Docentes do Cedu apresentam trabalhos no Forges em Brasília

Evento tratou da gestão do ensino superior nos país de língua portuguesa
Por: Ascom Ufal - 03/12/2019 às 07h30 - Atualizado em 29/11/2019 às 17h33
context/imageCaption

Evento aconteceu em novembro. (Foto: arquivo pessoal)

As professoras Edna Cristina do Prado, Jusciney Carvalho Santana e Sandra Regina Paz, docentes do Centro de Educação, pesquisadoras no grupo de pesquisa em Gestão e Avaliação Educacional – GAE/CNPq e integrantes da administração central da Ufal apresentaram trabalhos na 9ª Conferência Forges (Fórum de Gestão do Ensino Superior de Países e Regiões de Língua Portuguesa).

O evento ocorreu entre os dias 20 e 22 de novembro e foi sediado na Universidade de Brasília em parceria com o Instituto Federal de Brasília; e contou com dirigentes, pesquisadores e associados da Forges de outros países como Portugal, Angola, Moçambique, Guiné Bissau dentre outros países africanos cuja língua oficial é a língua portuguesa.

Os trabalhos apresentados pelas professoras versaram sobre duas importantes experiências da Universidade, sendo o primeiro, acerca da construção coletiva do novo PDI e o segundo das atividades desenvolvidas pela atual Comissão Própria de Avaliação.

A professora Sandra Regina Paz, que é pró-reitora de graduação, coordenou uma das salas de comunicações e reforçou a relevância dos diálogos entre as instituições de diferentes países.

Segundo a professora Jusciney Carvalho, que também integra a gestão da Forges no biênio 2018-2022, as duas comunicações cumpriram o objetivo de compartilhar as boas práticas de gestão universitária que estão sendo realizadas e que são pautadas pelos princípios da qualidade acadêmica, da democracia, da autonomia e da transparência, na maior instituição federal de Alagoas, de qualidade socialmente referenciada.

A professora Edna Cristina do Prado apresentou outras comunicações e posteres juntamente com seus orientandos do Programa de Pós-Graduação em Educação do Centro de Educação da Ufal.

Além dessas participações, a delegação da Ufal no evento ainda contou com o professor Ciro Bezerra, do Centro de Educação, que apresentou o pôster intitulado "Excelência acadêmica, pedagogia universitária e produção de conhecimento nos países de língua portuguesa".

Conforme anunciado no site do evento intitulado "O ensino superior e a promoção do desenvolvimento humano: contextos e experiências nos países e regiões de língua portuguesa” o objetivo foi discutir como as instituições de ensino superior têm atuado e podem atuar no sentido de promover valores como a democracia, a ética, a liberdade, a responsabilidade social, o pensamento científico e crítico, que, por sua vez, trazem influências nos âmbitos político, social e cultural.

A conferência de fato foi uma oportunidade de compartilhar experiências de um papel fundamental desempenhado pelo ensino superior que, no entanto, tem pouco reconhecimento da sociedade, merecendo atenção especial, sobretudo no atual momento de expansão do acesso à educação superior, mas também de crise financeira no setor, em particular nas instituições públicas.

A abertura do evento, no dia 20, o professor Roberto Leher, da UFRJ fez a conferência inaugural "Políticas do Ensino Superior para a promoção do desenvolvimento humano" e iniciou ressaltando a importância do evento que foca o debate sobre os desafios da educação superior no Brasil, em Portugal e na África, iniciar no dia importante de reflexão no Brasil sobre a Consciência Negra.  

Na assembleia geral da Forges que ocorreu no dia 22 de novembro, além da apresentação do relatório de atividades e as prestações de conta do ano fiscal 2018 e do orçamento para o ano 2020, a professora Luisa Cerdeira, do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa e membro da Forges procedeu à votação da candidatura da cidade de Évora/PT, para sediar a 10ª Conferência Forges, que foi acolhida por unanimidade pelos participantes.

Para saber mais sobre a Forges basta clicar aqui.