Progep define estratégias para otimizar Política de Gestão de Pessoas da Ufal

Tecnologia aliada ao empenho da equipe tem garantido e proporcionado andamento das rotineiras ações administrativas
Por Diana Monteiro - jornalista
29/10/2020 12h41 - Atualizado em 29/10/2020 às 16h27
context/imageCaption

Wellington Pereira, pró-reitor de Gestão de Pessoas e do Trabalho

A realização de mais uma edição do Seminário Saúde Mental Relacionada ao Trabalho e o início do Projeto Diálogos, nesta semana, reforçam o empenho da Pró-reitoria de Gestão de Pessoas e do Trabalho (Progep) para a promoção de ações que têm como objetivo a qualidade de vida no trabalho dos servidores da Universidade Federal de Alagoas. As duas atividades, de forma on-line, vêm se somar à continuidade das ações desenvolvidas por uma dedicada equipe que não mede esforços para o enfrentamento dos desafios nas rotinas universitárias em tempos de pandemia. Tendo a tecnologia como importante aliada, foram definidas estratégias para a otimização, o crescimento e a valorização da área de recursos humanos da instituição alagoana.

“A Progep visa implementação de projetos que promovam o crescimento das pessoas em suas múltiplas dimensões, compreendendo os aspectos físico, mental, emocional, cultural e social. E conectado a essa estratégia, contemplada na plataforma de trabalho, está a instituição de mecanismos de treinamento e desenvolvimento profissionais. Todos esses baseados no mérito e na universalização das oportunidades, compatíveis com as necessidades de crescimento funcional  do servidor e com os interesses da instituição”, destacou o pró-reitor Wellington Pereira.

Na continuidade e na consolidação das amplas responsabilidades administrativas, recentemente, a Progep promoveu, no formato on-line, o Programa Institucional de Inserção do Novo Servidor (Pins), destinado aos servidores, docentes e técnicos-administrativos, recém-nomeados na Ufal, garantindo, dessa forma, a continuidade de mais uma ação da rotina universitária.    

Sobre os desafios existentes durante a pandemia, ainda em curso, para um setor da Universidade com abrangente e contínuo trabalho, que não pode parar, Wellington enfatiza que a estratégia central da Progep concentra-se na busca pela transparência e eficiência na continuidade das atividades desenvolvidas pela instituição. Neste sentido, boa parte delas, tem andamento garantido e rotineiro, como: análises dos processos de remoção, redistribuição, adicionais ocupacionais, avaliação de desempenho e estágio probatório, cursos de capacitação on-line e nomeações.

Ainda sobre a dinâmica do trabalho administrativo, o pró-reitor destaca os normativos que definiram a rotina de trabalho atingida por profundas mudanças: ”Juntamos esforços para a correta aplicação dos normativos que regulamentaram a pandemia, tanto pelo Gabinete do Reitor quanto pelo Consuni, prestando dessa forma, orientações às unidades acadêmicas e a servidores para as possibilidades do trabalho remoto, fora de sede ou em turnos alternados de revezamento. Tudo isso, visando contribuir para a eficácia e melhoria contínua das atividades, mesmo diante de uma situação extremamente difícil e excepcional”.

Descentralização e desafios

A Progep, auxiliada por suas três Coordenações, Qualidade de Vida e do Trabalho (CQVT), de Processos Seletivos (CPS) e de Desenvolvimento de Pessoal (CDP), tem entre as responsabilidades e competências planejar, desenvolver e promover continuadamente as ações necessárias à implantação, consolidação de Gestão de Pessoas contemplando os segmentos docente e administrativo.

A implantação de projetos, realização de seminários, campanhas, webinários e lives, ofertas de cursos de capacitação, promoção de atividades visando a saúde e bem-estar do servidor, estão entre as diversificadas ações executadas pela Progep, adequando-se  à realidade atual.

Segundo Thayse Justino, responsável pela Coordenação de Qualidade de Vida no Trabalho (CQVT), que tem em sua estrutura o Siass (Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor), em face da pandemia a equipe tem se mobilizado e realizado ações no formato on-line e em forma presencial concessão de adicionais e perícia em saúde Demandas inerentes ao setor, assim como inovação na oferta de ações, também estão em andamento normal.  

“A ocorrência da pandemia tem sido um grande desafio às atividades laborais. No entanto, as atividades têm sido adaptadas ao formato remoto e on-line e ainda executadas por meio de novos projetos e ações. A exemplo do Projeto Proseando sobre QVT/DQS, do Projeto Acolhimento psicológico, alcançando 81 servidores”, destaca a coordenadora. Aproveitou para informar que a perícia médica vem realizando atividades de forma presencial, seguindo os protocolos, e que a Junta Médica tem trabalhado parcialmente on-line.

