Servidores da Ufal são testados para covid-19 em mutirão no prédio da Reitoria

Iniciativa visa rastrear infectados e impedir surto na Instituição
Por Izadora García
13/01/2022 15h58 - Atualizado em 13/01/2022 às 20h24
context/imageCaption

A vice-reitora Eliane Cavalcanti fez a coleta do material para testagem

Um mutirão para testar servidores da Universidade Federal de Alagoas para a covid-19 foi realizado, na última quarta-feira (12). Foram 150 testes do tipo RT-PCR disponibilizados pela Reitoria para rastrear casos e cortar a cadeia de transmissão da doença na Instituição.

A vice-reitora Eliane Cavalcanti participou da ação realizando os testes e explicou que a iniciativa visa dar segurança às atividades laborais na Ufal. “Considerando o cenário de novo surto, com uma alta de casos de covid-19, influenza e fluorona [infecção concomitante por Sars-CoV-2 e H3N2] e uma grande quantidade de servidores apresentando sintomas de síndromes gripais, decidimos fazer um mutirão na Reitoria e com algumas unidades que estão em funcionamento. O principal objetivo da iniciativa é rastrear e isolar contaminados, inclusive os assintomáticos, para poder dar continuidade, com segurança, aos trabalhos na Universidade”, avaliou.

O professor Willian Melo, do curso de biblioteconomia, apresentou sintomas da doença na última semana e decidiu realizar o teste. “Eu venho acompanhando a alta dos casos de covid-19 e influenza e, por ter tido sintomas que se encaixam nessas duas categorias de doença atualmente em circulação no país, resolvi tirar a dúvida. Mesmo estando vacinado com três doses, acho necessário descobrir a causa dos sintomas, fazer o isolamento e quebrar a cadeia de transmissão”, explicou.

No total, foram disponibilizados 150 testes do tipo RT-PCR, o padrão ouro para a detecção da doença. Até o final da manhã, cerca de 60 pessoas já haviam sido testadas. A ação teve como público-alvo servidores técnicos, docentes, terceirizados e estudantes em atividade na Universidade, mas a testagem também abrangeu a comunidade externa.

A socióloga e afroempreendedora Elis Lopes aproveitou a oportunidade para fazer o teste gratuitamente. “Como eu tive contato com familiares que positivaram para covid-19, resolvi tirar a dúvida. A iniciativa é muito importante, principalmente porque estamos vivendo um momento crítico com alta de casos. Temos que rastrear os casos e isolar os infectados. Junto com a vacinação, a testagem é uma ferramenta fundamental para refrear o avanço da pandemia", avaliou.

Os resultados serão enviados para os e-mails e números de telefone disponibilizados durante o cadastro. Positivados devem seguir os protocolos de isolamento preconizados pelo Ministério da Saúde.