Rede Cientistas do Amanhã terá participação de professores da Ufal

Docentes integram rede regional que visa promover o ensino de ciências nos níveis fundamental e médio
Por: Janyelle Vieira - estagiária de Jornalismo - 12/11/2019 às 12h52
context/imageCaption

Reunião realizada com parte da equipe da Rede. Foto: Ig Ibert Bittencourt

A necessidade de incorporar as vivências da descoberta científica às práticas pedagógicas nas disciplinas de Ciências e Matemática nos níveis de ensino fundamental e médio foi um dos fatores estimulantes à Rede Regional de Promoção do Ensino de Ciências Cientistas do Amanhã, projeto submetido e aprovado ao Ministério da Educação (MEC).

O projeto tem como objetivo geral propor, articular e executar ações que qualifiquem o ensino e melhorem o desempenho dos estudantes na forma de um programa regional coordenado conjuntamente por universidades, institutos federais e secretarias de Educação Básica. 

A rede, que será colaborativa, vai identificar boas práticas e amparar projetos educacionais e científicos com garantia de sustentabilidade, continuidade e apropriação pelas políticas públicas por meio das secretarias. 

O projeto visa também que serão criados e expandidos o conjunto de materiais didáticos das escolas, e promovidas feiras e olimpíadas científicas. A rede vai contribuir para a elaboração de bases e diretrizes curriculares, programas de formação continuada de professores de Ciências e Matemática, voltados para a aplicação imediata em sala de aula. 

Em Alagoas, participarão do Cientistas do Amanhã docentes da Ufal dos institutos de Computação (IC), Química e Biotecnologia (IQB), Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS), Matemática (IM), Física (IF), Ciências Sociais (ICS); das faculdades de Medicina (Famed), Economia, Administração e Contabilidade (Feac); e dos centros de Educação (Cedu), e de Tecnologia (Ctec); além de professores do Campus Arapiraca, da Unidade Penedo, e da sede do Campus do Sertão. As ações envolverão 210 escolas vinculadas ao Estado. 

A Secretaria de Educação do Estado de Alagoas e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) também integram a equipe e foram fundamentais para a aprovação do projeto. 

O professor do Instituto de Computação da Universidade Federal de Alagoas Ig Ibert Bittencourt conta que para ele, será uma grande satisfação atuar como vice-coordenador geral ao lado do professor Jorge Lira, da Universidade Federal do Ceará (UFC), que vai ser o coordenador. “Esta proposta objetiva fazer mobilização educacional baseada em evidências para os estados do Ceará, Alagoas, Piauí e Maranhão. Será não somente uma ação em rede em prol do desenvolvimento dos cientistas do amanhã, mas uma proposta fundamentada em boas práticas e evidências do que de fato deu certo no contexto do Nordeste" enfatiza. 

Diversas instituições da Região Nordeste irão compor a Rede. De acordo com a coordenação do projeto, em cada universidade participante, há núcleos de excelência em pesquisa, inovação e pós-graduação em Matemática, Física, Química, Computação, Biologia e Educação, consolidados ao longo das duas últimas décadas, resultante do esforço de qualificação de professores e de suas produções cientıficas e inovações tecnológicas em patamares internacionais.