Carga horária para docentes é tema de Fórum na Ufal

Debate transcorrerá na sexta-feira (6), a partir das 9h, no auditório da Reitoria e é destinado a todo segmento docente da instituição
Por: Diana Monteiro - jornalista - 02/12/2019 às 13h15

Com o objetivo de regulamentar os critérios de distribuição da carga horária semanal de atividades do corpo docente, a Universidade Federal de Alagoas realiza na próxima sexta-feira (6) o Fórum Docente, que tem como público-alvo, além de professores da instituição, direções das unidades acadêmicas dos quatro campi, coordenações de cursos de graduação e pós-graduação, Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD) e Associação dos Docentes da Ufal (Adufal). 

O Fórum começa às 9h no auditório da Reitoria e é promovido pelo Grupo de Trabalho (GT), estabelecido pela Portaria/GR Nº 1213, de 04 de outubro de 2019. Para a proposta das atividades voltadas à carga horária docente, o GT prezou por alguns princípios, entre eles: Qualidade das atividades acadêmicas exercidas pelo docente considerando o ensino, a pesquisa e a extensão; Qualidade das atividades de sala de aula sem prejuízos para as demais atividades exercidas pelo docente; Transparência e publicidade das atividades exercidas; e Equidade da distribuição das atividades, especialmente das exercidas em sala de aula. 

Conforme o Grupo de Trabalho, “a distribuição da carga horária semanal de atividades do corpo docente deve obedecer às exigências legais em vigor, primando pela qualidade das atividades desenvolvidas e o alcance dos objetivos e metas institucionais. Para efeito de integralização da carga horária semanal, serão consideradas as atividades laborais permanentemente desempenhadas pelo corpo docente no ensino, na pesquisa, extensão e gestão. 

Segundo a proposta, “todo ano o docente deverá apresentar um plano de trabalho onde estejam descritas as atividades de aula, de orientação, de planejamento, de pesquisa, de extensão e/ou de gestão que irá exercer. Essas atividades deverão ser compatíveis com o seu regime de trabalho: Dedicação exclusiva, 40 horas ou 20 horas”. 

Ainda, “cabe aos gestores das unidades/campi dar transparência e publicidade a distribuição das atividades dos docentes lotados nas respectivas unidades/campi”. Conforme proposta do GT,  “é importante destacar que o docente na universidade, diferente do que pensa o senso comum, não ministra apenas aula, ele obrigatoriamente deve exercer outras atividades além das aulas”.