Diva Lessa completa 60 anos junto com a Ufal e relembra suas conquistas

Servidora trabalhou nas nove bienais e é reconhecida em agradecimentos de trabalhos acadêmicos
Por Jacqueline Freire - jornalista
05/02/2021 15h40 - Atualizado em 05/02/2021 às 16h06
context/imageCaption

Diva Lessa comemora seus 60 anos de idade junto com o aniversário da Ufal

Em 60 anos de história, a Universidade Federal de Alagoas coleciona grandes acontecimentos e muitas recordações, dentre seus servidores, estudantes e pessoas que passaram em suas salas, laboratórios, eventos, auditórios, etc. Assim também é com a servidora Diva Lessa, bem conhecida na Editora da Ufal (Edufal).

Prestes a completar 60 anos de idade, Diva ingressou na Universidade como servidora em 1986, iniciando seu trabalho num setor chamado Codesen, depois Pró-reitoria de Administração. “Minha função era atuar como telefonista. Eu era chamada para outros setores para auxiliar em demandas pontuais na contabilidade, no DAP [Departamento de Administração de Pessoal] e no gabinete do vice-reitor, e sempre gostei de conhecer outros setores. Nessa época, eu tinha duas filhas pequenas e necessitei descer para trabalhar no Espaço Cultural para poder deixar as minhas filhas na creche. No espaço cultural, trabalhei na primeira sede da Edufal. Em poucos meses o novo espaço da Edufal estava pronto no Campus A.C Simões e mais uma vez eu retornava à cidade universitária”, contou.

Servidora da Editora Universitária até hoje, Diva lembra que, no início, o grupo na editora era pequeno e tinha uma equipe bastante unida e comprometida. “O meu primeiro grande desafio na carreira de servidora pública foi participar do projeto da 1ª Bienal do Livro e da Arte do Estado de Alagoas. Nesse momento, oferecíamos o que fazíamos de melhor para toda sociedade alagoana. Para mim, esse foi um grande marco no que diz respeito a publicações de livros e reconhecimento da Editora pela comunidade”, afirmou.

Em sua jornada de quase 35 anos de serviço público, ela passou por nove diretores e teve inúmeros funcionários e estagiários. “Essas pessoas ajudaram a construir a história da Edufal e também construíram suas vidas profissionais, alguns voltaram como servidores públicos, alguns como clientes e outros como autores. O que sempre me deixou muito orgulhosa, pois sei que a Edufal e a Ufal fizeram parte da consolidação dessas carreiras”, disse, emocionada.

“Quem nunca entrou na Edufal em busca de um bom livro, acompanhado de um café e uma ótima conversa? Não é por acaso que sempre ouvimos os comentários da comunidade acadêmica de como o ambiente da Editora é agradável, tanto que temos frequentadores assíduos”, reconheceu Diva, que conta ainda sobre a editora ser um lugar que sempre lhe deu muita satisfação profissional.

“Meu conhecimento sobre o acervo da editora me aproximou muito dos alunos, técnicos e professores. Os bolsistas chegaram a me batizar de oráculo. Cada pessoa que entrava na Edufal deixava e levava uma história, sempre foi muito prazerosa essa interação com leitor. Por vezes tive meu nome citado nos agradecimentos dos TCCs [Trabalho de Conclusão de Curso], dissertações, teses e até livros”, lembrou a servidora, que já participou de cinco Salões do Livro, nove bienais e mais de 20 feirões de livros.

Diva também esteve presente na implantação da livraria da Edufal no Espaço Cultural e no Sertão e na montagem da nova sede na Edufal no prédio do Centro de Interesse Comunitário (CIC). “Cada fase foi um novo desafio que me exigiram trabalho e dedicação que, por fim, me trouxeram muitas emoções”, disse.

“Sempre defendi, acreditei e confiei nessa instituição. Minhas filhas se tornaram profissionais formadas por essa Universidade e hoje mestras também pela Ufal. Meu maior sonho é vê-las voltar para Ufal como eu: funcionárias públicas federais para que elas possam contribuir com a oferta do serviço público de qualidade”, afirmou Diva.

E continua: “Hoje, minha esperança é o fortalecimento da Editora frente à nova conjuntura que as novas tecnologias têm trazido, para que as publicações estejam cada vez mais acessíveis aos cidadãos. Fica aqui minha eterna gratidão aos ex-diretores da Edufal: Eduardo Magalhães, Leda Almeida, Eraldo Ferraz, Sheila Maluf, Stela Lameiras, Osvaldo Maciel, Lídia Ramires, Elvira Barreto e Elder Maia; aos reitores e reitoras, aos meus colegas de profissão, aos ex-estagiários aos quais pude compartilhar o dia a dia do meu trabalho. Deixo aqui registrado, que esses anos de dedicação foram por acreditar na transformação da sociedade através da educação e isso a Ufal tem feito há 60 anos”.