Manifesto de professor da Ufal é publicado em importante revista de informática do país

Texto aponta os principais desafios da pesquisas em informática na educação
Por Eduardo Lira, estagiário de Relações Públicas
22/11/2018 15h45 - Atualizado em 22/11/2018 às 15h39
context/imageCaption

Ig Ibert Bittencourt

Sob o título de Informática na Educação baseada em Evidências: Um Manifesto, o artigo escrito pelo professor do Instituto de Computação da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Ig Ibert Bittencourt Santana Pinto, em colaboração com o pesquisador Seiji Isotani, da Universidade de São Paulo (USP) foi publicado no volume 26 da Revista Brasileira de Informática na Educação (RBIE).

Com o objetivo de estimular o debate e provocar maior interesse pela pesquisa em informática no ensino, o manifesto apresenta dez princípios baseados em evidências e reprodutividade das pesquisas científicas como fatores fundamentais que levam tanto à melhoria e  crescimento das mesmas, quanto ao desenvolvimento econômico e social do país.

Retirados das vivências e observações dos autores ao longo de uma década, os princípios propostos descrevem por quais maneiras e formatos os pesquisadores devem contribuir para criar espaços de diálogos e troca de experiências. “Um palestrante, ao apresentar um trabalho, não deve esperar apenas um elogio, mas sim perguntas intrigantes, (...) que o façam repensar sobre suas próprias práticas científicas. Em contrapartida, as pessoas da plateia não devem escutar de maneira passiva. É preciso ser ativo, pensar sobre o trabalho apresentado e atuar como auditores que querem contribuir para a melhoria da pesquisa do palestrante.”, diz o artigo.

Em outro ponto discutido no texto, os autores discorrem sobre as falhas na relação academia-sociedade, identificando a presença de distâncias comunicacionais que impedem que pesquisas de alta relevância cheguem até os mais interessados no assunto: os cidadãos comuns. Também é ressaltada a necessidade de compartilhar dados, métodos, instrumentos e resultados com os colegas da comunidade científica. Segundo o artigo, a atitude auxiliaria no fortalecimento de uma nova cultura onde a educação brasileira seria a grande contemplada devido a todas as informações potenciais não serem desperdiçadas.

Ao final do artigo, os autores abrem espaço para que os leitores possam contribuir com a discussão deixando suas opiniões e sugestões com o objetivo de organizar encontros com a comunidade científica e abrir novos caminhos para a informática brasileira.