Professores fazem parceria para ações no sistema prisional de Alagoas

Trabalho junto a representantes do Poder Judiciário vai envolver pesquisadores de diversas áreas
Por Manuella Soares - jornalista
16/12/2020 15h26 - Atualizado em 16/12/2020 às 19h44
context/imageCaption

Reunião virtual de professores com representantes do Poder Judiciário do Estado

A Universidade Federal de Alagoas é atuante nos estudos envolvendo o sistema prisional. E, buscando mais parcerias para ampliar os campos de atividades, professores de diversas áreas se reuniram de forma virtual com representantes do Poder Judiciário do Estado. O objetivo é aproximar o diálogo e construir um programa que agregue projetos de extensão voltados à comunidade carcerária, que inclui pessoas presas, pacientes do Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico, policiais penais e servidores administrativos.

“A ideia é desenvolver essas atividades de forma mais sistemática, com articulação entre as unidades acadêmicas, de modo a proporcionar aos estudantes a vivência de atividades de ensino, pesquisa e extensão no sistema carcerário alagoano, numa importante interlocução de saberes que, de um lado, contribuem para os processos de reintegração social de pessoas privadas de liberdade e, de outro, contribui para a formação humana de estudantes das mais diversas áreas da Ufal”, comentou a professora Elaine Pimentel, diretora da Faculdade de Direito de Alagoas (FDA).

Além de Pimentel, participaram da reunião on-line os professores João Araújo (Fanut), Carlos Everaldo Costa (Feac), Conceição Valença (Cedu), Cristina Camelo de Azevedo (IP), Socorro Dantas (Iefe), Gaus Silvestre (Ceca), Reivan Marinho (FSSO); os juízes da Vara de Execução Penal, Antonio Rafael Wanderley Casado da Silva e Diego Araújo Dantas, e os representantes da Secretaria de Ressocialização, Milton Pereira e Rídina Mota. A professora Suzann Cordeiro (FAU), também vai participar do projeto em parceria com o Poder Judiciário.

Atuação na área

A Ufal conta com alguns grupos de pesquisa, certificados pelo CNPQ que proporcionam atividades de ensino, pesquisa e extensão na área, a exemplo do Núcleo de Estudos e Políticas Penitenciárias (Nepp/FDA), coordenado pela professora Elaine e o Grupo de Pesquisa Educação em Prisões (Gpep/Cedu), sob a liderança da professora Conceição Valença.

O Gpep estuda e realiza investigações sobre a educação em contextos de privação de liberdade. Dentre as ações, está em curso a pesquisa Formação continuada em contexto prisional: aprendizagens ao longo da vida em ambientes digitais, em parceria com a Universidade do Porto, em Portugal.

Já Elaine é responsável por diversos projetos de extensão em parceria com as professoras Ruth Vasconcelos (ICS) e Marinaide Freitas (Cedu), a exemplo do Inclusão social pela educação de Jovens e Adultos: alfabetização e cidadania para pessoas egressas da prisão, em atuação desde 2014, Balcão de orientação em cidadania, justiça e educação; e o projeto Reconstruindo Elos, que contribui com a formação social, cidadã e humana dos presos tratando temas relacionados ao processo educativo e da sociabilização no campo dos direitos humanos.