Ao dizer que trabalhar qualidade de vida no trabalho é ouvir e perceber as nuances e desafios que envolvem o ambiente laborativo, sob a óptica do trabalhador, Thayse aproveita para destacar a construção da Minuta da Resolução CISSP (Comissão Interna de Saúde). A iniciativa,  além de proporcionar implementação de ações voltadas para a prevenção de riscos à saúde do servidor público da Ufal, possibilita instituir mecanismos capazes de estimular atitudes de corresponsabilidade no gerenciamento da saúde e da segurança do trabalho.

Para viabilizar a dinâmica do rotineiro trabalho, a Coordenadoria criou as redes sociais Instagram @siasscqvtprogepufal e um canal no YouTube.

A Coordenação de Processos Seletivos (CPS), constitui-se como a “porta de entrada” para os servidores da Ufal. Segundo a coordenadora Laís Costa, por meio da tecnologia, o setor conseguiu dar andamento às atividades administrativas sem gerar prejuízos aos usuários dos serviços. Cabem à CPS, a gestão das vagas de docente e de técnico-administrativo, planejamento e acompanhamento da execução de processos seletivos, tanto para provimentos de cargos efetivos quanto para contratação de pessoal temporário (professores substitutos e visitantes).

Entre outras responsabilidades da Coordenação, estão o encaminhamento a novas nomeações/contratações de pessoal e também  lidar com demandas específicas de movimentação de servidores, ou seja, remoções, redistribuições, alterações de regime de trabalho e exercícios provisórios.

Sobre os desafios enfrentados, Laís reforçou: “Dentro das limitações do denominado “novo normal”, o trabalho vem sendo executado, tendo como grande aliada à tecnologia, cada vez mais presente em tempos de pandemia, de modo que a Administração Pública ganha a oportunidade de, aos poucos, substituir a cultura da burocracia pela da inovação”, opinou.

Para o responsável pela Coordenação de Desenvolvimento de Pessoal (CDP) José Ivamilson Barbalho, a pandemia tem sido uma experiência de grandes desafios, estruturais, políticos, financeiros e também emocionais. As ações realizadas no campo da formação de técnicos e docentes, processos de avaliação docente, ação de desempenho/estágio probatório docente, fiscalização de contrato, tiveram que passar por um movimento de adequação.

O coordenador diz que, mesmo considerando como maior desafio lidar com alteração de prazos nos processos de avaliação e, consequentemente, necessidade de atualização de legislação correspondente, de modo geral, a CPD, procurou executar medidas administrativas específicas, amparadas sempre na legislação da Ufal, para a continuidade de suas atribuições.

”Nesse sentido, em nenhum momento ocorreu interrupção de atividades. Buscou-se, evidentemente, ajustar as demandas diárias dentro de um cenário de excepcionalidade conjuntural. Portanto, todas as rotinas da Progep sob a responsabilidade da CDP ocorreram e ocorrem com a celeridade esperada”, frisou Ivamilson.

Para o suporte às ações, a CDP dispõe da Gerência de Capacitação (GC), responsável pela construção do Plano de Desenvolvimento de Pessoal (PDP), uma ordenança do Governo Federal. É por meio do citado setor que se é planejado, organizado, ofertado e controlado os eventos de desenvolvimento da Ufal no campo macro. A exemplo da recomendação de participação de servidores da instituição em cursos e eventos externos. Segundo Leandro Gonçalves, gerente do setor, em tempos de pandemia a Gerência tem realizado, on-line,  cursos para servidores docente e técnicos e conta com a parceria do Proford (Programa de Formação Docente). A oferta já ultrapassa 40 cursos de capacitação, alcançando, dessa forma, um amplo universo de servidores.

Semana do Servidor

Ao promover atividades no evento denominado de Semana de Servidor da Ufal, pela passagem do Dia do Funcionário Público, 28 de Outubro, a equipe da Progep, representada pelo Pró-reitor Wellington Pereira, mesmo reconhecendo os desafios com diversificados contextos desfavoráveis, comunga da ideia da importância que  o servidor tem para a instituição e do papel que a universidade exerce na sociedade alagoana, assegurando a continuidade da prestação do serviço público de educação de qualidade.

“Acreditamos que a união de esforços é responsável pela continuidade e pela qualidade do serviço prestado à nossa sociedade. Deste modo, cada servidor da universidade deve ter consciência e se orgulhar de seu papel, posição e importância para cumprimento da missão institucional da Ufal, uma vez que somos essenciais para a realização das atividades. O servidor, como agente principal da estrutura administrativa, é o responsável pela formação de uma imagem institucional da universidade perante a sociedade. E isso é motivo de muito orgulho. Portanto, não obstante as recentes medidas que atingem diretamente o serviço público, os servidores têm muito a comemorar nesse momento, pela consciência de que estão cumprindo o seu papel a contento”, finalizou Wellington Pereira.