Servidores devem responder questionário para obter cartão de acesso ao campus

Material está disponível no Sipac até a próxima sexta-feira, 29

21/05/2015 17h56 - Atualizado em 22/05/2015 às 14h56
context/imageCaption

Servidores devem responder questionário para obter cartão de acesso ao campus

Deriky Pereira – estudante de Jornalismo

A Superintendência de Infraestrutura (Sinfra) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) informa aos servidores que está disponível no Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos (Sipac) um questionário para cadastrar os servidores que utilizem veículo próprio e aqueles que têm acesso como pedestre, para que haja a confecção e entrega dos cartões, que facilitarão a entrada dos mesmos nas portarias principais.

Serão dois tipos de cartões: os TAGs, que permitirão o acesso dos veículos pelas cancelas e os cartões que cuja utilização será feita pelos pedestres. Caso o servidor utilize veículo próprio para vir ao Campus A.C. Simões, em Maceió, deverá marcar a opção verdadeiro e dar prosseguimento ao questionário, preenchendo com as informações solicitadas, tais como marca, modelo, placa e cor do carro; do contrário, deve marcar falso e o número zero nas demais opções.

O órgão reforça que nesta primeira etapa, o questionário está disponível apenas para servidores e, em breve, serão cadastrados alunos e demais usuários. Além disso, caso o servidor se utilize de carros diferentes para vir à Ufal não será preciso fazer outros cadastros, uma vez que o cartão que receberá será portátil, podendo alocá-lo em outro veículo. Para mais detalhes, os servidores podem consultar o anexo disponível no final desta página.

O questionário deverá ser respondido até a próxima sexta-feira, 29 e as informações nele dispostas serão encaminhadas à empresa responsável pela confecção dos cartões e posterior disponibilização aos usuários. Para mais informações entre em contato por meio do telefone (82) 3214-1290.

Fim de semana e feriados: avisar com antecedência

No início do mês, a Sinfra divulgou nota solicitando aos gestores que informem com antecedência sobre a necessidade de realizar serviços nas Unidades Acadêmicas ou no Campus A.C. Simões por servidores ou terceirizados nos fins de semana, feriados e fora do horário do expediente administrativo. A medida deve melhorar o controle de acesso e a segurança no campus.

O órgão reforça ainda que quando houver necessidade de acesso à Ufal nos dias e horários indicados acima, o gestor deve indicar nome do servidor ou prestador de serviço, hora, local e serviço a realizar para que a empresa de segurança seja informada e faça o devido controle. Para mais informações, entre em contato com os seguintes números: (82) 3214-1290 / (82) 3214-1020 / (82) 3214-1180 / (82) 3214-1184.

Diálogo com as comunidades circunvizinhas

Há meses, a Ufal enfrenta problemas para finalizar o muro dos fundos e lateral do campus, mas tem enfrentado resistência por parte de alguns grupos das comunidades vizinhas. “Levantamos o muro e, no outro dia, está tudo no chão; o material muitas vezes é levado e as ameaças são constantes. Por isso, estamos recorrendo aos moradores dos conjuntos vizinhos para conseguirmos o apoio da população, que também enfrenta problemas de segurança como nós. Sabemos que quem está impedindo a Ufal de concluir o projeto é um grupo pequeno e, se tivermos apoio da maioria das pessoas, vamos conseguir concluir o nosso trabalho e beneficiar a todos”, disse a superintendente de infraestrutura, Nélia Callado.

Outras iniciativas também estão sendo implantadas para melhorar a segurança. O projeto prevê a conclusão da cerca e instalação de guaritas suspensas, além de melhorar a iluminação e colocar portão para entrada e saída de pedestres. “Também vamos formalizar uma rua dentro das instalações do campus que vai ligar a Avenida Frei Damião de Bozano à Avenida Paulo Holanda. Quando a obra ficar pronta, os pedestres poderão ter acesso à Ufal e às duas ruas de forma mais fácil e com maior segurança, por isso precisamos de apoio das comunidades do entorno da Universidade”, explicou.