Professor publica artigo sobre favelas brasileiras durante pandemia

Especialista em Gestão Pública alerta para as desigualdades que acometem populações pobres
Por Janaina Alves – relações públicas
20/04/2020 15h30 - Atualizado em 20/04/2020 às 19h21
context/imageCaption

Professor Leonardo Leal

A pandemia do novo coronavírus escancarou algumas das muitas fragilidades brasileiras. Desde a precarização do serviço público de saúde, uma economia com altos índices de informalidade até a vulnerabilidade e falta de provimento básico das populações que vivem nas favelas em todo o país. Sobre este último assunto, em especial, o professor da Ufal Leonardo Leal publicou um artigo de opinião no Jornal Público, de Portugal.

Ele, que é investigador do Centro de Estudos Internacionais (CEI-IUL), doutorando em Ciência Política pelo ISCTE-IUL (Portugal) e Universidade de Brasília (UnB) e professor de Administração Pública do Campus Arapiraca, mostrou em seu texto o impasse entre a saúde e a sobrevivência, instalado no Brasil, com a chegada da pandemia.

Embora não seja da área da saúde, Leonardo explica o interesse em analisar a situação: “Logo após a infecção da covid-19 ter se transformado em uma pandemia, isto despertou o interesse dos pesquisadores sobre as consequências da nova peste, considerando que esta é uma crise mundial que deixou de ser unicamente um problema de saúde pública para ser uma crise multifacetada, com consequências sociais, políticas e econômicas”, afirma.

Pesquisador das áreas de Ciência Política e Gestão Social; Movimentos Sociais; Sociedade Civil; Economia Solidária; Bens Comuns e Políticas Públicas, Leonardo viu no atual contexto mundial a oportunidade de discutir academicamente o assunto e dividir opiniões com especialistas de várias áreas no mundo inteiro. “Além dos meus trabalhos de ensino, pesquisa e extensão, me interessa muito participar do debate público e acadêmico através da divulgação de minha opinião em jornais de grande circulação, visando apresentar uma perspectiva acadêmica crítica sobre os eventos e acontecimentos de nosso tempo, nomeadamente aqueles relacionados aos temas em que sou formado”, esclarece.

Favelas brasileiras em tempos de pandemia

No caso específico das favelas brasileiras, Leal apontou em seu artigo alguns fatores que, segundo ele, causariam grande impacto na vida dos mais de 13,6 milhões de moradores, de acordo com o Data Favela. População essa maior que a portuguesa e de outros países europeus, por exemplo.

“São muitos os marcadores de desigualdade: acesso insuficiente ao abastecimento de água potável, ausência de saneamento e rede de esgoto, privação de espaço urbano apropriado, ambiente doméstico subnormal e postos de trabalho informais. Este conjunto de condições é claramente um obstáculo às medidas de cuidado contra a covid-19”, explicou o pesquisador em sua publicação.

No artigo, Leal ainda estabelece a relação entre a saúde e a questão econômica, ao lembrar da necessidade do distanciamento social como estratégia de enfrentamento da doença adotada pelo Governo Federal e governos estaduais, sob a orientação do Ministério da Saúde e da OMS, que tem impacto direto na manutenção de renda de muitas famílias, o que tem gerado discussões no âmbito político e social. “Longe de querer fazer coro ao fim ao isolamento para defender o retorno econômico, o povo brasileiro enfrenta o impasse entre a saúde e a sobrevivência. Entre contrair um vírus em meio a luta para conseguir manter os principais meios de provisão ou tentar se isolar e ficar sem renda para atender as medidas de cuidado adequado”, considera.

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui. E para ler outros artigos do pesquisador da Ufal no Jornal Público, acesse a página do colunista no portal do veículo.