Portal do Governo Brasileiro

Pesquisa de professor da Ufal é aprovada por Fundação Grupo Boticário de proteção à natureza

Estudo relaciona aves marinhas de arquipélago e o desastre ocorrido na cidade de Mariana (MG)
11/12/2017 às 13h25 - Atualizado em 15/12/2017 às 10h21

Klebson Candido – Estagiário de Relações Públicas

O projeto Biologia reprodutiva e forrageamento das aves marinhas de Abrolhos, do professor Márcio Efe, do Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde (ICBS) foi aprovado no edital de apoio a projetos da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. O trabalho que receberá em torno de R$ 85 mil em recursos financeiros para custeio e foi o único de Alagoas aprovado no segundo semestre de 2017.

O estudo busca compilar informações sobre as populações das espécies de aves marinhas de Abrolhos, arquipélago localizado no Oceano Atlântico e identificar a influência sobre as aves da localidade com desastre ocorrido em Mariana, em Minas Gerais. Além disso, o projeto tem o objetivo de discutir sobre a ampliação do polígono da área de proteção e subsidiar ações em potenciais conflitos das aves com a exploração inadequada dos recursos pesqueiros na região.

Monitorar os tamanhos populacionais de seis espécies de aves marinhas, determinar áreas de alimentação da Grazina-de-bico-vermelho, espécie ameaçada de extinção no Brasil e do Atobá-marrom, espécie que frequenta a região costeira da Bahia e do Espírito Santo, atingida pela lama do desastre da Barragem de Mariana, são ações apontadas pelo estudo professor Márcio Efe.

 

O pesquisador destaca ainda a importância desse trabalho para a relação do pescador com a sustentabilidade dos ecossistemas e das espécies. “A avaliação da dinâmica de uma população animal é considerada uma importante contribuição para entender sua história de vida e representa uma importante ferramenta na conservação das espécies e, consequentemente, na manutenção dos serviços ambientais que proporciona à qualidade de vida humana, afirma.

A Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes) é a instituição responsável pelo projeto, que conta ainda com a participação de pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande (FURG) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

 

Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza

A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza transforma iniciativas em ações de preservação ambiental em todo o Brasil, a partir da conservação da natureza há mais de vinte anos.

Por meio de editais para aporte financeiro a projetos e programas, a Fundação apoia ações práticas para a conservação de espécies e ecossistemas e fomenta ações de implementação de políticas públicas eficazes para a proteção da biodiversidade.