Premiada no Meninas e Mulheres na Ciência participa de estágio na USP

Ashley Sousa foi selecionada no Programa Aristides Pacheco Leão de Estímulo a Vocações Científicas
Por Lenilda Luna - jornalista
25/01/2024 14h35 - Atualizado em 29/01/2024 às 14h17
Ashley Sousa é alunda de Ciências Farmacêuticas na Ufal

Ashley Sousa é alunda de Ciências Farmacêuticas na Ufal

Ashley Sousa é graduanda do nono período do curso de Ciências Farmacêuticas, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). A estudante participa de projetos de iniciação científica no Laboratório de Biologia Celular (LBC), sob orientação do professor Alexandre Urban Borbely (ICBS).

Por sua dedicação à pesquisa, Ashley faz parte de um grupo de estudantes de Farmácia que conquistaram o reconhecimento de Excelência Acadêmica por projetos desenvolvidos e apresentados no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic), em 2023.

Ela também foi uma das vencedoras da primeira edição do Prêmio Meninas e Mulheres na Ciência, realizado pela Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação (Propep), entregue em julho do ano passado, como forma de promover a equidade de gênero na pesquisa científica, além de valorizar o papel da mulher na sociedade.

Agora Ashley está em São Paulo, estagiando no Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (USP). O estágio começou no dia 8 de janeiro e vai até 29 de fevereiro. “Aqui tenho a oportunidade de aprender técnicas novas em uma nova linha de pesquisa”, diz a estudante.

Ashley foi selecionada para esse estágio pelo Programa Aristides Pacheco Leão de Estímulo a Vocações Científicas, uma iniciativa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e da Academia Brasileira de Ciência (ABC). A seleção foi realizada em julho do ano passado.

O programa financia 25 bolsas de estudo para estudantes de São Paulo estagiarem em universidades de outros estados, assim como seleciona 25 estudantes de vários estados para participarem de pesquisas científicas em São Paulo. “Eu me inscrevi no site, onde foi analisado histórico analítico, currículo lattes, carta de recomendação e carta de intenção”, conta a estudante.

Na primeira etapa, os estudantes puderam indicar dois laboratórios, liderados por professores que são membros da ABC e a comissão decide em qual deles se encaixa melhor no perfil do estudante. “Fui selecionada durante a primeira etapa, para o Laboratório de Imunologia de Transplantes (LIT), coordenado pelo professor Niels Olsen Câmara (ICB - USP). Mas também estou atuando no Laboratório de Imunologia Clínica e Experimental (Lice) da Unifesp”, detalha Ashley.

Na segunda etapa, a estudante apresentou um projeto na área, que foi submetido ao programa. “O projeto escrito foi intitulado de: Papel da função mitocondrial na transição da injúria renal aguda para crônica. Fiquei muito feliz quando foi aprovado pelo comitê do projeto e fui oficialmente selecionada para o estágio”, comemora a estudante.

A experiência tem sido muito importante para a estudante. “Por ora, a minha experiência tem sido incrível e desafiadora! Estou tendo a oportunidade de aprender técnicas que eu só lia nos artigos científicos, debater ciência em uma área totalmente nova, conhecer pessoas, fazer networking e me apaixonar ainda mais pela ciência e sua enorme capacidade de mudar vidas”, narra a estudante entusiasmada.

Ela tem aproveitado também os novos contatos que está fazendo na academia. “Tive a oportunidade de conhecer pesquisadores da USP, Unifesp e da Universidade Federal do ABC, bem como os alunos de doutorado e pós doutorado dos professores Niels Olsen (USP) e Vinicius Andrade (ABC), entre outros nomes que com certeza agregarão de maneira positiva para a minha carreira, com parcerias e colaborações futuras", planeja Ashley.

A estudante alagoana não teve dificuldades para se adaptar ao novo ambiente de pesquisa. "A convivência com os alunos dos dois laboratórios tem sido incrível. São pessoas extremamente receptivas que formam um grupo multidisciplinar onde tenho a oportunidade de falar sobre minha linha de pesquisa", reconhece a estudante.

Além de aprender mais sobre o trabalho que realizam, os estudantes encontram tempo para conversar sobre a vida e a dedicação aos estudos. "Muitos dos alunos são de outros estados, assim como eu, então é uma troca de experiências. Estou hospedada perto da USP no bairro Butantã localizado na zona oeste da cidade, o que me possibilita facilidade de locomoção", finaliza Ashley.