Núcleo da Ufal no Sertão completa uma década de atividades

Para marcar a data estão sendo realizados eventos on-line e será publicado livro com a história do grupo
Por Simoneide Araújo - jornalista
19/11/2020 08h42 - Atualizado em 19/11/2020 às 10h10
context/imageCaption

Semana da Consciência Negra 2010 (Fotos: arquivo do Nudes)

Neste mês de novembro o Núcleo de Estudos, Extensão e Pesquisa sobre Diversidade e Educação no Sertão Alagoano (Nudes) da Universidade Federal de Alagoas completa 10 anos de atividades. Para celebrar e marcar a data de criação, está sendo preparado um livro histórico e, desde julho, estão acontecendo eventos virtuais (lives) com transmissão pelo @nudesufal, sobre as temáticas abordadas e pesquisadas pelo grupo.

Os eventos on-line vêm funcionando da seguinte maneira: cada docente integrante do Núcleo conduz o debate acadêmico sobre seu tema de trabalho em diversidade, com a participação de um convidado. Os temas são diversos: Mulher Negra na Academia; A extensão acadêmica e a educação para as relações étnico-raciais; Produções corporais e diversidade; O campo acadêmico da educação especial no Brasil; Infâncias em tempo de pandemia; LGBTQI+ e racismo; Os papéis da educação no combate ao racismo e Direitos Humanos e igualdade racial.

O Nudes iniciou suas atividades em 2010, junto com a implantação do Campus Sertão em Delmiro Gouveia. As fundadoras são as professoras Ana Cristina Conceição Santos e Mônica Regina Nascimento dos Santos, que aproveitaram o edital de extensão Óde Ayé, lançado pelo antigo Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (Neab), e impulsionaram os primeiros projetos no âmbito das ações afirmativas. As professoras conseguiram realizar a Semana da Consciência Negra. Esse evento teve a colaboração de diversos docentes do Campus do Sertão e, a partir desse esforço conjunto, surgiu a ideia de criar um núcleo de extensão, de forma a agregar as pessoas que já desenvolviam pesquisas ou projetos no âmbito da diversidade étnica, sexual e de gênero.

Também integram o Nudes os professores José Ivamilson Barbalho, Adriana Deodato e Aruã Silva de Lima. O grupo relata que o Núcleo foi criado para atuar no tripé ensino, pesquisa e extensão, “mas sua institucionalização se deu em virtude da aprovação em edital nacional do Programa de Extensão Pró-identidade, com um aporte de recursos para a compra de equipamentos e destinação de bolsas aos alunos para a realização de suas atividades, portanto, ele nasceu eminentemente da extensão universitária”.

Os dois projetos extensão que deram origem ao Nudes também serviram de inspiração para o primeiro curso de especialização lato sensu do Campus do Sertão: Educação para as Relações Étnico Raciais no Semiárido Alagoano, em convênio com a Secretaria de Estado da Educação (SEE/AL). O Nudes foi pioneiro em muitas áreas, inclusive na organização de eventos estaduais, regionais e nacionais no Campus Sertão. De acordo com seus integrantes, ao longo desses 10 anos de existência, o Núcleo tem conseguido escrever uma história de sucesso, atuando em diversos municípios do alto sertão de Alagoas, com parcerias institucionais com diversas secretarias municipais de Educação.

A formação atual do grupo tem os seguintes professores: Ana Cristina Santos, Adriana Costa Deodato, Gustavo Gomes, Maria Aparecida Silva, Marilza Pavezi, Monica Regina Santos, Suzana Libard e Rafael de Oliveira Rodrigues.