Reunião discute a implantação do Pólo de Biotecnologia


12/01/2009 11h09 - Atualizado em 12/08/2014 às 23h52
context/imageCaption

Vice-reitor, Eurico Lôbo, e reitor da Uncisal, André Falcão

O Prof. Luis Antonio Barreto de Castro, do Ministério da Ciência e Tecnologia, reuniu-se com representantes da Ufal e da Uncisal, nessa segunda-feira, 12, no gabinete da reitora Ana Dayse Dorea, para discutir a implantação do Pólo de Biotecnologia em Alagoas. Participaram da reunião o vice-reitor da Ufal, Eurico Lôbo, o reitor da Uncisal, André Falcão, o pró-reitor de Pós-graduação e Pesquisa da Ufal, Josealdo Tonholo, e integrantes das equipes das duas universidades.

O vice-reitor da Ufal, prof. Eurico Lôbo, enfatizou o interesse da Ufal em participar do projeto, destacando que a Universidade já possui pesquisa de ponta nessa área, com dois doutorados em biotecnologia, além de participação ativa na Renorbio.

 O pró-reitor da Pesquisa e Pós-graduação da Ufal, Josealdo Tonholo, informou que já existem recursos aprovados para pesquisas na área de Biotecnologia, liberados pela Finep. O pró-reitor destacou ainda o período promissor para a pesquisa no Estado. “Temos que aproveitar as boas perspectivas para a pesquisa em 2009. A Ufal terá, esse ano, um orçamento muito maior do que nos últimos cinco anos, e o Estado de Alagoas também terá mais facilidade de entrar com contrapartida em projetos como esse já que conseguiu uma boa renegociação para as dívidas”, disse Tonholo.

O Prof. Luis Antonio Barreto de Castro, do Ministério da Ciência e Tecnologia falou sobre a importância desse pólo para o desenvolvimento do Estado, ressaltando a biodiversidade encontrada aqui e as pesquisas desenvolvidas na área de agropecurária, bioetanol e genoma da cana-de-açucar. “ Alagoas tem essa riqueza biotecnológica e ainda convive com uma média de mortalidade infantil duas vezes maior que a média nacional”, disse o representante do MCT. “A formação desse pólo vai contribuir para atrair pesquisadores de renome internacional e interferir diretamente no desenvolvimento científico e social de Alagoas”, destacou Barreto.

O reitor da Uncisal, André Falcão, destacou que o pólo a ser instalado em Alagoas será o único no Brasil, e trará uma grande contribuição para o desenvolvimento do Estado, atraindo pesquisadores de diversos lugares do mundo para realizar estudos em áreas como saúde, agricultura, economia e cultura. “Teremos condições de planejar o desenvolvimento do Estado de forma mais ampla, atingindo todos os aspectos econômicos e sociais”, sintetizou. Segundo Falcão, o projeto já foi pré-aprovado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES). A perspectiva é que o Pólo seja instalado em, no máximo, três anos. Para isso já está sendo montado um cronograma de atividades.

 

Lenilda Luna - Assessoria da Ufal