Professor de Engenharia de Petróleo é destaque por produção internacional

Os trabalhos oferecem alternativas na extração de ácidos utilizados na produção de biocombustíveis e modelagem de sistemas para indústria do petróleo e química fina
Por: Olívio Candido - estagiário de Jornalismo - 29/07/2019 às 08h20 - Atualizado em 29/07/2019 às 11h52
context/imageCaption

Professor Dheiver Francisco Santos, de Engenharia de Petróleo

O professor da Engenharia de Petróleo da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Dheiver Francisco Santos, teve cinco artigos publicados em revistas internacionais neste primeiro semestre de 2019. Alguns destes trabalhos apresentam alternativas no desenvolvimento de solventes ecologicamente corretos. 

Os trabalhos foram publicados nas revistas Russian Journal of Physical Chemistry A, Journal of Chemical & Engineering Data, Journal of Molecular Structure, Bulletin of Materials Science, Chemical Data Collections e contou com a colaboração de pesquisadores da Arábia Saudita, Brasil, Índia e Turquia. O Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq) e as universidades dos autores foram órgãos de fomento fundamentais no processo. Os recursos obtidos nas pesquisas foram aplicados na compra de equipamentos e remuneração de bolsas dos alunos de iniciação científica.  “Agradeço aos colegas, professores e alunos da Ufal por todo incentivo em buscar sempre a excelência acadêmica. Esse cenário é bastante significativo, tendo em vista os cortes da ciência nacional, mostrando que o pesquisador brasileiro é resiliente”, comentou. 

Dheiver estuda o desenvolvimento de técnicas e algoritmos para viabilizar estudos teóricos de propriedades estruturais e eletrônicas de sistemas moleculares de interesse do setor de petróleo e gás. Além da aplicação de técnicas de modelagem molecular como simulação computacional e cálculos quânticos. 

As publicações 

A pesquisa publicada no Chemical Data Collections estuda interações entre compostos. “Nós precisávamos entender se a mistura era endotérmica ou exotérmica, para saber se o modelo que descreve o comportamento de misturas de alta polaridade descreve bem o comportamento. Mas esses compostos também podem ser vistos como novos solventes que devemos incluir no processo de extração da indústria verde, extraindo moléculas e alguns fármacos”, explicou. No Journal of Chemical & Engineering Data, os pesquisadores desenvolveram uma nova resina que consegue extrair ácido utilizado na indústria de energia renováveis e biocombustíveis. “Na engenharia química e petroquímica existe um sistema de operações que separam misturas. Então, desenvolvemos uma resina que separa o ácido de alguns sistemas físicos de mistura. O ácido extraído poderá ser utilizado para reação de bioformação de biocombustíveis”, contou. 

Nas revistas Russian Journal of Physical Chemistry A, Journal of Molecular Structure e Bulletin of Materials Science, os artigos publicados são uma série de estudos voltados para a transformação industrial mais consciente e menos agressiva ao meio ambiente, trazendo à tona o desenvolvimento e a concepção de novos modelos matemáticos e computacionais de novos solventes industriais utilizados na indústria petroquímica de separação, conhecidos como solventes verdes, por não poluírem a atmosfera. O pesquisador acredita que, em pouco tempo, substituirão os compostos orgânicos voláteis. 

O pesquisador afirma que muitos destes trabalhos impulsionam essas aplicações na indústria, sendo utilizados nos processos de produção. “Muitas iniciativas já utilizam os líquidos iônicos na indústria e em escala de produção, como exemplo da Koei Chemical Co. Ltd., que realiza trabalhos e presta serviços na área de separação, utilizado como parte de resinas, eletrólitos na parte de baterias de lithium; e a Petrobras, utilizando processo de quebra de emulsões com líquidos iônicos e micro-ondas”, conclui Dheiver.