inclusão” possibilitou aos  portadores de várias deficiências o acesso aos bens culturais através de visita guiada ao rico acervo de cultura popular. Além de conhecer o acervo do Museu, os convidados especiais participaram de oficinas de pintura, dança (como forró e frevo) e artesanato.

Através desse projeto, o Museu recebeu a visita de várias instituições que trabalham com portadores de necessidades especiais, como a Escola de Cegos Ciro Acioly, as Casas de Saúde Miguel Couto e Ulisses Pernambucano (as quais trabalham com portadores de doenças mentais), a Escola Alagoana Família Down, o Grupo Pestalozzi (que trabalha com portadores de deficiência mental), dentre outros.

Além das quatro paredes

A exposição itinerante “Museu Vai à Rua” tem atraído a atenção da sociedade por sua inovação. Dezoito esculturas (manequins de lojas), recriadas por diversos artistas consagrados no âmbito da cultura popular, percorreram diversos pontos da cidade, dando visibilidade à criatividade dos artistas alagoanos e aumentando o número de pessoas que têm acesso à arte popular de Alagoas. A primeira parada foi no calçadão da Praia de Jatiúca, seguido de outros lugares de grande movimentação como o Shopping Iguatemi, o aeroporto, o Palácio do Governo do Estado, a Biblioteca Central da Ufal, dentre outros. Essa exposição rendeu ainda a classificação do Museu, em nível regional, para o Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), na categoria Divulgação.